1. Spirit Fanfics >
  2. Limonada Jikook >
  3. É Muita Treta!

História Limonada Jikook - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oi galera. Boa noite! Tudo bem?

AVISO:
Gente, estou com alguns problemas técnicos aqui em casa, então, caso demore um pouco para postar é isso. (Previsto para arrumarem até quarta-feira). Grata pela compreensão! ;P

Para todos que estão acompanhando a minha fic, muito obrigada do fundo do meu coração! S2!

Capítulo 8 - É Muita Treta!


Capítulo VIII: É Muita Treta!

 

Jungkook

Enquanto meu irmão foi na direção da Jihyun, intercepitando-a antes que a mesma chegasse até mim, eu fui ter com o Jimin.

_ Jimin-ssi, vamos ali um instante?

_ "Ali" onde?

_ Ali... _ Dei uma enrolada básica sem apontar uma direção certa.

_ Não, sei onde é "ali" e, não vou, não. Pode ir você sozinho que, estou ocupado aqui conversando com o pessoal. _ Então, ele se voltou para uma roda de convidados, onde estavam o Hobi e o Tae e, me ignorou totalmente. Mas, claro, não desisti.

_ Jimin-ssi... _ Eu disse fazendo uma voz de falso choro abraçando-o por trás. _ Vem aqui com o seu Daddy, vem? _ E essa parte disse, bem baixinho no seu ouvido, de modo que só ele pode me escutar. E deu certo! (Safado!). Ele pediu licença e se afastou comigo.

_ Para onde o meu Daddy quer me levar?

_ Pra casa!

_ É... brincadeira, né? É o casamento do seu irmão e, do meu melhor amigo. Não podemos ir embora! _ E ele foi dando meia volta para a mesma roda de amigos anterior.

_ É claro que era brincadeira, Yaegiya. _ Mas, vai que cola? Não custava nada tentar. _ Estou pensando se a gente não pode brincar um pouquinho? _ Disse pegando na sua cintura e trazendo-o de volta para mim.

_ Mas, aqui?!

_ É! Com aquela emoção para não sermos pego, sabe?

_ Mas, você detesta exposição. (Isso é algum tipo de fetiche de família? Transar em festas de casamento?)

_ Vamos fazer em algum lugar diferente? Escondidinhos... 

_ Mas, Jungkook-ah...

_ Por favor? Você tá tão gostoso e, o seu Daddy tá tão necessitado...

 

Jimin

Aish! O que foi que deu nele?!

_ Tá bom, Daddy. _ Disse, passando os meus braços por cima dos seus ombros e, indo de encontro com a sua boca. Até que os meus olhos avistaram alguém vindo na nossa direção e parei, automaticamente, o percurso que estava fazendo. _ Você tá necessitado, né Daddy?

_ Bastante, Yaegiya. _ Ele me respondeu bem manhoso. me abraçando.

_ Vai ver é a falta de um óleo de peróba nessa sua "cara de pau"! _ Falei me desfazendo do abraço.

_ Jungkook-ah! _ Olha aí se não é a "amiguinha" vádia do Jeon! É muita audácia chama-lo assim na minha cara!

 

Jungkook

Estava de costas para ela e, pelos deuses que gelei até o último osso, quando escutei a voz da Jihyun me chamando assim. O Jimin estava me fuzilando com os olhos, mas, mesmo assim, segurou o meu braço.

Eu me virei e dei de cara com a Jihyun:

_ Nossa! Difícil falar com você! Pensei que o seu irmão não ia mais parar de falar!

_ Boa noite Min Jihyun!

_ "Min Jihyun"? Desde quando somos tão formais?

_ Esse é o meu marido, Jeon-Park Jimin. _ Bom, bora tratar logo de dar nome aos bois! (Creio que esse não foi a minha melhor expressão).

_ Ora, ora, se não é o famoso "senhor das coleiras"?

_ Prazer. _ Ele se limitou apenas a uma inclinação com a cabeça.

