História Live And Let Die - Capítulo 73


Escrita por:

Postado
Categorias Guns N' Roses
Personagens Axl Rose, Dizzy Reed, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Slash, Steven Adler
Tags Alan, Amber, Axl, Duff, Emma, Izzy, Naomi, Slash, Steven
Visualizações 71
Palavras 2.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 73 - I hate you because you're too good for me


Fanfic / Fanfiction Live And Let Die - Capítulo 73 - I hate you because you're too good for me

POV Amber

— Sai daqui, Vince! — Eu falava pela milésima vez, mas parece que aquele loiro tem dez parafusos a menos e não entende o que eu digo.

— Qual é, Amber, vai mesmo me mandar embora assim?

— Eu não quero falar com você.

— Graças a você e aos seus dois amiguinhos, minha namorada terminou comigo.

— O problema é todinho seu. — Falei o encarando. — Você começou dando encima de mim.

— Mas eu não tirei sua roupa a força.

— Você quer fazer o favor de ir embora? — Perguntei começando a ficar irritada.

— Chega, Vince! — Nikki Sixx disse se aproximando e se sentou ao lado do amigo.

— Finalmente alguém pra mandar esse chato calar a boca! — Eu falei impaciente e Nikki riu.

Eu conheço Nikki há algum tempo, ele namora com uma das meninas que trabalha comigo na agência.

— Ele está com raiva porque apanhou do Rose. — Nikki riu.

— Eu também bati nele!

— É, todo mundo bateu em todo mundo, foi empate, agora dá o fora!

— Tudo bem. — Vince se levantou. — Mas se eu encontrar o Stradlin ou o Rose na rua, eu quebro a cara deles!

Vince saiu e Nikki riu.

— Quebra porra nenhuma. — Nikki falou ainda rindo. — Nunca vi um cara que fala tanto e não faz nada.

— Ele está insuportável.

— Ele está com raiva do que aconteceu na festa. — Deu de ombros. — Depois passa.

— Ele fala comigo como se eu tivesse culpa.

— E tem.

— Qual é!

— Você sabe bem que mesmo se o Stradlin não tivesse feito nada, ia ter briga.

— Como assim? — Perguntei confusa.

— Eu vi o Vince dando encima de você e o Rose também.

Agora entendi porque o Axl ficou tão puto daquele jeito comigo.

— E antes dele fazer qualquer coisa, teve a confusão com o Izzy. Aí juntou tudo. Vince dando encima de você mais Vince socando o melhor amigo dele é igual a Rose pistola. — Revirei os olhos, mas ele estava certo. — O que quero dizer é que, de uma forma ou de outra, Axl ia surtar e os dois iam acabar brigando.

— Mas você sabe que eu não dei bola para o Vince.

— Eu sei. Mas o Rose sabe?

Não.

— Isso não é da conta dele, já foi, agora não é mais. — Revirei os olhos. — Ele não tem que ficar de ciúmes, ainda mais agora que está namorando.

— Então avisa isso a ele. — Ele falou se levantando. — Quando eu cheguei, ele estava do outro lado da rua te observando e a cara dele não era uma das melhores.

— Droga. — Suspirei.

— Eu tenho que ir. Se cuida. — Ele sorriu e saiu.

Agora vai saber o que se passou pela cabeça ruiva dele.

POV Off

Axl chegou em casa batendo todas as portas. Primeiro a da sala, depois a do quarto, do banheiro, voltou e bateu a do quarto novamente.

— QUER PARAR COM ESSE CARALHO? — Izzy gritou irritado da porta do quarto dele.

— EU NÃO VOU PARAR! — Axl gritou de volta e bateu a porta novamente.

— EU VOU TE MATAR, AXL! — Izzy gritou novamente.

— VEM ME MATAR ENTÃO, FILHO DA PUTA!

— MAS QUE MERDA DEU EM VOCÊS DOIS? — Duff gritou no meio do corredor.

Os dois pararam na porta e encarou o loiro com o olhar mortal.

— Continuem... — Duff sorriu amarelo e correu dali.

Axl entrou novamente em seu quarto e bateu a porta de novo. Izzy ficou furioso e entrou no quarto do ruivo.

— O que deu em você? — Perguntou encarando o amigo que estava deitado na cama. — Por acaso aquela vadia da sua namorada não fode direito?

— Sabe com quem a vadia da sua ex estava conversando hoje? — Perguntou se sentando.

— Qual delas? — Izzy perguntou pegando a carteira de cigarros e o isqueiro que estava encima da mesa de Axl.

