História Living With A Gangster - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Criminal, Drama, Ficção, Gangster, Justin Bieber, Romance
Visualizações 87
Palavras 1.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura! :)

Capítulo 17 - Fights.


P.O.V. Justin Drew Bieber
Toronto, Canadá - 30 de setembro de 2017
6:10 PM

Quando abri meus olhos, estava no quarto que acordei mais cedo. Vi Jaxon a minha direita sentado na cadeira ao lada de minha cama, dormindo. Reviro meus olhos soltando um gemido de dor por conta do curativo em minha barriga.

Gostaria de voltar a dormir, me sentia melhor lá sem essa porcaria!

Jaxon se remexe abrindo seus olhos, em seguida esbugalhando os mesmos.

Ele se levanta, correndo até a porta sem ao menos me dizer algo. Bufo me deixando relaxar no colchão.

-Ele acordou, porra! -- escuto a voz abafada de Jaxon gritar. Franzo meu cenho rindo sem humor mas logo fico confuso ao ouvir um grito de Hailey chamando Jaxon de idiota.

-Você assustou ela, idiota! -- exclama. Aos poucos me apoio em meus cotovelos engolindo em seco. Escuto passos e logo Ryan aparece com Elizabeth em seu colo. Sua perna está enfaixada, assim como sua cabeça. Franzo meu cenho quando ele puxa uma cortina branca, que até em tão eu não havia percebido que me separava de Elizabeth.

-O que está acontecendo? -- pergunto. Jaxon também aparece colocando luvas de látex.

-Ela caiu. -- isso é a única coisa que dizem. Bufo me sentando na cama em um movimento rápido. Respiro fundo tentando parar com a dor em meu abdômen.

-Como assim caiu? -- pergunto novamente Ryan passa a mão por seu cabelo.

-Ela só caiu, porra! -- responde nervoso.

-Como caiu? -- continuo.

-Já respondi isso!

Reviro meus olhos. Jaxon pega na nuca de Elizabeth levantando seu tronco enquanto abre espaço entre seus cabelos loiros que estão manchados de sangue. Arregalo meus olhos.

-Me falem o que aconteceu! -- exijo.

-Repito. Já respondi isso! -- Ryan fala.

Reviro meus olhos enquanto me levanto indo até a cama de Elizabeth.

-Ela bateu a cabeça, vou precisar fazer um curativo... -- Jaxon fala. Assinto pegando o kit de primeiros socorros na mesa ao lado. -- um acorda e o outro desmaia, que merda. -- xinga pegando a bandagem. Respiro forte.

[...]

Pisco algumas vezes tentando me manter acordado. Estava sentado na cadeira ao lado de Elizabeth, que felizmente agora só dormia.

Não me pergunte o porque de estar aqui. Só estou porque quero e ponto. Pelo menos é nisso que quero acreditar...

-Daqui a dois dias ela já pode tirar o gesso, não afetou muita coisa com a batida...então faz sentido tirar em dois dias. -- ouço Ryan falar. Assinto coçando meu queixo. -- quer me contar o que aconteceu quando estava dormindo? -- pergunta sem esconder sua curiosidade. O olho de lado desconfiado. -- eu juro que minha boca é um túmulo!

Arqueio minhas sombrancelhas antes de respirar.

Eu estava morrendo de sono, e isso por causa da cocaína. Eu não usei hoje. Ela me deixava ligado em tudo.

-Bom, era estranho...só que um estranho legal, já que eu tive a oportunidade de ver minha mãe e Jeremy.

-Detalhes. -- ele pede. Cerro meus olhos fitando o chão.

-Eu abri meus olhos em um corredor imenso, cheio de espelhos. De minutos em minutos conseguia ouvir a voz de Elizabeth gritar meu nome. Eu não estava com medo...estava perdido, acho que isso define bem.  -- explico. Ryan escuta tudo em silêncio. -- depois, Jeremy apareceu apontando uma calibre 38 bem pro meio da minha testa.