_ Você é realmente muito bonito!

_ Obrigado! Você também é... bastante ousada.

 

Jimin

Depois disso ela me ignorou por completo! Se voltando totalmente para o Jeon, (era como se eu não estivesse lá). Claro, queria sair dali e deixa-la falando o quanto antes, porém, a safada entrou em um assunto de negócios com ele, do qual eu não compreendia nada, então, temi que sair dali do nada pudesse não ser a coisa mais inteligente a se fazer, afinal ela vinha de uma família muito rica e, eles de fato tinham alguns negócios em comum.

Sinto que devia isso a ele, se não podia ajudar nos negócios da família, também não deveria atrapalhar. A minha mãe gerou grandes gastos desde que nos casamos até a sua morte, mas, ele nunca economizou um centavo se quer com ela! Além disso, os lucros das cafeterias triplicaram desde que ele assumiu a administração e, agora temos mais filiais. Por hora não tinha outro jeito, a não ser me comportar.

Mesmo sem conseguir compreender a conversa entre eles, algo ali ficou muito claro para mim, não sei que raios tinha acontecido entre eles, Jeon nunca me contava, só dizia que não tinha importância. Até o presente momento, confiei que poderia ser uma verdade, porém, agora percebo que eles se conhecem demais, para quem não passou de um simples "casinho" um do outro! Era rezar para que aquela conversa entre eles acabasse logo.

_ Com licença, _ e não é que dessa vez os deuses resolveram me atender com rapidez?! Minha sogra chegou para interromper a conversa entre eles. _ Boa noite, Min Jihyun! A quanto tempo. _ Pera! A minha sogra também conhece essa lambisgóia?! O que estava acontecendo aqui?! _ Você está bem?

_ Olá senhor Jeon-Kim. Estou bem melhor agora, acredite! Como vai o senhor? E o senhor Jeon?

_ Estamos ótimos, querida! Obrigado por perguntar. E os seus pais?

_ Vão bem...

_ Bom saber, diga que mandei-lhes lembranças. Deveriam ter vindo no casamento com você.

_ Eles já são de idade, então, sabe como é? Não curtem mais festas.

_ Entendo... Agora se me permitem, vou roubar um pouco o meu filhote de vocês. _ Jin disse pegando na mão do Jeon, posto que tive que soltar o seu braço e, se afastaram um pouco de mim e daquela vadia. (Pelo visto, agradeci aos deuses cedo demais...).

 

Jungkook

_ Pelos deuses! Me diz que diabos a Min Jihyun tá fazendo aqui?!

_ Eu não a-convidei se é isso que quer saber.

_ O que eu quero é ter certeza que o meu caçula não engravide ninguém fora do casamento e, também tenha que se casar as pressas!

_ Omma! Não acredito que esteja pensando isso de mim.

_ Escuta aqui Jungkook, seu appa e eu ainda não nos recuperamos do seu irmão! E quando um filho faz uma coisa dessas, de quem você acha que é a culpa?! Você viu o que o seu pai disse: a culpa é do Yoongi?! Pois é, mas, aquilo foi um jeito de dizer que a culpa era minha! Que ele fez o que fez, porque eu não dei a ele uma boa educação! Então, você trate de ficar na linha!

_ Muito obrigado pela "confiança" na minha pessoa. Mas, pode ficar tranquila! Eu não pretendo ter nada com a Jihyun de novo, o nosso caso ficou no passado. Além do mais, o Jimin não é o Taehyung! Ele jamais aceitaria outra pessoa entre nós dois, mas, tão pouco eu quero isso também!

_ Aí que alivio, meu bebê! Você pode pensar que puxou o seu pai, mas, os seus cabelos escuros, dizem bem que você puxou a sua omma! _ Ganhei um abraço e um beijo da minha mãe.

_ Omma, posso te pedir uma coisa?

_ Até três, bebê. Se a mamãe puder fazer pra você...

_ Não comenta nada com o Jimin sobre o meu relacionamento com a Jihyun.

