História Linha Tênue (Fillie) - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Dustin Henderson, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Mike Wheeler, Will Byers
Tags Fillie, Romance, Stranger Things
Visualizações 421
Palavras 2.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu tô tão feliz por vocês terem gostado do meu capítulo anterior. Foi uma das coisas mais difíceis que já tive que escrever. Não queria que parecesse muito hot mas também não queria nada sem graça, espero ter superado a expectativas de vocês. Obrigada mais uma vez por continuarem lendo minha história.
Bem, mais um capítulo para vocês. Nos encontramos nas notas finais, tenho uma mensagem importante lá.
Xoxo.

Capítulo 28 - Stupid


FINN POV

O dia já havia raiado há algum tempo, acordei com o som das ondas do mar e com ela nos meus braços. Sorri bobo, era bom demais acordar desse jeito. Millie tinha um sorriso leve e uma respiração contínua e calma, tão linda.

Fechei os olhos lembrando de cada detalhe da noite anterior, não existiam palavras para descrever como é fazer amor e não apenas sexo. Foi definitivamente a noite mais bonita e incrível da minha vida.

Como pode alguém ser assim como ela?

Ela é única. Ela me tem fácil demais! É a luz que me guia. Ela roubou meus pensamentos, todas essas músicas de amor falam dela.

O que ela fez comigo? As outras não têm mais nenhuma graça perto dela.

Respirei fundo, observando-a. Meu coração estava transbordando de amor, de felicidade. Não era apenas pela noite que passamos, mas por tudo que aconteceu e por toda a vida que ainda iremos viver juntos.

Resolvi levantar-me e então, alí, de pé na lateral da cama, pude observar a visão que provavelmente deveria ser pintada em um quadro: ela deitada, com uma parte do corpo enrolada entre os lençóis brancos, os cabelos ligeiramente bagunçados e a feição de alegria no rosto sereno, me dando ainda mais certeza que fomos feitos um para o outro.

 

MILLIE POV

Abrir meus olhos lentamente tentando adaptar minhas pupilas à claridade que adentrava no quarto, pisquei algumas vezes e olhei rapidamente ao redor apenas para confirmar que não estivera sonhando e que tudo aconteceu de fato: eu e Finn tivemos nossa primeira vez juntos e foi incrível.

Rolei os olhos sob o ambiente a procura dele, seu lugar na cama estava vazio. Um pequeno desespero começou a tomar conta de mim.

— Bom dia, amor. - Sua voz suave e rouca surgiu pela porta semi-aberta, trazia consigo uma bandeja de madeira com alguma coisa que fez meu estômago roncar. — Está com fome? - Beijou meu lábios rapidamente e depositou a bandeja sob meu colo.

— Muita fome. - Sorri largo, observando a tentativa dele de me agradar fazendo um café da manhã.

Não era nada extraordinário: bacon, ovos mexidos, torradas e suco de laranja, mas naquele momento pareceu um banquete para mim, não apenas pela fome mas também pelo significado daquilo: o esforço que ele estava fazendo por mim.

— Tenha calma, baixinha! O mundo não está acabando! - Disse divertido observando-me comer,

— Isso está muito bom. - Falei ainda com um pedaço de torrada na boca.

(....)

— Quando voltarmos. - ele puxou-me para mais perto, apertando meu corpo no dele. — Vamos contar para as pessoas que importam.

— Você está falando sério? - Falei animada.

— Bem, o Jack já sabe. - Ele me disse timidamente, quase como um pedido de perdão.

— Como assim, Finn? - Cruzei os braços, semi-serrando os olhos.

— Jack meio que viu quando comprei as passagens para cá e foi ligando os fatos.. Não tive como negar. - Falou desconfiado. — Mas não se preocupe pedi para ele não dizer a ninguém e eu sei que ele não falou.

— Tudo bem, tudo bem. Acho que Sadie e Noah já desconfiam mas estão tão melosos e pegajosos que ainda não conseguiram juntar as pecinhas. - Respondi.

