1. Spirit Fanfics >
  2. Like A Dream >
  3. Festa do Pijama

História Like A Dream - Capítulo 11


Escrita por: Zorome

Notas do Autor


Eu voltei, e agora é pra ficaaaar...
Oieee, eu demorei? Provável, mas aqui estou eu hehehe
Espero que gostem do capítulo! Ele é um pouquinho maior e eu vou me esforçar para tentar manter assim, mas posso acabar demorando mais para postar, então pode acontecer de eu acabar postando outros mais curtos para não ficar muito tempo sem atualizar a história.
Enfim, chega de enrolar me explicando haha
Boa leitura, beijinhos <3

Capítulo 11 - Festa do Pijama


Fanfic / Fanfiction Like A Dream - Capítulo 11 - Festa do Pijama

Ino permanecia paralisada no banco traseiro do táxi enquanto tentava associar a palavra “pai” ao seu amigo, que a chamava pelo nome do outro lado da linha. Aquilo havia deixado a mesma sem palavras. Coisas como chás de bebês, escolas primárias, balões coloridos e presentes inundaram sua mente no mesmo instante.

- Você ainda está aí? Ino? - Chamou a voz masculina. A loira balançou a cabeça devagar voltando aos sentidos. 

- Me explique isso, Shikamaru! Como aconteceu?

- Te explicar? Isso vai ser constrangedor, foi um momento íntimo. - Brincou.

- Você está brincando num momento desse?

- Estou nervoso, meu cérebro nunca lidou com tamanha preocupação.

- Não estou acreditando nisso… - Relaxou os ombros e levou a mão a nuca a massageando. - Quem é a mãe? - Perguntou.

- Eu disse que acho que vou ser pai, então vamos evitar falar que ela é mãe com tanta certeza assim…

- Quem é, Shikamaru??! - Perguntou nervosa.

- Você não a conhece, conheci ela a pouco tempo.

Ino olhou pela janela franzindo o cenho.

- Pouco tempo… Quanto?

- 4 semanas? É, algo assim… Um mês. - Ino arregalou os olhos se alterando.

- CONHECEU UMA MENINA HÁ 1 MÊS E ENGRAVIDOU ELA?

- Que azar… - O motorista sussurrou enquanto ouvia a loira gritar no banco de trás. Balançou fraco a cabeça.

- Pode não ser escandalosa? - Ela pode ouvir um suspiro dele depois de seu grito.

- O que vocês vão fazer? - Perguntou Ino, preocupada. Ele ficou em silêncio por alguns segundos.

- Eu não sei. - Respondeu deixando sua preocupação soar em seu tom de voz. - Eu precisava falar sobre isso com alguém, achei que explodiria. Ela vai fazer o teste hoje, assim que a gente souber o resultado, vou falar com você. Para não deixar você preocupada.

- Por favor! Agradeço, obrigada. Mas me diga, qual o nome dela? Onde conheceu? Ela é legal?? - Perguntou apenas pelo nervosismo. - Não quero uma mãe ruim pro meu sobrinho.

- Só eu posso brincar com isso! Não brinque. Meu coração pode sair pela boca. - Alertou.

Ino riu fraco e notou que estava chegando em seu destino. Assim que o homem estacionou pegou o dinheiro, pedindo ao amigo para esperar. Pagou ao homem e agradeceu.

- Boa sorte ao seu amigo. - Disse o senhor, Ino sorriu fraco, envergonhada por ter gritado antes.

- Ele vai precisar. - Saiu do carro fechando a porta atrás de si.

Ino, assim que saiu do carro, caminhou com pressa na direção da entrada do shopping. Voltou sua atenção ao amigo enquanto atravessava o vão entre as enormes portas de vidro.

- Acabei de chegar no shopping, preciso olhar em cada canto procurando um presente para Sakura. - Comentou sem parar de andar.

- Certo, vou deixar você procurar em paz então, depois ligarei para você.

- Antes, responda minhas perguntas. - Pediu Ino. - Diga ao menos o nome dela, e se ela é legal. - Pediu as informações. Ouviu ele estalar a língua.

- O nome dela é Temari, e sim… É legal. Acho que se a conhecesse, gostaria dela.

- Eu acredito em você. A pessoa insuportavelmente chata costuma ser você na maior parte do tempo. - Zoou. - Quando conseguir, me apresente a ela. - Mandou. - E não pira não, amigo. Fica tranquilo, deixe a preocupação para depois do teste, caso dê positivo.

- Que Deus não te ouça. - Sussurrou.

- Aposto que é uma lição, pra você não sair fazendo essas coisas assim do nada com desconhecidas. - A risada do moreno foi ouvida pela loira que balançou a cabeça. - Estou desligando, nos falamos depois. - Disse calma. - Se cuida. - Cessou seus passos assim que achou uma loja de roupas que amava. 

- Ok, até mais tarde. Fique atenta ao celular! - Avisou. - Tchau. 

- Adíos! - A loira desligou o celular e suspirou de leve pensando no amigo enquanto guardava o celular. Não acreditava naquilo.

Shikamaru era alguém bem discreto e tranquilo, saber que ele havia se metido naquela confusão era realmente chocante para a loira. Não imaginava que seu amigo pudesse cometer um vacilo daquele. Sabia de alguns casos dele, apesar de nunca ter namorado, Shikamaru tinha lá suas experiências, mas sempre foi responsável e cuidadoso. Decidiu que depois pediria mais detalhes a ele. 

