1. Spirit Fanfics >
  2. Living Twice (Stray Kids ver.) >
  3. A vida só está começando

História Living Twice (Stray Kids ver.) - Capítulo 18


Escrita por: Tiny_Pixie

Notas do Autor


Pessoaaaaaaaaal!

Eu to viva! Me perdoem T.T

Trouxe pra vocês o último cap <3

Eu agradeço muito a quem acompanhou até o final! E espero muito que vocês gostem desse final <3

E ja deixo avisado que tem fic nova chegando <3

Boa leitura!

Capítulo 18 - A vida só está começando


Fanfic / Fanfiction Living Twice (Stray Kids ver.) - Capítulo 18 - A vida só está começando

Alguns meses se passaram desde que começamos a namorar. Felix tem andado bem ocupado com o trabalho e eu também. Apesar de trabalharmos no mesmo lugar, ele tem estado focado em um novo projeto no qual ele ainda não me contou sobre o que se trata. Ele tem tantos pedidos para festas e casamentos que mal tenho tempo de ficar com ele. 



Quando nos encontramos nos fim de semana, a unica coisa que não é mencionada é o trabalho. Atualmente estamos em um sábado. Estou na casa dele mais uma vez e ele está preparando pipoca para assistirmos um filme. Já é noite e me sinto triste ao notar como o tempo está passando rápido. Escolhi um filme de terror e quando ele chegou com as pipocas, olhou para mim e para o filme, totalmente confuso.

- Tem certeza? - Ele perguntou.

- Faz tempo que crio coragem pra ver A Freira - Falei sorrindo.

Ele sentou ao meu lado, passando o braço pelo meu ombro e me puxando para um abraço.

- Isso é só pra gente ficar agarrado um no outro? - Ele perguntou.

- Talvez - Sorri - Se preferir eu ponho outro.

- Pode ser esse - Ele sorriu.

Durante o filme, gritamos inumeras vezes e ainda bem que dormiriamos juntos. Felix me abraçava apertado e eu podia sentir seu perfume. Rocei meus lábios no pescoço dele e depositei um selo. Senti ele fazer carinho em meus cabelos e logo nossa atenção não estava mais no filme. 

Ele me beijou lentamente, nos fazendo aproveitar cada ação. Ele pediu passagem com a língua e logo pude sentir sua mão na minha nuca, nos fazendo aprofundar o beijo. Mordi seu labio inferior antes de voltar a beija-lo e por fim paramos o beijo com alguns selos. Ele me olhava ao mesmo tempo em que acariciava meu rosto. Meu coração acelerou e ele sorriu.

- Tem algo que eu preciso falar com você - Ele falou apertando minha bochecha.

- Pode falar...

- Eu sei que não deviamos falar sobre trabalho nas folgas, mas é um assunto sério - Ele falou e senti um frio na barriga.

Algo aconteceu? Seria um grande problema? 

- Eu já estava com essa ideia há muito tempo, mas não tínhamos a pessoa adequada para isso - Ele falou sério - É sobre meu novo projeto. Ele já está em andamento.

- Finalmente vai me falar sobre ele - Sorri.

- Desculpa manter segredo - Ele sorriu - Eu comprei um novo imóvel.

Olhei pra ele confusa. Eu não estava entendendo nada.

- Por que? - Perguntei.

- Você me disse uma vez que queria ser independente para casar comigo e acredito que não vai aceitar meu pedido enquanto trabalhar pra mim - Ele falou segurando minha mão.

- Não acho justo que fique responsável por tudo, você sabe... - Falei - Eu sou muito grata, mas assim que eu tiver oportunidade de crescer por conta própria, podemos pensar mais adiante.

- É sobre isso que quero falar - Ele continuou - Como falei, não é uma ideia nova... Eu já vinha pensado nisso a muito tempo e finalmente agora vai dar certo. Suas sobremesas fizeram tanto sucesso que pessoas entram em contato com a gente perguntando se vendem elas separadamente.

- Sério?! - Perguntei animada.

Eu nem acredito que isso está acontecendo!

- É sério - Ele sorriu e acariciou minha bochecha - Eu quero que você cresça por conta própria também. Eu sei que você sempre quis a oportunidade de mostrar a todos o que sabe fazer e agora que aconteceu, você pode ir além. Você é uma confeiteira incrível e não deve se limitar a menus de buffet...

Olhei pra ele totalmente confusa. Eu não sabia onde ele queria chegar com aquele papo todo. Mesmo assim eu já me sentia nervosa com o rumo da conversa.

