História LIMANTHA - Aprendendo a Conviver (Fanfic) - Capítulo 32


Escrita por:

Visualizações 562
Palavras 2.659
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hallooo ...

Capítulo 32 - Capítulo 32 - Sonhos, Farpas e ... Anônimo Conhecido?


Samantha,


De repente tudo escureceu, e assim que eu abri meus olhos, eu estava deitada em minha cama. Lica estava sentada em minha frente e olhava para mim, e quando percebeu que eu estava de olhos abertos sorriu e eu retribui. Eu me sentei na cama.


- Tudo bem? - pergunta ela e assenti.


- Eu tive um sonho tão louco... - senti minha vista escurecer mais uma vez.


- Você está bem mesmo? E que sonho? - perguntou preocupada alisando minhas pernas.


- Estou bem sim, amor. - suspiro e vejo apenas borrões do quarto ao redor. - eu sonhei que você tinha me levado ao apartamento e pediu para mim assinar, só que depois acordei.. - Lica franziu o cenho e riu.


- Mas foi isso que aconteceu. Você não acordou de um sonho, você desmaiou.. - eu entreabri a boca e ela alisou minha mão - ainda está geladinha, vou falar com minha mãe.


- Ela já chegou? 


- Sim - confirma ela e se levantou.


Eu não conseguia entender e enxergar bem, mas que diabos está acontecendo com minha vista?


Marta apareceu segurando um copo e Lica lhe acompanhava.


- Você está bem? - perguntou Marta me entregando o copo. Era leite e estava morno. - É com sal, pra melhorar a pressão. - franzi o cenho. - tome, querida.


- Isso tudo é real, mesmo? - as duas assentiram ao mesmo tempo.


- Eu estou feliz em saber que vocês vão deixar minha casa. - fala Marta, eu arregalo os olhos e Lica ri. - Estou brincando, querida. Estou feliz em saber que vocês decidiram amadurecer juntas.


- É serio isso? Eu não acho que eu esteja bem. Minha visão está tão estranha... - falei levantando o copo e levando a boca. 


Eu tomei o resto do leite e apaguei. Acho que devo ter dormido novamente, pois acordei com Lica cantando. Sua voz era linda e suave. Abri meus olhos e a vi trocando de roupa. Me levantei e caminhei até ela, que parou de cantar e sorriu.


- Oi bebê - disse jogando um beijo e eu parei ao seu lado. - Quer alguma coisa?


- Acho que eu estou ficando louca.


- Você tem que se preparar, vamos comprar os móveis do nosso apartamento hoje. - disse ignorando o que falei. - Sammy? - eu senti meu corpo sendo afastado e a voz de Lica ficar longe.


××× Era confuso. Muito confuso. ×××


O ambiente foi mudando e eu finalmente abri meus olhos. Sim, abri meus olhos, e tudo eu enxergava normalmente. Lica estava deitada ao meu lado dormindo. Toquei em meu rosto e senti o suor escorrer. Olhei para baixo e vejo minhas roupas, meu pijama.


Eu havia sonhado. Não estava em um apartamento. Era tudo um sonho, e um belo sonho confuso.


- Acordou? - Lica pergunta ao meu lado me assustando de leve. - desculpe..


- Acho que sim.. - sussurrei olhando seu corpo a vendo de pijama, não estava como eu havia sonhado. - Eu dormir mesmo? - ela franziu o cenho.


- Sim, Sammy. Eu disse que ainda tinha mais fotos, e quando vire pra você, você apagou. Pensei até que tinha desmaiado.


- Acho que estou louca... eu tive um sonho após o outro. - falo confusa.


- Deve ser a fome. Por isso não dorme direito. - disse se sentando-se na cama procurando algo e logo olhou a tela de seu celular, que era justo o que ela procurava. – são cinco horas da tarde. Acho que minha mãe chega daqui a pouco.


- Me belisca? – pedi sentando-me e ela me olhou com a testa franzida.


- pra quê? – perguntou confusa.


- Só me belisca.


- Sammy, você tá louca? – neguei com a cabeça. – pra quê quer que eu faça isso?


- Porque quero saber se eu estou realmente acordada ou em outro sonho do sonho. – ela riu e negou com a cabeça. Sem enrolar, ela me deu um belo de um beliscão que doeu como o inferno. – AÍ!


- Desculpa! – ela disse alisando meu braço e beijando o local. – foi você que pediu.