— Amber, óbvio. — Ele disse revirando os olhos e se deitou novamente.

— Com quem? — Ele perguntou despreocupado e acendeu um cigarro.

— Seu amiguinho, Vince Neil, aquele loiro oxigenado.

— Não... Ela não estava não. — Izzy riu. — Ela nem é louca.

— Olha pra minha cara, você acha que estou mentindo? — Perguntou o encarando.

Izzy voltou a ficar irritado.

— O que aquela vadia estava fazendo com ele?

— Eu não sei e nem quero saber! — Axl falou irritado.

Logo a porta foi aberta, era Amber.

— Será que eu posso... — Ele a interromperam.

— SAI DAQUI! — Os dois gritaram e ela saiu o mais rápido possível.

— Eu vou acabar espancado ela de tanta raiva que me faz passar. — Axl falou.

— Você sabe que isso é errado, não é?

— Claro que sei, já fui preso por isso.

— Ah é verdade. — Izzy riu. — A garota estava ficou tão louca com o fora que você deu nela que contou pra todo mundo que você bateu nela.

— Ah, estou morrendo de rir, Izzy. — Axl falou revirando os olhos. — Sai do meu quarto que você está me atrapalhando a respirar!

— Como você é nojento. — Izzy disse revirando os olhos e se levantou.

O moreno saiu do quarto e resolveu voltar ao seu pra tentar dormir. Amber voltou novamente e entrou no quarto do ruivo, ele abriu a boca pra xinga-la, mas ela o interrompeu.

— Não! — Ela falou e ele fechou a boca. — O que diabos se passou pela sua cabeça quando me viu?

— Que você é uma traidora! Por que diabos estava com o Vince? Você, mais do que ninguém, sabe o que ele fez!

— Eu não estava com o Vince! Ele apareceu do nada e ficou me enchendo o saco!

— Será que foi isso mesmo? — Ele perguntou.

Ela resolveu não responder. Axl entrou no banheiro do seu quarto e Amber saiu de lá irritada.

[...]

POV Amber

Fazia duas semanas que eu não via o Axl. E eu estava dando graças a Deus por isso. Naomi me contou que o namoro dele com a Stephanie estava forte, mas ao invés de me deixar mal, eu estava bem em relação a isso. Axl ainda não estava bom comigo, mas o problema é todinho dele, não sou obrigada a agradar ninguém.

Resolvi ir na Hell House ver o pessoal, ainda era 9 horas da manhã. Quando entrei, vi Axl deitado na poltrona, lendo jornal.

— Ah, que azar. — Falei revirando os olhos.

— Põe azar nisso. — Ele falou com o jornal na cara. — O que faz aqui? — Perguntou tirando o jornal da frente e pude ver seu rosto, ele estava usando óculos de grau.

— Usando óculos agora? — Perguntei me sentando no sofá.

— Stephanie me obrigou.

Meu ódio por aquele ruivo aumentou. Quando eu o pedi para usar o caralho dos óculos, só faltou me bater, agora aquela vara de bambu (sim, ela é maior do que eu) pede uma vez e ele obedece. Pau mandado mesmo!

— Hum. — Murmurei com ódio.

— Não respondeu minha pergunta. — Ele falou dobrando o jornal.

— Não posso mais vir aqui?

— Não. — Ele falou se levantando.

— Deixa de ser idiota, Axl. — Falei com tédio.

— Não estou sendo idiota, você começou tudo.

— Eu? — Perguntei me levantando. — Eu comecei o quê? Ficou maluco?

— Olha, eu não vou gastar o meu precioso tempo discutindo com você. — Falou indo em direção as escadas.

— Tá. — Dei de ombros e me sentei novamente. — Problema todo seu.

Steven desceu as escadas e ficou ao lado de Axl.

— Vamos acabar com isso logo. — O ruivo falou de mal humor.

— Tá. — Steven afirmou. — Vamos com a gente Amber? — Eu apenas o encarei. — Axl vai fazer uma cirurgia pra parar de usar óculos e eu tenho que ficar lá sozinho esperando.

— Não, obrigada! Não quero incomodar o Sr. Rose com a minha presença. — Falei com deboche.

— Acho bom mesmo, porque minha paciência está no limite.

— Desde quando você tem paciência?

Steven franziu o cenho encarando a nossa discussão. Axl se irritou e saiu de casa, Steven foi logo atrás. E sim, Steven aprendeu a dirigir depois de um tempo. Axl conseguiu arranjar paciência para ensina-lo.

Resolvi ficar ali por mais algum tempo, depois eu ia em uma loja no centro comprar uma roupa nova.