— Não quero mais esconder nada de ninguém. Sei que para imprensa e nossos fãs teremos que ir com mais calma mas nossos amigos e nossa família não precisam de segredo. Quero te apresentar aos meus pais como minha namorada, quero ir falar com o senhor e a senhora Brown e falar para eles como eu amo a filha deles. Não quero mais esconder dos nossos amigos.

— Nem eu! Tudo que mais quero é viver nossa vida em paz ao lado das pessoas que amamos. - Falei animada.

— Você acha que eles irão surtar? - Indaguei.

— Quem? - Ele perguntou me olhando.

— Caleb e Gaten?

— Bem.. eu acho que eles vão nos matar pelo tempo que demoramos a contar mas reagiram bem a Noah e Sadie acho que irão ficar felizes por nós. - Falei com sinceridade.

— Caleb sempre disse que nós dois terminaríamos juntos. - Ele disse beijando meu pescoço.

— Sério? - perguntei surpresa. — Eu sempre dei tanto na cara assim?

— Acho que nós dois sempre demos. - E sorriu brincando com a alça da minha blusa.

— Não queria voltar. - Falei dengosa. Queria ficar naquele paraíso com ele alí para sempre. — Você precisa mesmo ir para Vancouver? - Fiz biquinho.

— Só por três semanas, amor. - Ele beijou minha testa carinhosamente. — Queria poder voltar com você para Miami mas tenho compromissos no Canadá, sessões de fotos e entrevistas que precisei adiar para vim para cá.

— Eu sei. - Respondi vencida. Também tinha uma entrevista marcada daqui há uns dias em Los Angeles, nosso pequeno sonho neste paraíso estava realmente chegando ao fim e isso me assustava um pouco. Minha avó sempre dizia: quando uma coisa muito boa está acontecendo na sua vida é porque uma muito ruim virá.

— Nós vamos nos encontrar em LA daqui há três semanas e vamos contar para todos sobre nosso amor, assim poderemos ficar juntos mais vezes. - Ele disse acalmando meu coração.

Tudo iria ficar bem. Não tinha porquê temer.

 

(...)

 

Los Angeles. Duas semanas e meia depois.

Minha vida estava uma correria como de costume, várias sessões de fotos e muitas entrevistas a revistas e programa de televisão, nada de novo eu já estava acostumada com tudo aquilo e as coisas estavam mais leves e melhores porque eu tinha Finn. Todos os dias religiosamente antes de irmos deitar ele me ligava e contávamos como foi nossos dias ele assim como eu estava colocando em dia todo o trabalho que estava atrasado. Nós estávamos contando os dias para nos reencontrarmos e pôr em prática nosso plano.

O sol estava se pondo anunciando o anoitecer e eu já me encontrava dentro de um táxi voltando para o hotel quando ouvir o barulho familiar do toque do meu celular despertando-me dos meus pensamentos apaixonados. Tateei minha bolsa a procura do aparelho e fiquei surpresa ao ver o nome que estava estampado no meio da tela do meu celular.

Jacob.

O que ele queria comigo?

— Oi Jac. - Falei tentando ser o mais simpática possível, Sartorius sempre fora um bom amigo comigo, apesar de saber dos seus sentimentos para comigo ele foi uma das poucas pessoas que sabia o que eu sentia por Finn e me apoiou o tempo todo, mas desde o meu aniversário não nos falávamos.

— Hey, baby. - Sua voz soou animada. — Soube que você está em LA, faz tanto tempo que não nos vemos pensei em irmos jantar juntos, que tal? - Ele perguntou animado.

Calei-me por alguns segundos. Não sabia se realmente queria ir, tinha medo que ele pudesse criar algum tipo de esperança.

— Hm.. eu estou um pouco cansada Jac.. - Falei arrumando a primeira desculpa que me apareceu na cabeça.

— Qual é, Millie! Tem muitos meses que não nos vemos, o que custa tirar algumas horinhas para um velho amigo? Botar o papo em dia? Eu estou com saudades. - Ele disse triste.

Eu imediatamente me sentir culpada. Ele sempre foi um ótimo amigo comigo e sempre esteve comigo quando precisei não parecia justo negar um pedido assim.

— Tudo bem, você me convenceu! - Ele fez um barulho de comemoração do outro lado da linha. — Mas não posso demorar muito, Jac.. Tenho compromissos logo cedo amanhã e hoje realmente foi um dia longo.

