História Linha Vermelha - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Chat Noir, Ladybug, Ladynoir, Miraculous, Romance
Visualizações 167
Palavras 2.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei mas tá aíiii. Espero que gostem. E agradeço pelos quaseee 150 ❤️. Tenham uma boa leitura

Capítulo 2 - Jantar de negócios


Fanfic / Fanfiction Linha Vermelha - Capítulo 2 - Jantar de negócios

                 Marinette 

Estava frio, eu não estava falando do clima, estava falando dele, seus olhos, seu jeito, estava frio.

-A verdade é que eu sempre gostei de você, desde o momento em que você me entregou o guarda-chuva, eu me apaixonei por seu jeito meigo e simpático, me apaixonei pela pessoa que você é, não o modelo famoso, mas o garoto que senta na mesma fileira que eu- ao final finalmente consigo respirar, meu coração parecia que ia explodir, ele escutou tudo com a mesma expressão indecifrável, na esperança de arrancar dele alguma expressão, ergo o buquê

Ele inspira fundo e respira, consigo ver a névoa sair de sua boca graças ao frio da noite de inverno parisiense 

-Me chamou até aqui pra falar isso?! Me fez perder meu tempo por nada ?!- ele diz frio olhando em meus olhos

-Adrien o que...

-Peço que entenda de uma vez- ele diz pegando o buquê ainda com o olhar fixado no meu, -Eu nunca gostaria de alguém como você, Marinette Dupain-cheng- ele diz amassando o buquê e o jogando no chão

Fico sem reação, era como se o clima frio estivesse invadido meu coração, e eu finalmente notei que estávamos no inverno, e que nada mais tinha cor 

-Eu não gosto de você. Você é só uma daquelas garotas que apenas quer me usar para ficar famosa, e além do mais, olha para você, é patética. Nunca dirigiu a palavra a mim sem gaguejar ou ficar corada. Você é uma piada Marinette Dupain Cheng- ele diz e arremessa o buquê longe -Volte para casa, não se humilhe mais inda, você já é patética o bastante sem fazer essas coisas- ele diz por fim me dando as costas e caminha até sair da minha vista. 

∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆•∆

Já faz uma semana que essa festa aconteceu, e desde então minha cabeça não parava de ir e voltar nesse momento.

-Ele acha que me importo

-Marinette essa é a décima setima vez que você fala isso, você está sendo contraditória dizendo que não se importa- Tikki diz entediada, mechendo no painel de meu carro

-Ele me irritou, me irritou muito- Digo recebendo notificações no celular mas ignoro 

-Marinette vamos recaptular, vou falar como tudo realmente aconteceu, e não como você acha que aconteceu, tudo bem?

-Tudo- Respondo aguçando meu ouvidos para escuta-la atentamente 

-Você recebeu o convite, foi até a festa, chegou lá e encontrou Adrien, quando o viu você ficou paralisada por alguns segundos mas antes de falar qualquer coisa, um dos empregados apareceu e chamou Adrien para se apresentar, ele se despediu de você e você ficou algum tempo ali falando sozinha, quando voltou pra festa finalmente notou as escrituras 'Gabriel Agreste' e os símbolos de borboleta por todo lado...- Tikki respira fundo, -Você saiu da festa e voltou pra casa- Ela finaliza 

-Falando assim parece que Adrien não fez nada

-Talvez porquê não tenha feito?!- Tikki responde pegando meu celular 

-O problema não foi a noite da festa, foi o que ele fez comigo há cinco anos atrás- olho para Tikki, ela mechia em meu celular concentrada 

-Acho que vai gostar da notícia que...

Antes que Tikki pudesse falar mais um 'a', freio o carro bruscamente, uma multidão corria e gritava, tento ver o que as assustava mas não consigo ver nada além de várias cabeças

-Marinette- Tikki diz com um ar doente, olho para a mesma, ela tremia

-Tikki o que tá acontecendo 

-Tikki, transformar 

-O que quer dizer com, Tikki transformar?- fazia tanto tempo que não me transformava que nem sequer me lembrava como era, quando menos me dei conta já estava com a roupa de Ladybug, sem demora saí do carro e corri direção contrária às pessoas, indo em direção ao núcleo da desordem.