_ Ele não sabe que vocês tiveram um caso?

_ Até sabe, mas, não sabe os detalhes, gostaria que continuasse assim.

A minha omma concordou comigo em não falar nada com o Jimin. Agora eu tinha que voltar pra lá e, torcer para que a Jihyun não tivesse falado nada demais para ele. (Ela costumava ser uma mulher bem discreta antes).

 

Jimin

No meio tempo em que estivemos a sós, ela resolveu se lembrar da minha existência e, se mostrou muito curiosa para saber como foi que, eu tinha conseguido conquistar o Jeon, ao ponto de conseguir convence-lo a se casar comigo? Méritos que adoraria ter tido para poder contar-lhes tudo com detalhes, mas, que não tinha! Porém, não me custava nada manter a ilusão dela e, nada disse a respeito. Esse lance de que nós tínhamos um casamento perfeito, foi uma personagem que já tinha aprendido a interpretar com maestria!

_ Eu adoraria ver a sua marca... _ Estava demorando...

_ Imagino que sim...

_ Dizem que ninguém nunca viu... Será que é por isso que você usa as "coleiras"?

_ Ele usa as coleiras, porque eu gosto assim! É para que todos saibam que ele tem dono! _ Salvo aos quarenta e cinco do segundo tempo, como diria o meu falecido paizinho! Jungkook chegou no momento exato, para responder aquela mulherzinha chata e intrometida. _ Agora você terá que nos dar licença, senhorita Min. É casamento do meu irmão e, nós somos os padrinhos. Podemos continuar tratando de negócios no meu escritório. Sim? _ ("Livre estou!").

Longe da vadia, nós finalmente voltamos a curtir a festa (que, graças aos meus talentos), estava maravilhosa! E a melhor parte disso tudo, foi ver quanto os três estavam felizes juntos! Mas, eu ainda tinha uma carta na manga para eles...

A gravidez do Hobi ainda era segredo, apenas nós e os seus pais sabiam, então, não tinham fotos, (até aquele momento), que enfatizassem a gestação dos gêmeos. Mas, tinha contratado um fotógrafo a parte e, arrumado a edícula para que, nós pudéssemos burlar um pouco isso e, fazer alguns registros daquela barriguinha linda!

Os pais dele se recusaram a participar da nossa sessão secreta de fotos, mas, surpreendentemente, os meus sogros aceitaram.

_ Aonde vocês estão me levando? _ Hobi perguntou no momento em que, Jungkook e eu "o-sequestramos" da festa e, vendamos os seus olhos.

Na edícula, o resto da nossa família nos aguardava:

_ Surpresa! _ Todos gritaram quando nós entramos e tiramos a venda dele. E ele, é claro, chorou mais ainda!

A barriga dele ainda não estava muito grande, era apenas uma elevação pequena, mas, ainda assim penso que era importante registrar aquele momento, porque muito do que estava acontecendo ali, eram graças aqueles bebês. Ele tirou o terno e, nós fizemos muitas poses juntos!

Nenhuma família é igual as dos comerciais de margarinas. O clima ainda estava estranho entre eles e os meus sogros e, nós nos dividimos um pouco ali. Meu sogro foi um pouco para a varanda com o Jungkook e o Yoongi, enquanto que nós ficamos na sala conversando. E assim como acontecem as brigas, existem as pazes também...

_ Você já foi ativo alguma vez, Jin? Antes do meu sogro? _ Taehyung perguntou.

_ Qual beta nunca? Antes não costumava pensar muito sobre isso. Não sabia se iria ser o chefe de uma família, ou, se iria cuidar de uma? Conhecia uma pessoa e, fazia o que tinha que fazer! Mas, quando conheci o Nam, me apaixonei perdidamente. Não tinham mais dúvidas em mim! Eu soube na hora que iria cuidar de uma família! Quando descobrimos que seriamos pais a primeira vez, foi um dos dias mais felizes das nossas vidas! Mas, a gestação do Yoon foi complicada e, aquela felicidade se transformou em um tipo de desespero.