- Você pode ser mais direto? - Pedi - Eu já estou ficando nervosa...

- O imóvel que eu comprei será uma loja vinculada com o Buffet God's Menu - Ele explicou.

- Um restaurante? - Perguntei animada - Isso é incrível! Vai fazer muito sucesso e as pesso-

- Vai ser uma confeitaria - Ele falou e meu coração acelerou - Vai ser sua confeitaria. Desde o layout, a decoração, cardápio... Tudo... É meu presente pra você. 

Nesse momento eu não conseguia falar nada. É como se as palavras fugissem da minha boca. Senti meus olhos molhados e ele me abraçou, depositando um selo na minha cabeça. Ele sabia o quanto eu gostaria de ter uma confeitaria... Eu estava tão feliz, mas ao mesmo tempo tão assustada com a responsabilidade que não sabia o que dizer.

- Não se preocupe com a parte burocrática... Eu vou contratar pessoas pra isso - Ele falou - Foque nas suas criações e cresça bastante... Eu quero me casar logo com você.

- Então tem um motivo egoísta por trás - Falei rindo.

- Claro... Mas eu quero que você seja feliz antes de qualquer coisa - Ele falou - Antes mesmo do casamento. Eu espero que não seja muita pressão tudo isso... Mas você merece chegar mais longe... Eu não posso segurar seu talento no God's Menu pra sempre.

- Eu amei - Falei apertando o abraço - Obrigada! Eu realmente amei!

- Fico feliz - Ele falou fazendo carinho em meus cabelos.

- Nem sei como agradecer - Falei me afastando para olhar para ele.

- Eu sei - Ele sorriu antes de morder meu lábio inferior.

Senti sua mão subir pela parte interna da minha coxa e meu coração acelerou. Ele roçou os lábios em meu pescoço antes de beija-lo me causando arrepios.

- Quer ir pro quarto? - Ele perguntou com os lábios próximos ao meu ouvido.

- Felix... Você sabe que eu estou no meu período, né? - Falei e ele se afastou me olhando.

- Sério? - Ele perguntou.

- Sim... Desculpa...

Ele choramingou ao me abraçar, escondendo o rosto na curva do meu pescoço e me fazendo rir.

Mais alguns meses passaram e após a reforma, finalmente a confeitaria estava pronta. Em seu estilo vintage, com cores azul e marrom. Era linda e apaixonante. Os testes para confeiteiros havia sido feito na cozinha do God's Menu, e já estava tudo pronto. Eu havia saído do God's Menu e estava indo para meu próprio negócio. Só de pensar nisso já sentia um nervosismo, mas é um grande passo e a pessoa que amo está me apoiando como sempre. 

Fizemos uma festa de inauguração onde Han e Minho estavam presentes obviamente. Era tão fofo vê-los juntos e eles pareciam tão felizes. Um mês após a abertura oficial da confeitaria, ela continuava lotada. Isso era incrível, pois eu não sabia que meus doces seriam um sucesso tão grande, mas agradeço muito por ter alguém ao meu lado que acreditou mais em mim do que eu mesma.


Um ano depois


Estava terminando de fechar a confeitaria quando meu celular tocou, olhei quem me ligava e sorri.

- Oi, estranho - Sorri.

- Você não perde essa mania - Felix riu.

- Claro - Sorri - Aconteceu algo?

- Estou indo te buscar - Ele falou - Quase chegando.

- Ok. Até já..

- Até - Ele falou antes de desligar.

Poucos minutos depois ele apareceu em seu carro e eu entrei. Dei selo nele e me encostei no banco, fechando os olhos.

- Você ta bem? - Ouvi ele perguntar.

- Estou muito cansada - Falei - Não tenho conseguido criar nada e tô enjoando o cheiro da baunilha. Acho que estou doente...

- Posso te levar ao hospital - Ele falou segurando minha mão.

- Eu vou amanhã... Só quero descansar hoje - Falei.

- Ok... Eu gostaria de te levar a um lugar amanhã se estiver melhor - Ele falou e eu o olhei.

- Onde? - Perguntei animada.

- Segredo - Ele sorriu.

- Sério? - Fiz bico e ele riu.

- Tenho novidades sobre o God's Menu pra falar também, mas só amanhã - Ele falou me olhando - Hoje vou só mimar você.

