História Little Primrose - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias 4Minute, Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Hyun A, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Ji Yoon, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Hoseok, Hoseok!bottom, Hoseok!ômega, Hyuna, Jennie, Jiah, Jiyoon, Kookmin, Lisa, Menção Jenlisa, Menção Jikook, Menção Namjin, Minkook, Taehyung, Taehyung!alfa, Taehyung!top, Taeseok, Vhope, Vhope Abo, Vope
Visualizações 309
Palavras 1.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, tô trazendo essa fanfic e... Assim como Baby I'm Yours, eu não tenho ideia de como isso vai terminar :v, mas espero ter um bom resultado :3

Espero que gostem ❤
Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Little Primrose - Capítulo 1 - Capítulo 1

 Sabe aqueles momentos em que você começa a se perguntar porque tem o trabalho que tem? Começa a se questionar o porque de continuar em um emprego como aquele? Era exatamente isto que Jung Hoseok estava fazendo naquele momento

Tinha um trabalho que todos o consideravam bobo e sem necessidade alguma, ou nem consideravam como emprego. Hoseok trabalhava como doutor da alegria, e sempre que escutava as pessoas dizendo que seu trabalho não passava de algo ridículo que difavama os outros médicos, começava a questionar-se sobre a escolha que tinha tomado.

Hoseok desde pequeno tinha o sonho de se tornar médico, salvar vidas era um trabalho que sempre almejou alcançar mas as pessoas sempre lhe dizia que por ser frouxo como era, não conseguiria realizar uma cirurgia para salvar vidas, diziam também que Hoseok não era o tipo de pessoa que conseguia se manter sério, principalmente em horas em que serenidade era realmente necessária, e por isso não conseguiria ser psiquiatra ou psicólogo. E ele concordava com cada coisa que diziam, e a quanto mais ia crescendo, mais acreditava que não conseguiria se tornar médico.

Mas uma vez em que tinha pego uma doença grave aos dez anos, doença está que poderia tirar sua vida, fora curada por um grupo de pessoas fantasiadas e animadas que lhe diziam todos os dias que fariam o Jung rir tanto que sua doença ficaria tão incomodada que iria embora. E foi o que aconteceu, todos os dias aquelas pessoas estranhas e incrivelmente animadas iam lhe visitar, fazendo brincadeiras, tocando e cantando para Hoseok o fizeram melhorar. E foi então que Hoseok percebeu o que queria fazer quando crescer, séria um doutor da alegria, mesmo que não ganhasse muito com isso. Sempre que se sentia para baixo por conta do que as pessoas diziam sobre seu trabalho, se lembrava o motivo de ter escolhido aquela área, se sentia melhor e ainda mais disposto a continuar.

Hoje séria um dia difícil para Hoseok, achou que poderia ir para casa descancar tranquilamente em sua amada e aconchegante cama, porém havia um problema. Park Dongjin, um garotinho que estava com leucemia estava em seus últimas horas de vida e Hoseok fôra designado a fazer companhia para a pobre criança até que está partisse, pois a criança era realmente apegada ao Jung, e virse e versa.

-Onde está meu paciente favorito?-o Jung perguntou entrando no quarto de Dongjin, encontrando os pais da criança sentados ao lado da cama.

-Hyung... -a criança disse com um sorriso fraco nos lábios-você veio mesmo...

-É claro que eu vim Dongjin, como eu poderia ir para minha casa sem te ver antes parceiro?-perguntou enquanto pegava seu ukulele.

-Hyung, meus pais continuam insistindo que eu deveria dormir logo... Mas eu não quero dormir.

-Mas você deveria escutar seus pais querido, eles se preocupam, você verá como logo logo você estará melhor-disse mantendo seu enorme e radiante sorriso, arrancando um sorriso um pouco mais largo – porém ainda fraco – da criança.

