História Like a gravity. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags 604, Baby, Baekhyun, Baekseme, Baekyeol, Cat, Chan!bottom, Chanbaek, Chanyeol, Charming, Cute, Exo, Fluffy, Híbrido, Like A Gravity, Romance, Top!baek
Visualizações 460
Palavras 2.646
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Lírica, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~~~Aaa desculpa os errinhos mas fiz isso agorinha mesmo. Espero que gostem.
Então; safadeza sim! Hahahah ai Jesus!

XOXO!

Capítulo 1 - I like It...


Fanfic / Fanfiction Like a gravity. - Capítulo 1 - I like It...

Baekhyun poderia até ser egoísta, mas não era um egoísmo ruim. Apenas gostava de dizer a todos como amava seu garoto e iria sempre o proteger. Não sabia explicar como ele o deixava de pernas bambas, quando se arrumava para o fazer companhia em alguma festa, o olhando felino como um o deicando nas nuvens com apenas aquele sorriso branquinho. 

Ele era lindamente único, de todas as formas e cores. Deixando-o apavorado por pensar em seu maior medo, de ver um dia aquele gatinho indo embora e o deixasse nesse apartamento grande e frio, sem ter seus mimos todos os dias. Não gostava de cogitar possibilidades disso acontecer, pois seu peito já batia fraco com uma pequena dorzinha aguda, por pensar não poder o observar acordar todas as manhãs com os olhos inchados assim como os lábios em cor carmim,  o desejando um pequeno bom dia, carinhoso. 

Amava demais aquele gatinho para que o deixasse ir.

Nao era tão difícil saber que ele era unicamente seu. A gargantilha que carregava em seu pescoço, com as bonitas pedrinhas cravadas em seu nome, com todos aqueles brilhantes, deixava claro a quem gostava gostava de se engraçar para seu lado. 

Era mais que gratificante poder observar as costas um pouco largas com a pele tão branquinha, andando de um lado a outro, que o único privilégio consedido para tocá-las era por suas pintinhas escondidas por todas aquelas roupas folgadas que adorava usar no dia. Mas não era somente as pintinhas que o tocavam ali, os lábios finos do Byun também se aventurava a traçar aquele caminho. 

Se arrependia por não possuir mais tempo para ficar em casa, quando o avistava usando seu típico veludo preto em uma roupa social, querendo o prender ali mesmo e o sentir na mesma intensidade que recebia de seu olhar provocante. Malditos compromissos...  

Mas não poderia negar a ninguém que quando chegava em casa, não contava ou esperava ele ao menos suspirar e reclamar que todas aquelas pessoas estavam chatas e barulhentas, para o puxar de forma faminta a um beijo. Com apenas o desejo de sentir aqueles lábios cheinhos cobertos pelo pouco protetor lábial que tanto havia sentido falta naquelas horas. 

E aquela noite não fora diferente... Estava cansado demais do trabalho. Talvez o evento o esperasse caso fosse ao menos comparecer, realmente. Estava ocupado demais saciando seu pequeno” híbrido. 

Os lençóis eram de repleta bagunça misturado as roupas pelo chão. Baekhyun havia acordado primeiro, depois de ter tido mais uma rodada de sexo com seu gatinho – pela terceira vez naquela noite. Estava frio, não achando nenhum motivo convincente para o tirar do meio daqueles cobertores quentinhos ao lado daquele corpo cheiroso e atrativo que tanto amava marcar. 

Não conseguia entender o porquê ele tinha que ser daquela maneira. Tão manhoso e carinhoso quando queria algo, jogando todas as suas cartas escondidas para arrancar o que desejava de si, sem medir o que queria. Respirando baixinho, buscou as horas para situar-se até quanto iria ficar ali, sentindo um peso a mais contra as pernas.

Estava com o corpo todo coberto pelo edredom cinza, olhando para as vidraças embaçadas com uma visão chuvosa. Sentia o calor gostoso que misturado ao cheiro de sexo pelo quarto, o lavava a lembrar de momentos atrás. Havia esquecido de fechar as cortinas, mas estava tão escuro que nem se deu o trabalho, gostando de observar o céu choroso e enfurecido. 

Suspirando fundo, subiu as mãos pelo corpo nu colado ao seu em um carinho, desfrutando do cheirinho de amêndoas que ele emanava dos cabelos. Subindo a mão pela perna ao redor de sua cintura, acariciou com lentidão cada pedacinho que poderia fazendo desenhos imaginários com a ponta dos dedos, sentindo a pele macia que seu Chanyeol possuía, apertando-a com gracejo. 

