História Little heartbroken - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Soul Eater
Visualizações 15
Palavras 989
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura~~

Capítulo 31 - Adeusinho!


Fanfic / Fanfiction Little heartbroken - Capítulo 31 - Adeusinho!

 

  Acordei deitada sobre o peito do soul, ao vê-lo dormir sorri quase que instantaneamente. Me levantei calmamente para não acorda-lo e saí da cama, cheguei ao banheiro trancando a porta e deixando meu corpo deslizar sobre a mesma enquanto a minha mente reproduzia tudo o que havia acontecido, me permite reagir de qualquer forma, eu não acreditava no que havia acontecido noite passada. Eu me levantei do banheiro quase escorregando novamente e tomei um banho sem pressa. Assim que saí o Soul ainda estava dormindo, eu me vesti e desativei a magia de teleporte, se ele caísse seria bem difícil de encontra-lo.

Soul ONN

  Após acordar, tomar banho e perceber que fui abandonado pela Yumi me sentei na cama, ela não tinha deixado nem se quer um bilhete para avisar ou sei lá o que, acabei por redirecionar meu olhar a janela, que agora atravessavam raios de sol. Me levantei e tive a vista da cidade, saí do quarto dando com um corredor cheio de porta que eu não me lembrava que tinha, ao seguir por todos eles acabei encontrando com uma escadaria e desci vendo vários tipos de criaturas diferentes, acho que vi lobisomens, e o que pareciam ser homens polvos, vi também alguns tritões. Após andar no que parecia ser um refeitório completamente cheio por criaturas estranhas, logo ao lado esquerdo havia uma porta com peixe gigante parado, me aproximei do mesmo e pude ver que ele usava algo do tipo um terno com gravata borboleta, foi ai que eu parei e pensei se poderia ter ingerido alguma coisa errada, eu definitivamente poderia ter usado substâncias alucinógenas ou eu estava sonhando, quando tentei atravessar a porta ele me impediu.

-O senhor não pode entrar  aqui sem a companhia de sua dama. Disse sem me olhar

-Eu estou pouco me lixando pro que devo ou não fazer.  Disse o empurrando –Eu quero falar com a Yumi agora.

Soul OFF

   Eu estava em uma reunião entediante com bruxas, de todos os dias do ano eles foram escolher logo hoje para a convocação anual das bruxas/divindades/qualquer outra coisa com poderes sobrenaturais, que ótimo, da última vez fiquei quase cinco malditas horas escutando tagarelados. Enquanto uma delas falava sobre responsabilidades e coisas do tipo escutei um barulho alto, parecia que os subordinados estavam brigando, pouco tempo depois escutei uma explosão que me fez dar um salto e ficar de pé assim como todas naquele recinto. Assim que saímos da sala estava um completo caos, parecia uma terceira guerra mundial. Comidas voavam, brigas, gritos e discussões.  Corri meus olhos pela sala e encontrei o Soul socando um dos acompanhantes da Tallula divindade das águas. Me aproximei dele puxando pela gola, ele iria reagir até que percebeu quem era e ficou de pé, mas eu não soltei sua gola, aos poucos todos os subordinados estavam com seus donos. Ao centro estava Dana a rainha das ninfas dos bosques. Ela batia os pés e segurava seu subordinado pelo braço, algumas bruxas com o auxilio da magia colocaram os objetos da sala de volta ao lugar, eu já estava cansada de falatórios e coisas do tipo. Então sorrateiramente saí daquele lugar e assim que saí do hotel dei um tava  forte na cabeça do Soul.

-Por que você fez isso? Ele disse passando a mão no local

-Pra você deixar de suas criancices, seu imaturo. Disse –Você poderia ter morrido sabia?

-Aquele peixe idiota que começou. Ele murmurou

-Vem logo. Disse virando de costas

   Ele apressou o passo e ficou ao meu lado, não demorou muito para chegar a minha loja favorita de ingredientes mágicos, Assim que abri a porta o sininho soou avisando que eu havia entrado, logo Ruffos o senhor velhinho, dono da loja levantou e veio ao meio encontro com um sorriso no rosto, ele não havia mudado nada, ainda usava o kimono e suas chinelas de madeira.

-Menina Yumi, quanto tempo. Ele disse tirando o seu velho amigo cachimbo da boca –Você não está mais com o cabelo roxo e cresceu bastante.

-Também é bom ver o senhor Ruffos. Disse sorrindo e pouco tempo depois o cachorro de,  que veio latindo e balançando o rabo –Também senti saudades de você Dex

  Depois de comprar os ingredientes, Ruffos pediu para que o visitasse mais vezes e saímos da loja, mais um vez eu teria que dizer adeus ao mundo das bruxas, por mais que eu tivesse bastante obrigações e pessoas que me odeiam, eu gosto daqui, é como se nada me abalasse, como se eu pertencesse a esse lugar. A caminho do portal dei uma ultima olhada para trás e senti Soul segurar minha mão, assim como na ida, nosso caminho foi completamente silencioso e até mais rápido, ao terminar o labirinto e atravessar o portal voltamos ao chalezinho e ao velho mundo dos humanos. Me aproximei do Soul retirando a marca, o mesmo reclamou de dor e ficou dizendo o tempo todo “você não disse que ia doer assim” durante quase todo o processo

-Eu quero um beijo. Ele disse quando chegamos perto da moto

-O que? Disse

-Não se faça de desentendida eu quero meu beijo! Ele falou se aproximando e embora eu tenha resistido um pouco nem consegui evitar –Você ainda é minha, lembre do nosso trato

-Posso saber que trato? Falei levantando as sobrancelhas e ele riu

-Não adianta fingir que não lembra, você prometeu antes de fazermos você sabe o que. Ele disse me fazendo corar

-Seu pilantra. Disse dando língua

-Pilantra nada, até parece que você não está gostando senhorita Death Yumi! Ele disse batendo com o dedo no meu nariz, eu dei língua de novo pra ele só que dessa vez ele aproveitou a oportunidade e iniciou um beijo lento –Não pense que vai fugir de mim.

-Estou começando a desistir da ideia. Sussurrei colocando o capacete

-O que você disse? Ele falou subindo na moto e eu logo atrás dele

-Nada! Falei e sorri


Notas Finais


~Queria que fosse mais fofinho >u<
Obrigado por não desistirem ^-
Até mais~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...