História Linha Tênue (Fillie) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Dustin Henderson, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Mike Wheeler, Will Byers
Tags Fillie, Romance, Stranger Things
Visualizações 1.624
Palavras 1.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu to incrivelmente agradecida por todo o feedback que vocês me deram. MUITO MUITO MUITO obrigada, to extremamente feliz. Conseguir até escrever o segundo capítulo!
Obrigada por estarem lendo!

Capítulo 2 - City of angels


Fanfic / Fanfiction Linha Tênue (Fillie) - Capítulo 2 - City of angels

Depois de quatro meses sem se verem, a pequena família stranger estava se preparando para reunirem-se novamente. Faltavam dois dias para a pré-estreia, eles certamente estariam lotados de trabalho durante toda a semana. Muitos eventos para comparecer em poucas horas, muitas entrevistas e fotos, a divulgação da série era sempre muito pesada, e isso causava muitos dias corridos para todos.

Por isso, desde o fim da segunda temporada virou um ritual todos eles se encontrarem antes das obrigações profissionais e se divertirem um pouco como amigos normais. O contato via celular era diário, todos os dias centenas de mensagens eram trocadas no grupo deles, foi o jeito que todos encontraram para, de certa forma, estarem sempre juntos. Mas nada se comparava a estarem juntos pessoalmente.

O encontro oficial seria na casa do Gaten, em Los Angeles.  Millie havia acabado de voltar de uma Comic Con no Reino Unido. Era bom está no seu país de origem, ela muitas vezes sentia falta dos ares londrinos, da seriedade e pontualidade dos britânicos, mas voltar para seus amigos era a coisa que ela mais queria nos últimos dias, e por isso, mesmo depois de várias horas em um vôo, o cansaço foi prontamente substituído pela felicidade em finalmente vê-los.

Assim que chegou no local combinado, ela foi recebida por Noah, que correu até ela, abraçando-a fortemente, levantando-a do chão.

- Poxa, quando foi que você deixou de ser um tampinha, ein? Agora eu que sou a nanica. – A garota falou sorrindo para o amigo, ainda abraçando-o.

- Porra Mills, deixa de ser implicante, faz muito tempo que eu sou maior que você! – disse soltando a menina, tentando fazer uma cara de raiva, mas sem sucesso. – Eu tava com muita saudades de você, mano Brown.

Ela revirou os olhos com o apelido irritante que seu melhor amigo inventou desde que se conheceram.

 – Eu também estava, ridículo. Cadê o resto do pessoal?

Antes que Noah pudesse responder, Saddie apareceu, abraçando-a de forma carinhosa.

- Que saudades da minha bebêzona!! – disse a ruiva.

- Também estava morrendo de saudades de você, S.

- Cara, isso é muito Gossip Girl, você sabe né? Mas vamos logo cara, estavam todos esperando por você.

Assim, Millie e Noah foram arrastados pela ruiva que estava eufórica contando as novidades.

Ao chegarem na sala, Millie admirou a decoração do lugar, Matarazzo tinha feito um trabalho incrível alí, todo o ambiente tinha uma aparência moderna e urbana, ela simplesmente amou. Estava presa em seus pensamentos arquitetônicos até encontrar todos os outros meninos.

- GATEN, CALEB, FIN!- Gritou ao ver os meninos.

- Porra Mills, que demora pra chegar,  veio de ré foi? – Gaten falou, fazendo uma típica careta de Dustin.

- Na verdade, eu já cheguei faz uns 10 minutos, mas o Sr. Schnapp me atrasou – Disse o abraçando.

Olhou de relance que Finn havia mudado um pouco sua posição calorosa por alguns instantes. Seria imperceptível para qualquer outra pessoa ver essa mudança, menos para Millie, que sabia interpretar aqueles olhos mais do que ninguém. Ela não sabia o porquê, mas ele tinha se incomodado com alguma coisa.

Depois de cumprimentar Caleb, ele foi em sua direção.

- Hey, Mills. Só estava faltando você pra essa porra ficar completa. – Ele disse em tom de brincadeira, abraçando-a. – Senti sua falta.

- Eu também, Finn.- Respondeu, retribuindo o abraço com mais força.

O cheiro dele era muito bom.

 Muito.

 Bom.

O resto da noite foi incrivelmente perfeita. A morena amava fazer coisas de “pessoas normais”, principalmente quando todos estavam juntos. E bem, Finn estava mais próximo do que nunca estivera dela.