Quando chego noto uma multidão de repórteres, câmeras e carros da midea que cobriam minha visão, antes que eu me aproximassse sinto um corpo quente envolto em couro próximo ao meu, um braço envolto em luvas de couro se entrelaçam em minha cintura e me sinto elevar. 

-Segura firme, não quero que morra- uma voz familiar diz e eu me agarro de vez no mesmo

Finalmente paramos de subir, eu agora estava no topo da torre e conseguia ver que no meio de todos aqueles repórteres estavam dois heróis que eu nunca tinha visto antes, eles pareciam ter derrotado o vilão, que ótimo Marinette, chegou atrasada

-Há quanto tempo, Bugboo- olho para trás e vejo Chat noir

-Chat!- digo correndo para abraça-lo, apesar da roupa de couro ele era tão quente, parecia sempre estar com febre

-Tá legal, tá legal- ele diz tentando se soltar, -Não sabia que me amava tanto assim- Ele responde rindo 

-Gatinho bobo, faz anos que não te vejo- solto ele e olho fixamente seu rosto

-Então estava com saudades ?- ele arqueia sua sobrancelha direita e abre um sorriso de canto, aquele olhar desafiador estilo 'Chat Noir'

-Eu não disse isso- tentei não corar com o olhar dele sob mim, mas senti minhas bochechas queimarem, deveriam estar na mesma temperatura que ele

-Eu sei que estava- ele pisca para mim

-O que aconteceu lá embaixo?- mudo de assunto, já estava ficando com falta de ar, afinal qual era meu problema ?!

-Legal, não é?! São os novos heróis- ele diz olhando para os ditos, pode ter sido coisa da minha cabeça mas notei um brilho maligno em seu olhar 

-O que aconteceu?- volto a perguntar ainda sem olhar seu rosto, fixei meu olhar em seu guiso

-Um novo vilão surgiu, ele fazia curtos circuitos, por sorte aqueles dois cuidaram dele 

-Estranho...- olho para ele como um reflexo, ele continuava com aquele olhar, voltei a olhar o guiso,- Há anos não surgem novos vilões

-Hey, Bugboo! Ainda consegue usar seu ioiô? Estou tanto tempo parado que tive que treinar um pouco antes de sair com meu bastão- ele sorri, parecia estar se divertindo 

-Chat, você não entendeu ainda ?! Estou preocupada com o surgimento de um novo vilão- me debruço sobre a barra de proteção da torre

-Isso já era de se esperar, não?! Digo, sempre há vilões-Chat dá de ombros

-Sim, você está certo... De todo modo vou voltar ao que estava fazendo, caso hajam mais vilões nós damos conta-  pisco para o mesmo e desco da torre. Tudo aquilo estava muito estranho. 

ƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥƥ

-Eu não consegui acreditar quando vi tudo aquilo- paro no sinal vermelho, aquele horário era terrível, e demorava o dobro do tempo pra voltar pra casa

-Quando chegarmos em casa vou pesquisar a respeito...- Tikki diz mechendo em meu celular, recentemente ela havia se apossado do mesmo

-Tinha algo para me contar antes de pararmos, não foi?- lembro-a, ela dá um sorriso 

-Um empresário mandou um e-mail para a empresa, te chamou pra um jantar de negócios 

-Jantar de negócios no dicionário dos empresários quer dizer 'encontro', só que disfarçado, eles nunca querem tratar de negócios quando são apenas duas pessoas a conversar

-Posso excluir então?- Tikki pergunta 

-Claro!- repondo como quem diz 'Dã'

-Não quer nem saber de quem é? Posso excluir mesmo ?

-Definitivamente 

-Senhor Agreste vai ficar tão triste- Tikki diz como quem não quer nada e eu a olho incrédula, pego o celular de suas mãos e leio o e-mail.