Ele não imaginava como amava vê-lo daquela forma ao seu lado, entregue a seus cuidados e carinhos sem medo. Seria incapaz de levantar a mão para o machucar, pois ele era grande somente de tamanho. Pois era tão manhoso quanto um gatinho preguiçoso e malvado como tal. 

Levantando mais a perna para a deixar melhor contra sua cintura, remexeu lento para o acomodar contra seu peito, ajeitando a cabeça que estava contra seu braço para que ficasse confortável no vão de seu pescoço. Sentia a respiração pesada sair calma, assim como um fraco ronrono por descer as mãos bonitas pelas costas marcadas, o apertando contra seu corpo.  

Com cuidado puxou a coberta cedendo o seu lado, cobrindo-o mesmo estando quentinho. Tinha medo que um pequeno resfriado ou qualquer coisa que o prejudicasse o tirasse para longe. Peferia ele entre seus braços do que longe. 

Sentindo as mãos tatearem seu corpo o apertando desajeitado, ouviu um dizer manhoso misturado a um miado tão baixinho e calmo, deixando-o culpado por estar pensando em coisas erradas. Fechou os olhos por instantes ao ter as cenas do que haviam feito horas atrás, as deicando cravadas em seu corpo como uma pintura, ofegando baixinho por ter novamente aquela pele novamente contra a sua sem algum impedimento ou roupa.  

Sorriu mordendo os lábios, ao lembrar da imagem de um Chanyeol todo corado e ofegante sobre o colchão gemendo seu nome a cada estocada brusca que fazia, tendo o prazer de observa-lo revirar os olhos, marcado todo o corpo imaculado com seus dentes em mordidas e marcas. Havia deixando tantas manchinhas avermelhadas do formato de seus dedos por prender aquela carne, que parecia ser seduzido a cometer o pior dos pecados. 

Não conseguia apagar de sua mente, por nem um instante como ele havia ficado bonito naquele robe preto, e no tempo em que ele havia se deitado naquela cama não conseguiu se conter em desejo. Chanyeol era bonito demais para sonhar em devolvê-lo para alguém ou não mostrar que realmente o amava. Ele era apenas seu, e brigaria em guerras se fosse preciso. 

Um sorriso brincava em seus lábios ao suspirar,  abrindo os olhos com cuidado para fitar de soslaio, o que aquele gatinho estava fazendo. Piscou lentamente ao sentir uma das mãos quentinhas desenhando por seu abdómen até estar sobre seu membro semi desperto por seus pensamentos nada castos. 

— Baekhyun... O que você está pensando? – perguntando rouquenho, o Park sorriu deixando um cheiro contra a pele cheirosa que lhe era oferecida como travesseiro. 

Embolando suas permas desajeitado nas do mais velho, apertou em uma massagem lenta o membro alheio brincando com a cabecinha deste, arrancando um suspiro do mais velho. Rindo nasalado Chanyeol não parou de mexer a mão, passando a movimenta-lá em um vai e vem impróprio assim como seus dentinhos arranhavam a pele clara, deixando beijos lentos e toruosos. Mordendo os próprios lábios, ronronou manhoso ao ter a mão do mais velho em suas nádegas durinhas, as apertando com tanta força que até havia perdido o fôlego. 

— Chanyeol... Mas o... O que está aprontando? 

Baekhyun perguntou com certa dificuldade, pois seu ar estava pesando, assim como seu corpo estava voltando a ficar quente com todos aqueles estímulos, rindo malicioso como o bom amante de sexo que era. 

Fechando os olhos Chanyeol nada respondeu, aproveirando para estugar seus movimentos gemendo contra o ouvido do mais velho já sentindo o membro pulsante entre seus dedos. Respirando com força, Baekhyun deixou o ar sair de seus pulmões com certa pressa, relaxando o corpo para deixar que ele fazia como bem queria e sentia vontade. 

Do mesmo jeitinho que ele o levava a gravidade de qualquer lugar, o deixando flutuando ao ter aqueles ágeis dedos contra sua pele, a massageando com maestria e firmeza.  

Brincando com a glande do mais velho, Chanyeol tinha os lábios um sorriso sacana, tentando a todo custo não parar o que fazia e o pedir por mais uma rodada regrada de gemidos. Gostava de brincar, e não seria agora que iria ter bons modos. Se controlando para não se tocar diretamente,  abraçou fortemente umas das pernas do mais velho, sentindo seu membro já ereto ser apertado pela coxa pouco torneada de seu amado, gemendo manhoso com aquele contato. Era estranhamente gostoso e excitante. 