Sorri e acariciei o rosto dele. Em pouco tempo chegamos na casa dele. E eu fui direto tomar um banho e fiquei no sofá descansando. Vimos um filme e no dia seguinte, era um sábado e eu fui pela manhã ao hospital. Não posso deixar um mal estar prejudicar meu trabalho. Fiz alguns exames e tive uma surpresa, mas tenho medo de como Felix vai reagir. Quando cheguei na casa dele, já era hora do almoço e ele estava colocando a mesa.

- Oi - Sorri.

- Oi - Ele sorriu e me deu um selo - E então? Como foi lá?

- Ela disse que era excesso de trabalho... Me mandou descansar e logo vou melhorar - Falei e ele assentiu - Onde vamos hoje? Preciso de uma dica para saber o que vestir.

- Use algo confortável e nada de salto - Ele falou e eu assenti.

Após o almoço fui tomar um banho e me joguei na cama. Como eu diria o resultado dos exames que fiz? Eu não faço ideia, mas precisa ser dito hoje. Não sei quando dormi, mas acordei com ele mexendo em meio cabelo. O olhei e ele sorriu pra mim, me fazendo sorrir também.

- Já está quase na hora de irmos - Ele falou antes de depositar um selo na minha testa - Se estiver cansada podemos ir amanhã.

- Não - Falei sonolenta - Vamos hoje. Eu vou só tomar outro banho e me arrumar.

- Vou fazer um café antes de me arrumar - Felix falou e eu assenti.

Assim que ele saiu do quarto eu fui pro banheiro e aquele enjoo veio de novo, me fazendo botar o almoço pra fora. Tomei um banho e escovei bastante os dentes. Em seguida me vesti com uma calça jeans e uma blusa rosa pastel. Coloquei uma sapatilha e fiz uma maquiagem simples. Quando terminei, fui até a cozinha, onde ele estava terminando de lavar a louça.

- Estou pronta - Falei.

- Eu vou me arrumar, só um minuto - Ele falou enxugando as mãos.

Ele me olhou e se aproximou tocando meu rosto.

- Você ta bem? - Ele perguntou preocupado - Está meio pálida.

- Eu estou bem - Sorri - Foi só um enjoo... Deve ter sido algo que pedi por aplicativo pra comer ontem no trabalho... Não se preocupe.

- Quer um chá? - Ele perguntou.

- Seria bom, obrigada - Sorri.

Ele preparou e em seguida foi se arrumar. Aos poucos tomei o chá e já estava me sentindo mais disposta. Quando ele voltou, nós fomos pro carro. Alguns minutos depois, estávamos no planetário. Saímos do carro e sorri animada. Eu amo planetário! Felix segurou minha mão e fomos para a sessão. 

Era incrível. Tudo o que passava ali e a sensação de sermos tão pequenos. A beleza do universo. Eu poderia ficar por horas vendo isso, mas infelizmente a sessão não dura isso tudo. Quando a sessão terminou, ele me levou ao parque que havia ali perto próximo ao lago. Já era fim de tarde e o pôr do sol refletia na água. Sentamos em um banco e ficamos observando a paisagem.

- Se sente melhor? - Ele perguntou.

Eu sabia que ele ainda estava preocupado...

- Estou sim... - Sorri - Então... Você tinha algo pra falar sobre o God's Menu...

- Sim - Ele sorriu - Vamos expandir.

- Sério? Isso é incrível! - Falei animada e ele riu - Por que você nunca me fala essas coisas?

- Por que você ia ficar animada demais e se não desse certo você ficaria deprimida - Ele riu - Eu esperei estar tudo certo antes de contar.

- Parabéns - Abracei ele - Você merece esse sucesso todo.

- Obrigado - Ele retribuiu ao abraço - Eu estou feliz com tudo isso.

- Imagino - Sorri - Eu também tenho novidades na confeitaria.

Ele se afastou e me olhou, esperando que eu contasse.

- A confeitaria tem tido tantos clientes que tivemos que adotar um sistema de reserva de mesa - Falei.

- Isso é incrível - Ele falou surpreso.

- Eu não gosto disso - Falei e ele me olhou confuso - Eu queria um café onde as pessoas pudessem entrar e sentar, comer tranquilas... E é por isso que vamos fazer mais um andar na confeitaria. Vamos colocar mais mesas e assim acabar com esse sistema irritante.

- Aumentar um andar? - Ele perguntou preocupado - Mas pra isso a confeitaria vai fechar durante a reforma.

- Sim, mas ficaremos atendendo por delivery - Falei e respirei fundo antes de continuar - E também eu vou precisar me afastar um tempo, então vou usar esse tempo para a reforma.