_ O Yoongi já dava trabalho antes mesmo de nascer?! _ Hobi. 

_ Nem chegou e já estava causando! É a cara dele! _ Taehyung disse e nós concordamos.

_ Fiquei com muito medo de perde-lo. O parto também não foi fácil, ele nasceu antes da hora, com baixo peso. Era tão bonitinho, pequenino, loirinho, dos olhos cor de ouro, era o Nam todinho! Eu só queria proteger ele. Não foi um começo fácil, mas, depois tudo ficou bem e, ele cresceu saudável. Quando chegou a vez do Kookie, fiquei com medo de ter os mesmos problemas de novo, nós estávamos muito receosos. Porém, foi uma gestação bem diferente, muito tranquila. Nós não tivemos surpresas. Ele nasceu até na data que o médico previu! 

_ E esse é o meu marido, sistemático desde sempre! _ Eu disse e ninguém discordou.

_ Essa foi sem dúvida a melhor parte da minha escolha em me tornar um passivo. E desde que o Yoon te levou em casa a primeira vez, você sempre disse que gostava de crianças, que o seu sonho era ter filhos. Nunca imaginei que você abriria mão disso. _ Jin continuou.

_ Mas, eu não abri mão de nada! O Hobi está grávido. Eu vou ser pai! Mesmo que eles não tenham o meu nome, ou, que não sejam biologicamente meus! Isso não importa pra mim. _ Taehyung.

_ Sim. Mas, assistir uma gestação, é diferente de gesta! De ver a sua barriga crescer, sentir eles mexendo dentro de você. Sem falar que enquanto eles estiverem aí dentro, _ ele apontou para a barriga do Hobi, _ eles vão responder ao elo da marca entre vocês. Mas, quando eles nascerem, por mais prestativos que vocês possam ser como pais, na maior parte do tempo, por um bom tempo, eles só vão querer a mãe! E para quem falava tanto em ter filhos, foi bem diferente do que imaginei... Sem ofensas Hoseok.

_ Foi diferente do que a gente imaginava também. Quer dizer, vou ser sincero, não era a primeira vez que a gente fazia "aquilo" com outra pessoa. No começo, não passava de uma fantasia, a química entre a gente era muito forte! Mas, depois nós fomos nos conhecendo, nós fomos nos identificando e, os sentimentos foram nascendo. Nós não planejamos isso.

_ Jura?! Porque com um ômega grávido de gêmeos antes do casamento, se você não dissesse, eu nem ia perceber. _ Jin foi bem irônico, mas, não tinha raiva na sua fala.

 

Jungkook

_ Quando marquei o Hoseok, eu já sabia que não podia mais viver sem ele. Conversei muito com o Taehyung sobre isso antes, porque ele tinha que estar de acordo e, para minha surpresa, ele estava. Só depois disso é que falamos com o Hobi. A gente pretendia fazer tudo certo, tudo depois do casamento. Mas, a marca já tinha sido feita e, logo depois disso nós descobrimos a gestação dos gêmeos. _ Yoongi explicava tudo para o nosso appa.

_ Eu sempre me considerei um cara a frente do meu tempo, mas, confesso que isso é modernidade demais para mim! _ O nosso pai ainda estava incrédulo. _ Só dividi o Jin com dois homens em toda a minha vida e, os-amo mais que tudo no mundo! _ E ele expressou um leve sorriso na face, olhando meu irmão e eu.

_ Eu não sei o sexo dos dois seres que viram daquela barriga, nem se serão ômegas, betas, alfas, ou, misturados? Mas, já os-amo também! E não vejo a hora de tê-los aqui! Espero ser um bom pai para eles, assim como o senhor foi pra gente! _ Então, meu pai e o meu irmão se abraçaram. (Finalmente, eles se acertaram).

