História Like a Flower (Helianthus) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Lee Felix, Seo Chang-bin
Tags Changbin, Changlix, Felix, Stray Kids
Visualizações 27
Palavras 561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 002


Fanfic / Fanfiction Like a Flower (Helianthus) - Capítulo 2 - 002

Aborrecimento, era o que sentia. O sol batia em todo o seu rosto, por que estava tão ensolarado naquela manhã? olhou ao seu redor, não reconhecia exatamente o lugar; um prado verde opaco se extendia diante de sí, o vento estava o incomodando deixando um gosto amargo na boca, inclusive pôde até mesmo sentir a terra sob seus pés fazendo-o saltar no momento, porque não usava seus sapatos?

Se assustou quando percebeu que estava em um lugar completamente desconhecido, sentiu medo, queria sua mãe.

Todo o pânico que sentiu naquele momento sumiu ao escutar um harmonioso som que parecia muito distante, por algum motivo aquilo lhe pareceu muito familiar, embora tivesse a certeza de nunca ter escutado isso antes. Sem pensar claramente começou a seguir aquilo, era como se estivesse hipnotizado.

Caminhou por alguns minutos sentindo a terra fria em seus dedos enquanto procurava pela melodia. Ao longe, viu uma grande árvore que segurava fortemente em um de seus galhos um balanço no qual alguém aparentemente se encontrava sentado enquanto balançava calmamente com o olhar perdido no horizonte. Felix não pôde reconhecer a pessoa graças a distância, mas podia assegurar que era a mesma pessoa da melodia naquele prado aberto.

Se aproximou um pouco mais meio duvidoso, mas parou quando reconheceu o perfil que só vira uma vez. Estático em seu lugar sua respiração começou a se tornar errática e mesmo que quisesse se mover não conseguia, nenhum de seus músculos reagiam aos pedidos de seu cérebro, colocando-o nervoso. Se sentiu vulnerável e com uma enorme vontade de devolver tudo que estivesse em seu estomago.

O menino de pele bronzeada ainda estava assobiando baixinho enquanto movia o balanço empurrando com seus pés aparentemente sem perceber a presença do outro naquela lugar. Foi ali quando ele parou de balançar e assobiar deixando tudo em um silêncio sepulcral que fez o cabelo de Felix ficar em pé. O menino virou o rosto olhando para o que estava estático a poucos metros de distância.

Felix não sabia de forma concreta o que aconteceu depois disso, mas supôs que foi isso que lhe salvou no momento em que aqueles orbes marrons o encararam.

A próxima coisa que Felix se lembra é de sentir algo congelado em seu queixo e abrir os olhos desesperadamente para encontrar o olhar de sua mãe preocupada. Ele imediatamente tocou o queixo e ao ver sua mão notou um pouco de sangue, não tinha que ser um adivinho para saber que estava sangrando pelo nariz assim como sua mãe fazia de vez em quando. Ao tentar se levantar notou um fundo branco e ao estar mais acordado percebeu que estava em seu quarto.

- Você está sangrando... - sua mãe murmurou enquanto limpava o sangue que ia desde seu nariz até o queixo. Seus olhos estavam fixos nele e parecia que a qualquer momento poderia desabar em lágrimas, o que fez Felix se encolher um pouco. - Quem você viu?

- Quem eu vi? - repetiu a pergunta mais para si mesmo do que para sua progenitora.

- Esqueça, apenas descanse.

Ele assentiu com relutância enquanto observava a mãe sair de seu quarto devagar e em silêncio, ouviu depois de fechar a porta alguns soluços, presumindo que sua mãe estava chorando. Suspirou enquanto olhava para o teto cheio de estrelas brilhantes que sua mãe havia colado.

Lembrou-se de seu sonho e um arrepio percorreu toda sua espinha, quando percebeu estava sangrando de novo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...