1. Spirit Fanfics >
  2. Linhas traçadas >
  3. Capítulo 9

História Linhas traçadas - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 9


Hidan on

Lá estava eu, ajoelhado na frente dela, com meu bem mais precioso enrolado na mão dela, que me olhava com cara de espanto, eu estava quase perguntando se ela não ia responder

- Não faz isso - estava olhando o chão - Hidan Eu... eu não tenho cabeça pra essas coisas

- Não precisa responder agora, eu não quero pressionar você - levanto e coloco meu colar, não vou ficar em cima dela, já pedi, agora se ela quiser, ela que vai ter falar - BOM... - bocejo - Vou dormir - falo e caminho em direção a porta, chegando nela a garota agarra meu pulso, olho para ela

- Eu não queria que nada mudasse entre nós - diz e engole seco, será que ela acha que eu sou tão babaca assim? 

- Você vem? - ela me olha sem entender, provavelmente ela acha que eu vou querer me distanciar dela - Hoje é dia de dormir no meu quarto esqueceu? Dormimos aqui ontem - ela deu um pequeno sorriso, agarro a mão dela e vamos para o meu quarto, ela entra e senta na cama, vou até o banheiro escovar os dentes e o cabelo, quando volto ela está olhando para a janela, que não tinha cortina, a luz da lua entrava e clareava o rosto dela, chego por trás e a abraço

- O que foi? - pergunto a olhando pelo reflexo da janela e vejo seus olhos enchendo d'água, aperto mais o abraço - Eii, fala comigo - viro ela de frente para mim - O que foi? - ela me encara quase chorando 

- Olha, eu não sou disso, não gosto dessas coisas ok, eu... Eu não sei demonstrar esses sentimentos ok, acho que é melhor a gente parar por aqui você não acha? - congelo, como assim, pedi ela em namoro agora pouco e agora vou levar um toco? - Eu.. não sou boa com relacionamentos tá, tipo, não tenho um bom histórico, você tá me entendendo? Não quero machucar você, e eu sei que eu vou, então...- a puxo para a cama, deito e a coloco em cima de mim

- Relaxa, já disse que não quero te pressionar, não precisa responder nada hoje, mas eu não quero me afastar de você entendeu? - ela deitou a cabeça no meu peito e acenou - Você tem medo por algum trauma antigo? Quer me falar? - sinto meu peito molhar, porra ela tá chorando - Não precisa, esquece. 

- Eu queria confiar em você sabe, mas... 

- Vamos dormir vai, só se preocupa com seu sono agora. - abraço ela forte, com intenção de conforta-la 

Ela dormiu primeiro, ja eu, havia perdido o sono. A festa lá fora estava bem animada, hoje eu não trabalho lá, e como não estou afim de festa vou ficar por aqui, sempre dividimos as funções, sábado quem trabalha é eu, Deidara, Kakuzu, Sasori e Itachi e no domingo Kisame, Pain, Konan, Zetsu e Kakuzu (esse não saia da porta). Fiquei pensativo até umas 02 da manhã quando finalmente consegui pegar no sono.

Hidan off


Deidara on

Estava no restaurante agora pouco, e agora tô no chuveiro, pelado, como? Tem alguém aqui comigo? Tem! Eu tô deitado no chão, a água tá fria pra cacete, meu cabelo no chão, MEU CABELO NO CHÃO 


- MEU CABELO TA NO CHÃO - dou um berro - DA BANHO DIREITO FILHO DA PUTA - eu estava tonto e puto, mas não me movi

- Acho que você deveria agradecer, e não ficar gritando não acha? Você parece uma criança de 10 anos - Sasori apareceu, abaixou e ficou na mesma altura que eu, senti meu rosto queimar, ele tá me dando banho Ahhhh - Ta conseguindo ficar de pé? - aceno que sim e começo a levantar me escorando na parede, ele me ajuda, e me dá um banho demorado, acho que ele se aproveitou do meu corpinho, não que eu não tenha gostado. Ele me levou pra cama e me deixou lá, ia sair quando eu agarro o braço dele

- Dorme aqui - ele me olha e nega - Por favor Saso - fiz cara de cachorro sem dono e ele derreteu, o ruivo deitou me abracando por trás, dormimos juntos.