 

Jimin

_ Sabe Hoseok, confesso que no começo, eu não ia muito com a sua cara, mas, nunca foi pelo fato de você ser ômega. (O Jimin é um ômega e, sempre gostei dele). O problema é que pensava que você estava tipo... tentando seduzir o meu filho, ou, o esposo dele.

_ Então, os seus motivos para não gostar dele são bem reais, porque ele seduziu nós dois numa tacada só! _ Taehyung disse e nós todos rimos.

_ Não vou dizer que entendo como é isso de amar duas pessoas ao mesmo tempo. Se o Namjoon me apronta algo do tipo, eu castro ele! Mas, ouvindo a história de vocês e, vendo vocês juntos, percebo que mesmo sem entender, existe sim, formas diferentes de amar. Sabe? Quando me dei conta que estava apaixonado por um alfa, na época me deu vontade de ser um ômega...

_ Mas, porquê? Isso não faz sentindo! Nós praticamente não temos direitos, enquanto que você tem todos! _ Hobi se pronunciou.

_ Porque eu queria ter a "ligação perfeita", (alfa e ômega), que tanto dizem, com o meu marido!

_ Mas, que besteira Seokjin! Sempre te julguei um homem inteligente. Te ouvir dizer algo assim, me desaponta. _ Meu sogro nos pegou de surpresa.

_ Nam?! Você não estava com os meninos?

_ Estava e, ainda bem que larguei eles e, vim tomar conta do que é meu! _ Então, ele abraçou o Jin e, deu-lhe um singelo beijo na testa. _ Presta atenção em mim, Jin. Eu não me importo com o que a ciência diz sobre os "biologicamente perfeitos um para o outro". Eles podem entender muito de muitas coisas, mas, não sabem nada sobre mim! Porque se algum dia, alguém me estudasse, rapidamente eles aprenderiam que, você é o meu par perfeito! Não tem, nunca teve, nem nunca terá alguém no mundo que, seja mais perfeito para mim do que você! _ Então, eles se beijaram e, foi uma verdadeira cena de dorama em tempo real! (E pensar que o Jungkook se acha parecido com o pai dele... Se for, ele tem ainda muito o que aprender...).

Foi uma bela festa de casamento e, estou feliz vendo a felicidade do meu melhor amigo! Quem diria? Eu tão preocupado que ele pudesse se magoar em um relacionamento a três e, agora ele tá aí: casado, marcado e grávido de gêmeos! A vida é uma caixinha de surpresas...

 Tenho saído muito para fazer compras, no geral, para os bebês, junto com o Hobi, o TaeTae e a nossa sogra, (Jin tem estado bem animado e muito participativo e, o meu sogro também! Mas, os pais do Hope continuam distantes). Agora já sabemos que se trata de um casal. A barriga dele está bem grandinha, (ele estava com cerca de cinco meses), o que significa que os gêmeos já respondem as vozes dos pais. Eles se mexem quando eles conversam com eles, ou, colocam a mão na barriga do Hoseok, mas, isso também pode servir para acalma-los, eles respondem a marca do alfa. Eu sou um ômega, às vezes, dou sorte de senti-los mexer, mas, para o Jungkook que é um alfa, por exemplo, isso só é possível na presença do Suga. 

Hobi tá na fase dos desejos estranhos:

_ É o quê, amor?!

_ Esfirra de Romeu e Julieta com chocolate derretido e coco fresco ralado. Ah, e pede para eles capricharem no molho de tomate! _ Ele pediu isso com tanta felicidade que, deu vontade de falar para o Taehyung trazer dois!

Os meninos tem feito de tudo para atender os desejos dele! O Yoongi torcia o nariz para algumas coisas:

_ Aish! Acho que vou vomitar!

Enquanto isso, os meus assuntos com o Jungkook estavam longe de serem resolvidos. Nós estamos dormindo juntos, mas, até agora nada da minha marca, ele se quer toca no assunto. E como se não bastasse, agora tem mais essa mulher dando em cima dele! As coisas andam meio complicadas entre a gente...