- Acho que eu vou tomar um banho, preciso acordar de verdade e ter a certeza que não estou sonhando. – Lica deu um risada nasal e segurou meu braço.


- Sammy, não sei o que você sonhou, mas seus hormônios ajudaram. – beijou-me o rosto.


- Tudo agora é culpa de meus hormônios! – revirei os olhos e me levantei. – acho que estudei demais, por isso meu cérebro ficou louco.


- Sammy, é normal sonhar. – disse ficando de pé. – todos nós sonhamos, isso não é proibido.


- Mas sonhar com algo impossível só pra me iludir é demais. – ela franziu o cenho e virou um pouco a cabeça para o lado.


- Sammy? – ela chamou meu nome com uma cara estranha. – você está bem?


- Estou. – me aproximei de seu corpo e beijei-lhe a bochecha. – vou tomar banho.


Se tudo não havia passado de um sonho, o tal MB não era um corretor, certo? Será que devo mesmo me preocupar com ele, ou levar em conta todo o amor que Lica demonstra a mim? Talvez os hormônios realmente estejam mexendo com todo meu cérebro.


(...)


Eu estava trocando de roupa enquanto Lica arrumava os livros que havíamos deixado jogados ao chão.


- Amor, acho que tô ficando inchada. – falei arrumando a alça de meu vestido soltinho e suspirei me olhando no espelho.


- Acho que você está muito bem, só está gravida. – Lica disse aparecendo atrás de mim pelo reflexo do espelho.


- Para Lica, é claro que tô inchada vou ficar feia.  – falei alisando minha barriga e Lica me abraçou por atrás.


- Para com isso você. Não esta nada inchada, está perfeita e sempre estará. E sabe porquê? - neguei - Porque eu amo a mulher mais linda que já conheci. - beijou-me a bochecha e eu sorri.


- Você é perfeita. – me desvencilhei de seus braços que arrodeavam minha cintura e fiquei e frente pra ela. - Eu me arrependo de não ter sido sua namorada desde que cheguei aqui. – me deu um selinho e sorriu. – fui burra.


- Passado é passado, Sammy. Agora estamos juntas e com uma realidade bem grande pela frente... – sussurrou abaixando seu olhar para minha barriga. – nossa Heloíse será muito bem-vinda.


Lica alisou minha barriga e ficou se joelhos. – ei você! – disse beijando minha barriga. – eu sou sua segunda mãe. – beijou-a novamente. – eu prometo que vou cuidar muito bem de você. Mesmo que um dia a mama Sammy não me queira por perto.


- Ah! – arfei ao sentir uma movimentação em meu ventre.


- Ai cacete! – Lica disse de olhos arregalados olhando pra minha barriga. – Sammy! – me olhou. – isso significa o quê? Que me entendeu?


- Eu acho que ela deu o primeiro sinal de vida a nós. – Lica sorriu abertamente e voltou a olhar para minha barriga.


- Ei, Heloíse. Estou esperando você chegar. Quero que os dias passem rápido para eu poder te pegar no colo. Espero que você seja igualzinha à sua mãe, linda e até mesmo estressadinha! – ri alisando os cabelos de Lica lhe fazendo me fitar. – Sammy, te amo.


- Eu também te amo. – sorri abertamente a vi se levantar. – vamos descer? Será que alguém chegou?


- Acho que sim, enquanto você estava no banho eu ouvi um carro parar na garagem sendo que não vi qual dos dois era.


- Então, vou descer. Vem comigo?


- Vou com você até a lua. – aproximou-se de meu rosto, beijou-me a testa e sorriu.


(...)


Lica,


Quando voltei ao quarto a procura do meu celular, percebo que há várias mensagens e ligações perdidas. Eram 2 da treinadora de vôlei, e o restante da Tina. Franzi o cenho e resolvi retornar a da treinadora, porém fui interrompida por mais uma ligação.


×××LigaçãoOn×××


- Oi amor da minha vida.


- Amor da minha vida o caralho! Onde tu enfiastes este celular? Liguei tanto... Quando eu ligar, é pra atender.. - Tina fala do outro lado da linha estérica.


- Ele estava aqui no quarto, eu estava la em baixo. - falei já descendo as escadas. - E me perdoe por isso, senhorita.


- A treinadora ligou pra você, e nada.


- Eu vi, e iria retornar mas você interrompeu..


- Sim, mas eu estou ligando a mando dela... Por isso insisti tanto..


- Então, cuida que vou jantar! 