Na manhã seguinte acordei com ele ainda agarrado a mim, me lembrei de tudo e levantei, ainda era bem cedo, uma hora mais cedo, ótimo, uma hora sem fazer nada HM, me arrumo e desço, e para minha surpresa não era o único acordado, Yumi estava sentada em cima da ilha de cozinha com perninha de índio, ela estava brisando olhando para o nada

- Madrugou é? - pergunto, ela me olha e da um pequeno sorriso - Quer conversar? - ela acena que sim

- ENTÃO VOCE QUER ME DIZER QUE ELE TE PEDIU EM NAMORO E VOCÊ NÃO ACEITOU? - respondi após ela me contar a história, ela me fazia sinal para controlar o tom da voz - Pergunta fácil, qual o seu problema meu amor? Está claro que ele gosta de ti, e vc gosta dele também, e eu sei que isso tudo não é de hoje, eu sei de toda a história - a real é que esses dois se conheciam já a um BOM tempo, mas depois de uma briga eles resolveram fingir que eram estranhos - Como foi essa história de vocês? Quero saber por você, já que eu já sei por ele

- Aí Dei, a gente se conheceu em uma das idas do Tachi, fazia uns anos que ele tinha se mudado pra cá, e ele foi visitar a gente no Natal, ele sempre ficava na minha casa, e nessa vez quem levou ele foi o Hidan, por que tinha acontecido alguma coisa com o carro dele, foi aí que a gente se conheceu, implicamos um com o outro no primeiro dia, depois, ficamos inseparáveis, e eu me apaixonei por ele, ele resolveu ficar por mais tempo, nós vivemos juntos por um mês, e nesse mês, ele fez eu me sentir como ninguém nunca fez em um ano inteiro, eu valorizo isso, no último dia, nós discutimos, por que ele queria que eu viesse com ele, e eu disse não, então fizemos um acordo, de que se algum dia, por alguma razão nos encontrassemos de novo, agiriamos como se não nos conhecêssemos.

- Hm, ele não mentiu então, mas.. Mas que acordo sem lógica né? - ela ri e concorda - Por que você não aceitou o pedido? Por causa daquela história do chalé? 

- Por que eu tenho medo, Dei, eu não sentia mais nada, eu estava paralisada, meus sentimentos estavam congelados, mas, esses sete dias com ele, fizeram eu me sentir como se nunca tivesse sofrido, tivesse voltado a ser aquela menina sentimental, eu senti algo por ele, algo que eu não sinto a um bom tempo. E isso me assustou, eu não tenho preparo psicológico pra sofrer uma coisa dessas mais uma vez. - ela fala baixo, e triste, coitada

- Yumi, eu acho, que você tem que pensar muito, mas ele gosta de você, isso é evidente, e você gosta dele, aproveita HM - digo segurando as mãos dela

- Vou pensar, quando eu decidir eu aviso, obrigada por estar aqui Dei, sério, tô muito feliz por ter conhecido você - Ahhh vou chorar 

- Para menina, começo chorar de emoção aqui que paro só ano que vem HM - ela senta na ponta da ilha e me abraça, ela é uma amiga e tanto

- E ontem? Sasori da um bom banho? - me pega de surpresa, coro e sorrio, solto ela e vou fazer o café da manhã, ela vem junto

- Um ótimo banho! Vai fazer o que? - pergunto colocando água para ferver e fazer um café preto, e vendo ela pegar algumas coisas no armário 

- Panquecas, mas então? Transaram ontem? - ela fazia a massa 

- Que isso Yumi, que indiscrição - olho para ela com a cara mais espantada que consigo fazer, mas não colou, ela arqueia a sombrancelha

- Convivência meu bem, responde logo, transou ou não? - dou risada e nego com a cabeça - Hm, então transaram só depois da festa de sábado é? - aceno que sim 

