História Little Daddy - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Tags Bottom!mingyu, Jigyu, Regyular, Top!jihoon
Visualizações 172
Palavras 1.637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


voltei rápido né, bom, vão entender o motivo no final... boa sorte ai pra quem queria interações mais ‘pesadas’ hihi

*pra quem não leu as notas do capítulo anterior, esse já é o dia da apresentação ;)

_ aviso rápido pq vi só agora: a burra aqui sabe dos bagulhos de “ah e yah” depois dos nomes, mas confundiu e trocou durante a fic inteira. Eu escrevi em todos os caps “Gyu-ah” ao invés de “Gyu-yah” e bem... não estou nada inclinada a mudar os caps anteriores favor relevarem isso, a partir de agora vou corrigir, obrigado_

Capítulo 15 - Capítulo 15


Fanfic / Fanfiction Little Daddy - Capítulo 15 - Capítulo 15

Tudo sobre absoluto controle MinGyu! Não se preocupe, vai ocorrer na maior tranquilidade possível, só contar até mil e...


— Gente os jurados chegaram! – Hansol aparece eufórico. 


Aí merda, bem na hora que estava entrando na paz!


— Vão começar a chamar os grupos! – SeungKwan surge logo atrás, feito sombra do americano.


Todo mundo começa a desesperar e cada um tenta acalmar-se de formas diferentes.

Huh? Sinto alguém me puxar para outro lugar e olho assustado. Ah, é só o Hoon.


— Me conta uma piada! – Manda sério.

— Que?


“Sixteen, apresentem-se.” Ouvimos no microfone.


— Agora! – Grita danificando levemente meus tímpanos.

— Okay, okay! – Percebo que era uma forma de relaxar, hora de pensar numa piada boa poste acéfalo! 

Viro rapidamente o rosto vendo uma placa de “priobido fumar”. Ótimo, isso me deu uma ideia. ‘Vom por em ação!

— Como ficam os cigarros que terminam o namoro?

— Não sei. Como?

— Ex-tragados. Entendeu? Estragados...

Ele ri alto. — Pufh! Que bosta.

— Poxa, tava melhor na minha cabeça. – Realmente, não achei que ia ficar tão merda assim...

— Até que foi boa, de tão ruim que estava... Ajudou.

— Jura? Ajudou mesmo? Achei que você ia me bater de tão lixo que...


“Seventeen, subam ao palco.”


Fodeu, meu cú trancou e tenho a impressão que o do Hoon também, esse semblante entrega.


— Chega ai pessoal! – SeungCheol dita. Nos aproximamos e formamos uma rodinha. — Igual ensaimos, trabalhem duro! Vamos!


Damos passos apressados ao palco e temos total visão dos jurados. Nada melhor que além de estar se cagando em tensão, ter os dois dos cinco jurados integrantes do seu grupo musical preferido, porque eu tinha que gostar de Nu'est senhor? Além do fato de serem talentosos, carismáticos, lindos e o caralho quatro... Porra! Foco MinGyu! Olha a hora que tu resolve enaltecer os bias meu caro!

Talvez essa seja a décima vez que agreço o fato dos meus pés trabalharem no automático, porque se não fossem eles eu estaria parado no mesmo lugar onde os meus pensamentos resolveram fluir, como sempre nos momentos nada propícios.


“Apresentem-se.” Um dos jurados, graças a deus um que eu não conheço. Caso escutasse a voz de um deles, estaria com o frio na barriga em dobro.


SeungCheol andou até a posição que combinamos nos ensaios; à frente de todos.


— Somos, Seventeen! – Grita e reverenciamos sincronizadamente. — Ya, S.Coups!


Logo começa as apresentações seguindo a ordem do nosso enfileramento, que fora feito segundo a base de nossas idades.


— Ya, JeongHan!

— Ya, Joshua!

— Ya, Jun!

— [...]


Meu batimento cardíaco pulmonar hepático renal cardiovascular já está começando a bugar. 

Puta, deu vontade fazer xixi agora! Eu fui no banheiro não foi nem há dez minutos atrás. Como assim? Calma, deve ser coisa da minha cabeça. Impossível que tenha dado isso agora!

Ué! Ficou tudo em silêncio porque? Estão todos olhando pra mim e... Verdade cacete voador, eu tenho que falar!


— Ya, MinGyu! – Sinto um peso saindo dos meus ombros ao ouvir DoKyeom apresentenciar-se na sequência.