- Grossa.. Olha, sabe o jogo da semana que vem?


- Sim? - respondi sem paciência, vejo Samantha me mandar um beijo e eu sorri. ... Sou Trouxa ...


- Então, nós temos que vencer aquele jogo. Porque aquele jogo pode nos levar para competir em uma universidade em LOS ANGELES! - gritou.


- Puta que pariu! Mentira?! - arregalei os olhos.


- É verdade! Te juro! Só que tem um porém...


- Qual!?


- Não pode levar a Samantha ou alguem, pois só será a equipe e o time. - ao falar aquilo soltei todo o ar dos meus pulmões, e assenti.


- Tudo bem. Acho que precisamos um pouco de férias uma da outra. - Tina riu.


- Você é ridícula, Lica! Mas ok, vou desligar... Se prepara hein gaspar... - revirei os olhos.


- Ta certo, salamandra. - ri - thau.


×××LigaçãoOff×××


- Deixa eu adivinhar, Tina? - pergunta Samantha.


- Acertou na mosca.


- O que ela queria? - expliquei a ela sobre o jogo e LA. - Ah, não Lica! Uma semana? Não vou aguentar... - fez manha.


- Mas bebê, eu queria tanto. - falei. Ela franzi o cenho e pergunta:


- Queria oque? Me deixar sozinha? 


- Não Sammy! O jogo. Quero ganhar ..- fiz bico e me aproximei.


- Ah bom. Pensei que queria ficar longe de mim. - revirei meus olhos e mordi seu pescoço. - Aí, não morde. - fechou a cara e eu ri.


- Eu queria ir pra LA também. Queria te levar mas não pode..


- Tudo bem Lica, entendi. Pode ir, só queria te testar. - me beijou - já tô com saudades - fez manha - Mas, oh! - ficou seria - juízo absoluto! Se eu souber que você ficou dando moral a alguém em Los Angeles, eu pessoalmente vou lá te matar. - arregalei os olhos.


- Tá louca, Samantha! Claro que não, tenho amor a minha vida. - ri nervosa.


- Eu sei neném. Só avisando. - sorriu diabólica.


Misericórdia! Que mulher brava fui namorar...


(...) 


No dia seguinte, Sammy e eu esperávamos o MB em frente a faculdade. As meninas estavam chegando aos poucos.


- Bom Dia, Limantha. - Ellen cumprimenta. - Vocês aqui, que milagre.


- Estamos esperando o MB. - falei - Lembra? 


- Acho que sim, faz um tempão, mas lembro. 


- Bom Dia, meninas. - Keyla acena - Tão esperando alguém? Sempre encontro vocês lá dentro.


- Sim, o meu amigo. MB. - ela assentiu.


- Ei! - falei chamando a atenção do rapaz quando o vi se aproximar. Ele parou e tirou os óculos.


- Lica! - ele veio ao meu encontro - Quanto tempo! - me abraçou.


- Nossa, o que aconteceu. Tá mais gato! 


- Ah, não tanto quanto você! - Ele sorriu.



Samantha,


Mas que porra é essa?! "Não tanto quanto você" era só o que me faltava, presenciar isso. Eles não pode ta flertando na frente de todo mundo, pode? Não! Ela é minha namorada.


- ih.. - Keyla sussurra em meu ouvido - acho melhor tomar conta do que é teu, ele parece ta interessado na Lica. - fechei a cara.


- Cala a boca Keyla! - me aproximei deles - Oi.. - falei esticando a mão para ele.


- Oi - ele franziu o cenho e retribuiu o aperto. Eu acabei descontando minha raiva apertando um pouco forte e ele estranhou. - Desculpe, quem é você? - pergunta. 


- Samantha. Samantha Lambertini. 


- Espera, você parece a menina que a Lica me mostrou uma foto! - ele fala e pega o celular do bolso - Aqui. - me mostrou a foto. E sim, era eu.


- Sim, sou eu mesma.


- Então, você é a namorada que a Lica tanto fala. - olhei pra Lica e não enxerguei


- Sua estúpida! - comecei a lhe bater - Como pode mentir desse jeito? 


- Aí, Sammy! Ta louca?! 


- Fica dizendo que eu sou só sua.. - parei e pensei. Espera, ele disse namorada? - namorada? - olhei pra ele - você disse namorada? - ele me olhou assustado e assentiu - Aah.. - passei a mão no peito e relaxei - me desculpa por isso.. eu.. que alivio! desculpa Lica. - falei envergonhada e as meninas explodiram em gargalhadas.


