História LIMANTHA - Aprendendo a Conviver (Fanfic) - Capítulo 35


Escrita por:

Visualizações 459
Palavras 2.114
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Para o Cap. De Hoje Indico:  My Own Deceiver - Ego Kill Talent

( A Música já está Adicionada a Playlist do Spotify)

User:  lannyjaguar

BOA LEITURA E EMOÇÃO!

Capítulo 35 - Capítulo 35 - O Culpado



Lica,


Saber daquelas mensagens que a Samantha andava recebendo não me deixou nada bem, e ainda mais saber que um homem que ela encontrou no shopping poderia ser o suspeito, fiquei mais nervosa e com raiva. 


Como a polícia não servia pra nada mesmo, não dava a mínima e não fazia nada pra ajudar, resolvi tentar ir atrás do suspeito e de provas, pois é eu mesma. Falei a Tina e ao MB que eram os mais chegados, e lhes pedi ajuda e sigilo sobre isso. Tentariamos enfim pegar o que fez isso com nós e o que anda fazendo com a Sammy.


O primeiro suspeito era o Rafael. Ele sempre estava enchendo nossa paciência, e estava muito próximo da Samantha. E nessas últimas semanas, ele andava fazendo ligações insistentes a Samantha ela as ignorava como assim eu também o fazia quando o celular ficou em meu domínio. 


Graças ao MB, ele conseguiu saber onde o Rafael morava. O que não tardei em ir atrás dele para tirar satisfações. 


Eu estava tocando a campainha da casa do Rafael desesperadamente, quando a porta finalmente foi aberta por ele.


- Lica!? Como ta a Samantha.? – Ele perguntou preocupado e eu lhe dei um tapa. – O que você está fazendo, sua idiota?


- Por que você fez isso com ela? Porque fica ligando o tempo todo pra ela? – Eu perguntei sentindo a raiva me consumir e ele negou com a cabeça. Empurrei-o e ele se segurou na porta. – Você fez isso com ela? Você que engravidou ela? RESPONDE PORRA! A CULPA É SUA!


- Calma, você não pode me acusar, você nem sabe o que estava acontecendo! – Disse puxando a porta e a fechando atrás de si. – Antes de me xingar e me bater, me ouça.


- Por que eu iria te ouvir? – Perguntei o empurrando na porta e apertando seu pescoço com as duas mãos. – Foi você quem mandou aquelas mensagens? Era esse seu plano? Ou foi você que pagou a alguém para nos abusar?


- NÃO! ME ESCULTA! – Ele gritou puxando minha mão de seu pescoço. – FOI O EX DA SAMANTHA! - gritou - FOI O ARTHUR! Ele que iria fazer algo com ela! – Disse já com a voz falha e eu soltei seu pescoço em choque. – Ele que fez isso com vocês, ele que tem ódio por ter sido corno, ele! Não eu! Eu queria defender ela, eu queria ajudar, mas você e nem ela permitiu isso, eu tentei avisar, mas ela não permitiu.


- VOCÊ ESTÁ MENTINDO! – Segurei seu pescoço novamente. – VOCÊ ESTÁ MENTINDO!


- Eu não tenho... – tossiu – Motivos para me vingar de você e nem dela! Ele quem foi corno, ele quem é doente, eu só queria... – tossiu novamente. – Só queria ajudar! – Soltei-o novamente e senti meu estomago revirar de nervoso. – Acredite em mim. 


- Eu não consigo... 


- Ele sumiu da faculdade, ninguém nunca mais havia visto ele, lembra? Ele que é o bêbado de barba, ele quem fez isso com vocês! Acredite em mim.


- E COMO VOCÊ SABE DISSO? – Gritei o empurrando contra a porta novamente.


- Porque ele pediu minha ajuda. 


- V-você o ajudou a fazer isso? ... COMO PÔDE SEU IDIOTA!


- NÃO! .. E-eu só tentei separar vocês, eu gosto muito da Samantha mais ela só me ver como amigo... Eu só queria ajudar ela, ele disse a mim que se eu conseguisse separar vocês, ele não faria nada mais com a Samantha, mais sim a você porque não aceitava ter perdido por uma sapatão... ele que disse! - falou rápido quando percebeu meu olhar - , por isso voltei a faculdade! Eu a amo tanto quanto você, eu só queria proteger ela.


- VOCÊ NÃO SABE O QUE É O AMOR, CALA SUA BOCA! – Empurrei-o novamente contra a porta e ele gemeu de dor.


- Você não acredita em mim, Heloísa! Escute todas as mensagens de voz que mandei para ela nesses últimos dias, tem tudo no celular dela, eu tenho certeza que ela não ouviu nada, você vai ver que eu estou falando a verdade.


