1. Spirit Fanfics >
  2. Lista de coisas para fazer antes de morrer da Moonbyul. >
  3. Ir a Paris.

História Lista de coisas para fazer antes de morrer da Moonbyul. - Capítulo 1


Escrita por: cinnamongirI

Notas do Autor


oi, tudo bem? essa é a minha primeira fanfic moonsun e eu tô muito animada com isso!! vai ser uma fanfic curta, no máximo cinco ou seis capítulos, espero que vocês gostem!!

crédito da capa: @xnerbby no tumblr.

Capítulo 1 - Ir a Paris.


Era uma noite quente na Cidade Luz e Yongsun estava claramente irritada com os pequenos mosquitos que entravam pela janela do quarto de hotel, mas se via sem saída já que fechá-la estava fora de qualquer hipótese que seja. O hotel barato não oferecia mais que um ventilador de teto com uma única velocidade – quase parando – então sua salvação estava sendo o pouco da brisa da cidade que entrava pela janela escancarada. Estava mais do que claro que ela não conseguiria dormir tão cedo; já tinha se remexido na cama de colchão duro incontáveis vezes, virado seu travesseiro umas vinte vezes... Seu corpo estava suado e grudando nas roupas, e mesmo que ela tomasse um banho gelado, o suor a atingiria antes mesmo de sair do minúsculo banheiro. Ah sim, e para piorar: parecia que o suor atraía ainda mais os mosquitos que insistiam em picá-la e arrancá-la todo o seu sangue.

A mulher de cabelos tão negros e pele tão clara como a Branca de Neve bufou frustrada sem saber o que fazer. Estava exausta após a longa viagem de Seul a Paris, precisava urgentemente dormir e descansar mas estava realmente difícil.

— Ok, sem estresse. – memorizou o seu mantra inspire e expire e o repetiu dezenas de vezes em sua mente, fazendo de tudo para não surtar em sua primeira noite no continente europeu. — Eu não vim aqui pra me estressar com míseros insetos perturbadores. – Se levantou da cama decidida a acabar com tanta agonia que era o calor que sentia.

Trocou rapidamente seu pijama azul por um short amarelo mostarda e uma blusa branca, e logo ela estava no corredor do hotel, andando até o fim dele onde estavam as escadas de emergência – o elevador também não funcionava. Após descer três andares, Yongsun estava no térreo e não pensou duas vezes antes de sair pela portaria, dando de cara com uma rua silenciosa e pouco iluminada.


O relógio de seu celular marcava 0h56 e a mulher sabia que era perigoso andar sozinha à noite nas ruas — principalmente ruas que ela só conhecia pelo mapa que ela encontrou duas semanas atrás em um site qualquer da internet —, mas bem, ficar naquele quarto era insano, ela precisava de ar fresco ou enlouqueceria antes mesmo de concluir sua missão na cidade. E ela com certeza não desistiria tão fácil assim.


— A Torre Eiffel fica há uns vinte minutos do hotel — lembrou o que tinha lido no site. — Talvez não seja uma ideia ruim — deu de ombros e se pôs a andar na direção que ela julgava ser a certa. Para sua sorte, realmente era o caminho correto e pouco mais de meia hora depois de sua partida do hotel, ela conseguiu chegar ao gramado próximo a Torre. — Uau. — olhou para cima encantada, vendo todas as luzes que enfeitavam o ponto turístico.


Yongsun não esperava, mas outras pessoas também estavam ali àquela hora da noite. Algumas pessoas até mesmo forraram o gramado com uma toalha, em uma espécie de piquenique noturno. Instantaneamente ela se sentiu feliz em poder compartilhar a vista com outras pessoas mesmo que ela não os conhecesse.

Pensou em como seria se Moonbyul estivesse ali para contemplar a vista consigo. Ela, com toda a certeza do mundo, amaria.


Com cuidado, sentou-se no gramado e agora parecia que os mosquitos tinham parado de incomodá-la — e ela estava muito grata por isso pois sua pele já estava irritada e vermelha de tantas mordidas.


