1. Spirit Fanfics >
  2. Like a river (Kiba Inuzuka fanfic) >
  3. Sonho molhado

História Like a river (Kiba Inuzuka fanfic) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Como eu falei minha mente anda trabalhando e fluindo em criatividade então vamos aproveitar

Capítulo 3 - Sonho molhado


                     

                      Yumi pov


Talvez eu tenha vindo pra esse mundo pra ficar sozinha, afinal. Destranquei as portas respirando o que era estar em casa, eu sou patética. Depois de tudo que aconteceu ela não conhecia esse sentimento, e bem antes de acontecer ela também se sentia estranha, como se não soubesse a que lugar pertencia, onde era sua casa.


Já podia parar de bancar a forte, as vezes ela só precisava chorar. Sabia a diferença entre ser madura e ser fingida. Sabia também que tinha muitas coisas a resolver dentro de si, e as vezes chorar clareava a mente, e ela sempre sabia que próximo passo tomar.


Por mais que era muito nova eu não morri quando perdi meus pais, nem quando perdi Hideki, ou meu mestre. Era só mais uma chuva, passaria por ela também. Ouvi batidas na porta e sequei as lágrimas, respirei fundo e olhei no espelho pra ver se estava tão ruim assim.


- Você está bem? - Shikamaru perguntou ofegante


Devia ter vindo correndo até aqui


- Estava chorando? - assumiu uma postura de preocupado - O que acont


- CALMA - falei mais firme - Está tudo bem, o que faz aqui?


- Não está nada bem - falou vindo me abraçar e eu desviei


Shikamaru me olhou confuso


- Você estava lá e num instante, não estava mais - falou com cautela - quando perguntei pra Hinata ela disse que você foi pra casa porque não estava bem


- Shika, lembra da conversa que tivemos? - perguntei e vi confusão em seus olhos


Revirei os olhos e olhei bem sério pra ele enquanto levantava as sobrancelhas, como ele era devagar.


-AH - ele coçou a cabeça - sim lembro


- Acho que preciso de um pouco de espaço - dei os ombros


- Está chateada - falou e eu neguei - desviou quando eu fui te abraçar


Eu não podia ficar com raiva dele por amar, isso era ridículo. Fui na direção dele jogando meus braços pelo seu ombro, sentindo suas mãos na minha cintura. Sorri sentindo o perfume dele.


- Eu vou ficar bem


- Eu sei que vai - me apertou mais


                         Kiba pov


O treinamento tinha acabado, e eu tinha vencido meu oponente o que não é nenhuma surpresa. O dia realmente está muito quente, essa brincadeira realmente me cansou.


- Acha que a Yumi está bem? - Hinata perguntou


- Não sei, deve estar


- Shikamaru foi atrás dela - Hinata falou - pelo menos ela não está sozinha


Era incrível, não podia acontecer nada com ela, que ele sempre estava lá. Sempre se orgulhava de falar que a protegia, que cuidava dela. Mas sabia sobre os sentimentos dela, e mesmo assim, mesmo estando com outra menina, não deixava ela o esquecer.


Parece que ele gostava de ter ela sempre em mãos, e eu nem sei porque me importo tanto com isso, balancei a cabeça tentando afastar esses pensamentos. Deixei hinata em casa e segui com o akamaru.


Eu tô louco para um banho, e tô com fome também.


- Hey akamaru - falei olhando pra ele e ouvindo um latido - me diz que eu não sou o único que estou morrendo de fome?


Akamaru latiu e começou a correr, indicando que queria chegar rápido em casa. Me arrependi de ter perguntando pra ele sobre comida. Eu estava tão cansado, eu não ia correr.


- Qual é akamaru - gritei - pelo menos me dá uma carona vai


Corri um pouco mais alçando akamaru, e subindo nas costas dele. Bom garoto, não demorou muito e nós chegamos em casa. Abri a porta e pelo silêncio eu estava sozinho, espero que tenha comida pronta.


Akamaru logo foi para perto do seu pote abocanhando a comida que minha mãe deve ter deixando antes de sair, claro o cachorro ela nunca deixava sem comida.


Fui em direção a cozinha, mais precisamente até a geladeira. Quase gritei de alegria quando vi um prato com tonkatsu, boa dona Tsume finalmente cumpriu seu papel como mãe.


Não demorou muito para eu terminar, e claro que deixei um pedaço sobrar para o akamaru. Assim que ele terminou veio em minha direção e eu peguei o pedaço.


- Eu te acostumo muito mal amigão - falei fazendo carinho nele enquanto ele come.


Deixei akamaru na cozinha e fui para o quarto, tirei a blusa jogando no chão. Logo me livrei da camiseta também. Fui ao banheiro parando na frente do espelho, tirei minha bandana e a coloquei na parte seca da pia.