—Tudo bem, Mills. Só quero realmente matar a saudade e conversar um pouco contigo, sinto sua falta. - Ele pausou respirando fundo. — Passo no hotel para te buscar?

— Te encontro no restaurante, ok? Acho que irei demorar um pouco ainda.. Preciso de um banho. Vamos naquele de sempre? Eu adoro a macarronada de lá.

— Claro! - Disse animado. — Te encontro lá!

 

Desliguei o telefone sentindo meu coração confuso.

Será que fiz a coisa certa?

Indaguei-me enquanto olhava a estrada passando entre a janela do carro. Será que Finn iria se chatear? Se bem que não há motivos para isso.estamos juntos e Jacob é apenas um antigo e bom amigo.

 

POV FINN

O longo dia havia acabado e eu estava finalmente chegando no meu apartamento. Abrir a porta sentindo imediatamente um alívio, aquela sensação de estar em casa era muito boa e era uma das coisas que mais me fazem falta quando estou gravando. Tirei meus tênis e liguei o sistema de som ativando minha playlist de músicas dos anos 80. É, eu terminei ficando viciado por causa dela. Millie simplesmente tem uma obsessão por tudo da época desde que começamos a gravar Stranger Things e eu terminei amando também.

Sorri lembrando da minha namorada. Já estava quase na hora mais feliz do meu dia: ligar pra ela, ouvir seu lindo sotaque britânico e sorri escutando-a relatar como foi seu dia. Peguei meu iPhone e digitei o numero que eu já sabia decorado.

— Oi amor! - Falei animado, meu coração já estava batendo mais acelerado, era incrível o que ela conseguia fazer comigo mesmo que distante.

— Oi, Finnie! - Sua voz pareceu tensa. — Preciso falar contigo.

— Pode falar. - Disse me jogando no sofá, algo me dizia que eu não ia gostar do que estava por vir.

— Sabe o Jacob? - Assim que ouvir aquele nome sentir meus músculos enrijecendo-se. Claro que eu sabia quem era: o cantorzinho de merda. Cara que sempre rondou a Millie e que se faz de amiguinho dela.

— Sei. - Falei trincando os dentes.

— Então… Ele é um grande amigo meu e me ligou para sairmos hoje e jantar. - Ele parou, hesitante. — Colocar o papo em dia, você sabe né? Faz muito tempo que não nos vermos.

— Hm.. - Disse tentando ao máximo manter meu controle.

— Então.. queria saber se você irá se incomodar.

— Não, de jeito nenhum. - Mentir. Não queria parecer um daqueles namorados possessivos, eu confiava nela só não vou com a cara dele.

— Ah, que ótimo, amor. Vou tomar um banho para ir então, ok? Quando chegar te aviso. Te amo!

 

MILLIE POV

Tomei um banho rápido e vestir algo bem casual: um vestido confortável e sapatilhas. Prendi meus cabelos em um rabo de cavalo, não tinha tempo e nem queria ter trabalho em arrumá-lo melhor. Peguei minha bolsa e desci em direção ao táxi.

(...)

Assim que cheguei ao restaurante visualizei o moreno sentado numa mesa no canto, ele me olhou sorridente e eu imediatamente lembrei como é bom tê-lo como amigo.

— Você está linda, como sempre. - O garoto falou enquanto me cumprimentava.

— Obrigada, Jac. - Disse sentando-me.

Pedimos nossos pratos e bebidas e a conversa fluiu. Ele me contou dos seus planos com a turnê que já estava chegando ao fim e teria como destino final a Inglaterra, o que me fez até ter saudades de casa, ele falou de uma nova música que estava escrevendo e eu contei dos meus planos para o futuro: a nova temporada da série, atuar em mais filmes.

— E o coração, como tá? - Falou repentinamente enquanto tomava o vinho que o garçom acabara de servir.

— Está batendo muito bem, obrigada. - Sorrir fazendo piadinha. Não queria entrar nesses assuntos com ele, apesar de tudo ainda era estranho.

— Eu soube do seu fim com o Romeo. - Disse encarando-me.