Pegou seu celular e abriu a câmera, se arrependendo por, antes de sair do hotel, não ter pego a câmera de vídeo que tinha ganhado de sua melhor amiga Wheein no seu aniversário do ano passado.


— Essa é a minha primeira vez fazendo vídeos conversando comigo mesma, eu pensei que seria estúpido mas não é tanto como eu imaginei — sorriu abertamente e apontou a câmera para as pessoas sentadas apreciando as estrelas e as luzes da linda Torre Eiffel. — Estou aqui pra completar a lista de coisas para fazer antes de morrer que a Moonbyul, minha namorada, escreveu. Bem, ela não conseguiu concluir tudo antes de morrer, ela foi apenas até o item dezessete. — olhou para seus pés que balançavam de um lado para o outro, se ela se esticasse para tocá-los com as mãos, provavelmente seu corpo daria um estralo tão alto que todos ali ouviriam.


Deixou a câmera filmar o céu escuro e estrelado mesmo sabendo que a resolução era pequena e só iria aparecer uma tela preta quando ela assistisse. Segundos depois o seu rosto foi o alvo do foco mais uma vez, um sorriso imenso enfeitando seu rosto redondo e rosado.


— Aqui — mostrou o papel cor-de-rosa amassado que ela sempre carregava consigo não importa onde fosse — Oh, meu Deus, que saudade — se perdeu por um momento ao observar a caligrafia de Moonbyul —Aqui diz o seguinte: Item dezoito. Ir a Paris no nosso aniversário de namoro, conhecer vários pontos turísticos e lugares não turísticos também, aproveitar cada momento na cidade, experimentar diversos sabores, tomar inúmeros cafés e tirar fotos românticas com a minha Solar. Pedi-la em casamento num jantar romântico em uma lanchonete qualquer (amor, se você ler isso, saiba que é porque vou torrar todo o meu dinheiro com a viagem e o anel, mas se eu pudesse eu pagaria o restaurante mais caro pra nós jantarmos juntas).


Apesar de serem muito próximas — elas se conheciam há oito anos, namoravam há seis e dividiam um apartamento em Seul —, Solar nunca se atreveu a olhar os planos que Moonbyul anotava nas folhas cor-de-rosa de sua agenda. Moonbyul nunca a deixaria de fora, é claro, mas sempre se esforçou para tudo ser surpresa para a mais velha, então por isso a mesma nunca mexeu em suas coisas. Yongsun só pôde ler a lista depois de um ano que a mais nova se foi, mas mesmo assim não se deu ao luxo de ler tudo, queria que tudo se mantivesse como uma surpresa da forma que Moonbyul planejara. Ela planejou pegar apenas uma página da agenda por vez; completá-la e só então pegar outra.


— Eu tenho estado muito chorona ultimamente, não sei se é por causa da TPM ou o fato de eu estar lendo os planos da minha namorada morta, mas....— fechou os olhos com força, fazendo de tudo para não deixar o rio de lágrimas cair por suas bochechas rosadas. — Argh! Isso é tão frustrante! Não é justo que a tenham levado embora de mim, não é justo! — e então seu esforço não valeu de nada pois no segundo seguinte as lágrimas escorreram como uma enchorrada, molhando o seu rosto. A imagem de Moonbyul jogada no asfalto já sem vida corria por sua mente; o sangue escorrendo pela sua cabeça, os olhos arregalados saltados para fora. Yongsun nunca conseguiria tirar aquilo da cabeça, nunca poderia apagar aquela imagem nem se quisesse.


Isso a atormentava. Mexia com seu psicológico de uma forma que nem ela mesma sabia como ainda conseguia suportar.


— Byul, amor, eu sei que você não vai assistir a este vídeo mas eu sinto que você está aqui comigo, não só agora mas sim o tempo todo. Obrigada por me dar forças pra continuar mesmo quando eu sinto tanto a sua falta que parece que eu vou desmoronar. — olhou uma última vez pro pedaço de papel antes de colocá-lo de volta no bolso do short — Espero que eu possa concluir a sua lista da melhor forma possível e que eu não te decepcione. Eu sei que era um dos seus maiores sonhos conhecer Paris... eu me lembro de você estudando francês — riu fraquinho ainda se sentindo triste e com as lágrimas umedecendo seu rosto delicado. — Era tão adorável ver o seu biquinho tentando fazer o sotaque. 


