1. Spirit Fanfics >
  2. Live (Jikook!Kookmin) >
  3. Estranha Família.

História Live (Jikook!Kookmin) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Estranha Família.


◇ Estranha Família ◇











— A-ah, eu… Posso ficar aqui só até que essa chuva pare? Por favor? —o mais baixo pediu educado lançando-o um olhar suplicante.


— Deixe-o ficar. —uma terceira voz fez-se presente no local.



Olhando para a alta escada em caracol à direita, Jimin viu um homem de cabelos rosados levemente desbotados descendo os degraus enquanto os olhava, acompanhado de outro homem mais alto e de cabelos mais escuros e acinzentados, os dois, assim como o rapaz em sua frente, vestiam roupas que aparentavam ser características de décadas atrás, como as de seus avós ou bisavós. O baixinho estranhou aquele fato, entretanto nada disse, pois não queria ser desrespeitoso ou mal educado dentro da casa de desconhecidos.



— Pode nos dizer quem é? —o rosado voltara a falar agora andando na direção de Jimin ainda acompanhado.


— P-Park Jimin, s-senhor… —o mais baixo dali disse trêmulo e encolhendo-se por causa do imenso frio que ainda sentia.


— Seja bem-vindo, Park Jimin, perdoe nossa indiscrição, sou Kim Seokjin e este é meu marido, Kim Namjoon. —o mais alto disse indicando sutilmente o outro ao seu lado— Jeon, por favor, providencie uma coberta para o rapaz e acomode-o em nossa sala. —Jin dirigiu sua palavra ao que estava em frente à Jimin.



Enquanto o via falar, Park não conseguiu deixar de notar que eles, assim como Jeon, também possuíam a pele exageradamente pálida e olheiras muito escuras abaixo dos olhos deles. O que havia com aquelas pessoas afinal? Seria algo genético ou era uma característica da família? Por que eles eram tão desconectados com a moda atual? Eram essas e tantas outras perguntas e dúvidas sem resposta que assolavam a mente ainda perturbada do rapaz baixo.



— Sim, senhor Jin. —Jeon acatou a ordem— Senhor Park, por aqui, por favor. —Jeon ainda mantinha seu olhar em Jimin, mas logo virou-se e começou a caminhar para mais afundo da mansão.



E o rapaz de cabelos alourados seguiu o acastanho em seu trajeto até onde parecia ser uma grande sala-de-estar, onde havia duas poltronas e um grande — e aparentemente antigo assim como tudo naquele lugar — sofá no qual o mais alto pediu para que o visitante se acomodasse. Jimin olhou tudo ao seu redor, explorando tudo o que seu olhar curioso pudesse alcançar, até que viu algo que lhe chamou atenção, um enorme quadro acima da lareira de tijolos a qual estava acesa, Park questionou-se mentalmente se ela estava acesa todo o tempo pois não notara a mesma antes. Naquele quadro Jimin pôde observar bem as pessoas presentes nele, os dois homens que desceram as escadas, Seokjin e Namjoon estavam no quadro, um ao lado do outro como um casal, nele também notou a presença de Jungkook mais ao lado, certamente discreto, mas também podia-se perceber outros três rapazes que Jimin não conseguiu identificar. O louro começo a imaginar quem seriam aquelas pessoas e se faziam parte da família, porém se distraiu por um curto período de tempo, pois assim que chegara ali e se acomodara no sofá de quatro lugares, Jeon não demorou mais que cinco minutos para trazer-lhe um cobertor.



— O-obrigado. —Park agradeceu com um sorriso tímido nos lábios levemente roxos pelo frio e seus dentinhos que se colidiam freneticamente.


— Não é preciso agradecer, senhor Park. Sente-se melhor? —o castanho perguntou admirando secretamente o baixinho desde que este entrara pela porta.


— Sim, muito melhor. —Jimin ainda sorria de forma doce e gentil, que cada vez mais cativava o acastanhado— Eu insisto, obrigado.



De repente outras três vozes se fizeram presentes na imensa sala, vozes que pareciam discutir entre si, mas mal era possível distinguir as vozes e nem mesmo o que diziam naquele momento. Após alguns segundos silhuetas começaram a surgir próximo de onde Park se encontrava, eram outros três rapazes que não pareciam muito felizes, afinal ainda discutiam. Todos igualmente pálidos e com olheiras terríveis, um porém era o mais baixo, possuía cabelos negros, olhos pequenos e de cor escura, carregava em seu rosto uma expressão cansada e ao mesmo tempo irritada. O mais alto possuía cabelos também negros e um pouco longos, olhos somente um pouco maiores que os dos outros dois, nariz marcante e um sorriso quadrado. O último, de cabelos castanhos, tinha olhos pequenos castanho-claro, nariz menor e afinado, os lábios mais finos, as maçãs do rosto eram bem marcadas e sua voz era um pouco mais alta comparada aos outros.