Resolvida a focar no problema do presente, a loira entrou na loja, disposta a encontrar algo para Sakura. Se fosse necessário, colocaria aquele shopping de cabeça pra baixo até achar o presente perfeito.

Sentia que dormiria naquela noite como uma pedra depois do dia longo que estava tendo.

 

20:00

 

O ruivo ajeitou sua jaqueta verde escuro, puxando as mangas até os cotovelos enquanto esperava alguém atender a porta que havia acabado de bater. 

Após sair da universidade e colocar a loira em um táxi para casa, recebeu uma mensagem do telefone de sua casa. Era seu pai ligando para o lembrar que tinha que jogar o lixo fora.

Aquela era a maneira do velho o pedir para voltar para casa, afinal não tinha coragem de pedir desculpas, seu orgulho era grande demais para o permitir fazer aquilo. Ele precisava do ruivo afinal. Era com esse tipo de situação que Gaara tinha que lidar. Seu pai o expulsando e o pedindo para voltar, respostas grossas e cheiro de álcool. 

Se sentia um idiota.

Ele acabou voltando para casa, mas não o encontrou ali. Aproveitou o tempo que tinha à tarde para arrumar a casa e em seguida tomou um banho longo e relaxante, que o fez refletir sobre tudo que tinha acontecido, inclusive o encontro com a ex. No fim, fez o que considerava fazer de melhor: dormir.

Quando acordou, ficou um pouco à toa, até receber um convite de Kankuro para ir até a casa dele. Não bastava ter o visto de manhã, ele queria o ver a noite também. Não negou, afinal, não tinha muito o que fazer e ficar sem fazer nada com eles era melhor do que não fazer nada sozinho. 

A porta se abriu mostrando um Kankuro de regata amarela, suado e ofegante. Pelo barulho que o ruivo estava ouvindo antes, parecia que kankuro estava arrastando alguma coisa.

- Que bom que você chegou, cara. - O moreno voltou a entrar na casa deixando a porta aberta para o amigo passar. Gaara estranhou, entrando em seguida e fechando a porta.

- O que está fazendo? - Perguntou o ruivo seguindo o amigo e logo entrou na cozinha, onde ele havia entrado. No chão havia um móvel desmontado.

- Comprei esse armário novo para a cozinha, é uma surpresa pra Temari. Aquela matraca vive reclamando do que temos. - Gaara fez uma expressão de quem havia entendido.

- Você não me chamou para jogarmos videogame não né? - Perguntou, soltando uma leve risada.

Kankuro olhou o amigo e sorriu fofo.

- Podemos jogar sim. - Logo em seguida, fechou o semblante. - Depois de montarmos o armário. - Gaara balançou a cabeça desapontado.

- Fui tapeado. 

Estalou a língua e retirou a jaqueta que estava usando, ficando apenas com a camisa branca simples que usava por baixo. Colocou a jaqueta na cadeira perto de si e o celular e a carteira em cima da mesa. Voltou a se aproximar do amigo e se abaixou olhando melhor o armário.

- Foi caro? - Perguntou pegando uma das portas. Parecia de ótima qualidade e de certa forma combinava com a cozinha.

- Um pouco, mas tudo bem. Vai durar, é o que importa.

- É muito fofo você tentando agradá-la. - Comentou com um sorrisinho provocativo enquanto colocava a pequena porta no chão de volta.

- E ela tem coragem de me xingar. Sou o melhor irmão do mundo. - Se elogiou.

- Não força. - Pediu o ruivo se levantando..

- Vamos tentar montar rápido, ela deve chegar a qualquer momento. - Kankuro falou apressado e se afastou indo pegar as ferramentas na sacola que estava na mesa.

Os dois passaram um tempo ali, montando o armário e conversando, algumas vezes se xingando por errarem alguma coisa. Quando finalizaram, Gaara se jogou na cadeira mais próxima se sentando, cansado.  Kankuro caminhou até a geladeira e pegou a garrafa de água, em seguida pegou dois copos, assim, servindo ao seu amigo e a si mesmo.

- Finalmente acabamos. - Disse o ruivo levemente suado. Pegou o copo com água bebendo um pouco.

- Acabou? Quem disse?

- Que? - Olhou Kankuro. - O que falta? - Olhou o armário perfeitamente montado.  

- Quer que a gente largue isso aqui?

Gaara desviou seu olhar para o armário antigo desmontado no chão.

- Não vamos colocar na garagem? - Perguntou. - É mole.

- Vendi para a vizinha, ela me pagou por ele e pra levar e montar pra ela. - Disse simples bebendo sua água.

- Calma aí, e você vai me fazer trabalhar sem me dar nada? - Perguntou Gaara assumindo uma postura de indignação. 

- Amigos servem pra isso, Gaara. Você me ajuda hoje, e quando for possível pra mim, te ajudo no futuro. - Disse calmamente bebendo o resto de sua água em seguida.

- Não servem não. Me dê metade que ela te pagou pra levar e montar que eu ajudo. - Exigiu, se levantando logo depois.

- Pra que inimigo com um amigo desse? Custa fazer isso por mim? - Se indignou o moreno colocando o copo na mesa irritado. Gaara estendeu a mão fazendo um sinal para que Kankuro desse o dinheiro.

- Custa. Custa metade do que ela te pagou. Passa pra cá. - Arqueou uma de suas sobrancelhas. - Quer fazer sozinho? - Ameaçou.

- 30%. Só. - Tentou.

