História Lisabelly - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O Caminho até a entrada da floresta é um tanto longo, mas o tempo pode ser algo bom quando se sabe aproveita-lo...

Capítulo 7 - Uma Luz na Escuridão


(Lisabelly)

Enquanto caminhávamos em direção a entrada da floresta o percebo concentrado e atento a qualquer movimento. Ainda estávamos expostos na grande clareira e de fato isso nos coloca em risco, pois eu não poderia me movimentar rapidamente como ele e eu também fiz questão de ir andando, mesmo ele insistindo em me carregar. Ele dizia, "Você ainda está fraca e precisa se recuperar, quanto menos esforço fizer melhor será." Mas eu realmente não suporto me sentir uma inútil e me exercitar não pode ser de todo ruim, ou pode!? Bom o fato é que eu ganhei a briga, sorrio com meu pensamento, mas se houver necessidade eu deixarei que ele me ajude. 

O caminho que seguiremos levará cerca de três dias até o porto, é uma floresta mais densa e com lugares que servem de bons abrigos segundo Mike, e talvez esse tempo possa fazer com que eu saiba mais sobre ele, quem sabe!?

Sigo pensativa enquanto caminhamos e então pergunto.

- Mike, esse caminho que vamos seguir ele é mais seguro para gente com relação aos caras que estão atrás de mim correto, mas e quanto ao resto? A mata é mais densa, não tem trilha, então não sei como vai ser, sei que estou segura com você mas só queria saber mais.

Eu o olho fechar os olhos e respirar fundo e então ele para e me segura pelos ombros e então segura meu queixo entre seus dedos dizendo.

- Lis, sim o caminho não tem trilha e é mais perigoso para caminhadas, mas é a única maneira de passarmos sem sermos percebidos, sei que os caras ainda estão te caçando e eu preciso a todo custo te proteger. Não deixarei que aconteça com você o que aconteceu com Roselly, não me perdoaria uma segunda vez se deixasse, mas saiba que por mais perigoso que seja na floresta eu estarei lá para proteger você de qualquer perigo.

Ele me sorri e eu sorrio de volta, ficamos ali parados um tempo nos olhando profundamente, sinto uma ligação entre nós, maior do que eu já pude sentir na vida, o que me deixa ainda mais curiosa e minha mente pergunta mais e mais vezes, quem é você Mike Culbert?

(Mike)

Aproveito esse pequeno momento silencioso observando suas lindas feições e me perguntando se ela seria minha segunda chance de ser feliz. Roselly foi meu grande amor no passado quando eu ainda possuía minha humanidade, foi assassinada de forma cruel e impiedosa, foi horrível para mim assistir a tudo aquilo sem poder fazer nada, mas Lis apareceu em meu destino imortal e solitário por algum motivo.

Depois de algum tempo a solto e faço sinal para que continuemos a caminhada. Eu queria carrega-lá para que chegássemos mais rápido para a entrada da floresta mas Lis é teimosa, quis ir caminhando sozinha, isso me faz sorrir, Roselly também era, tinha uma personalidade bastante forte e um grande espírito, elas duas tem mais em comum do que Lis imagina, mas tento imaginar qual o vínculo do passado com o presente, Roselly morreu antes que tivéssemos filhos, ou que houvesse geração após ela, mas também nunca soube sobre sua família. Ela era reservada sobre esse assunto e eu não insistia em querer saber, pois para ela o assunto era doloroso, talvez Lis seja a chave para entender o passado e poder fazer com que eu viva o presente sem restrições.

No caminho observo ela perdida em seus pensamentos e franzindo a testa, sinal de que sua cabeça tem muitas perguntas e algo bastante parecida com seu antepassado também, Roselly se portava do mesmo jeito, e mesmo que dissesse não haver nada sua ruga na testa sempre a desmentia, sorrio ao lembrar. Engraçado como depois de tantos e tantos anos que enterrei dentro de mim estas memórias elas voltam com tanta facilidade só por ela estar aqui junto a mim. Vendo a cena não resisto e pergunto.

- O que está pensando Lis? Consigo ouvir seu cérebro trabalhando mesmo a quilômetros.

Dou risada do comentário, e então ela responde.

- Não é nada não, eu só penso bastante sempre.

Ela me sorri e continua focada no que está fazendo como que encerrando o assunto.

- Vocês são muito parecidas sabia?

Ela me fita sem entender dizendo.

- Não entendi, de quem você está falando Mike?

Eu sorrio a ela é respondo.

- Você e Roselly, vocês têm muito mais coisas em comum do que imagina, até mesmo o fato de tentarem esconder algo que a estão preocupando. É o mesmo olhar, a mesma ruga na testa.

Coloco meu dedo na ruga que se formou na testa de Lis.