 

Jungkook

Me relacionei com algumas pessoas antes de me casar com Jimin, (nada sério), Jihyun foi uma dessas pessoas. Ela tinha um tipo físico somado a uma personalidade muito discreta que me atraia bastante. No início, o interesse foi mútuo e, pensei até que estivesse apaixonado por ela, (eu era muito novo, não entendia nada sobre me relacionar amorosamente com alguém). Mas, depois de alguns meses juntos, percebi que embora aparentemente ela tivesse muitas coisas que me agradavam, as nossas ideias não se completavam. Nós discutíamos horas sobre coisas que não tinham a menor importância, (isso desgasta qualquer relacionamento). Por fim, as manias dela estavam me enlouquecendo e, tudo isso me fez perceber que, eu não gostava dela de verdade, pois, sentia um alívio imenso quando estávamos distantes. O nosso breve relacionamento não tinha futuro. Então, com pouco mais de três meses, coloquei um ponto final em seja lá o que era aquilo que nós tínhamos, (nunca fui bom com rótulos).

Nem tudo era ruim com a Jihyun... Na cama nós nos entendíamos muito bem! Nós fazíamos parte do mesmo ciclo social, o que significa que nos encontrávamos vez, ou, outra nos lugares e, por vezes, os nossos desejos falavam mais alto! Na maioria das vezes que nos víamos, terminávamos dormindo juntos! Porém, não era como se tivéssemos algo sério um com o outro, (nós não tínhamos nada além de sexo), ela era muito ciente da nossa situação, sempre prezei muito pela honestidade com as pessoas no geral. Não tínhamos exclusividades um com o outro. Saí com outras pessoas nesse meio tempo e, creio que ela também. Essa nossa curtição, durou uns cinco anos, mais ou menos.

As nossas famílias tinham alguns negócios juntas e, como éramos do mesmo meio, meus país já a-conheciam, assim como os pais dela à mim. E muito provável que, os pais dela, assim como os meus, sabiam que tinha algo entre a gente. Porém, nunca houve nenhuma apresentação formal de namoro, (até porque eu nunca tive namorada), nem nada que pudesse se equivaler a isso. No começo, a minha omma, ainda esperou ansiosa que eu fosse apresenta-la, mas, com o tempo creio que ela entendeu bem que não ia rolar.

A Jihyun estava assumindo os negócios da família dela e, estava fazendo isso com maestria. Nossas empresas estavam estreitando mais ainda os laços e, fizemos novos acordos. Aquilo estava sendo muito lucrativo e, portanto muito benéfico para os negócios. Mas, infelizmente, estava atrapalhando muito o meu casamento.

Eu que tinha sérias intenções de conhecer alguém e me apaixonar de verdade, acabei em um casamento arranjando com um completo estranho! Nos nossos dois meses de noivado, fora os compromissos com a nossa família, nós tivemos apenas um único encontro à sós e, foi horrível! O jeito dele não me agradou nem um pouco. Mas, meio que já esperava por isso, pelo que já tinha visto dos nossos encontros em família. É incrível quando penso que a gente esteja se apaixonando, ainda mais depois de tanta encenação de ambos! Queria poder dizer toda a verdade para o Jimin, sobre o que aconteceu entre eu e a Jihyun, mas, ele jamais entenderia!

Jimin era muito ciumento e, não fazia questão de esconder o que lhe incomodava. Por vezes, ele me fechava a cara e, se afastava de mim. A essa altura do campeonato, eu já sabia como dobra-lo, mas, era cansativo. De certo modo, parecíamos ter voltado ao velho jogo de "gato e rato". Tinha trabalhos com a Jihyun e, ela bem que tentou as suas investidas, mas, creio que como viu que não seria correspondida, parou de tentar e, agora está focada nos nossos negócios. Mas, Jimin não via isso!

 

Jimin

Agora não era raro passar na empresa e, vadia da Min Jihyun está por lá. Estou vendo a hora da senhorita Eva perder o posto de secretária para ela. (E eu tinha medo de perder o meu de marido).