- Nem pense nisso. 50%. 

- Mesquinho. - Sussurrou olhando para o amigo com desgosto. Pegou o dinheiro do bolso e tirou metade colocando na mão do amigo com ignorância. Gaara sorriu animado.

- Mesquinho não, justo. - Agora com um bom humor, Gaara sorriu. - Vamos levar logo antes que sua irmã chegue. - Disse contando o dinheiro e em seguida guardando na carteira. Kankuro ainda o olhava irritado. Suspirou e deu as costas para o amigo.

- Vamos de uma vez.

Os dois se apressaram em ir falar com a vizinha, que era uma senhora. Logo começaram a transferir o armário de uma casa para a outra. Assim que terminaram, passaram a montar o móvel onde a senhora queria. Quando finalmente estava completamente montado, os dois se despediram e saíram da casa da senhora voltando para dentro da casa de Kankuro. No caminho falavam sobre a obsessão visível da senhora por gatos, quando estavam lá dentro, podiam jurar que tinham visto 5 gatos diferentes. Assim que entraram na casa, o moreno fechou a porta assim que Gaara entrou. Caminhou calmamente em direção ao seu quarto.

- Eu vou tomar um banho, pode fazer o que você quiser aí. - Kankuro abanou a mão, dando sinal para Gaara fazer, de fato, o que quisesse. Seguiu seu caminho até seu quarto e logo o ruivo ficou sozinho.

Resolveu apenas esperar o amigo enquanto via televisão. Pegou o controle e se aproximou do sofá se sentando no mesmo. Soltou um suspiro enquanto ligava a tv. Assim que a imagem apareceu, notou estar no canal do noticiário. Franziu o cenho quando percebeu qual era a notícia. Logo relaxou o semblante.

Era sobre o acidente entre o caminhão de carga e a van de antes. Desta vez, na tela apareciam os rostos das pessoas que haviam morrido com o acidente. Aquilo de certa forma afetou o ruivo. Ele sabia que aquilo ia acontecer.

Podia ter mudado o futuro daquelas pessoas? Será que podia mudar o futuro drasticamente assim?

E quanto ao pai de Ino? Será que podia interferir naquela tragédia? Deveria tentar?

Saiu dos seus pensamentos quando notou Temari abrir a porta de casa e entrar. Olhou automaticamente para trás procurando algum sinal de seu amigo, mas logo voltou a olhar a loira. 

- Gaara? - Temari franziu o cenho o encarando. - Kankuro te chamou? 

- Sim, ele não se cansa de mim. - Sorriu calmo olhando a amiga. - Onde estava?

- A-ah… Fui ver uma amiga. - Gaara não sentiu firmeza nas palavras da mesma, mas também resolveu não insistir em perguntar. - O que vão fazer hoje? - Perguntou e caminhou até o sofá colocando sua bolsa em cima do assento, olhando o amigo que continuava sentado.

- O mesmo de sempre, jogar e comer. Ou assistir um jogo e comer. Ou só… Comer. - Respondeu deixando seu corpo relaxar mais no sofá. - Vai ficar com a gente?

- Ah não, estou com um livro que preciso terminar para um trabalho, vou ler e dormir. Só tenho energia agora para ler. - Suspirou.

- Você está bem? - Gaara perguntou franzindo o cenho.

- Claro, estou ótima. - Sorriu forçadamente para o amigo. - Vou ir ver o que tem pra preparar para comer, estou morta de fome. - Se afastou, mas antes de chegar perto da porta da cozinha, Kankuro apareceu na porta do seu quarto, já com seu banho tomado e vestido de forma casual.

-Você chegou. Trouxe o que pra comer? - Perguntou ele apenas para irritar a mesma.

- Não enche, Kankuro. Não sou sua empregada. - Ignorou o irmão e entrou na cozinha.

Assim que chegou na porta, a loira arregalou os olhos com o novo móvel que enfeitava a cozinha. O armário de parede era realmente bonito, exatamente como ela queria, de madeira. Havia deixado a cozinha simples até mais bonita.

A loira só conseguia pensar em como aquilo podia ter saído caro e em como seu irmão era idiota por a ouvir e levar a sério suas reclamações. 

- E aí? Gostou? - A voz de Kankuro soou atrás de si. Ele também olhava o armário ao lado dela. Havia ficado muito maneiro aos olhos do mesmo. - Gaara me ajudou a montar e… - Olhou para sua irmã e parou de falar. Se aproximou para saber se estava vendo direito. - Você está chorando? - Perguntou, perplexo.

Não acreditava que sua irmã estava chorando. Era emoção? Não estava esperando que isso acontecesse, não era do feitio dela. Antes de falar qualquer coisa a mais, a loira se virou abraçando o irmão e escondendo o rosto em seu peito. Nesse momento, a loira chorava de soluçar. Kankuro permanecia chocado com a situação. Olhou pra trás tentando buscar explicação nos olhos do amigo, mas Gaara estava mais confuso e sem saber o que fazer que Kankuro.

- Abraça ela. - Sussurrou Gaara incentivando o amigo. - Vai! - Sussurrava. Kankuro, mesmo confuso, retribuiu o abraço, fazendo um leve carinho no ombro da irmã.