- Como você sabe? Eu não falei que a gente tinha transado 

- Eu tava no meu quarto, que por acaso é do lado, deu pra ouvir direitinho, e depois eu trombei com ele saindo de lá - ela ria do meu constrangimento - Relaxa Mano, o Hidan disse que não vai contar nada, você não confia no seu amigo? - damos risada e o mesmo aparece na cozinha com a cara amassada e o cabelo todo bagunçado, ele estava com uma calça de moletom roxa e o colar, nada mais

- Você tem ideia do quanto eu detesto acordar sozinho? - falou com uma voz roucaele encarava ela tentando ficar sério, entra na cozinha e me olha - Eai comedor? Como foi a noite? Achei estranho não ouvir os gemidos como da última vez, ainda bem que não era você que tava gemendo, se não a casa toda teria acordado, você é muito escandaloso - vai para o lado dela é começa a fritar as panquecas 

- Não começa HM, eu gosto de mostrar pra eles que estão fazendo um bom trabalho, só isso, HM- terminei o café e fomos comer, ninguém tinha descido - Tem certeza que é segunda? Caralho ninguém levantou ainda - como um pedaço de panqueca - Nossa, que delícia - encaro Yumi - Você tem talento em menina

- Hey, eu que fritei - Hidan estava com aquela cara de indignação que só ele sabe fazer

- HM, COMO SE FRITAR FOSSE GRANDE COISA, HM - bato a mão na mesa, aumento o tom de voz e fico em pé 

- TSC, E VOCÊ QUE NÃO FEZ NADA INÚTIL?! FAZER CAFÉ ATÉ CRIANÇA FAZ! - fala, revira os olhos, e levanta também, estamos nos encarando - E esse negócio tá fraco - fala fazendo uma careta, Yumi ri e levanta, lava o prato dela e sobe - Aii cara - Hidan diz e se joga na cadeira - Tô amarradão nessa menina, tô até besta, acredita que esses dias eu desci as escadas com ela no colo por que tava cansada? - encaro ele

- Besta você sempre foi, idiota - Kakuzu fala na porta da cozinha 

- Da um tempo Kakuzuuuu - ele sempre grita o nome do Kakuzu - Não se deve falar mal de um homem entregue as garras do amor - ele deveria desistir da engenharia e fazer teatro 

- Você deveria ser ator, porra que drama Hidan, HM. Ela é afim de você também, aproveita muleke, e vai se arrumar, temos aula daqui a pouco. - ele levantou e saiu, mais uma vez vamos a nossa rotina.


~Quebra de tempo~
2 meses Depois


E mais uma vez a semana começa, realmente tô considerando viver só com o dinheiro das festas mesmo, como o Hidan diria "Meu senhor eu não aguento mais", tô cansado demais. Nesse tempo tudo foi ótimo, nos divertimos muito, aumentamos as frequências das festas, agora aconteciam as terças, quintas, sábados e domingos, Yumi pediu para trabalhar conosco, e Yahiko aceitou, mas deixou claro que Kakuzu ficaria de olho nela, fiz um teste com ela para o bar, e ela se deu MUITO bem, começamos a trabalhar juntos, trabalhamos terças e sábados. Fomos ao parque de diversões, shopping, teatro e zoológico, todo grupo junto, e também a um lago, já estávamos discutindo qual seria o destino das férias, teria que ser um lugar incrível, as relações pessoais também vão bem, Yumi e Hidan se comem em qualquer lugar, Konan tá na dúvida se fica com Yahiko ou com Kisame, entao pega os dois, Itachi tá estranho, vi Yumi conversando com ele e sair toda alegre, acho que ele tá pegando alguém, Kakuzu tá feliz, eu acho, ele nunca me disse o contrário, ta trabalhando em um banco, e faturando bastante, Zetsu continua o mesmo, traz uma garota diferente por semana, e Sasori, bom, posso dizer que estamos bem entendidos, as coisas entre nós estão discretas, pelo menos teoricamente, aposto que todo mundo sabe que a gente se pega, também, ele só não é mais escandaloso que eu, o menininho que geme alto, mas não reclamo, nem um pouco, ele continua sendo sério e inexpressivo, a única hora que ele expressa algo é no momento que goza, por um segundo é possível ver alguma emoção no rosto dele. Segunda feira, tudo normal, até agora, estamos na cozinha comendo, prestes a sair, quase todos, faltava o Hidan, ele desce emburrado, não come e vai direto para a porta

