1. Spirit Fanfics >
  2. Like a Star >
  3. Esquecida da vida

História Like a Star - Capítulo 7


Escrita por: The_Moon95

Capítulo 7 - Esquecida da vida


-Então por hoje é só, estou liberando vocês mais cedo porque não irá ter os ensaios de dança, porque estão faltando três integrantes, desejo melhoras a elas e a vocês que estão aqui.... Perfeitas - o nosso produtor musical se pronunciou.

-Obrigada - respondemos juntas.

-Partiu casa galerinha? - Nia falou pegando sua bolsa do chão logo caminhando pelos corredores junto comigo e as outras.

-Claro, tô doida pra descansar.

-Então vamos.

-Vão na frente, esqueci meu celular no estúdio - reviro minha bolsa a procura de aparelho.

-Tá, a gente vai te esperar na frente da empresa.

Vi o resto das meninas seguirem um rumo deferente do meu.

Enquanto caminhava de volta ao estúdio, ia conferindo se eu realmente tinha esquecido ou se estava em alguma parte dentro da minha bolsa.

Eu sou bem distraída as vezes, vou brincando e fazendo as outras rirem que acabo esquecendo minhas coisas.

Não havia quase ninguém pelos corredores, o que de certa forma é bom, as vezes tenho medo das pessoas dessa empresa, evito de andar sozinha, mas nem sempre tem alguém comigo. Estamos aqui a um ano e meio e nada de ruim aconteceu comigo, então creio que não tem perigo algum.

Entrei no estúdio, minha visão foi direto ao aparelho apioado na mesinha ao lado dos fones que usamos a algum tempo atrás enquanto fazíamos os teste de voz do dia.

Peguei o celular, coloquei no bolso e fui direto para a porta para enfim sair.

Mas alguém esbarrou em mim, fazendo meu corpo voltar alguns centímetros a dentro. Olhei o ser a minha frente, era um dos faxineiros do andar, sei disso por conta da farda, mas é a primeira vez que o vejo aqui. Ele aparenta ter mais ou menos vinte e dois anos, pele clara, de fato bonito, se as meninas souberem que eu achei esse menino bonito eu iria sofrer na mão delas.

-Oh, me desculpe - faz reverência a minha frente.

-Não foi nada - sorri.

-Você e uma das trainee que vão estreiar certo?

-Sim, me chamo Kyria.

-Seus olhos são claros, muito bonitos.

-Obrigada, ahn... Eu preciso ir, foi um prazer te conhecer - falo enfim saindo.

-Igualmente senhorita Kyria - escutei um pouco baixo por já estar um pouco longe.

Segui meu caminho normal até a saída, chegando lá vi as meninas apoiadas em um carro claramente cansadas.

-Achou o celular?

-Sim, tava em cima da mesinha.

-Ah... Vamos que todas nós precisamos descansar e eu preciso conversar com a Aysha - Vick fala indo na frente.

-Certo.

Começamos a andar até a nossa casa, não é muito longe, até porque foi a empresa que conseguiu pra gente. Já que não somos daqui Chan conseguiu uma casa, documentos e uma permissão pra ficar na Coréia.

Coréia...

Nossa, nunca me imaginei tão longe de casa, quando essa história toda de formar um grupo, ser famosa e tals começou achei que fosse brincandeira, mas as coisas foram ficando sérias quando a nossa primeira música foi feita, depois veio o MV, foi assim que chegamos aqui.

Quando a música foi lançada por incrível que parece repercutiu bem, não do tipo, "Nossa essas meninas bombaram", não assim mas foi o suficiente pra gente já ter fãs e um olheiro nos achar.

Foi uma loucura na época, mas para mim e para a Nia, somos as mais novas, e quando queriam nos trazer para cá ainda éramos menor de idade, as outras já tinham um emprego, moravam em uma casa juntas, mas a gente não. Nós duas precisamos de uma permissão dos pais, aí já viu, eles não queriam dar a tal permissão por medo, mas por fim cederam.

Por mais que as meninas já podessem tomar decisões por si próprias, também não foi nada fácil, Maya perdeu o contato com a mãe por um tempo, Aysha não toca no assunto "pais" a real que vindo delas ela não teve apoio eu até que entendo o lado dela. A Vick fingi que não se importa, mas nunca vou me esquecer quando a mãe da Maya veio atrás dela procurar notícias da filha, aquilo mexeu com todas nós, já estávamos a um ano sem vê-los, e derrepente dar de frente com uma situação dessas, nossa, e de nós fazer até pensar em desistir, pelo menos a mim.

Mas eu tenho elas, uma família que não é de sangue, mas eu também não escolhi, foram elas quem me escolheram e eu agradeço todos os dias (na verdade só quando lembro :) por ter elas ao meu lado e me dando todo apoio e suporte quando preciso.

Ah, esqueci de falar como é nossa casa. Ela tem uma cozinha consideravelmente grande, a sala com um sofá que cabe todas nós, uma televisão enorme, não muito decorada. Tem a área de piscina que é raro a gente usar, fica lá moacando porque a gente não tem tempo, e quando tem estamos muito cansadas. Ainda no andar debaixo tem uma Home Office, e uma sala de dança, com três paredes de espelhos, o chão de madeira e caixas de som enormes.

No andar de cima contém sete quartos, um para cada claro, e bom porque temos privacidade e vai por mim, sempre precisamos se não você ia presenciar umas é outras brigas diárias.

Tem três banheiros também, e uma sala que ninguém usa, até porque ela é inútil, por enquanto, a Maya disse que podemos guardar nossas roupas e maquiagens ali quando a gente debutar.

Eu amo essa casa, e olha, ela é oficialmente nossa. Quando a Hybe comprou nos deu, colocou ela no nosso nome, foi uma forma de garantia, e isso é um alívio, já pensou não dá certo, la vai a gente pra rua.

A minha vida antes que eu considerava uma merda agora está mil vezes melhor. E só de lembrar que uma vez falei para as meninas que nada ia dar certo, da vontade de bater na Kyria de antes, se dependesse só de mim tinha perdido os melhores momentos da minha vida.

E outra que daqui a dois meses eu vou ser rica né ;)...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...