Nenhum dos dois rapazes entendiam o porquê de tanto choro, mas foi naquele momento que Temari encontrou uma brecha para jogar toda a sua preocupação para fora. De início sentiu vontade de chorar porque seu irmão era muito bom para ela, ele cuidava dela e se preocupava, depois sentiu vontade de chorar por culpa. Kankuro trabalhava para sustentar os dois, enquanto ela estudava física com uma bolsa de estudos, e ele ainda a ouvia e atendia seus pedidos de mudança para a casa. Ele, mesmo sendo muito idiota, era um bom irmão. E ela agora tinha que dar uma péssima notícia a ele. 

Como diria a ele que estava grávida? Como diria a Gaara?

Precisava muito chorar naquele momento, agradecia a Deus por eles não perguntarem o motivo por enquanto.

 

Na frente da casa de Sakura, Ino analisava se estava tudo em ordem com o presente que havia comprado para a amiga, havia guardado em uma sacola preta e elegante. Sakura amaria o presente, tinha certeza, mas de alguma forma ainda estava nervosa. Talvez por ter que procurar e decidir o presente em cima da hora, ou quem sabe, o nervosismo nem seja por conta disso e sim pelo fato de ter acabado de descobrir que seu melhor amigo seria pai.

Shikamaru havia ligado momentos antes, contando o resultado do exame e pedindo para guardar segredo por enquanto. Teve que admitir para ele e para si mesma que não tinha a menor ideia do que falar para consolar ele ou algo do tipo. Pôde apenas afirmar que estava ao lado dele e ajudaria no que precisasse. 

"Quanto problema para um dia só." Repetiu, pela milésima vez, aquela frase para si mesma.

A porta da casa de Sakura fora aberta pela rosada, Ino havia mandado uma mensagem antes avisando que tinha chegado. Abriu um grande sorriso para a rosada.

- Cheguei para a alegria de todos. - Disse Ino se apressando e dando um abraço apertado na amiga.

- Alegria não sei de quem. - Sakura respondeu, rindo. Depois de se abraçarem, deu espaço para a amiga passar. Ino o fez, já se sentindo em casa. Olhou em volta procurando o resto das meninas pela sala. - Ninguém chegou?

- Na verdade elas já chegaram, faltava apenas você. - Comentou a rosada passando pela amiga e seguiu até o corredor que era caminho até a cozinha. - Estão na cozinha.

Ino seguiu Sakura depois de deixar sua mochila e a sacola com o presente em cima do sofá, entregaria o presente depois. Assim que entraram na cozinha, imediatamente viram Ten Ten roubando comida na geladeira de Sakura. Ten Ten, notando a presença da loira, se virou para cumprimentar com um aceno, ela mantinha um sanduíche na boca.

Ino riu com a cena mas logo procurou Hinata com o olhar, encontrando a mesma na mesa tomando algo quente em uma xícara.

- Quando tempo em Ten Ten, nem pra passar na floricultura.

Ino calmamente foi até a morena a cumprimentando com um abraço e em seguida indo até Hinata fazendo o mesmo.

- Você sabe como minha vida é corrida, eu só não tive tempo. Já disse que pode ir me visitar, mas você não vai.

- Você mora muito longe, me falta disposição. Você vale tanto a pena assim? Não sei. - A loira fez uma cara pensativa. Ten Ten olhou para Sakura. 

- Tá vendo como ela é? Ainda tem coragem de reclamar. Como é que pode? - Ten Ten indagou impressionada.

- Quando der vamos te visitar. - Disse Hinata olhando a amiga. - Eu levo a Ino.

- De carona eu vou. - Ino se aproximou da cadeira ao lado de Hinata e se sentou com um grande sorriso, a abraçando de lado. - Agradeço a Deus por ter me dado amigos com carro.

- Ela parece um parasita. - Ten Ten cochichou para Sakura e mordeu seu sanduíche. 

- Eu ouvi sua…

- Quer chocolate quente? - Sakura a interrompeu se afastando e indo até o cooktop, onde havia deixado o chocolate quente que havia preparado a pouco tempo.

- Então é isso que está tomando? - Perguntou Ino à Hinata, esticando o pescoço para olhar dentro do copo dela. - Eu quero sim. - Sorriu. 

Ino se afastou de Hinata e viu Ten Ten trazer algumas coisas que pegou na geladeira para a mesa. Observou a mesma se sentar junto a ela e a Hyuuga. A loira teve sua atenção tomada para o teto, quando ouviu barulhos de passos. Virou o rosto para a rosada.

- Amiga, sua mãe está em casa? - Perguntou.

- Não, eu te falei antes. Ela e meu pai acharam melhor deixar a casa pra nós e foram visitar um parente na cidade vizinha. Eu falei que não precisava, mas insistiram. - Riu baixo. - Porquê?

- Estou ouvindo passos lá em cima.

- É uma amiga da Sakura. - Hinata respondeu. - Ela a convidou também, chegou a pouco tempo e foi lá em cima se trocar, colocar o pijama.

- Ino, eu te falei sobre tudo isso a tarde, você está com alzheimer? - Riu baixo.

A loira fez um leve bico se lembrando. Era verdade, enquanto estava procurando o presente de Sakura, ela ligou e falou sobre os pais e a tal amiga, mas estava com a cabeça cheia pra prestar atenção o suficiente. 

-Eu só não prestei atenção. - Murmurou. - E quem é? Conheço?

- Ah, não. Ela faz odonto, tenho quase certeza que não se conhecem. 

- Odon...to? - Ino franziu o cenho desviando o olhar enquanto pensava. Ouviu passos descerem a escada.

“Será?”

Ino se virou para sua amiga.

- Qual é o nome dela?