— Ah, é isso? Eu estou bem, ele era um cafajeste, me livrei de um embuste.

— Disso não posso discordar. - Goleou novamente o vinho. — O caminho está livre então? - Ele sorriu torto. Jacob é lindo não tenho como negar, se meu coração não pertencesse a outra pessoa eu certamente poderia facilmente me apaixonar por ele.

— Então… - Ajeitei meus cabelos, nervosa. Não queria ser grossa mas também não podia alimentar falsas esperanças.— Eu e o Finn.. - Olhei para ele envergonhada. Não acredito que a primeira pessoa que vou falar do meu relacionamento será ele.

— Ah! Vocês estão juntos? Eu não sabia! Desculpa Mills. - Disse constrangido.

— Oh, não querido! É recente, ninguém sabe. - Toquei sua mão em sinal de carinho, não queria magoá-lo. — Na verdade.. você é a primeira pessoa que estou contando.

— Eu fico feliz, Millie, de verdade! Você sabe que tudo que eu quero é sua felicidade.

Sorri agradecida por Jacob ser uma pessoa tão especial e compreensiva, eu sabia que ele estava sendo totalmente sincero. Passamos o resto da noite tendo conversas agradáveis e ele falou que estava feliz por mim.

No final das contas foi uma noite muito boa e eu conseguir relaxar um pouco da rotina.

Nos despedimos na porta do restaurante com um abraço e com a promessa de nos vermos em breve.

E assim que entrei no táxi escrevi uma mensagem de texto para Finn.

*Estou indo para casa já, amor. Te amo!*

(...)

8 AM da manhã seguinte,

O barulho do meu celular tocando me despertou num susto, atendi sem nem ao menos verificar quem era.

— Alô. - Falei sonolenta.

— MILLIE, VOCÊ PODE ME EXPLICAR POR QUE ACORDEI VENDO UM MONTE DE FOTOS SUAS AGARRADAS COM AQUELE MERDINHA? - A gritaria do Wolfhard me despertou rapidamente.

— Do que diabos você está falando? - Perguntei confusa.

— COMO ASSIM DO QUE ESTOU FALANDO, BROWN? - Ele bufou irritado do outro lado da linha. — É SÓ ABRIR A PORRA DO SEU INSTAGRAM QUE VOCÊ IRÁ VER UM MONTE DE FOTOS SUAS COM AQUELE CANTORZINHO NA MAIOR INTIMIDADE!

A raiva me dominou, quem ele pensa que é para falar comigo daquele jeito?

— Primeiro, Wolfhard: abaixe seu tom de voz que eu não sou qualquer uma não! - Disse irritada. — Segundo: Não preciso olhar caralho nenhum porque sei que não teve nada, apenas um jantar de amigos, você acredita se quiser, seu ridículo! Tá achando que eu sou o que?

Eu queria esmurrar a cara dele.

— Então você acha que é normal aquilo, Millie? Então tudo bem.

Ele desligou na minha cara, me deixando chocada. Finn realmente agiu daquela forma comigo? Me tratou daquela forma?

Abrir meu feed do Instagram e vi algumas fotos da noite anterior. Eu abraçada na porta do restaurante e eu segurando a mão do Jacob, uma manchete dizia que eu já havia superado o término e estava com um affair novo.

Bufei extremamente irritada com aquelas merdas de mentiras. Esses paparazzis tem o dom de inventar mentiras descabidas.

Ok, eu entendia ele ter ficado chateado mas NADA justifica aquela merda de reação comigo, nunca vou deixar ninguém me tratar daquela forma!

Sentir meu celular vibrar, olhei a tela do celular e vi o nome do Finn, desliguei a tela ignorando a chamada.

— Estúpido. - Sussurrei quase que internamente.

 


Notas Finais


Olá, pessoas!!!
ENTÃÃÃÃO, esse capítulo saiu BEM maior do que eu imaginava.. começou de um jeito e terminou de outro que eu não imaginava quando comecei, o próximo já está 80% escrito já porque na verdade seria um só mas ficou GIGANTE então decidir dividir, talvez poste amanhã!!!
Jacob já apareceu causando né? HAHAHAH
Comentem o que vocês acharam!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...