- Erh, tudo bem amor. - ela fala não entendendo.


- Bom, Lica eu vou indo, preciso ir no banco. A gente se fala ou marca pra sair mais tarde, seila. - sair? Pra que?! 


- Tudo bem MB. Vamos sim - abraça ele e beija sua bochecha. Oi!? .. - Thau, bom te ver de novo.


- Também, é sempre bom te ver. - alguém me segura, se não vou dar na cara deles! Não, eu que vou sair dali antes que aconteça.


...


Quando cheguei na calçada do meu bloco. Ellen me alcançou e parou.


- Não corre assim, você esta grávida lembra? Cuidado. - fala ela e eu suspiro.


- Você viu aquela ceninha? Eles dois? Não dá pra mim.. Eles tem alguma coisa sei que tem! 


- Calma, vocês precisam conversar. - Ellen indica o queixo atrás de mim e percebo Lica se aproximar.


- O que houve Sammy? Tudo bem? Sentiu algo? - pergunta. Que cínica. CÍ-NI-CA!


- Nada! - respondi simples.



Lica,


Samantha entrou na sala puta da vida, capaz de destruir tudo e com Ellen atrás negando a cabeça olhando pra mim. Em seguida, entrou a Tina e se sentou ao meu lado.


- O que foi? - apontou com a cabeça para Samantha que foi sentar la na frente.


- Ela ta brava! - eu sorri e lhe encarei - Adoro isso! - ela me olhou confusa.


- Ta louca ou oque? Ela ta grávida! E tu faz isso? Quer morrer? - pergunta baixo e indignada. - E o que o MB ta fazendo aqui? Saiu do cativeiro? - riu.


- Idiota, os pais deles viajaram ae ele veio passar um dias aqui no Rio. - ela assentiu. - E como a Sammy ainda não o conhece ainda, combinei de fazer esse showzinho, e deu certo. Ela esta com raiva e isso significa, sexo rude! - sorri maliciosa. Tina me olhou incrédula.


- Meu Deus Lica, tu é realmente louca! Ela ficou toda puta da vida. Só espero que dê certo isso e não briguem feio, não quero gastar meu tempo sendo casamenteira.. - arrumou o cabelo.


- Besta...


...


Estávamos praticamente devorando nossos lanches no intervalo, e o Rafael tinha que aparecer pra piorar tudo. 


- Teu amigo é muito mal educado, não vê? - chamo a atenção dela e das meninas. - O tanto de gente aqui e ele só fala com você? Qual é...


- É verdade. - Tina diz mas leva um tapa da Ellen.


- O que você quer Lica? Você trata ele mal, sempre tratou, e quer que ele te trate bem? Você quer que ele chegue falando como o seu amiguinho, o MB? - falou sarcástica.


- O MB falou com todo mundo sabe, não sei se você viu.


- Beleza então, já que o seu amigo é perfeito. Deixa o meu em paz.


- Ótimo. - falo pegando meu suco e me retirando da mesa.


- Ótimo!


Samantha,


Argh! Que raiva da Lica, dessa vez ela ultrapassou todos os limites. Não acredito, que filha da puta! Ficar flertando na minha frente e ainda ter tique nervoso toda vez que o Rafael não fala com ela.


Descidi voltar para casa sozinha, bom, as meninas me acompanharam a mando da Lica. Mesmo ela sendo ridícula, tenho que admitir que ela é um amor.


Cheguei em casa e fui tomar um banho, me perdi por longos minutos no chuveiro, precisava esfriar a cabeça. Após tomada, me enrolei na toalha e fui para o closet pega uma roupa limpa, mas um toque de mensagem chega em meu celular me fazendo parar no caminho e ir até a mesinha. Era uma mensagem anônima.


×××Mensagem×××


"Olá buchudinha. Saiba que eu estou de olho em você a onde quer que você vá, então não tente bancar a espertinha falando isso para alguém ou para Lica principalmente, porquê se você tem amor a sua vida é melhor me obedecer" ...

Δss: Seu Anônimo Conhecido.





Era só o que me faltava agora.



Notas Finais


Agora o bagulho vai ficar doido mer mão! Kkkkkk..
Tô muito empolgada, cês não tem noção do que tô preparando ...

Ps: Vou tentar elaborar uns capítulos maiores também como este.

Bjss, até o próximo.

- Lanny.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...