1. Spirit Fanfics >
  2. Like a Incubus >
  3. Dia horrível

História Like a Incubus - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Hello Ladies and Gentlemen!
Tudo bom?

Bom, eu quero começar falando uma coisinha; eu vou postar essa fanfic no Wattpad também.
Porque? Bom, eu sou obrigada a falar... Que o spirit tá começando a me irritar levemente/só um pouco ;-;
Certo, eu não vou xingar ele. Sei que tem realmente muita gente que tem que ser banido, mas de qualquer jeito, ele tá banindo gente pra um senhor caralho. Então, já que essa minha fic tem MUITO tema sexual (Porque será, né, Einstein?) é melhor não arriscar.
Enfim, de qualquer jeito, eu vou deixar o meu usuário no Wattpad tanto aqui quanto nas notas finais.

O meu usuário é: Byakyo

Bye bye, beijinhos e boa leitura <3

Capítulo 4 - Dia horrível


As gotas de água caiam rapidamente do céu, sendo acompanhadas de quase inexistentes pedrinhas albinas de granizo.

O Incubus olhava para o teto, escutando o barulho da chuva batendo em sua janela delicadamente, enquanto sentia o ar gelado circulando todo o local que estava. Ao sentir um pouco do frio bater em sua face, o demônio de brincos hanafuda se encolheu no futon que estava deitado, virando-se para a esquerda e esfregando seu rosto no pano da "cama", pensativo.

Pensava sobre como havia chegado lá, quem o havia deixado lá. Mas se nem Kagaya sabia quem havia feito isso.

Como ele saberia?

Fechou os olhos, suspirando. Ele estava completamente perdido. Quer dizer, ele mal sabia onde estava! Só sabia que as pessoas daquele local caçavam Onis, e também que Kagaya tinha algumas "crianças" Estes que recebiam o título de Caçadores e Hashiras, sendo o segundo título superior a simples caçadores.

Piscou levemente, sentindo seus cílios alongados baterem levemente, juntamente de seus olhos marsala que aproveitaram por alguns segundos a escuridão, para logo serem abertos novamente e encararem a janela fechada a poucos metros de distância de seu futon.

Ao fazer isso, franziu a testa levemente. Era impressão sua, ou havia visto cabelos bicolores (sendo esses negros desbotando em um turquesa belo) juntamente de a uma ponta de um queixo pontudo. Era.. uma pessoa?

-O que essa pessoa tá' fazendo ali? — Arqueou sua sobrancelha, se levantando do futon na maior preguiça do mundo, para seguida ir até a janela. —

A chuva continuava caindo de um jeito violento, mas aquele/a garoto/a não parecia ligar muito, apenas olhava para o céu com um olhar vazio, morto.

-Talvez seja apenas um idiota.. Bom, eu não ligo. — Deu uma última olhada, antes de dar alguns passos para trás e olhar fixamente para o futon. — Eu não vou ir lá.. Não vou. Tsc.. Não.. Vou..

_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_

"Eu me odeio!" Caminhava pelos corredores da mansão a passos duros. Uma veia saltava de sua testa enquanto a boca estava levemente aberta, mostrando os dentes pontudos que estavam cerrados, demostrando sua irritação.

Ele não conseguia simplesmente ignorar a pessoa lá fora, na chuva. Poxa, será que era idiota ou algo assim? Talvez gostasse da sensação de ficar espirrando e espirrando, juntamente do nariz escorrendo e com a cabeça tão quente e doida que parecia que iria explodir.. Se ele/a gostasse disso provavelmente era masoquista ou tinha algum parafuso a menos.

Apertou o guarda-chuva vermelho entre seus longos e finos dedos, "realmente iria fazer isso com um desconhecido? Não é melhor simplismente voltar e.. Não adianta, eu já cheguei de qualquer jeito. "

Lá fora, o céu estava completamente escuro, raios caiam furiosos, sendo cobertos pelas nuvens carregadas pela água que caia livremente, acertando a pessoa de costas que não parecia ligar.

Suspirou e, tentando fazer o menos barulho possível, caminhou até o garoto ou garota de costas que não o notou ou simplesmente o ignorou.

Cutucou as costas cobertas por um uniforme negro, fazendo com que o moreno/azulado virasse lentamente, olhando para si. Okay.. Ele era lindo. Os olhos eram belamente azulados, levemente inclinados e cansados. O nariz era pequeno e arrebitado, juntamente da boca que era carnuda e vermelha, tudo sendo acompanhar pelo rosto gordinho, levemente avermelhado nas bochechas e no nariz do garoto.

Suspirou levemente, baixando um pouco a cabeça e impossibilitando que o azulado visse seu rosto. Ei.. Não é bom ficar na chuva

Não quer ficar resfriado, quer? —Pegou na não pequena e fria do garoto e colocou o guarda-chuva vermelho lá. Deu um risadinha, antes de dar de costas e sair, rebolando seus quadris delicadamente e fazendo com que seus cabelos voassem contra o vento, sendo molhados. Todos seus movimentos foram captados pelo pilar, que olhava para o demônio de brincos Hanafuda com as bochechas levemente coradas e com os olhos brilhantes.