Minha cama estava situada entre uma pilha de vestidos e outra de calças e blusas.

-Eu não sei que roupa usar!- choramingo batendo os pés como uma criança mimada 

-Uau! Marinette Dupain-cheng não sabe o que vestir, isso deveria virar notícia da Magazine!- Tikki sempre irônica

-Podem me ajudar ao envez de rir de mim- caminho até minha cama e me jogo na mesma

-Afinal porque está tão nervosa ?

-É um jantar de negócios

-Encontro- me sinto corar

-D-d-de onde você tirou isso, Tikki?!- sorrio de nervoso e encaro a mesma se metendo em uma pilha de roupas para tirar algumas e jogar para todos os lados do quarto

-Você que disse, não lembra ?!

-Eu falo coisas idiomas as vezes 

-Coisas como trocar idiotas por idiomas não é?!

-Vou tirar os brincos- obviamente estava brincando, mas falei isso com a maior seriedade que consegui

-Usa esse seu vestido vermelho- Tikki me lança ele, -É novo, nunca foi usado, mas não sei se vale usar nessa ocasião- Tikki se vira para mim, mas eu já estava do outro lado do quarto pondo o mesmo

-Definitivamente o vestido vermelho- me olhava no espelho admirada, o vestido era de de meu tom favorito de vermelho, nem tão escuro e nem tão claro, ele era justo e ia até um pouco acima do joelho, era justo na cintura e  tinha um pequeno decote que ia até o umbigo, mas o mesmo era coberto por uma tela transparente cor de pele, para combinar com ele usei meus saltos pretos, uma maquiagem com olhos pretos estimados e boca vermelha, deixei meu cabelo solto, usei meu melhor perfume _ usei tanto que Tikki tossia freneticamente ao meu lado e me implorava para parar.

Quando finalmente estava pronta dei uma última olhada no espelho, nem de longe parecia aquela garota bobina de dezesseis anos 

-Tá legal, não tá?

-Tão vulgar- Tikki revira os olhos 

-Essa não! Onde está vulgar ? Sério?- pergunto passando a mão pelo tecido fino do vestido, Tikki diz alguma coisa mas minhas paranóia falavam mais alto, -Vou trocar agora! Essa não são quase nove horas! Tenho quinze minutos antes de sair de casa, será que vou conseguir montar um outro look nesse tempo? Algo mais decente sabe, não quero passar a impressão errada...

-Estou brincando, ficou legal- Tikki grita me tirando de minhas paranóias

-Você quade me mata!- suspiro 

-Porque está tão preocupada com essas coisas ?

-Adrien vai ver que a garota que ele despresou mudou, mudou muito

Tikki suspira porém não fala nada por algum tempo, vou até o interruptor e apago a luz do quarto, que agora era iluminado apenas  a pela luz da lua que entrava atravéz  e de  minha varanda, o silêncio é quebrado por um barulho de algo caindo que vinha de minha varanda

-O que pode ser is...

-Shiii!- ponho o indicador em frente a boca e aponto para o guada-roupas, Tikki entende o recado e entra nele, eu vou em pequenos passos silencioso até a varanda, meu coração batia forte e as pulsaçoes aumentavam a cada passo dado, me aproximo das cortinas  de tecido fino azul que me permitia ver a luz da lua através dele, o frio da noite soprava em brisas pequenas porém tão geladas que não importava o tamanho, ponho a mão no tecido azul da cortina e finalmente noto que minha mão estava tremendo

-Marinette! Sinto uma mão quente envolta em couro tocar meu ombro, estremeço com seu toque e não consigo conter um grito agudo que ecoa por todo o quarto, - Calma, Calma! Sou eu!- a voz grave e rouca diz ao meu ouvido, sinto um hálito quente soprar sobre meu rosto, me arrepio com tal ato, ouço um riso repelto de deboche, a outra mão enluvada segura minha cintura e me vira de frente para o estranho misterioso, só então tenho a visão do rosto de Chat Noir, aquele rosto corado, com grandes olhos verdes vivos, cílios grossos, traços perfeitos e retos, o nariz bem contornado e o maxilar perfeitamente bonito, a máscara preta cobria a pele ao redor do olhos, me senti corar ao observa-lo, então em um reflexo me debati tentando me soltar do mesmo mas ele me segurava firme e me encarava sorrindo com o cenho franzido, o empurro com força mas nada, ele então me solta e como impacto caio de costas no chão, foi uma queda tão feia, naquele momento eu só queria que o chão me engolisse, fiquei ali parada com os olhos fechados esperando ser algum pesadelo