[...]

Sinceramente, eu odeio comprar roupas. Ficar experimentando não é pra mim.

Eu estava andando na calçada, indo em direção ao meu carro, quando vi Axl, sozinho, parado no meio da calçada, de óculos escuros, por baixo dos óculos, vi que seus olhos estavam enfaixados. Me aproximei dele e ele não percebeu.

— Axl? — Perguntei.

— Amber? — Perguntou encarando o nada.

— Você está bem?

— NÃO! — Falou irritado. — Amber, eu não to enxergando caralho nenhum. Deve ter mais de uma hora que eu estou aqui esperando aquele burro do Steven!

Minha vontade de rir era grande, já que ele falava irritado para o nada, e eu estava bem ao seu lado.

— E onde o Steven está?

— Como eu vou saber? — Perguntou irritado. — EU NÃO TO ENXERGANDO!

— Quer parar de gritar, caralho? Estamos no meio da rua!

— FODA-SE! — Cruzou os braços e suspirou irritado.

Fiquei calada e ele continuou emburrado. Até que ele descruzou os braços e começou a passar as mãos pelo ar, como se tivesse procurando algo.

— Amber? — Ele perguntava. — Você ainda ta aí?

— Estou. — Falei revirando os olhos.

— E aquele poodle desgraçado? Já chegou?

— Não.

— Você não está mentindo pra mim, não é? Porque se estiver, eu mato você e ele.

— Quer calar essa merda dessa boca? O Steven não está aqui e se você continuar com essa ignorância, eu vou embora e te deixo aqui sozinho!

Falei e ele se calou, finalmente consegui calar a boca de Axl Rose! Isso é milagre. O peguei pelo braço e fui o guiando até chegarmos em meu carro, o ajudei a entrar, depois eu entrei e sai dali.

— Me leva pra minha casa, a Grace deve está preocupada porque já era pra eu ter voltado. — Ele falou.

Axl parecia um ceguinho, era engraçado. Será que é pecado rir disso?

— Grace? Ela voltou? — Perguntei o encarando.

— Sim. Eu liguei pra ela.

— A Grace deveria ficar comigo e não com você.

— Claro que não! Ela é minha.

— Sua o caralho! Você nem gostava dela.

— Ela é minha babá, sempre foi desde o início. — Ele falava com o nada. 

Revirei os olhos com aquilo. Que cara teimoso do caralho! Fiquei quieta para não me estressar mais, mas eu queria saber se ele havia voltado a morar na casa.

— Não sabia que tinha voltado pra casa. — Comentei.

— Eu não voltei. — Respondeu agora mais calmo. — Às vezes eu fico lá, mas não voltei.

E o resto do caminho foi todo em silêncio.

[...]

Chegamos em sua casa e entramos. Só de olhar aquele lugar, me batia um frio na barriga. Eu era tão feliz naquela casa, naquela época eu nem imaginária que estaria cuidando do Axl para a namorada dele. Sério mesmo que to fazendo isso? Minha vontade é de largar esse ruivo aqui e ir embora, tenho coisas mais importantes pra fazer.

— Grace? — Axl chamou e ninguém respondeu.

— Acho que ela não está. — Falei o ajudando a se sentar no sofá.

— Daqui a pouco ela vai chegar. Pode ir. Tchau. — Ele falou encarando o nada, fazendo um gesto com a mão me mandando embora.

— É assim que você me agradece? — Perguntei indignada.

— Obrigado, Amber, você é uma pessoa maravilhosa, que Deus te pague. — Ele falou com deboche. — Agora vaza.

— Não. — Falei me sentando na poltrona. — Daqui a pouco você inventa de fazer alguma coisa aí sem enxergar, morre e a culpa vai ser toda minha.

— Ótimo, ainda bem que você não vai porque eu estou querendo mijar e não vou conseguir sozinho.

— Que merda hein Axl. — Falei irritada e me levantei.

POV Off

[...]

Mais tarde com Steven...

O loiro foi até o consultório do médico atrás de Axl e não o encontrou.

— Puta merda, cadê o Axl? — O loiro perguntou a si mesmo preocupado, passando a mão pelos cabelos.

Ele entrou no carro novamente e foi para a Hell House. Chegando lá, encontrou Izzy e Slash sentados no sofá.

— Vocês viram o Axl? — Steven perguntou desesperado.

— Ele não deveria estar com você? — Izzy perguntou confuso.

— Sim, deveria.

— O que aconteceu? — Slash perguntou o encarando

— Eu perdi o Axl.