Quando percebeu que havia saído do campo de visão do menino, saiu correndo para dentro de casa, não ligando nem um pouco se estava completamente exarcado e molhando o chão. Correu tanto que chegou até a tropeçar, caindo com a cara no chão.

Levantou, reclamando por ter acabado de cair, e andou mais um pouco, indo até uma porta para depois delicadamente se encostar.

"Porra! Agora quem ficaria gripado era ele! Mas se eu quiser evitar isso e melhor ir me banhar e-

-Sim. Eu tenho certeza que Tanjirō é completamente confiável. — Mesmo que tivesse parecido um sopro, o demônio sexual havia ouvido perfeitamente que falavam sobre ele graças a sua audição bizarramente ampliada, perdendo apenas para o seu olfato fora do normal. —

-Você sabe, não é? Se esse garoto tentar comer a carne humana, as consequências seriam horríveis! Pense muito bem na sua escolha, Kagaya. Não se arrependa dela. — Uma voz feminina foi ouvida, sendo seguida por um som de um riso baixo. —

-Não se preocupe, Tamayo. Sabe que eu sei me cuidar.

-Bom, Você.. Disse que Tanjirō era de uma espécie diferente de demônio, qual seria o nome?

-Se minha memória não falha, ele é um Incubus. — "Wow! E não é que ele acertou? Parabéns, merece um prêmio" Pensou o Kamado, revirando os olhos com irônia. —

-Eu nunca ouvi falar de tal coisa.. Mas, se ele realmente for dessa tal espécie.. Quer dizer que talvez não aja apenas os Onis devoradores de homens, talvez existam Onis passivos, sendo desconhecidos até por "ele".

-É extremamente provável.

-Bom, talvez eu ache alguns pergaminhos que falem, mesmo que seja pouco, dessa espécie de oni. — "Porque falam como se eu fosse um cachorro? Eu não sou um Oni! Sou um demônio completamente evoluído comparado aquelas bestas sedentas por carne humana." —

-Claro, foi ótimo conversar com você, Tamayo.

A mulher deu uma risada contida, falando em seguida um: -Também foi ótimo conversar com você, Kagaya.

Tanjirō torceu seu nariz ao sentir a felicidade que escapava da mulher, sendo correspondida a altura pela felicidade do arroxeado de madeixas negras. Pode notar que ambos estavam se levantando, então rapidamente pós se a correr o máximo que conseguia, chegando em seu quarto em apenas alguns segundos.

-Maldita vagabunda! Nem ouse tentar chegar perto da minha refeição. — Se jogando no futon, ele sussurrou, fechando os belos olhos brilhantes.

"Hoje definitivamente não foi um dia legal."

_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_

Andava pelos corredores, tenso. Por algum motivo desconhecido, Kagaya havia o chamado para ter uma "conversinha" Particular com ele.

Se estava com medo? Bom, não exatamente. Sabia que Kagaya não faria nada para o machucar, e mesmo que fizesse, morreria segundos depois pelo simples fato de tentar tocar de um jeito cruel sua bela pele.

Isso nunca deixaria.

Já haviam feito isso demais.

Tanto com sigo quanto com.. Ela.

Um "tsc!" Saiu da boca do demônio, apertando fortemente as unhas alongadas na palma da mão. Mas logo ele soltou o ar que nem percebeu que havia prendido, tentando se acalmar.

E logo após andar mais um pouco e dobrar um corredor, chegou na porta de madeira do local que Kagaya o esperava.

Suspirou baixo, fechando os olhos para depois abrir com tudo. Bateu na porta três vezes, escutando um "entre." Baixo. Puxou a porta para a direita, entrando na sala e fechando a porta logo após.

-Olá, Tanjirō.. Tudo bem? — Calmo, como sempre, Kagaya falou com um sorriso.

O Kamado apenas murmurou um "hm.. " Se sentando sobre seus joelhos na frente do moreno, que estava do mesmo jeito.

-Então.. O que foi?

-Eu queria falar sobre um assunto com você. Mas antes, aceita um pouco de chá? — O homem pegou um bule cheio de (provavelmente) chá, enchendo em seguida duas xícaras com o líquido esverdeado. —

-Porque não? — Respondeu baixinho, olhando para a xícara recém estendida em sua direção. Com destreza pegou a aseia da xícara, levando até a boca vermelha e carnuda tomando uma parte do conteúdo da xícara em uma golada, levanto-a logo depois até a mesa. — Não me chamou até aqui para beber chá, chamou?

-Claro que não. — O homem continuou com um sorriso doce no rosto, enquanto "olhava" Para si com aqueles olhos que mesmo não enxergando nada, pareciam ver tudo. —

-Então o que é?

O moreno suspirou antes de falar. - Percebo que você tem ficado cada vez mais deprimido e irritado dentro de casa.. E vendo isso, percebo que não é bom você ficar apenas trancado dentro de casa. Mas para isso, terei que fazer uma coisa antes.

-E.. — Ele pigarreou, tentando esconder a animação por enfim poder sair daquele lugar, que sinceramente mais parecia uma prisão. — Que coisa seria essa?

-Apresentar você as minhas crianças.

O Incubus franziu a testa, sentindo que algo estava por vir.

-Também conhecidos como Hashiras. 


Notas Finais


Bye bye, beijinhos vão pela sombra <3

Usuário no Wattpad: Byakyo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...