- EU QUERO QUE VOCÊ QUEIME NO INFERNO! – Chutei-o no meio de suas pernas e saí dali o mais rápido que pude. 


Eu estava chocada demais para continuar lhe ouvindo.


...


Eu estava ouvindo pela décima vez todas as mensagens de voz enviadas pelo Rafael, e ele não estava mentindo, ele falava várias vezes sobre o Arthur, sobre o que ele pretendia fazer. Mas ninguém havia ligado para isso, nem ela, e muito menos eu que só de ouvir seu nome já sentia ódio.


- Lica... – Tina entrou no quarto e sentou-se a meu lado na cama. – Como você está?


- Eu estou péssima, eu não... – Abracei-a forte e me permiti chorar. – Eu não acredito, eu não acredito no que está acontecendo! É tudo culpa dele.


- Dele quem? O que houve?


- Eu vou enlouquecer, Tina! Eu não consigo acreditar nisso, eu não... – neguei com a cabeça.


- Lica, amiga, você acha que foi o Rafael qu..


- NÃO! RAFAEL NÃO! – Afastei-me dela. – Eu vou mata-lo, Tina. Nem que seja a última coisa que eu faça na vida!


- Lica você precisa se acalmar, eu vou buscar um calmante pra você, todos nós estamos realmente preocupados com o que está acontecendo, eu sei que você está destruída, eu também estou pois sou sua amiga, mas se acalma.


- Eu não quero saber, Tina! Eu vou atrás dele até no inferno.


- Amiga, você não está bem, por favor, fique calma..


- ME DEIXA EM PAZ, CARALHO! – Gritei ficando de pé. – SAI DAQUI, SAI, SAI! – Puxei-a pelo braço e comecei a empurrar para fora do quarto. – VAI EMBORA, VAI EMBORA! – Puxei a porta e bati com força, fechando-a com chave. Sentei me no chão e abracei meus joelhos, eu estava tendo um ataque, estava tremendo, meu coração estava batendo muito forte, e minha cabeça não parava de doer...



Tina,


- LICA! – Bati na porta enquanto ouvi-a gritando e batendo em algo. – Heloísa, abre essa porta por favor! Me deixa te ajudar. – Bati na porta mais uma vez. – Você não está bem, me deixa te ajudar. 


- O que está acontecendo? – Era o Luís, ele arregalou os olhos ao ouvir os gritos e golpes na porta do quarto. – Lica, abra a porta! - bateu na porta - Vamos conversar, filha!


- NÃO! ME DEIXA EM PAZ, EU PRECISO FICAR SOZINHA, A CULPA É TODA DELE.


- Tina, vá atrás de um calmante, o que eu tomei, está em cima da mesa, pegue-o, ela está muito nervosa, eu não posso deixa-la assim.


Lica estava totalmente atordoada, e sorte que a Samantha não estava em casa para ver. Ela tinha ido a mais uma consulta de acompanhamento na gravidez com a Marta. 


O Luís abriu a porta do quarto com outra chave, ela estava vermelha, tremula e se recusou várias vezes a tomar o remédio, mas quando finalmente tomou, adormeceu. Eu nunca havia presenciado tanta dor em minha vida, isso afetou tanto a mim por ver minha amiga daquela forma, eu ainda não entendia o real motivo do surto, mas com certeza era grave.


...

(...)

...



Lica,


Eu estava a exatamente há uma semana tomando calmantes todos dias para conseguir dormir, e também procurando o Arthur, dizia que ia dar um passeio ou dizia que iria ajudar o MB em algo e já o arrastava para me ajudar na busca. Graças a Deus que a Samantha havia virado amiga do MB, assim não tinha ciúmes e nem desconfiava de nada. Eu estava inconformada com tudo que estava acontecendo, eu queria e precisava encontra-lo, pois eu precisava descontar todo meu estresse nele, pois ele era o culpado de tudo isso.


Passei toda a tarde entretendo e mimando a Samantha. Ela estava calma e até estava comendo direitinho, jantamos, assistimos um tempo juntas, para então ela finalmente dormir, decidi sair, precisava continuar à procura de Arthur, eu sabia que em algum momento ele iria a sua casa, mesmo que durante toda a semana eu não tenha visto nenhum movimento por lá. 



Samantha,


Eu estava com a mistura de todos os sentimentos negativos sobre a Lica. Raiva, dúvida, tristeza... me pegava pensando, será que ela esta me traindo? Indo se encontrar com outra pessoa que consiga lhe sastifazer, só porque estou grávida e feia? Ela não me ama mais? .. Eu não queria pensar assim.. NÃO! Eu sei que ela me ama e ama a pequena Heloíse demais para fazer isso conosco. Mas, isso me deixava angustiada.