— Ai meu Deus! — Duff falou assustado, descendo as escadas. — Axl está morto? — Fingiu choro. — E como fica a banda? — Começou a fazer drama. — Onde vamos encontrar outro vocalista igual ao Axl? Não existe! — Ele falou, mas depois parou. — Pensando bem, vamos vender mais discos com isso.

— Cala a boca, Duff! — Izzy falou revirando os olhos. — O Axl não morreu.

— Steven acabou de falar que perdeu ele. — Duff falou apontando para Steven.

— Eu só não sei onde ele está.

— Ah taaa... — Duff sorriu. — Ufa! Ainda bem.

— Axl deve ter ido embora já. — Slash falou dando de ombros.

— Será? — Steven perguntou nervoso.

— Vou ligar pra lá. — Izzy falou pegando o telefone ao seu lado.

Com Amber e Axl...

— Toma! E eu não vou mais fazer nada pra você. — Amber falou entregando um copo de água na mão dele.

— Eu não te pedi pra ficar. — Ele deu de ombros e tomou um gole da água.

Eles estavam no quarto, Axl estava sentado na cama com as costas escorada na cabeceira e Amber sentada na poltrona.

— Além de abusar da minha boa vontade, é um mal-agradecido. — Revirou os olhos.

— Não enche. — Ele disse tomando outro gole da água.

O telefone começou a tocar e Amber atendeu.

— Residência do Axl filho da puta Rose. — Ela disse com tédio.

Amber? — Izzy falou confuso. — O que está fazendo aí?

— O que você acha? Steven abandonou o Axl e eu tive que cuidar dessa encrenca. — Ela falou encarando o ruivo e ele estava a imitando, fazendo caretas.

Viu, Steven? Axl está com a Amber. — Izzy falou no telefone.

— É o Steven? — Axl perguntou. — Fala pra ele não aparecer na minha frente tão cedo!

Ele está bem? — Izzy perguntou.

— Está irritado. — Amber deu de ombros. — Mas está bem sim.

Tudo bem. Era só isso.

— Ok. Tchau. — Desligou.

Amber olhou no relógio e viu que já era 18h e nada de Grace aparecer, ela queria embora, mas ficou com medo de deixar Axl sozinho daquele jeito, então resolveu ficar mais um pouco.

[...]

POV Amber

Axl havia dormido, já estava dando 20h, estou cuidando dele desde às 14h da tarde e tudo que esse maldito fez foi me criticar.

Eu o vi se mexer e bocejar. Ele se sentou na cama e passou a mão pelo cabelo.

— Tem alguém aqui? — Ele perguntou.

— Eu estou aqui ainda. — Respondi.

— Pensei que tivesse ido embora.

— Não, eu fiquei com medo de você fazer alguma besteira. — Falei me levantando.

— Não tem nem como eu fazer. — Ele falou encarando o nada.

— Tem sim. — Me sentei de frente para ele na cama. — Às vezes eu tenho medo de você cometer alguma loucura e acabar sendo preso ou morto.

Ele franziu o cenho.

— Amber... — Ele começou a rir.

— É sério, Axl. — Falei segurando sua mão. — Me promete que não vai fazer nenhuma loucura?

Ele ficou calado, ele deve estar pensando que eu sou maluca, aliás, o Axl me conhece, ele sabe como eu sou.

— Por favor? — Pedi ainda segurando sua mão.

— Eu te odeio, Amber. — Ele falou e eu fiquei assustada. — E sabe por que eu te odeio? — Eu estava com vontade de chorar, eu não estava acreditando no que ele estava falando. — Eu te odeio porque você é boa demais pra mim. Eu passei a tarde inteira descontando minha raiva em você e você ainda quer o melhor pra mim. — Ele falou e eu fiquei surpresa. — Eu não mereço você.

Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, ouvimos a voz de Grace no andar de baixo.

CHEGUEI.

— Acho melhor você ir, deve estar cansada. — Ele falou e acariciou a minha mão.

Eu estava com tanta vontade de ficar ali com ele, mas aí eu lembrei, Axl tem namorada, ele tem a Stephanie, eu sou apenas a ex trouxa que fica se preocupando com ele.

Não respondi nada, apenas me levantei e caminhei até a porta.

— Amber... — Ele me chamou e eu parei para encara-lo. — Stephanie nunca teria feito o que você fez por mim.

— Teria sim. — Falei triste e sai de lá.

Resolvi ir pra casa tomar um banho e descansar.

POV Off

Axl escutou o barulho do salto de Amber se afastando.

— Não teria. — Ele sussurrou para si mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...