Ele passou a noite toda falando diretamente com ela, e fazendo brincadeiras, fazendo-a lembrar daquele velho Finn que não tinha medo do que as outras pessoas estavam falando. Seu coração batia confortavelmente diante daquela situação. Estava tudo perfeito, e ela rezava para continuar assim para sempre.

O combinado foi fazer uma festa do pijama, madrugar conversando e matar a saudade, mas depois de alguns goles de vinho, todos eles adormeceram na sala, em meio dos colchões improvisados.

 Todos menos duas pessoas.

 

 

(...)

 

 

Finn estava no terraço do prédio do amigo, admirando a beleza da cidade. Todos aqueles prédios e carros, aquele lugar parecia que nunca dormia e era exatamente por isso que ele gostava tanto de estar em Los Angeles.

 Preso em seus pensamentos, deu um pulinho  de susto ao avistar um vulto se aproximando. Acalmou-se ao reconhecer sua velha amiga, vestida em moletons, no mínimo dois tamanhos maiores do que ela.

- Hey Finn, te assustei? – a morena falou com receio. – me desculpa, não sabia que você estava aqui.

- Você quase me matou do coração, Jesus! Ainda mais com essas roupas. Teu senso de moda tá de mal a pior, ein. – Disse em tom de brincadeira. – O que tá fazendo acordada a essa hora? Teve um pesadelo com um demogorgon, foi? – Deu uma gargalhada.

- Primeiramente: você é um palhaço. Até quando você vai rir disso ein? Eu só tinha 11 anos. – Revirou os olhos-  me assustei quando vi aquele troço pela primeira vez.  E segundo: essa roupa é emprestada do Noah, esqueci a porra do meu pijama, mas se bem que não é muito diferente desse não viu, costumo comprar minhas roupas de dormir sempre na sessão masculina, é um saco as estampas de vocês sempre serem mais legais do que as femininas. E por último, eu estava sem sono, esses fusos horários fodem com meu sono.

O menino sorriu de lado, e apontou para a cadeira localizada ao seu lado, sinalizando para que a mesma se sentasse.

- Eu sei bem como é isso, insônia é uma merda.

- Uma merda mesmo. – Falou sentando-se, tirando uma barrinha de kit kat do bolso, onde prontamente mordeu. – Quer?- falou ainda com a boca cheia. – Aproveita porque não é toda hora que estou disposta a oferecer chocolate. - Disse mordendo outro pedaço.

Finn riu. Millie era uma das pessoas mais fofas e puras que ele conhecia, mesmo com 17 anos ela conseguia manter sua essência desde que eles se conheceram, e aquilo era o que ele mais admirava e gostava na amiga.

- Não, pode aproveitar suas porcarias açucaradas sozinha – falou rindo.

Sem querer, Millie deixou o chocolate sujar o seu queixo e instintivamente Finn estendeu a mão até o local para limpar com o polegar, isso fez garota ficar estática. Ela sentiu seu corpo todo estremecer com aquele toque.

- Você não sabe nem comer, viu?-  E instintivamente levou a ponta do polegar ainda sujo de chocolate até a boca. – Essa porra é muito boa mesmo, me dá logo um pedaço vai.

 O tempo ao lado dele parecia passar muito rápido, e a conversa entre eles fluiu de uma forma que nunca outra vez tinha acontecido.

Finn e Millie faram dos seus planos e sonhos para o futuro, nos diretores com quem eles queriam trabalhar, e dos seus objetivos profissionais. Riram lembrando-se de acontecimentos passados, brincaram um com o outro.

O tempo realmente voa quando estamos com quem amamos.

O dia já estava amanhecendo, quando Millie soltou uma inspiração involuntária longa com a boca aberta. Era o sono batendo na porta.

- Vamos voltar, Mills, já ta tarde e você ta caindo em sono. – Levantou-se oferecendo a mão para ajuda-la a levantar-se.

E os dois seguiram para o cômodo onde todos estavam. Millie deitou-se onde Sadie estava dormindo, e Finn, foi para o outro lado da sala, no colchão vago. Ambos se entreolharam, e falaram sem emitir nenhum som “boa noite”.

Naquela madrugada, Millie dormiu com o coração explodindo de felicidade, e repleto de esperança. 


Notas Finais


É isso aí gente, espero que gostem! Assim que possível volto com o terceiro capítulo, e continuem comentando, é muito importante pra mim!
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...