Eles ainda não haviam notado sua presença, mas caso houvessem, talvez não se importassem e continuariam a discutir.

Ainda que eles discutissem rm alto tom, a atenção de Jimin havia sido desviada para o mordomo novamente, quem apenas observava com um olhar de quem parecia reconhecer que não seria capaz de cessar a briga, ou um olhar de quem já havia visto aquela cena milhares de vezes, ou as duas opções.



— Basta! —uma voz já familiar se fez presente, era Seokjin— Comportem-se, já são adultos crescidos, peço que ajam como tal.



Ele dizia com voz firme e rosto sério enquanto caminhava até o sofá de onde Jimin observava tudo em silêncio, rapidamente os três se calaram e perceberam a presença do estranho em seu lar, logo o mais velho dali sentou-se ao lado do convidado, inspirou fundo e expirou pesado, se recompondo. Um sorriso mínimo gentil se formou nos lábios do anfitrião enquanto voltava a observar o loiro.



— Queira desculpar-nos por este pequeno desentendimento. —desculpou-se o mais alto.


— Tudo bem, não se preocupe... É uma bela mansão. —disse Park na intenção de mudar de assunto.


— Oh, sim, agradeço, vivemos… Estamos —Jin se calou e retomou a fala como se corrigísse a si mesmo— aqui há muito, muito tempo. —o sorriso desapareceu e sua expressão parecia triste.


— O senhor e sua família estão aqui desde quando? —perguntou o loiro curioso.


— Desde que me lembro, desde sempre… —Jin dizia enquanto o marido sentava ao seu lado e alcançava uma de suas mãos, acariciando-a.


— Desde de os tempos dos dinossauros estamos nesta porcaria de mansão. Nunca mais sairemos desta droga! —a irritação na voz do rapaz baixo de cabelos escuros era óbvia.


— Min Yoongi, acalme-se… —Jin tentou contê-lo.


— Se não estivéssemos aqui, nada daquilo teria nos acontecido! A culpa é do dinheiro e desta porcaria de mansão dos infernos! —o rapaz falava exaltado e todos o olhavam.


— A culpa não é da casa e nem do dinheiro, apenas aconteceu… Ninguém teve culpa, por favor, peço que acalme-se, está bem? —Namjoon finalmente se pronunciou.


— Tem razão, não é culpa de nossa casa… Nós somos malditos... —um dos outros rapazes disse aparentemente abatido, mas não exaltado como o outro.


— Hoseok, não diga coisas como essas...


— O que? É verdade! Somos malditos. —o último rapaz interrompeu Jin.


— Kim Taehyung... —o mais velho iria repreendê-lo, mas pareceu desistir no mesmo momento.


— S-senhor… —Jimin chamou a atenção de Jin junto a de todos ali— O que aconteceu?


— Um pesadelo. Foi isso que aconteceu. —Yoongi respondeu-o contendo suas lágrimas que não permitiria que caíssem.


— Basta! —o rosado disse alto, suspirou leve antes de tornar a falar— Encerraremos esta conversa por hoje, por favor. —o mesmo olha carinhosamente para Yoongi, sabia o quanto ele sofria e se lamentava.



Yoongi calou-se, permaneceu silencioso e com seus pequenos olhos marejados, aproximou-se dele o mais novo, Kim Taehyung, quem abraçou-o ladino na esperança de tentar confortá-lo, mesmo sabendo que precisaria de muito mais do que apenas um abraço para consolá-lo, porém tinha conhecimento que ao menos o acalmava. Jimin nada conseguia entender sobre aquela família tão misteriosa, apenas estava óbvio que todos ali estavam muito infelizes, suas expressões abatidas não abandonavam seus rostos nem por um segundo, não conseguia imaginar algo que pudesse explicar tanta tristeza em uma família e seu mordomo. O que essa estranha família escondia? O loiro sempre pensou que pessoas tão ricas geralmente fossem mais felizes, satisfeitas por terem tudo, sem a necessidade da preocupação com contas ou qualquer outra coisa que pudesse ser resolvida com dinheiro. O que teria atordoado tão terrivelmente aquelas pessoas?



— Taehyung, Hoseok, acompanhem-no até o quarto, por favor. Se preferirem, permaneçam lá com ele. —Jin pedira enquanto enxugava discretamente a lágrima que escapara pelo canto de seu olho.



Yoongi lançou um último e breve olhar ao mais velho, odiava como ele conseguia permanecer tão calmo quando dentro de todos na casa havia uma bagunça tão enorme e barulhenta, Jin atuava como se nada houvesse acontecido e isso causava em Yoongi uma mistura de raiva e tristeza em um único sentimento.

O trio assentiu silenciosamente, assim levantando todos em sincronia, logo seguindo caminho para longe da grande sala, fungindo da vista do visitante, Park estava de certo intrigado com tudo o que acontecia ali, procurou evitar ser desagradável então encerrou suas perguntas sobre a casa e o que havia acontecido de tão horrível.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...