-Se você está dizendo Hobi hyung-disse suspirando-veio cantar para mim?-perguntou com os olhinhos brilhando de alegria.

-Mas é óbvio! O que mais eu viria fazer aqui?-estava tão difícil para Hoseok manter-se alegre naquele momento, era realmente apegado pelo pequeno, e não poder fazer nada para salvá-lo o arrasava-vou tocar uma música que vai fazer você dormir, aquela, a nossa favorita-disse dedilhando as cordas.

-Mas eu não quero dormir, se eu dormir, meus pais não vão estar comigo manhã quando acordar-fez bico.

-Mas é claro que vamos estar com você, eu, papai, e seu hyung, vamos estar aqui quando você acordar meu amor. Pode descansar tranquilo-a mãe disse pegando na mão do filho e beijando ternamente ali, Hoseok começou a tocar a música que sempre tocava para animar Dongjin ou então para fazê-lo dormir

93 milhões de milhas do sol

As pessoas preparam-se, preparam-se

Porque lá vem, é uma luz

Uma linda luz, além do horizonte

Dentro dos nossos olhos

Caramba, como é linda

Oh, minha bela mãe

Ela me disse: Filho, você irá longe na vida

Se fizer isso certo, amarás o lugar onde está

Apenas saiba, onde quer que vá

Você pode sempre voltar para casa

240 mil milhas da lua

Percorremos um longo caminho para pertencer a esse lugar

Para partilhar essa vista da noite

Uma noite gloriosa

Além do horizonte há outro céu brilhante

Caramba, como é lindo

Ó, meu pai irrefutável

Ele me disse, filho, às vezes, pode parecer escuro

Mas a ausência da luz é uma parte necessária

Apenas saiba, que você nunca está sozinho

Você sempre pode voltar para casa

Você pode sempre voltar

A esse ponto a criança já dormia serena, seu peito subia e descia devagar, sinal de que tinha pego no sono. Porém Hoseok parou de cantar de imediato assim que o som familiar agudo que vinha do monitor cardíaco indicando que a pobre criança já tinha partido. O moreno sentiu um aperto no peito e deixou que uma lágrima descesse pelo seu rosto, mas a secou rápido para que ninguém visse. Nossa, os pais da criança chorando ao lado dp filho era de cortar o coração de qualquer um. E Hoseok achando que seria desrespeitoso permanecer naquela sala, se retirou da mesma.

Assim que saiu encostou-se na parede e foi escorregando até que sentasse naquele chão frio. Deixou seu ukulele ao seu lado e deitou nos próprios braços, que estavam sobre os joelhos. Essa era a parte mais complicada de seu trabalho, ter de se despedir das crianças, e Hoseok que sempre foi coração mole, se apegava facilmente por aquelas crianças, e nem sempre podia salvá-las, o que partia seu coração em pedaços toda vez que tinha de ficar perto das mesmas quando estivessem morrendo. Mas fazia isso para que a criança se fosse feliz e tranquila, como era o caso de Dongjin, que se fôra com um sorriso sereno nos lábios, estava em paz ao menos.

-Senhor Jung?-uma voz um pouco embargada chamara pelo moreno, que ergueu a cabeça, que ao ver que se tratava dos país de Dongjin, se levantou de imediato.

-Senhor e senhora Park-se curvou brevemente, e os mais velhos fizeram o mesmo.

-Muito obrigado por ter comparecido e ter proporcionado ao menos um último momento de paz ao nosso pequeno-o pai de Dongjin disse estendendo a mão para Hoseok, que aceitou ao gesto do homem.

-Não precisam me agradecer, eu realmente gostava do Dongjin-disse com um pequeno sorriso.

-Sabemos disso, ele não parava de falar de você-a mãe disse rindo, secando algumas lágrimas-mas me diga, você disse que aquela música era a sua e a música favorita de Dongjin, porquê?-a mulher perguntou curiosa, Hoseok riu.