- E o fato de mentirem muito mal.

Dou risada.

- Roselly sempre foi uma péssima mentirosa, e vejo que você também é, e isso é muito bom.

Sorrio e continuo a caminhada. Ela me segue intrigada mas não diz nada.

(Lisabelly)

Suas palavras rondam minha mente. "Vocês tem muito mais em comum do que imagina" não é possível sermos tão semelhantes assim, por outro lado é a primeira vez que o vejo tão aberto e disposto a compartilhar do seu passado.

- Mike, quem era ela de fato? Minha avó não dizia muita coisa, e isto tem me intrigado de fato, você parece a conhecer tão bem..

Vejo ele me olhar intrigado mas responde.

- Roselly foi minha esposa quando eu ainda possuía minha humanidade. O fato de ela possuir poderes a deixava sempre em risco e por causa dele ela foi assassinada e eu tive que assistir a tudo. Não sei o que você ouviu de sua avó sobre meu passado, mas o fato é que vivíamos felizes, tínhamos planos de formar uma linda família, mas haviam pessoas ambiciosas que sempre a seguiam querendo usufruir de seu dom. Me recordo que quando nos conhecemos ela estava fugindo, assim como você estava também.

Ele sorri e continua.

- Claro que não dá mesma forma e nem do tipo de pessoas que você estava fugindo, ela estava fugindo da própria família, nunca me contou muito sobre ela, e o assunto era sempre algo bastante doloroso para ela. Eu sei que ela amava a família, mas por algum motivo ela teve que se distanciar. Talvez um dia eu consiga entender os motivos que a levaram a se afastar.

Ele suspira profundamente e me olha.

- Eu amava Roselly mais do que podia imaginar, e fui devastado de uma maneira que jamais imaginei que seria quando vi aqueles homens a torturarem e matarem por ela não querer ajudar a descobrir sobre algo, tentei lutar contra eles mas perdi e quase morri. Foi quando Redrick me encontrou, ele quis me ajudar, mas eu a princípio recusei, eu queria realmente morrer naquele momento e ainda quis isso por muitos anos após ter me transformado. Mas ele me fez beber seu sangue quando eu estava inconsiente.

Ele solta um riso e sorri de um jeito maléfico e continua.

- Meu primeiro impulso após me transformar foi vingar Roselly, matei aqueles homens da forma mais cruel que você possa imaginar. Foi naquele momento pra mim uma grande satisfação e eu gostei de possuir essa "bênção" que Redrick me deu, mas o futuro foi torturante, por muitas décadas eu ainda sonhava com a morte dela, e com o olhar que ela me lançava antes de eles a matarem, isso me corroia por dentro. Foi quando percebi que a imortalidade era mais um castigo do que uma "bênção". Foi então que me isolei de tudo e passei a viver mais aqui na floresta do que em qualquer outro lugar, enterrei o passado e o apaguei da memória até te encontrar naquela situação.

Observo a tristeza em seus olhos e por algum motivo aquilo me toca também.

- Você nunca a esqueceu não é mesmo!?

O vejo sorrir.

- Jamais a esqueceria, ela permanece sempre em meu coração. Ela foi a luz que iluminou meus dias de escuridão no passado. Foi o presente que me foi dado pela vida.

Ele me olha carinhosamente.

- Assim como você está sendo para mim hoje.

Ele se aproxima de mim e então me surpreende com um beijo. Tão doce e tão carinhoso que então eu fecho meus olhos e me deixo levar. Sinto seus braços envolverem minha cintura e pouso os meus em torno de seu pescoço. 

Nunca eu havia sido beijada desta maneira por um homem. Meu coração acelera e eu suspiro de satisfação, é como se todo o meu ser esperasse por esse beijo por toda a vida, é como se eu pertencesse a ele e ele a mim.

Depois de um tempo ele se afasta e me olha segurando meu queixo e diz.

- Me desculpe, eu não devia ter feito isso. Me deixei levar, sinto muito.

Ele parece desconcertado e então volta a caminhar e eu o sigo.

Passamos as próximas horas caminhando em silêncio, tanto que até mesmo eu poderia ouvir um galho se partir se acontecesse, mas finalmente chegamos a entrada da floresta. Suspiro olhando para a imensa escuridão a minha frente com pequenos feixes de luz brilhando e iluminando precariamente o caminho, mas ao mesmo tempo que é assustador é uma linda visão.

Mike me observa e vê que estou receosa e então estende sua mão para mim com um sorriso. Seu contato é reconfortante depois de tantas horas de silêncio depois de nosso beijo. Seguro firme em sua mão e então sigo com ele para dentro da floresta.


Notas Finais


A jornada apenas começou, o que espera por eles dentro da floresta? Será que tudo correrá bem? Não percam o próximo capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...