_ A senhorita Min está na sala com ele, senhor Park.

_ Mas, é claro que está! Vadia! _ Eu disse para mim mesmo em voz baixa.

_ Perdão, não consegui ouvi o que o senhor disse.

_ Ah, deixa, Eva. Não foi nada. Eu vou entrar. Muito obrigado!

Toda vez que chego naquele lugar e, recebo a notícia de que aquela safaranha tá enfiada na sala do Jeon, meu sangue já ferve automaticamente! Eu não entendi nada dos negócios deles, verdade. Mas, do negócio que ela queria ter com ele, eu tinha doutorado! Mas, vai falar isso para o meu marido, experimenta! Ele defendia a víbora com unhas e dentes! E adivinha quem sempre estava errado?! Quem via coisa onde não tinha?! Ainda não sei se ele era muito tapado?! Ou, se estava se fazendo de morto?! Mas, não tô nem vendo! Um ômega precisa cuidar do que é seu!

Para variar, entrei na sala sem bater:

_ Senhorita Min, passa tanto tempo aqui na empresa da minha família que, penso que nós deveríamos te ceder uma sala para trabalhar, quem sabe assim, você deixa de ficar enfurnada no escritório do meu marido. _ Eles estavam sentados de frente um para o outro, em uma mesa de reunião, com os seus notes abertos sobre a mesma e, pilhas de papéis. Já entrei me impondo e, indo até o Jeon que, por sua vez, respirou fundo me ouvindo falar. _ Boa tarde, Kookie! _ O-cumprimentei com um selinho.

_ Empresa da sua família?

_ Sim, amor. Minha família! Eu sou casado com o bonitão aqui! Lembra? _ Respondi a vaca já me acomodando no colo do Jeon que, envolveu a minha cintura assim que me sentei.

_ Como poderia não lembrar? Você não me deixa esquecer...

_ Senhorita Min, se importa de me dar alguns minutos a sós com o Jimin? _ Ela, então, assentiu e, se retirou da sala. _ O que o meu ômega lindo faz aqui? _ Jeon me questionou, jogando os meus cabelos para trás.

_ Vim buscar o meu alfa lindo para irmos juntos pra casa.

_ Aish, Jimin-ssi! Tenho muito trabalho hoje, vou ter que sair mais tarde. Não tem como irmos juntos pra casa.

_ Quer dizer que você vai ficar aqui até tarde, trabalhando sozinho com aquela vaca?! _ Meus olhos ganharam o seu tom turqueza claro.

_ Pronto! Começou! _ Ele desfez o abraço da minha cintura e, eu já fui me levantando do seu colo.

Fazia pouco tempo que eu tinha voltado a dançar e, estava ensaiando muito para conseguir entrar em um novo corpo de dança. Às vezes, eu chegava um pouco depois do horário e, isso deixava Jungkook extremamente irritado! Por mais que tentasse lhe explicar que, é assim quando a gente trabalha, ele não entendia! Primeiro ele e a casa, depois o trabalho!

_ Quando sou eu, você faz um show!

_ Acontece que você não paga uma só conta naquela casa!

_ Mas, poderia pagar se estivesse trabalhando.

_ Você quer me humilhar?! Eu tenho plenas condições de sustentar a minha casa Park Jimin! Nenhum ômega vai me sustentar! _ Toda vez é isso, ele se excede quando digo em compartilhar as contas de casa, (os seus olhos já estavam escarlates).

_ Não, não quero te humilhar, você tá entendendo tudo errado! Só estou dizendo que o meu trabalho também é importante para mim e, que nós poderíamos dividir as responsabilidades da casa. Só isso...

_ Só isso?! "Dividir as responsabilidades da casa"?! Você acha mesmo que ainda que eu aceitasse uma idiotice dessas, você teria condições de arcar com metade da metade das contas da nossa casa?! Provavelmente, só as sua preciosas "coleiras" já iriam consumir todo seu salário como dançarino! (E sendo bem otimista!). Dinheiro, não caí do céu!