Ô lindinha, fofinha, você mesmo mente! Porque gosta tanto de perder-se em devaneios nas horas erradas, gosta de foder tanto assim com a minha vida?

Vários grupos depois:

Sabe aquela tensão? Então, ela voltou duzentas vezes triplicada ao quadrado da hipotenusa. Chegou aquela dolorosa hora, que só vi em talent show's, onde escolhem quem fica e quem sai.

No começo eu estava bem foda-se para esse colégio, inclinado à voltar pra casa em menos de três dias, mas depois de todo esse tempo... Parece que a minha vida depende disso. Um futuro bom que me aguarde!


“Quem vai sair serão os meninos do...”

Sei que você é meu bias JongHyun, mas sinceramente vai se ferrar, para com esse supense caralho!

“More and less!”


Não sei se comemoro ou choro, conhecia cinco maninhos de lá... Mesmo assim não posso desanimar!

Todos educadamente reverenciam em silêncio, mas podemos ver a enorme vontade de quem ficou “vivo” de gritar de alegria.

No corredor:

— Precisamos beber! – Jisoo grita enquanto andamos.

— Shiu! – ‘Coupsi cala o namorado com as palmas.

— Precisamos beber... – Fala baixinho após ter a boca liberta pelas mãos alheias.


Soltamos risadas que ecoam pelo local.

Após algumas conversas aleatórias, chegamos no dormitório do triangulo amoroso.


— Tranca a porta que eu tenho uma surpresinha. – JeongHan soa malicioso enquanto fuça embaixo da cama. Querem ver a bosta? Só esperar...

— Não iriamos guardar pra um momento especial? – SeungCheol diz, opa, então ele já sabe o que é.

— E esse não é um momento especial?


— Uoh! – Surpresos, falamos em uníssono.

— Gostaram né. – Dois maços de cigarros toma conta das respectivas mãos.


Abriu em segundos que nem vi, que desespero por nicotina hein... Sai distribuindo, chegando minha vez eu logicamente nego.


— Não sou de fumar. 

— Sobra mais! – Ri e continua dando os tabaquinhos para cada um.

— Revezem! – Joga por fim um esqueiro azul, que cai bem no meio das pernas de MingHao, Dino puxa como se dependesse desse objeto. Rapidamente acende levando à ponta do cigarro.


— O BAGULHO DE INCÊNDIO! – Jisoo grita saindo do banheiro.

— Apaga, apaga, apaga! – Geral diz atropelando a fala do outro.


Chan, desesperado joga no chão e com as mãos mesmo apaga a brasa antes que formasse mais fumaça. JunHui surge pulando, abanando e espantando com o travesseiro a neblina do tabaco.


— Mesmo sem o treco de incêndio, tava pensando o que Lee Chan? Você é uma criança ainda. – Han diz nos fazendo rir e deixando o pequeno Coreno bufando.

— Alguém vai ter que tapar aquilo com o travesseiro se quisermos fumar. – Cheol diz jogando-se em sua cama.

— Quem são os mais altos? – Hansol pergunta.

— Wonwoo e MinGyu!

— Qual vai ser? – Eu e Jeon nos entreolhamos.

— Eu não! – Digo antes de escolherem um de nós.

— Vai pedra, papel e tesoura pra decidir.


Wonu se aproxima e levanta o braço direito indicando o ato. Faço o mesmo com o esquerdo, já que sou canhoto.

Fecho os olhos pra não ver o que será. Lanço o papelzinho maroto, por favor tenha escolhido pedra! Estou até escutando eles ‘uivarem, será que eu ganhei? Melhor abrir e ver mesmo.


— Pufh! Vai se foder, se roubou né! – Riem do meu comentário bobo.

— Vai logo e para de reclamar! – Soonyoung me zoa na distância. De boa MinGyu, só não abrir a boca e tudo ocorrerá bem.


Agh! JeongHan arremessa o travesseiro quase me derrubando.


— Tá caindo até com a almofada Gyu? – JiHoon diz fazendo quase todo mundo rir. Filhinho de uma mãe!


Mostro a língua pro loiro como resposta. Vai, talvez eles não demorem para comemorar...

Um longo tempo depois:

Eu não aguento mais ficar aqui, nem estou sentindo mais meu braço! Se ele cair no chão não vou nem estranhar.