- Quem quiser carona cem agora, não vou esperar, tô atrasado - engulo minha torrada e corro até ele 

- YUMII VAMO - ela faz sinal indicando que não vai, estava emburrada também, pronto, agora eu mereço - Ahh, perai Hidan, vou chamar a Yumi 

- Se você demorar 1 milésimo vai pra faculdade a pé - ele sai, vou junto, entramos no carro e seguimos para a faculdade, ele estava quieto 

- Que que foi Mano? Fala? O que aconteceu? - ele suspirou e me olhou de rápido 

- Eu tô triste, a Yumi ainda não me respondeu, sei que eu disse que não ia pressionar ela mas eu tô começando a achar que ela só tá me usando, não quero acreditar nisso DEII - vish tá achando que eu sou o Kakuzu agora, só pode

- E você acha que ela tá errada? Você já se olhou? - seco ele com o olhar, e ele faz uma cara assustada - Qualquer um quer te usar!

- Que isso Deidara, deixa seu ruivo ouvir isso, garanto que aquele seu ser minúsculo e possessivo não vai gostar! Mas é sério, eu não tô mais aguentando, detesto a gente se pegar dentro de casa e quando eu chamo ela para sair ela nega, sabe aquele dia que a gente foi no shopping e encontramos as amigas dela, ela estava sendo muito fofa comigo até elas aparecerem, aí me largou e me tratou como um colega qualquer, e depois que fomos embora veio de novo, ela só se aproveita de mim. Eu sei que eu já fui um canalha, mas.. Me responde Dei, você acha que eu sou tão desprezível assim? - ele olhava para baixo triste, estávamos parados no farol, que logo abriu e ele avançou, ele é uma pessoa muito foda, um amigo sem igual, e está na merda, ah se ele soubesse o que ela realmente sente mas não ou eu quem vai falar, isso é algo que os dois tem que resolver entre si 

- Quem disse que o Sasori é meu? - pergunto encarando ele

- Tsc, de tudo que eu falei você só ouviu isso - ele revira os olhos

- Cara, você é sensacional, mas.. Não sou eu quem vai te falar o que a Yumi sente. Conversa com ela, fala como você tá se sentindo, ela vai te entender - ele acena positivamente 


Paramos em mais um farol, que logo abre, Hidan avança com o carro, vejo de relance lanternas ao lado dele, um carro, PUM, bati a cabeça no vidro da janela e quase no painel, mas Hidan impediu, colocando o braço na frente, vi seu braço quebrar com a pancada, o carro rodou na pista, um calor muito grande, senti uma dor enorme no meu braço, havia um ferro enorme enfiado nele, e muito sangue, minha cabeça doida, tinha sangue em muito lugar, algumas pessoas começaram a correm em direção ao nosso carro, olhei para o lado

- Hidan, Hidan me responde - ele estava desmaiado, todo ensanguentado - HIDANN, HIDAN ACORDA, ACORDA HIDAN PELO AMOR DO SEU DEUS HIDAN. - eu já estava chorando e tentando alcançar ele com o braço livre

Algumas pessoas estavam tentando me acalmar, enquanto esperávamos os bombeiros, finalmente chegaram e não tiraram de lá, na ambulância cuidavam dos ferimentos de Hidan, eles queriam me dar um sedativo mas não aceitei, queria estar sempre de olho no Hidan, no mesmo momento, lembrei do povo da casa, nossa família de verdade. Essa paramédica quer me matar, ela amarrou um bagulho fortão no meu braço, e me fez dar um berro

- Senhor, eu preciso sedar o senhor, ou não aguentará a dor - tentei negar o máximo, mas ela me ignorou e me deu um sedativo, desmaiei em segundos.

Não consegui formar mais nenhuma frase, só consigo implorar para que meuamigo e eu fiquemos bem.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...