-Dongjin me dizia que aquela música fazia ele se lembrar de vocês, de como, mesmo sabendo que ele não iria voltar com vocês, ainda sim sempre o animavam dizendo aquilo-disse olhando para o chão, pensativo, olhou para os pais da criança, que estavam levemente surpresos, eles agradeceram novamente ao Jung e depois foram embora.

Hoseok sentia um forte aperto no coração e queria que aquilo passasse logo, então assim que finalmente terminou seu expediente e entrou em seu carro para se dirigir até sua casa, pegou seu celular e ligou para sua mãe que não demorou a atender.

-Alô?

-Alô Omma, sou eu, Hobi.

-Hobi meu querido! Que bom te ouvir. E então, como foi no trabalho meu amor?-a voz doce e animada da senhora fez com que o Jung sorrisse minimamente, sentindo-se um pouco melhor.

-Ah Omma, foi bem cansativo hoje, a senhora se lembra do Dongjin, aquele menino que tinha leucemia?

-Lembro sim meu amor, o que tem?-Hoseok ficou em silêncio, nem dizer direito conseguiu, seus olhos já lacrimejavam e a garganta ardia-Não me diga que... Oh céus... Eu sinto muito meu filho, deve ter sido difícil.

-E foi Omma, mas foi pior para os pais da criança, nossa eles choraram tanto, nem sei como não chorei também-suspirou-mas não liguei para falar sobre isso com a senhora.

-Não? Sobre o que então?

-Omma, eu quero falar com o Baeji, ele tá ai?

-Oh meu querido, infelismente não, ele já está dormindo. Mas ele me deu um trabalho hoje, essa gatinho é muito agitado.

-Eu sei Omma, fazer o que, é meu filho-disse rindo, arrancando risadas da mãe-não vou demorar a chegar, então a senhora já pode ir dormir-estou sua mãe responder um “certo, boa noite meu filho” então desligou.

❇❇❇

Hoseok entrou em sua casa, e jogou sua mala no sofá e foi direto para seu quarto, onde tomou um rápido banho e foi para sua cama, onde ficou lendo algumas fixas de seus pacientes novos. Enquanto lia escutou o som da porta se abrindo, então olhou para a mesma, e um pequeno sorriso brincou em seus lábios.

-Meu amor eu te acordei?-o Jung perguntou deixando as fixas de seus pacientes sobre o criado mudo.

-Omma... Você chegou... -disse o pequeno ser se aproximando da cama de Hoseok-Quero dormir com você Omma... -disse sonolento, erguendo os braços para Hoseok, que não pensou duas vezes, ajudou a criança a subir na cama, assim que o pequeno subiu se deitou em cima do Jung, repousando a cabeça em seu peito-Eu senti sua falta Omma...

-Eu sei meu amor, me desculpe por isso Baeji, hoje eu tive que ficar mais tempo-suspirou, sabia o quanto o filho ficava triste quando Hoseok não chegava em casa no horário que sempre dizia ao filho que chegaria-ei, que tal se amanhã eu te levasse e buscasse na creche?-perguntou enquanto afagava o cabelo moreno do pequeno, que sorriu sonolento.

-Eba... -ergueu seu bracinho demonstrando toda sua animação, mas abaixou rapidamente, se entregando so sono e dormindo. Hoseok riu e apagou a luz de seu abajur, para que pudesse dormir com seu filho.


Notas Finais


Essa parada do Hoseok ser pai, eu explico dps, o Tae ira aparecer no próximo capítulo tá gente, eu só queria dar foco nessas duas coisas.
A música que eu coloquei ai é 93 million milles do Jason Mraz, quem quiser escutar a msc, vou deixar o link ai :3
https://youtu.be/bcQwIxRcaYs

Bjks e até o próximo capítulo 😘

P.s: Gente me desculpe qualquer erro, eu estava morrendo de sono quando escrevi, quando der tempo eu vou corrigir :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...