Sentia o pré gozo descer sobre seus dedos, deixando que de seus lábios inchados de tanto morde-los saísse um gemido que se misturou ao do mais velho, passando a se esfregar com lento em sua perna. Precisava de um alívio e tinha tido certos fetiches com aquelas coxas grossas, não parando com o que havia começado a ser bom. Fechou os olhos ao ganhar uma cor gradativa nas bochechas não ligando para a vergonha naquele momento. Apenas em seu prazer e em dar prazer,  chamando o nome do Byun baixinho a cada movimento que fazia. 

Arfando, gemendo o nome do mais velho baixinho ao sentir ele crescer ainda mais contra seus dedos, deixando os barulhos obscenos presos em baixo daquela coberta. Sentiu os dedos finos ir de encontro a sua mão o ajudando naquilo que havia começado, observando-o deixar a cabeça pender para trás, aproveitando para mexer os quadrils ainda mais lento e tortuoso. 

 Sorrindo em meio a bagunça que se encontrava, Baekhyun mexeu a perna pressionando-a contra o membro desperto de Chanyeol, o arrancando um ronrono manhoso assim como gemidos baixinhos. 

Apertando a mão da do mais novo em seu membro, Baekhyun abriu os olhos fitando o teto ainda ofegante por sentir seu ápice próximo, virando o rosto para observar a bagunça que seu gatinho” estava fazendo consigo em meio aqueles lençóis. Novamente. Prendeu os lábios entre os dentes com certa força ao sentir as pequenas presas de Chanyeol o morder o ombro, sedado por seu prazer ao mover seu corpo em um vai e vem mais rápido. 

Ofegante arrepiou até os pelinhos dá nuca ao ter espasmos correndo por todo seu corpo, revirando os olhos por atingir seu ápice com aqueles toques, tão lento e gostoso. Pode flutuar em seu mundo particular que o Park fazia-o sentir ao chegar em seu ápice, gozando sobre a palma da mão quentinha. Não o deixo parar de mover a mesma,  até sentir-se anertesiado pelo prazer que corria por todo seu corpo, gemendo ofegante ao suspirar pesado. Aproveitou para ajudar seu gatinho o enchendo de marcas aroxeadas, apos soltar o próprio membro gemendo contra os lábios que já estavam inchados dás mordidas que o deu, dizendo todo o tipo de besteira que havia em sua mente. 

Com as bochechas coradas, Chanyeol levou as mãos para cada lado do corpo abaixo de si, fechando os olhos com graça ao friccionar seu membro contra a coxa do mais velho, acelerrando seus movimentos sentindo o prazer lhe abraçar reconfortante, lacrimejando ao chegar no limite, gemendo baixinho enquanto deixando seu gozo escorrer pela perna e o lençol na cama. 

... 

Após alguns minutos, Baekhyun tentou organizar seus pensamentos aéreos para o que havia acabado de ocorrer, sentindo a vergonha do mais novo chegar até seu seu rosto lentamente. Com um riso solto, sentou-se preguiçoso sobre a cama escorandobna cabeceira seu tronco desnudo sem dizer uma palavra se quer, ao ser imóvel ao seu lado. Apenas ouvia seu resoar um pouco rápido, formando um pequeno bico.  

— Chan?... 

Depois de passar certo tempo olhando para a parede oposta, Chanyeol virou-se para o mais velho, o encarando com os mesmos olhos doces e felinos de sempre. Nem parecendo que havia acabado de lhe tocar até gozar daquela maneira. Suspirando calmo, levou as mãos aos cabelos desgrenhados os bagunçando ainda mais que podia, rindo baixinho ao se lembrar do que haviam feito. 

— Boa noite, Baekhyun. – deixou sua voz calma em um tom grave sair, se esticando todo pela cama que também lhe pertencia. Precisava de um banho. 

Virando de lado, Chanyeol tirou os cabelos encaracolados dos olhos, enquanto observava seu dono de braços cruzados com seu costumeiro sorriso. Baekhyun não sabia mas amava o espiar pela porta do escritório quando estava sério demais para atender ligações, desfrutando dos traços harmoniosos que havia em seu rosto, desde o nariz ao formado de seu maxilar. Era perfeito e a única coisa que mais tinha medo era de um dia voltar para onde estava. Gostava de ser flor somente no jardim que Baekhyun oferecia. 