_ Eu não precisaria usar essas jóias se você me marcasse! _ E lá se vi a minha make... Meus olhos estavam ficando marejados.

_ Nós já conversamos sobre isso!

_ É conversamos, mas, isso foi antes... _ Minha voz já estava começando a falhar.

_ Antes...?

_ Foi antes! Antes da gente ser um casal de verdade! _ E que venham as lágrimas!

_ Aigo! Não chora! Eu odeio te ver chorar! _ Ele, então, me puxou para o seu colo novamente. _ Vem! Senta aqui no colo do Daddy, (e novamente, seus olhos se tornaram castanhos). _ Eu me sentei e ele começou a secar o meu rosto com as mãos. _ Jimin, estou gostando de você de verdade! Mas, nós ainda estamos nos conhecendo, uma marca é para sempre! E se a gente se arrepender depois? Não tem volta!

_ O nosso casamento não é para sempre, pra você?

_ Já te disse que vou honrar com a minha palavra. Você não precisa se preocupar. Nunca vou te deixar faltar nada! Não importa o que aconteça!

_ Ou seja, você pretende manter o acordo entre as nossas famílias até o fim das nossas vidas, mas, quer estar livre caso conheça alguém por quem realmente se apaixone e, faça a sua marca! _ Me levantei!

_ Jimin... _ Ele segurou a minha mão.

_ Alguém como a senhorita Min, de repente? Talvez?

_ Já te disse, o meu assunto com ela é apenas profissional! _ Se colocou de pé na minha frente, me puxando para si.

_ Você sempre diz isso!

_ E você nunca acredita!

_ Porque ela parece te conhecer bem demais para alguém que, foi apenas um simples caso!

_ Nossas famílias se conhecem a muito tempo. Nós sempre fizemos parte do mesmo ciclo social, é só isso!

_ Tá Jungkook, me solta. Vou largar você aqui e, ir pra casa. Para mim já deu por hoje! Mesmo que você não considere o meu trabalho importante, estou dando muito duro para conseguir essa vaga! E estou cansado. Quero ir pra casa. Se você não vai vir comigo, essa discussão é inútil!

 Ele ainda tentou argumentar, mas, não tinha jeito! Nós não chegaríamos a lugar nenhum ali! Só íamos nos estressar e, eu ia chorar mais ainda! Apenas sequei o meu rosto e sai. A víbora esperava na recepção para voltar ao seu passatempo de tentar conquistar o meu marido.

_ Já indo embora, Park?

_ Jeon-Park pra você, amor!

Ela me pareceu muito feliz em ver que estava indo embora sozinho. Mas, confesso que no seu lugar, eu também estaria. Mas, não ia dar satisfação da minha vida pra ela! Nem dá o gosto de cair na sua provocação!

Cheguei em casa por volta dàs dezenove horas e, fiz tudo que tinha que fazer, (sozinho!). Jeon chegou bem depois, (já eram quase dez). Eu o-esperava enrolado em uma manta, jogado no sofá assistindo tv na sala. Cada noite era uma coisa, às vezes, ele ia tomar banho e, ainda jantava e, outras vezes, (como hoje), ele só queria um banho quente antes de se deitar. Podia ter enchido a banheira, nós poderíamos tomar um banho juntinhos, fazer um amorzinho gostoso, mas, a verdade é que eu estava bem chateado.

Nós já íamos fazer um ano, (tudo bem que não faz todo esse tempo que estamos de verdade juntos, mas, mesmo assim!). Sou eu quem dorme e acorda do lado dele todos esses dias e, prepara e cuida de todas as coisas dele e, isso é desde que nos casamos! Ele disse que não podia fazer isso com alguém que não amasse de verdade e, de fato, nenhum de nós disse ainda que se amava...


Notas Finais


Inté o próximo capítulo!
Bjus...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...