-Minha gatinha está com as pernas bambas por minha causa ?!- ele parecia se divertir, abro os olhos e me deparo com uma mão enluvada erguida em minha direção, a ignoro e me levanto sozinha, -Orgulhosa como sempre

-E você chegando em momentos inconvenientes como sempre- suspiro 

-Vai pra onde tão arrumada?- ele me lança um olhar dos pés a cabeça enquanto sorri de canto,  pondo á mostra brancos e alinhados, tentei controlar o rubor em minhas bochechas mas novamente senti elas queimarem

-O jantar!- a lembrança me encontra como um raio batendo em minha cabeça, dou dois passos para pegar minha bolsa mas ele segura meu braço com firmeza, não com força, só firme, olho para o rosto dele com uma expressão de 'isso é mesmo necessário?'

-Jantar?- ele pergunta com uma sobrancelha arqueada

-Sabe como é, sou uma mulher de negócios- arrumei minha postura ficando ereta

Ele solta meu braço e ri, ri muito, um riso melodioso e gostoso se de ouvir, mas isso não vinha ao caso

-Incoveniente- reviro os olhos ignorando o gato rindo de mim, e indo até minha cama para pegar a bolsa, a risada para mas não me dou o trabalho de olhar 

-Se eu fosse você, usaria essa- ele estava parado atrás de mim apontando uma bolsa preta, encolho os ombros e vou para longe dele em um pulo, ele me encara curioso

-Boa ideia, vou usar ela!- ele me estende a bolsa e tento ao máximo não tocar sua mão, pego a bolsa num movimento rápido

-Está estranha desde a última vez que te vi, está com febre gatinha ?- ele pergunta ainda me olhando curioso com o cenho franzido

-Você quente desse jeito vem me perguntar se tenho febre- penso alto e logo me arrependo 

-Então me acha quente ?- ele pergunta já parado a minha frente com o rosto próximo ao meu, como ele conseguia se mover tão rápido? Não tinha a mínima ideia! 

-Você daria um bom... Cof, cof- forjo uma tossinha, -Aquecedor no inverno, só pra isso que ia servir mesmo, agora de me dá licença tenho que ir- me afasto dele e caminho até a porta do quarto e ligo o interruptor 

-Espera aí, faz tempo que não nos vemos, mal nos falamos

-Nos vemos depois!- fecho a porta do quarto e desco as escadas correndo, mas paro ao ver um certo gato preto a minha frente encostado na barra da escada com os braços cruzados 

-Você está tão entediante- ele revira os olhos

-E você é assustador!- digo voltando a descer os degraus deixando o mesmo ás minhas costas. 

Passo pela porta e tranco a mesma, vou até meu carro mas antes que encostasse na porta uma mão enluvada a abre para mim

-Tudo bem já entendi que não quer falar comigo agora. Mas quando precisar de um herói, seu herói vai estar aqui, não se esqueça disso- ele diz piscando para mim, tão convencido, entro no carro e ele fecha a porta

-Espero que meu herói não me siga em meu encontro- ironizo a parte 'meu', ele sorri para mim

-Encontro é?- ele se inclina quase encostando o rosto no vidro com seu sorriso irônico 

-Jantar de negócios!- grito evitando de corar e dou partida no carro, deixando Chat  e sua risada debochada para trás.


Notas Finais


E então? Estão gostando da atualização ? Lembrem-se que a linha é a mesma da outra, é importante que não se esqueçam porquê não vou dar spoiler 😂😂.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...