História Little Brother - Yaoi Incesto - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 129
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu não sei se vão gostar desse capítulo, mas eu amei escrever ele.

Tentei ao máximo deixar fofo, não sei se funcionou.

Desculpa os erros, não revisei.

Capítulo 8 - Eu te amo...


Fanfic / Fanfiction Little Brother - Yaoi Incesto - Capítulo 8 - Eu te amo...

-Liam o que é isso?? 

Ele me observa  atentamente e noto o quanto o menor está transtornado e confuso por conta do álcool, o desço do meu colo recebendo murmuxos de protesto durante o processo. 

Pego um de seus braços finos e entorno em meus ombros, o fazendo levantar. Levo o menor ao meu banheiro e o sento encima da tampa do vaso, Liam fica se balançando enquanto pronuncia frases aleatórias e desconexas como:  "Aceito vitamina de mamão" Ligo a banheira e enquanto enche começo a despir seu corpo, o que está sendo meio difícil por ele não parar quieto. 

Apenas de cueca - já estou me segurando, imagina nu- o levo em direção à estrutura cheia de água e o sento, ele parte a brincar com as bolhas igual a uma criança, a que ele ainda não deixou de ser e por isso não deveria andar bebendo, irei tirar satisfações amanhã, mas por hora aproveitarei o momento. 

Passo o shampoo pelo cabelo negro dando um banho lento no menor enquanto sinto o calor de seu corpo perto do meu. 

Terminado o banho e com um Liam sã facilitando meu trabalho, o ajudo a trocar de roupa - que busquei em seu quarto -  por ainda está tonto pela resaca.  Liam está sentado no chão entre minhas pernas e eu enxugando seus negros cabelos. 

Nathan- Está melhor? 

Liam- Sim... Desculpa -diz com a cabeça baixa arrependido por sua atitude- eu não fiz nada constrangedor com você, fiz? -levanta bruscamente a cabeça assustado já que seus amigos sempre falam que ele faz altas merdas quando bebe demais. 

Nathan- Quase... Mas o que você já fazer, quando fizemos quero que seja por você e não porque estava bêbado. Vem, vamos pra cama - digo me levantando e o mais novo também. 

Liam- E-eu vou dormir com vo-ocê? -vejo suas bochechas adquirirem um tom rubro. 

Nathan- Você não quer? - ando em direção a ele e passo a mão em sua cintura quase feminina. 

Liam- Q-quero... -ele esconde o rosto com suas mãos gordinhas idêntico a uma criança pequena, fofo o descreve nesse momento. 

Nathan- Vem - o puxo em direção a cama o fazendo deitar na mesma. 

Deitados de frente um para o outro, sentindo seu calor, está cada vez mais claro para mim o quanto Liam significa na minha vida... Eu o amo... Mas a cada dia que passa esse amor cresce de forma irresponsável e totalmente errada. Levo meus dígitos a sua pele quente e macia do rosto fazendo um leve carinho, deixando Liam fechar os olhinhos, me aproximo devagar até de mais na minha opinião, porém, algo involuntário, um gesto que poderia nos comprometer à pecadores, cada centímetro mais próximo e cada vez mais atraído, sinto sua respiração e num ato cheio de sentimentos escondidos pelo tempo selo nossos lábios de uma forma significativa demonstrando meus sinceros desejos, medos, sentimentos negados e aceitos. 

Toco seu lábio inferior pedindo passagem, que não foi negada, e começo um beijo lento e entrelaço nossos dedos por baixo do edredom sentindo o calor de sua palma contra. Nos separamos por falta de ar e Liam abre seus olhos quase transparentes com um novo brilho, mostrando o quanto ele também queria aquele beijo. Liam solta minha mão e num ato quase súbito entrelaça seus dedos nos fios da minha nuca colando nossas testas, me deixando com a melhor visão de suas orbes e seus lábios inchados por conta do beijo recente. 

Liam- Eu. Te. Amo - pronuncia num sussurro quase inaudível. 

Nathan- Eu também te amo - e o menor sela nossos lábios novamente com mais desejo, o puxo pela cintura aproximando e colando nossos corpos tornando o beijo mais intensso e quente, sabemos que é errado, tudo que é perigoso torna-se mais interessante, não? 

Desço minha mãe de sua cintura a barra de sua camisa e começo a acariciar seu abdômen liso, Liam tira sua mão e a leva até minha calça movimentando-a por cima do meu membro já desperto, nos separamos novamente por falta de ar. 

Nathan- Você quer mesmo isso? Sabe que é errado né? -falo ofegante por conta do ósculo. 