Suspirei, não vou deixar você dominar meus pensamentos de novo Yumi, não mesmo. Terminei de me despir, e fui para o chuveiro, deixando a água gelada caindo na minha cabeça.


Controlei minha respiração enquanto sentia o barulho da água. Seus olhos, balancei a cabeça tentando afastar ela, sempre ela. Seu sorriso, o jeito que ela andava, seus cabelos alaranjados, inferno Yumi.


Bufei olhando para baixo, droga minha mente não parava de metralhar imagens da Yumi, e minha imaginação não colaborava me fornecendo imagens ainda melhores, ou piores eu nem sabia mais.


Mas ficar batendo uma para uma garota não fazia muito meu estilo, terminei o banho rápido já que o banheiro não é o lugar da casa que é ideal pra ter tanto auto controle. Desliguei ao chuveiro me enrolando a toalha.


Akamaru já estava deitado ao lado da cama, coloquei uma cueca, e passei a toalha sobre meus cabelos, chacoalhando um pouco. Deixei a toalha em cima da cômoda, e me joguei na cama. Deixei uma mão para fora da cama e senti akamaru lamber, sorri me acomodando na cama pronto para dormir um pouco.


"Senti suas unhas passando pelas minhas costas, mesmo por cima da minha blusa senti me arrepiar. Seu cheiro estava dominando todo o ambiente, e eu já sentia agonia de ter tanta roupa envolvida, queria sentir sua pele quente sobre a minha.

Queria poder beijar cada parte do seu corpo, queria descontar todas as vezes que ela dominou meus pensamentos, fazendo ela implorar por mim, mesmo sabendo que estaria me castigando também. Eu passava meu nariz sobre a pele do seu pescoço, enquanto intercalava entre beijos e pequenas mordidas.

Seu olhos se mantinham fechados, seus lábios presos em um uma mordida, tentava evitar que saísse qualquer som, mas eu estava louco pra poder ouvi-la. Subi meus beijos para o lóbulo de sua orelha, e dei uma pequena mordida, sentindo ela estremecer.

- Para de se segurar - falei baixinho

Afastei meu rosto o suficiente para olhá-la, subi meus dedos em direção ao seus lábios, passando o polegar, soltando da mordida, demorando em afastar meus dedos. Eu precisava beijá-la, eu estava cansado só e imaginar como seria, de beijar outras meninas e imaginar que seria ela ali.

Ela abriu os olhos e me encarou de forma intensa, eu tinha esquecido o poder que esses olhos azuis tinham sobre mim. Abaixei meu olhar voltando encarar seus lábios, suas mãos subiram em direção a minha nuca, enfiando seus dedos entre os fios do meu cabelo.

Sem poder mais me conter, avancei sobre seus lábios, pedindo passagem, e minha língua logo invadiu sua boca. Achei que as coisas estavam quentes antes, mas quando senti seu gosto, perdi todo o controle da situação.

Minhas mãos desceram para sua quadril apertando firme, sentindo ela envolver suas pernas em volta da minha cintura, o que fez eu apertar seu corpo ainda mais com o meu. Chupei sua língua, e seu quadril rebolou de forma involuntária contra mim, me fazendo gemer entre o beijo.

Porra yumi

Uma das minhas mãos foram para sua nunca, puxando a raiz do seu cabelo, fazendo agora ela gemer entre o beijo. Aprofundei ainda mais o beijo, agora movendo o quadril em direção a ela. Afastei os nossos lábios ouvindo um resmungo de yumi, mordi seus lábios o puxando de leve, sorrindo de forma maliciosa.

- Kiba - falou manhosa

Senti me endurecer ainda mais dentro da calça, e voltei a avançar sobre seus lábios. Minhas mãos foram a barra da sua calça, abaixando pra poder de fato sentir ela, sem nada nos atrapalhando."


Ouvia uma voz me chamando cada vez mais longe, e as imagens de yumi ia ficando escuras, como se estivem sumindo cada vez mais. Ouvi um grito com meu nome e pulei assustado, pisquei meus olhos com força não acreditando que era tudo um sonho.


Merda.


Olhei pra baixo vendo meu pau duro dentro da cueca, eu vou precisar de outro banho gelado. Peguei o travesseiro e coloquei na minha cara para a abafar o grito, inferno de garota.


Akamaru latiu sem entender, e eu tirei o travesseiro do rosto pra encará-lo, seu olhar confuso me olhava preocupado. Suspirei frustrado, me sentando na cama olhando de forma mais calma para akamaru.


- Estou bem - tentei sorrir, minha mãe continuou gritando meu nome - JÁ VAI - gritei de volta


Me joguei para atrás novamente tentando me acalmar, ótimo ri nervoso, agora que não vai ser fácil tirar ela da minha cabeça. 


Notas Finais


vcs também já sonham com esse sonho tornando realidade? porque eu já aaaaaaa

eai o que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...