— Pra finalizar... – Fitamos JeongHan no automático assim que nos chamou atenção. Isso finaliza vai. — O último maço! – Pera, que?

— ‘Tá tirando?! Estou cansado de ficar aqui em pé seus fumantes bêbados. – Pistolei mesmo, será que fui grosso demais? Dane-se, eles nem se lembraram amanhã, bando de folgados.


— Só mais um Gyu-yah! – Escuto Ji com os dizeres alterados, puta que me pariu la la la la la!

— Por que o Wonu não fica um pouco aqui? – Exclamo, o cara não é nem cinco centímetros mais baixo, óbvio que alcança.

— Porque ele está ocupado aqui não ‘tá vendo? – Viro em direção a voz e vejo Hoshi e o Jeon agarrados no canto do quarto. Não, não e não!


— Já deu! – Falo meio alto e solto o travesseiro dando vários foda-se's se eles querem tragar mais.


Destranco e abro a porta irritado, vão tomar no cú, são meus amigos e tudo mais, porém são uns folgados quando estão nesse estado. Antes de bater a madeira nos batentes avisto Hoon se levantando e vindo até mim. Para por alguns instantes e olha no fundo da minha alma, socorro. Até arrepiei agora!


— Não vai me levar igual da última vez? – Pede todo manhoso, quem ve pensa que é passivo...


— Não. – Cacete, preciso de água de tão seco que fui agora.

— As regrinhas senhor Kim. – Me provoca cambaleando, porra.


Suspiro revirando os olhos e já sabendo o que fazer me agachei. Ai! Nunca vou me acostumar com esse mini peso sobre minhas costas...


— Não vomita no meu ombro seu mimadinho! – Solto um riso recebendo outro em resposta.


Pensando bem, mesmo sabendo que toda aquela bebiba faz realmente mal pro Hoon, tenho que pensar pelo lado positivo: essas são as únicas vezes que tenho tanto contato com o baixinho. Não, pera, ficar bêbado é muito ruim o que que eu to falando?! Esquece!

Continuo andando e finalmente chego no nosso quarto, abro a porta com dificuldade e chuto-a revelando nosso quarto escuro. Acendo a luz e Voilà!

Fecho a porta com o pé e ando até a frente do banheiro, abaixando e enfim sentindo alívio na região dos ombros.


— Toma um banho morno pro efeito do álcool sair! – Viro indo em direção a minha cama, nada melhor que chegar e descansar a merda do meu corpo juntamente aos meus braços que ficaram esticado todo esse maravilhoso tempo. Graças aqueles meus amigos nada folgados e ‘cigarreiros!

Acho que depois do JiHoon vou passar uma ducha quentinha também pra relaxar bem, senão amanhã vou...


— Não. – Saio dos famosos devaneios ao sentir meu pobre corpinho sendo jogado sobre o colchão e algo, ou melhor; alguém subindo sobre mim.


Mas que porra é essa?


— Hoonnie, sai de cima de mim. – Peço e ele nega.


MANO! Agora que eu percebi a posição em que nós estamos, pra piorar a que eu estou né! Relaxa MinGyu, isso é só um sonho onde você está com as pernas abertas e tem um Lee JiHoon entre elas roçando algo não identificado pelos seres humanoídes na sua região abençoada.


— Hyung para, você está bêbado. – Respiro forte, tenho que iguinorar a maldita movimentação que está ocorrendo pra baixo do meu quadril.


— Quem disse? – Fala com o tom normal demais pra quem bebeu e fumou...


Oh não! Pera, não mesmo, de jeito nenhum, nem fodendo! Ele está sóbrio? Tanto faz, o melhor agora é me preocupar com minha sanidade que está evaporando que nem água em panela de pressão.


Notas Finais


AAAHAHHAHAHAH!!! TÁ VAMOS LÁ: eu não sei quando postarei o próximo capítulo já que será TALVEZ um limãozinho hehe

agora quero saber como vou fazer:
1: um mingyu desajeitado sendo passivo
2: um lemon em primeira pessoa
vai ser a primeira vez nas duas experiências...

aaaaté o próximo :3 sz!!

(valeu favs e comentários, amo cada um de vocês que estão acompanhando e add a lista de leituras etc...)

*obs desnecessária: eu inventei a piada do ‘ex-tragados’ outro dia na escola, juro que nunca vi nenhuma parecida na internet, então agora eu me considero uma criadora de piadas badass!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...