Arrastando o corpo para perto do mais velho, sorriu ao ver esse o chamar para deitar com a cabeça em seu colo não demorando nem meio segundo para o abraçar desajeitado. Piscando lentamente pode relaxar ao sentir os dedos emaranhandos em seus cabelos, ganhando um carinho gostoso em suas orelhas fofinhas. 

Um aconchego apertou seu peito caloroso por saber que ele era seu verdadeiro lar, demorando a acreditar realmente naquilo. Amava Baekhyun desde o dia que havia o visto pelas vezes que o avistava nas festas, acompanhado com seu antigo dono. Ele era tão lindo e carinhoso com todos, que desejou o conhecer melhor. E foi naquela saída da última noite que passou ao lado de seu antigo dono, que pode realmente perceber quem era aquele na qual amava e sabia ser amado igualmente. 

O apertando com um sorriso nos lábios, ronronou pedindo por mais carinho, ganhando um riso fácil do outro junto a um cafuné. Não sabia por que motivos Baekhyun fazia isso, mas amava sentir suas mãos desenhar cada cantinho de seu rosto, cobrindo aquilo que parecia de reparos. 

— Você está muito levado... Ainda estava querendo mais depois de toda essa tarde? 

— Baek!...  – corou, rindo baixinho. – Eu só... Queria lhe dar prazer também. 

— Hum... 

— Não me olhe assim, por favor. 

Pediu emburrado, escondendo o rosto nas mãos que antes o acariciava, deixando um beijo em cada uma delas. Baekhyun suspirou encantado com tamanha graça vinda de seu gatinho, deixando um beijo demorado no ombro descoberto do mais novo. 

O virando para ficar de barriga para cima, pode observar aqueles olhos brilhantes, hipnotizantes que o levava a fazer mil e uma loucura apenas o ver feliz. Apertou lento as bochechas cheinhas, aproveitando para acariciar os cabelos sedosos, os tirando de suas feições leves e bonitas. 

— Acho que...  Estou novamente apaixonado... 

— É? Por quem Baek?! Baekhyun não diga isso... – completou já assustado. 

Riu do desespero estampado nos olhos grandinhos arregalados, gargalhando animado mesmo se culpando por deixá-lo daquela forma,  deixando um beijo demorado sobre o bico que havia formado ao apertar as bochechas que tanto mordia e beijava quando sentia vontade.

 Era quase impossível para si não querer morder Park Chanyeol quando ele dava para andar pelo apartamento apenas de blusa e shorts curtos. Pois era dono da fofura que havia laçado seu peito com algo tão forte que jamais deixaria se quebrar ou partir. Era um apaixonado por aquele que o levava facilmente a lua, com suas gargalhadas animadas misturadas a carinhos dados. E quando estava de folga o fazendo relaxar com suas brincadeiras bobas. 

Ele é único, pois não havia no mundo alguém mais doce, que o fazia ir a loucura com pequenas coisas e brincadeiras. Que o levava a fazer mil e um acasos, tendo que sempre desmarcar reuniões por visitas em sua sala que bem... Acabavam da melhor forma possível. 

Ele era o único pertencente de seu coração, aliás... O único que o fazia ceder a suas vontades e caprichos sem contestar. 

— Eu estou e sempre estive apaixonado por você. Park Chanyeol... Meu Chanyeol.

Com um sorriso sobre os lábios sem malícia alguma, Baekhyun se abaixou o suficiente para deixar um beijo demorado na testa avermelhada, sentindo-se sufocado sua própria euforia ao dizer aquilo pela primeira vez, em cinco meses ao lado daquele ser manhoso,  nunca tendo a plena certeza para algo, como estava tendo daquelas palavras. Que ao caírem nos ouvidos do Park, suas bochechas se vermelharam assim como seus olhos brilhosos ao ser amado de volta. 

Sim... Ele realmente o deixava em órbita, flutuando em tamanha gravidade. Uma gravidade que vinha junto com algo especial... Amor. 

— Eu te amo, Chanyeol. Sempre... Sempre... 

Com um uma face surpresa e voz cheia de manhosidade, Baekhyun sorriu verdadeiro com aquela resposta ganhada, secando as pequenas lágrima que caiam dos olhos grandinhos. 

— Miau... 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Gente!! Helpeme-q to fazendo o que que não atualizo as coisas??!

Perdoem essa safadeza mal feita hdjdjd espero que tenham gostado e relevem os errinhos. mandei aqui sem medo,mas se virem algum me avisem,ok?!
E ai... Eu tenho queda por Baekhyun+Chan meloso! ❤

XOXO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...