Naquela noite, Lica voltou a ficar estranha e isso me intrigou. Jantamos e fomos dormir, porém eu não consegui dormir estava em alerta para saber o que a Lica andava fazendo as escondidas.



Lica,


- Esse filho da puta! – Bati no capô de meu carro e resolvi ir embora. Eu já estava lá há duas horas, estava escuro, e não tinha muito iluminação. Fechei minha jaqueta e destravei o carro, porém vi um homem caminhando pela rua. 


             *InicieMy Own Deceiver - Ego Kill Talent*


– Ei!


Arrumei meu cabelo e caminhei até o homem, puxei-o pelo braço e ele se assustou. O empurrei contra uma arvore e ele arregalou os olhos. 


– Você conhece o Arthur? Arthur Aguiar? Ele mora nessa casa. – Apontei para casa ao lado e ele assentiu, trêmulo. – Aonde ele está?


-E-eu não sei! – Ele disse tentando me fazer soltar seu braço. – Eu não tenho dinheiro, eu não uso mais cocaína, eu juro! Eu parei de comprar, não me mate. – Eu sorri.


- Sério? Mas estou com uma conta enorme sua no carro, e quero meu dinheiro. – Me fiz de idiota e entrei em seu papo. - Você conhece a porra do Arthur? – Ele assentiu. – Me diga, quando ele chega?


- E-eu não sei!


- Você está mentindo. – o empurrei contra a arvore e comecei a apertar seu pescoço. – Fale! Ou eu mato você! Não tô com paciência garoto! – Ele começou a tossir e a tentar me empurrar. Pisei em seu pé com o salto de minha bota preta e ele gemeu de dor. – FALA!


- Eu sou amigo dele, e-eu não tenho nada a ver com o que ele fez!


- Fala logo, seu desgraçado, eu não estou para brincadeiras! – Apertei mais seu pescoço e botei força em meu pé sobre seu. 


- Me solta! E-eu... – tossiu. – E-eu v-vou falar! – Não o soltei, apenas afrouxei minha mão em seu pescoço. – Ele vem para casa todas as noites de madrugada, porque ele sabe que você está vindo aqui! Ele sabe que você descobriu a verdade, ele está com medo de que você o leve a polícia! - falou num só fôlego.


- Ah, foi? E ele é tão homem para maltratar uma moça, mas para conversar comigo não? – o rapaz tremeu o corpo ao sentir-me apertar ainda mais seu pescoço. – Se você falar algo para ele, eu vou matar você, e não pense que eu estou de brincadeira. – Chutei o meio de suas pernas e o joguei no chão. – Se você falar que me viu aqui hoje, e que eu toquei em você, eu vou atrás de você até no inferno, e você vai me pagar por ser um filho da puta de um X9! – Ele gemia no chão de dor. – E se você também estiver envolvido no que aconteceu comigo e ela, pode ter certeza, eu vou fazer você sofrer muito, seu lixo! – Cuspi em seu rosto e respirei fundo. – Agora vai, corre lá para teu amigo e diz que me viu, vai! Com certeza está na rua para verificar quem era para dizer a seu amiguinho. 


- Como pode o Arthur ter se apaixonado por uma menina que namora uma pessoa tão horrível como você? – Abaixei-me a altura de seu rosto e segurei seu queixo, sorrindo abertamente.


- Eu sou horrível? Tem certeza? Seu amigo abusa de minha namorada, engravida ela, e faz planos para lhe sequestrar e eu que sou horrível? – Ri jogando a cabeça para trás e voltei a encarar aquele homem que não parava de fazer careta, sentado no chão, segurando o membro. – Acho que você não conhece nenhum pouco o seu amigo. – Soltei seu rosto e levantei. – Se não quer ver quem realmente eu sou, fica quietinho na sua, e coloca um gelo nesse seu pau mole. – Sorri abertamente para ele e arrumei meus cabelos. – E não esquece, se ele souber de qualquer coisa que aconteceu aqui, você está mais do que fodido em minhas mãos. – Ele gemeu de dor e suspirou assentindo. 


Para um homem de minha altura e magrelo, eu não esperava nada além de uma tremedeira. E por mais que eu esteja agindo por raiva, me aproveitei sim da situação, talvez eu não seja tão assustadora quanto demonstrei e se for, já nem me importo com isso.


Virei-me de costas e caminhei rapidamente até o carro. Meu sangue estava fervendo de raiva, soquei forte o volante de meu carro e respirei fundo. 


Arthur vai me pagar, vai me pagar muito caro.














Notas Finais


Quem seguiu as pistas e leu história com atenção, Acertou:

Foi o Arthur que engravidou a Samantha !!!

Porém, ele não agiu sozinho certo? Quem ajudou?
---
E AÍ! VOCÊS ACERTARAM ??? .. Me Contem ..

Beijos, nos vemos no próximo!
Lanny.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...