Sakura se virou para Ino já com o copo com o chocolate quente. Antes de falar pôde ver sua amiga vindo na direção da cozinha. A morena entrou ajeitando a roupa que havia colocado a pouco tempo. 

- Aqui está ela. Ino, essa é Matsuri, Matsuri, esta é Ino, minha melhor amiga, já falei várias vezes dela pra você. - Sakura sorriu e olhou Ino. O sorriso falhou um pouco, pois encontrou Ino dura que nem uma estátua olhando Matsuri.

Ino estava surpresa com aquela menina ali. Então a amiga em comum que Matsuri havia citado antes, era Sakura? Aquilo havia pegado a mesma de surpresa. Quando notou que estava a muito tempo em silêncio, Ino abriu um sorriso automático para a mesma.

- Ah, Matsuri! Olá! - Acenou.

- Olá, Ino. - Matsuri a olhava calmamente, como se já esperasse a encontrar ali. 

- Vocês já se conheciam? - Sakura perguntou, pulando seu olhar de uma para a outra.

- Por coincidência nós nos conhecemos hoje cedo. - Matsuri respondeu olhando Sakura com um fraco sorriso. - Ela estava com meu ex-namorado. - Sorriu fraco. 

Sakura olhou Matsuri e em seguida Ino. Ten Ten e Hinata ouviam em silêncio, as duas se perguntando o que estava acontecendo. Ino sentiu suas bochechas esquentarem levemente pelo silêncio que surgiu após a fala da mesma e sentiu necessidade em se explicar.

- Não dessa forma, eu estava no mesmo espaço. Isso que ela quer dizer… - Olhou Matsuri. - Somos só… Conhecidos. - Sorriu fraco. Não queria ser mal interpretada pela ex do ruivo e nem por suas amigas.

Sakura demorou um pouco, mas logo se lembrou do ruivo que antes estava com Ino.

- Ah, é aquele rapaz que estava com você mais cedo? - Perguntou.

- Sim, ele é o… Ex-namorado dela. - Disse calma. - Por isso nos conhecemos antes. - Decidiu sair daquele assunto rapidamente. Abriu um animado sorriso. - Mas que legal que a Sakura te convidou, podemos nos conhecer melhor, não consegui falar muito com você antes. 

- Verdade. - Matsuri sorriu. - Soube que faz moda. - A morena caminhou até a mesa que estavam as 3 amigas.

- Sim, faço! E você faz odontologia, é bem legal, imagino que seja puxado. - Disse calma.

- É um pouco, mas vale a pena. - Sorriu se sentando.

- Eu entendo. - Ino sorriu amarelo sem saber mais o que perguntar. O que não era do seu feitio, mas sentia um pouco de… Vergonha?

“Eu estou com vergonha de que, pelo amor de Deus?” Se perguntou.

Sakura caminhou até a loira entregando o chocolate quente no copo para a amiga.

- Eu planejei algumas coisas para fazermos. Duas na verdade. 

Ino puxou suas duas pernas pra cima apoiando os pés na cadeira que sentava. bebeu um pouco o chocolate quente agradecendo internamente por Sakura ter chamado a atenção das meninas. Olhou Matsuri por um curto segundo. 

Aquilo era muito estranho para a loira. A menina à sua frente era a ex-namorada do ruivo. Pensar nisso fazia a loira ter leves calafrios. Será que contava a ele sobre isso depois? Apenas para ver sua reação.

- Que coisas seriam essas? - Indagou, Ten Ten.

- Primeiro… - Não pode continuar, pois Ino a interrompeu.

- Você vai abrir os presentes. - Disse animada. - Quero que abra meu presente logo! Você vai amar. com certeza. - Sakura riu e afirmou com a cabeça.

- Certo. Vou abrir os presentes primeiro então. Depois vamos ver um filme maravilhoso que escolhi.

- Não é um suspense que envolve médicos não né? - Hinata perguntou fazendo uma leve expressão de medo. - Esses filmes que você vê envolve muito sangue. Acho que não sobrevivo a essa experiência de novo. - Lembrou rapidamente de quando quase vomitou assistindo um desses filmes com Sakura.

- Não, fica tranquila, amiga. - A rosada riu. - É um romance. - Disse calma.

Ino, Hinata e Ten Ten se entreolharam e comemoraram baixinho com gritinhos finos. Matsuri franziu o cenho sem entender. Sakura rolou os olhos.

- Tá, parem com isso! - Riu baixo. - Enfim, depois disso, iremos jogar imagem e ação. Peguei emprestado com Naruto. Depois podemos fazer algo que vocês estiverem com vontade de fazer. - Sorriu.

- Ok, mas e se não estivermos com vontade de ver filme ou jogar imagem e ação? - Perguntou, Hinata cerrando os olhos.

- Não existe essa possibilidade. - Sakura disse firme com um sorriso meigo.

- Dentro dessa casa não existe liberdade, Hinata. - Disse Ten Ten preparando outro sanduíche para si.

Ino riu olhando as amigas e balançou a cabeça. As coisas que Sakura havia decidido fazer, provavelmente resultaria em todas irem dormir tarde, o que era um pouco lamentável para a loira. Havia tido um dia e tanto, só queria deitar e dormir um pouco, mas também não reclamaria disso para Sakura, afinal, era aniversário dela.