Liam- Preciso pedir? -diz igualmente ofegante. Passa uma perna sobre mim sentando encima do meu membro o prensando sob o tecido da calça moletom me fazendo suspirar. 

Nathan- Não - com um sorriso sacana levo minhas mãos a barra de sua blusa e a retiro com cuidado, fazendo questão de roçar meus dígitos em seus mamilos já inchados, no mesmo instante escuto um gemido baixo, porém, audível. 

Viro Liam com cuidado, como se o menor fosse frágil, distribuo leves selares em seu rosto delicado e afeminado, descendo lentamente pelo seu pescoço até sua clavícula, distribuindo chupões e beijinhos, mas como uma forma de carinho, levo meus lábios a seus mamilos e chupando o destro apertando o esquerdo com minha mão, Liam arqueado as costas e soltando gemidos e palavras desconexas indicando o prazer que está sentindo. Depois de tanto machucar seus mamilos me levanto e tiro a calça do menor junto com sua box tendo para mim uma visão do meu paraíso e inferno - Liam com os lábios vermelho e inchados entreabertos, os chupões por sua clavícula e pescoço, seus mamilos machucados, seu pênis ereto,  completamente vermelho - abaixo meu rosto até ficar rente com seu membro sem demora passo a lamber sua glade inchada e melada por pré-gozo, adiciono seu membro inteiro em minha vida fazendo movimentos regulares de "vai e vem", Liam apenas gemia até levar seus dígitos a minha nuca ditando os movimentos puxando devagar meu cabelo. Após longos minutos sinto os espasmos do menor que se contorcia na cama em busca de mais contato, prestes a gozar. 

Nathan- Ainda não bebê- me afasto recebendo resmungos de desaprovação do mais novo. 

Me ergui retirando minha própria calça incômoda, e observo o Liam que me olha com a cara mais safada e maliciosa do mundo. 

Liam- Opa!  Vai caber? Gostei do tamanho - pronuncia enquanto caminha em minha direção e abocanha meu membro me obrigando a soltar um gemidos alto demais que foi, miseravelmente, tentado a ser contido, mas que falhei. 

Liam lambe toda a extensão do meu pênis o lubrificando, me masturbando e dando separei em minha glade, tudo enquanto me olha com uma expressão de divertimento por me ver em suas mãos tão facilmente. Cansado de ser provocado empurro Liam e me encaixo entre suas pernas fazendo uma leve pressão em sua entrada, obrigando o menor a implorar por contato. Levo meus dedos a sua boca e o mais novo começa a chupar da forma mais sem vergonha e excitante que eu poderia imaginar que um dia ele fizesse, tão lindo... Ou eu estou muito apaixonado... Os dois. Depois de bem molhados, forço o primeiro dedo em sua entrada, recebendo leves gemidos de dor, mas introduzo o segundo e o terceiro, movimentando e estocando, vou até sua face iniciando um ósculo lento e quente. Retiro meus dedos de sua entrada pelo meu membro recebendo um gemido alto em resposta. 

Começo com leves estocadas para que se acostume com o volume e logo vejo seu rosto aos poucos mudar de expressão de dor a prazer, pedindo para que eu aumente o ritmo da penetração, vou a sua orelha chupando e mordendo a mesma e sussurrando um eu te amo sempre que podia. Durante longos minutos com nossos corpos se chocando e gemidos cobrindo o quarto, Liam chega ao seu ápice fazendo sua entrada contrair e consequentemente me fazendo gozar. 

Saio de dentro de Liam e o puxo para um abraço nos cobrindo com o edredom novamente, apesar do calor passageiro e momentâneo, dou um beijo em sua nuca absorvendo seu perfume adocicado. 

Liam- Nathan... Eu sei que é errado, mas... 

Nathan- Eu te amo. 

Liam- O quê?? 

Nathan- Eu te amo, não me importo se é errado, só sei que te amo e nada nem ninguém vai mudar isso. 

Liam-... Obrigado por existir. 

Sinto sua mão entrelaçando a minha encima de sua barriga, num gesto de carinho, e assim dormimos juntos abraçados compartilhando nosso amor... Ou pecado. 



Notas Finais


Ta uma merda? Ta!
Desculpa os erros e eu sei que ta uma bosta.

Espero que tenham gostado, tentei passar o que cada um sentia pelo outro de forma subliminar.

Não me matem e não desistam de mim!

Kissus de yaoi ((☞ ͡ ͡° ͜ ʖ ͡ ͡°)☞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...