- O que quer dizer? - Ele me olhou confuso.

- Eu menti quando disse que o que eu estou sentindo é excesso de trabalho - Falei e logo pude ver os olhos dele ficarem molhados.

Acho que o medo dele de me perder é tão grande que se eu não falar logo do que se trata ele vai acbar passando mal.

- Eu não sei como dizer isso de uma forma mais bonita ou elaborada... Eu estou um pouco assustada, pois é algo novo - Falei e ele segurou minha mão - Eu fui aí médico e fizeram alguns exames... A causa de eu estar assim é porque... Eu estou gravida.

Vi lágrimas escorrerem pelo rosto dele. Eu não sei se eram de alivio ou alegria, mas espero que não seja de tristeza. Ele me abraçou forte e pude ouvi-lo chorar. Acariciei seus cabelos e logo ele se afastou limpando o rosto.

- Você ta grávida? - Ele perguntou como se precisasse confirmar a informação.

- Estou...

- Vamos ter um bebê - Ele falou sorrindo.

- Sim - Sorri e acariciei o rosto dele - Você... Tá feliz com isso?

- Ta brincando? - Ele sorriu - Sabe há quanto tempo eu quero ter uma familia com você? E agora você está esperando um filho nosso! Só falta um cachorro chamado Sunshine!

- Se puxar a você, vai ser bem determinado - Falei rindo.

- Se puxar a você vai dar um grande trabalho - Ele falou com a mão na testa e dei um tapa no braço dele fazendo ele rir.

Ele levou a mão até minha nuca, quebrando a distancia entre nossos lábios. Felix pediu passagem com a lingua e eu logo cedi. Ele fazia carinho nos cabelos da minha nuca e mordiscar meu lábio inferior. Eu nunca vou me cansar dos beijos dele. Parou o beijo com alguns selos e colou a testa na minha.

- Eu também queria que esse momento fosse mais elaborado - Ele falou - Eu decorei um texto que eu escrevi, mas eu esqueci agora depois dessa notícia.

Ele se afastou e sorriu nervoso. Retirou uma caixinha do bolso e meu coração acelerou. Ele abriu a caixinha e havia um anel. O anel mais lindo que já vi.

- Jung Faith - Ele falou me olhando - Eu te amo. Eu não posso abrir mão de você e sinto que não consigo viver sem você. Eu sei que tem sido corrido por causa do trabalho, mas agora é diferente porque estamos grávidos, então vou refazer meus horários para ter mais tempo com você. Eu quero muito ter uma familia com você e ela já está começando, então para fazer isso da forma que eu acredito ser a certa, casa comigo?

Senti meu rosto molhado e percebi que já estava chorando. Como eu poderia negar a ele? 

- Claro que eu caso - Falei sorrindo ao limpar as lágrimas.

Ele sorriu e colocou o anel em meu dedo. Em seguida me beijou novamente. Ficamos mais um tempo ali no parque e quando começou a esfriar, fomos pra casa. Tomamos um banho e após comermos algo, fomos pro quarto, onde ficamos deitados apenas curtindo a presença um do outro.

- A gente pode marcar para o próximo mês - Ele falou e eu o olhei.

- Um mês não é o suficiente pra preparar um casamento - Falei e ele fez uma careta.

- Eu quero casar logo - Ele falou me abraçando e escondendo o rosto na curva do meu pescoço.

- Eu também... Vamos fazer algo simples então - Falei e ele me olhou - Eu quero casar antes que a barriga cresça.

- Mas você seria uma linda noiva com barrigão - Ele fez bico.

- Se decida - Falei ele riu.

- Vamos resolver isso essa semana - Ele falou - Por enquanto é melhor descansar.

- Ok - Sorri.

Ficamos ali por um tempo e então dormimos. No dia seguinte fomos até a casa da minha mãe, que surtou quando soube das notícias. Nem vou comentar as ideias de nomes que ela estava dando. Finalmente nossa vida estava fluindo. Eu estava vivendo e isso não tem preço. 

É ruim saber que precisei viver duas vezes a mesma época para perceber que a pessoa certa pra mim estava ao meu lado o tempo todo. Felix sempre foi incrível, mas minha cegueira por Minho nunca me deixou perceber isso. Mas eu estou feliz por ter tido uma segunda oportunidade de notá-lo. Eu finalmente posso dizer que estou feliz com minha vida e o melhor de tudo é que ela só está começando.



Notas Finais


Muito obrigada a todos que leram <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...