E assim as cinco decidiram ir para a sala. Sakura, carinhosamente, havia preparado o lugar para ela e suas amigas. No sofá havia almofadas e cobertores dobrados, e no chão tinha o tapete de sempre, mas agora com uma parte coberta com um edredom rosa e por cima dele também havia almofadas. Estava tudo preparado para as meninas ficarem confortáveis enquanto viam o filme. 

A loira, assim que chegou na sala, caminhou até onde tinha deixado a sacola com presente. Estava animada para Sakura o abrir. Se apressou em ir se sentar no sofá e viu as outras meninas fazerem o mesmo. Cada uma pegando o presente que separou para Sakura. Entre as conversas bobas delas, Ino apressou Sakura para que abrisse logo os presentes.

Depois de as cinco fazerem uma rodinha no chão, Sakura recebeu os presentes agradecendo a cada uma e passou a abrir com calma.

De Hinata, Sakura recebeu um lindo colar prata que ficou até receosa de aceitar. O colar parecia caro.

- Não seja boba, Sakura. É um presente. - Hinata falou com um sorriso olhando a rosada.

- Obrigada, Hina, de verdade. - Sorriu carinhosa e agradecida. Hinata sorriu de volta.

Em seguida, Sakura abriu o presente de Matsuri. Ela havia dado um par de brincos dourados, eram delicados e pequenos. Sakura sorriu e agradeceu o presente à amiga.

- Toda cheia de acessórios. - Ino comentou rindo. Achou lindos os presentes que a amiga havia ganhado.

Em seguida Sakura abriu o presente de Ten Ten, era uma caixa grande 3 não demorou para notar que devia ser algum calçado. Assim que abriu viu um par de tênis branco. Havia adorado o presente e agradeceu alegre a amiga. 

Em seguida se virou para Ino.

- Pronto, agora passa pra cá! - Sakura estendeu as mãos pegando a sacola das mãos de Ino.

- Com as outras você fica de gracinha falando: "Ah não, deve ter sido caro e blá blá blá". Comigo não né, sua cadela? - Reclamou a loira.

- Claro que não, pra você eu não ligo de dar prejuízo.

- Que absurdo. 

Cruzou os braços indignada mas logo riu fraco. Assistiu ansiosa vendo a rosada abrir a sacola.

Sakura se surpreendeu quando encontrou uma saga de livros. Tirou da sacola o conjunto e olhou surpresa para Ino.

- Amiga? - Pediu explicação. 

- É uma saga de livros. - riu baixo. - São 7 livros. É um romance sobre uma Ex-enfermeira que acaba viajando no tempo. Eu acho que você vai gostar, tenho quase 100% de certeza. Como ela é Enfermeira ela coloca a medicina de 1743 em prática, só que na Escócia antiga. Eu achei super a sua cara. - Sorriu largo olhando a amiga. - Gostou?

- Claro que eu gostei, só estou surpresa. - Riu baixo. - 7 livros. Meu Deus!

- A saga ainda não terminou, o oitavo livro logo logo sai. - Sorriu.

- Meu Deus… - Riu baixo. - Obrigada, amiga. Achei que me daria uma de suas peças. 

- Isso leva tempo e disposição. - Disse fazendo uma expressão de cansaço. - Comprar é mais fácil. 

- Tsc… Palhaça. - Riu baixo e agradeceu mais uma vez a Ino pelo presente.

- Meninas, não imaginei que trariam coisas tão caras… O que falei antes era brincadeira. - Riu de nervoso, mas estava feliz. - Mas obrigada, vocês são incríveis. Vou cuidar de todos os presentes. - Prometeu sorrindo.

- Acho bom! - Ten Ten disse com um leve sorriso. - Agora vamos ver o filme!!

- Vou ir fazer a pipoca, Saky! - Hinata disse se levantando rapidamente.

- Okay, eu vou ir colocando o filme, mas vou te esperar para dar play. 

Ino observou as meninas irem fazer o que haviam dito, e viu Ten Ten e Matsuri começarem a conversar. Será que elas também já se conheciam?

O restante do tempo passou rápido, as meninas se divertiram bastante. Viram o filme e, após isso, conversaram um pouco sobre ele.

Também jogaram Imagem e ação que Sakura queria. Ino havia descoberto que era muito boa em mímica, tanto fazendo quanto adivinhando. Gostou de saber disso, afinal, era ruim na maioria dos jogos. 

Quando o jogo terminou, elas ficaram papeando um pouco, já no quarto de Sakura, onde ela havia organizado muito bem os lugares onde elas iriam dormir, com a ajuda de Hinata que havia chegado cedo. Um tempo depois elas decidiram ir dormir, afinal, a maioria do grupo teria que acordar cedo no dia seguinte. Antes de deitar, Ino avisou que iria ao banheiro, colocar seu pijama e também, claro, usar o banheiro. 

Saiu do quarto cantarolando baixo e seguiu até o banheiro que havia ali no segundo andar. Não demorou muito, poucos minutos depois terminou e saiu do banheiro, mas tomou um leve susto com Matsuri que acabava de sair do quarto.

Por mais que Ino tivesse se divertido com todas, lembrar de Matsuri ali era estranho. Talvez por que não tinham nenhum tipo de proximidade. 

- Ah, eu estou indo tomar um pouco de água. - Ela falou calma. 

- Água? Entendi. - Ino sorriu fraco olhando a mesma. - Acho que vou com você, não queria descer sozinha antes então tinha desistido. - Riu baixo e passou a andar no corredor com a morena.

- Tem medo de escuro? - Perguntou.