Yongsun sorriu enorme e fechou os olhinhos cor castanho, tendo a memória fresca.

Ei, o que você pensa que está fazendo, mon amour? Moonbyul gargalhou quando notou que Solar sussurava todas as frases que a mulher do vídeo que era reproduzido no notebook falava. — Está vendo a minha aula? Pensei que você achasse chato demais e irrelevante. — tirou sarro.

Solar pulou de susto na cadeira e se virou para a mulher que recém tinha pintado as madeixas de lilás. Deu um sorriso amarelo e coçou a nuca, totalmente tímida e envergonhada por ter sido pega no flagra.

Byulyi! Oi, amor — se levantou da cadeira e saltitou serelepe para perto de sua namorada. — Pensei que você fosse demorar mais na casa da Hyejin.

— E eu ia — deu-lhe um selinho quando Solar estava próxima o suficiente. — Ela até mesmo assou alguns biscoitos de aveia para mim mas eu me preocupei com você que estava aqui sozinha, então decidi voltar o mais rápido possível. Pode dizer, sou uma ótima namorada!

— Tão romântica e fofa — apertou de leve o nariz da mais alta. — Obrigada por se preocupar comigo.

— Tenho que cuidar do amor da minha vida, sim? — selou seus lábios uma última vez antes de apontar para o notebook e arquear uma de suas sobrancelhas. — E então... estava estudando francês?

— Sim... me perdoe por mexer em suas coisas sem permissão.

— Não se preocupe com isso, eu tenho certeza que vou amar te ouvir falar a língua francesa. Por que se interessou de repente? — parecia realmente interessada; sentou-se na beira da enorme cama de casal e chamou sua namorada para se sentar ao seu lado.

— Ah... — sentou ao lado de Moonbyul e deitou preguiçosamente sua cabeça no ombro da outra. — Não foi bem "de repente". Eu sei o quanto você ama a França e como está se esforçando pra aprender o idioma, eu quero aprender junto com você para, quem sabe, nós podermos viajar pra lá algum dia.

Moonbyul sorriu esperançosa.

— Quer conhecer a França comigo?

— Claro! Que tal na nossa lua de mel? É muito romântico. — suspirou sonhadora.

— Eu pensei em ir antes disso. Quero te levar em um outro lugar na nossa lua de mel — esticou seu braço pra acariciar os cabelos da mais velha.

Yongsun ergueu sua cabeça por reflexo, procurando os olhos de Moonbyul como se sua vida dependesse daquilo.

— Quer mesmo um dia se casar comigo? — seus olhos brilharam em animação e surpresa. — Eu estava só brincando, não pensei que você levaria a sério.

A mais nova riu da ingenuidade de sua namorada. Ah, se ela soubesse que se dependesse de si, elas já estariam casadas desde o momento que se conheceram...

— Kim Yongsun, você vai ter que me aguentar pro resto da vida, vou me casar com você e vamos ter muitos filhos e alguns gatos também.

— Eu te amo. — falou sem poder segurar o sentimento só para si.

— Eu amo muito mais, bobinha. — Moonbyul finalizou lhe dando um beijo singelo.

A morena balançou a cabeça com a lembrança. Decidiu que era a hora de voltar para o hotel, estava ficando cada vez mais tarde e os pensamentos e memórias bombardeavam sua mente como se esfregassem em sua cara que ela nunca mais viveria um momento como esse em sua vida; nunca encontraria a sua Moonbyul de volta.

Ficou feliz em poder marcar como concluído o item dezoito dois dias depois quando o seu avião decolava para fora do país, rumo ao seu próximo destino e desafio. 


Notas Finais


e então? espero que tenham gostado!! farei o meu melhor pra voltar o quanto antes com o prox cap🥰
se gostou, me conta oq achou e deixa seu fav pra me ajudar!! qualquer errinho pode me falar que eu ajeito!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...