- Não, só acho a casa de Sakura muito grande. E também estava com um pouco de preguiça de descer. - Riu admitindo. - Ver você disposta a ir me deu coragem. 

Assim que as duas chegaram na cozinha. Ino pegou a garrafa com água na geladeira da amiga e colocou um pouco em seu copo e no de Matsuri.

- Posso perguntar uma coisa? - Ino a olhou calma. Começou a beber água sem pressa. - Você está ficando com Gaara?

Assim que Matsuri terminou de falar o nome do ruivo, Ino arregalou os olhos e, no susto não controlou seus impulsos, cuspiu a água na cara da morena. Arregalou ainda mais os olhos levando a mão à boca, chocada com o que tinha acabado de fazer.  

Matsuri se encontrava com os olhos e boca fechados. Ela estava petrificada. 

Ino realmente tinha cuspido a água na sua cara?

Ino ainda chocada soltou uma risada nervosa vendo a cara da morena, um pouco de seu cabelo e pijama, molhados. 

- Meu Deus… M-Me perdoa. - Soltou uma risada, mas logo se repreendeu. - Me desculpa! Jesus Cristo! - Correu pegando um pano de prato e voltando até a morena tentando secar seu rosto, mas sem coragem de tocar ela. Devia estar morrendo de raiva.

“Será que apanho hoje?” Se perguntou.

Matsuri abriu os olhos ainda sem acreditar naquilo. 

- V-Você… Vo-vo...

- Pode me xingar se quiser! Me perdoa! Não acredito que fiz isso! - A morena pegou o pano da mão da loira e se secou devagar. Ino estava com as duas mãos contra os lábios. - Você que faz uma pergunta como essa do nada, tomei um susto.

- Pode me responder agora que não tem nada na boca? - Pediu a morena se afastando enquanto se secava. Ainda não acreditava no que tinha acontecido. 

Ino percebeu que ela estava séria. Devia estar irritada. 

“Claro, quem não estaria irritada numa situação dessas?” Se perguntou.

- Não, eu não estou… Ficando com ele. Não sei porque pergunta isso, disse antes que somos apenas conhecidos. - Comentou agora um pouco mais recuperada. - E ele é muito na dele, e pouco comunicativo. Eu deveria recomendar um curso de teatro pra ele? Dizem que ajuda com a comunicação. - Brincou rindo mas parou rapidamente quando notou que ela continuava séria.

A loira estalou de leve a língua, desviando o olhar para o lado. Estava começando a cansar daquela situação. Por que aquela menina estava ali sendo tão séria consigo? O problema dela era com Gaara, não com ela.

- Entendi. De fato, ele nunca foi muito aberto com qualquer um. - Se virou olhando a loira. Já estava completamente seca, apenas seu pijama continuava um pouco molhado.

- Por que me perguntou isso? Eu falei antes pra você e para as meninas. - Perguntou mais uma vez, para esconder como se sentiu incomodada com aquele "Qualquer um".

- Queria ter certeza. Não sei se ele contou algo pra você depois que fui embora mais cedo, mas nós tivemos um término… Dramático. - Sorriu fraco.

- Você… Ainda gosta dele? - Perguntou Ino, curiosa, indo até a pia, ficando de costas para a mesma. Acabou não bebendo água direito, mas agora não estava com sede de qualquer forma.

- Claro. - A resposta não demorou nada a vir, parecia certa do que dizia. Ino lavou o copo em silêncio. - Ele foi meu primeiro amor, esquecer ele é difícil. Depois que o encontrei hoje… Senti a mesma coisa que sentia antes. - Suspirou. 

- Ah… Que louco, né. - Deixou as palavras saírem no automático.

- Sakura me disse que você terminou a pouco tempo, então deve entender quão difícil é superar um término. Não é?

Ino colocou o copo para secar e paralisou quando ouviu a mesma. Ainda era uma ferida que estava se fechando, se tinha alguém que não queria se lembrar, era de Sai.

- É diferente. - Falou calma. - Sai me colocou um par de chifre, tenho certeza que daqui a alguns dias, ódio vai ser o único sentimento que vou sentir por ele. Diferente de você. - Se virou olhando a mesma. - Que ainda gosta do seu Ex. Aposto que ele foi um bom namorado. - Falou curiosa. Querendo ou não, queria saber mais sobre Gaara. - Me pergunto então o que houve, mas sei que é muita intromissão. 

Matsuri ficou em silêncio encarando a loira à sua frente. Ino não compreendeu o porquê de ela ficar calada, antes de questioná-la, as duas ouviram a voz de Hinata.

- O que estão fazendo aqui? - Perguntou. - Vamos dormir! - Ela estava na porta da cozinha as apressando. Logo ela sumiu, provavelmente voltando para o quarto.

Ino riu baixo.

- Tá bom, mãe! - Gritou para a amiga e olhou Matsuri. Suspirou. - Melhor irmos. - Com calma passou pela mesma, porém parou quando ouviu ela falar.

- Não se interesse por ele. - Pediu, porém Ino notou um leve tom de ordem. Matsuri falou como se guardasse aquilo por algum tempo. 

Ino deixou uma expressão de compreensão surgir. Soltou uma fraca risada ao entender a situação. Riu baixo.

- E se eu me interessar?

- Está interessada, não é? - Ino suspirou e se virou encarando a mesma.

- Olha Matsuri, se gosta dele, vá até ele e diga. Não me irrite com ciúmes. - Disse calma. - Até agora tenho sido simpática com você por que não nos conhecemos e imagino que se Sakura gosta de você, então é por que você é uma garota legal. Mas não me arraste para o problema de vocês. Como eu disse, somos conhecidos apenas. - Falou, se preocupando em ser direta.

- Eu só quero ter certeza de que você não vai estar no meu caminho caso eu tente reerguer nosso namoro. - Falou a encarando.

- Você fala como se soubesse que ele te quer. - Riu cruzando os braços.

- Você não sabe de nada. - Disse irritada. - Ele me ama, não viu hoje? Com certeza ele reagiu ao nosso encontro.

- É, eu lembro dele querendo ir embora o mais rápido possível. - Disse irônica.

Matsuri tentou retrucar, porém, a loira foi mais rápida.

- Olha, Matsuri, esse não é um problema meu. Não me meta nisso, por mais curiosa que eu esteja, não vale a pena ser alvo de ciúmes. Eu não quero nada com ele, e tenho certeza que o sentimento é recíproco. - Disse se virando novamente para a porta começando a andar. - Estou indo dormir, melhor você esquecer esse assunto, pode acabar tendo um sono mal aproveitado. - Assim que chegou na porta, voltou a se virar e olhar ela. - Não mexa comigo, eu não tenho a intenção de me meter nesse relacionamento estranho de vocês. - Pressionou de leve os lábios. - Estou subindo. Desculpa por ter cuspido em você. - Se desculpou sincera e rapidamente seguiu para o quarto deixando a morena na cozinha.

Matsuri ainda olhava pela porta que ela havia passado. Mordeu o lábio inferior contendo a raiva. Não sabia se estava com raiva da loira, ou de si mesma. 

“Estou fazendo um papel de ridícula. O que há comigo?” Pensou.

Suspirou. A muito tempo não se reconhecia, mas também não conseguia se segurar. Imaginar Gaara com outra era demais para si, mesmo que tivesse aceitado o término. 

Sentiu seus olhos marejarem, pensando em como seria a vida deles se as coisas tivessem tido caminhos diferentes. Por que ele era tão teimoso? Foi algo que passou em sua mente.

 

Ino já havia se deitado, assim como todas as meninas. Agradeceu internamente por deitar, finalmente, suas costas no colchão macio que estava no chão. Ao seu lado dormia, profundamente Ten Ten. Na cama de Sakura, que era grande, dormia ela, Hinata e Matsuri. 

Havia sido um dia bem longo mesmo, havia visto o terninho, encontrado Gaara, descoberto que ele tinha uma ex namorada, recebido a notícia de que seria tia e tinha encontrado a ex do ruivo na festa do pijama de sua melhor amiga.

Fechou os olhos se sentindo cansada.

“E amanhã ainda tenho que acordar cedo.” Soltou todo o ar que tinha nos pulmões, como se finalmente descansasse. 

Tomou um leve susto com o vibrar de seu celular. Ele estava no colchão, ao lado de sua cabeça. O pegou quase xingando. Antes de desbloquear, checou se as meninas estavam dormindo e teve a confirmação. Todas estavam no mundo dos sonhos.

Desbloqueou o celular e franziu o cenho vendo que era uma mensagem.

Era Gaara. 

Olhou a hora. Era 3:28 da manhã, por que ele estava mandando uma mensagem tão tarde? A loira abriu a mensagem devagar e a leu.

Gaara

Você confia em mim?”

Ino sentiu seu coração acelerar.

Se perguntou porque diabos aquela mensagem havia a deixado nervosa, riu de si mesma levando a mão ao coração como se pudesse o acalmar. Começou a digitar de volta para o mesmo.

“O que houve? Está sem sono e não tem amigos pra conversar?” 

Perguntou brincando. Se virou ficando de lado e encarando o celular. Notou que o mesmo digitava a respondendo no mesmo instante.

Gaara

Você confia?”

A loira franziu o cenho com a insistência da pergunta. Pensou sobre a resposta e logo respondeu.

Ino

Tenho outra opção? Acho que deveria confiar em quem pode saber coisas do futuro.

 

Gaara

Faz sentido

 

Ino

Mas por que isso? Aconteceu alguma coisa? Encontrou o terninho? Não esconda nada de mim, senão farei o mesmo com você!

 

Gaara

Não, não aconteceu nada. Eu só queria pedir uma coisa a você... Que se pensar bem, pode ser difícil de fazer.

 

Ino

Diga, vou pensar com carinho, dependendo do que é, pode receber um grande “não”.

 

Gaara

Se confia em mim, corra se eu pedir pra correr e não se preocupe quando eu pedir para não se preocupar. Como você disse, posso saber coisas do futuro, então se eu pedir... não fique ansiosa.”

 

Ino paralisou enquanto lia a última mensagem do mesmo. Gaara havia descoberto alguma coisa. Tinha certeza. A loira demorou a escrever uma resposta, lia várias vezes a mesma mensagem. Seu coração se encheu de preocupação, sentia que tinha algo errado. Olhou para trás, para a cama onde Matsuri dormia. Sentia um leve pesar. Teve seus pensamentos interrompidos por outra mensagem.

 

Gaara

Você confia em mim assim?”

 

A loira mordeu o lábio inferior pensando na pergunta dele. Logo digitou sem hesitação.

 

“Eu confio em você.”

 

 


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui!! Espero que tenham gostado do capítulo, de verdade <3 Qualquer coisa, só falar ^^ Beijinhos e até o próximo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...