Ryan se engasga com o ar, rindo entre tosses. Reviro meus olhos.

-Eu nunca esperei ver seu pai apontando uma 38 bem pro meio da sua testa. Mas acho interessante a cena! -- debocha. Suspiro.

-Ele começou a falar várias coisas e...

-O que ele falou? -- me interrompe. Bufo.

-Porra, me deixe ao menos terminar! -- ele se cala fazendo um movimento com a mão, indicando que posso continuar. -- ele disse que amo Elizabeth e que eu sou um garotinho medroso. -- falo com ódio explícito em meu tom de voz. Ryan solta uma risada.

-Eu concordo com a primeira parte. A segunda não totalmente mas...wow, retiro o que disse! Não precisa me olhar assim, cara! -- exclama enquanto o fuzilo com meu olhar.

-Enfim, eu fui parar na casa de meus pais, na festa de gala que minha mãe fez aos meus dezesseis anos. Ela também me falou a mesma coisa, felizmente consegui a convencer de que eu queria que acontecesse naturalmente.

-Se você ama mesmo ela, algo irá acontecer, Drew! -- diz. Assinto.

-Foi isso que eu disse.

-Então, você está apaixonado por ela? -- pergunta. Suspiro.

-Só o tempo irá me dizer...

-O que o tempo irá dizer? -- picarreio ouvindo a voz arrastada de Elizabeth perguntar. Porra...

-Como você 'tá? -- desconverso perguntando. Ela ri fraco.

-Tirando a dor insuportável em minha cabeça e o fato de que estou desconfortável em não poder mexer minha perna. Tudo está indo como combinado. -- suspira. Sorrio.

-Na verdade, nada está indo como combinado! -- admito. Ela sorri, em seguida arregala seus olhos se sentando em um movimento rápido.

-Ei, ei, ei. Parada! -- repreendo segurando em seus ombros. Ela me olha ainda com suas orbes castanhas arregaladas.

-Você acordou! -- exclama se pendurando em meu pescoço com seus braços.

-É, eu acordei! -- debocho. Ela me afasta revirando seus olhos.

-Não comece! Era para ser um momento entre colegas! -- fala alternando seu indicador entre nós dois. Arqueio minhas sombrancelhas.

-Colegas, é? -- balbucio. Ela assente.

-Nós não somos amigos, não é? -- pergunta fitando meus olhos. Engulo em seco.

-Que seja. Bom, você irá tirar o gesso em dois dias, até lá vamos enrolar Brandon. -- falo rapidamente, me afastando.

-Hmm... tão rápido assim? -- pergunta. Assinto caminhando até a mesa ao lado da cama, franzindo meu cenho enquanto brinco com alguns pedaços de algodão.

-Uhum.

-Oh meu Deus! -- me assusto com o berro de Hailey. Ela entra no quarto como um furacão, roubando Elizabeth de mim...quer dizer, abraçando Elizabeth.

Me dou um soco mentalmente. Eu sou um frouxo!

Faço uma careta.

-Você deu um baita susto em todos, menina! -- ela fala. Sorrio ladino.

-Que baita susto em... -- me intrometo. Elizabeth revira seus olhos.

-Bom, está tudo bem agora, não? -- ela me ignora.

-Nem tudo, Beth. Estamos com problemas em avançar no plano. -- Hailey fala. Respiro forte.

-Já falei a ela que vamos conseguir controlar isso. Eu posso ir para o colégio. -- falo. Hailey assente.

-Mas você não tem moral para falar nada, não fez nada até agora para resolver algo! -- ela me acusa. Me viro, indignado.

-Continue iludida assim, Hailey.

-Eu não sou iludida!

-Oh! Então como vai seu par de chifres? -- bingo! Toquei na ferida. Ela me olha com ódio, em seguida fitando Elizabeth.

-Depois nos falamos, anjo. -- avisa antes de deixar um beijo na bochecha de Elizabeth, saindo do quarto. A escuto fungar no corredor, engulo em seco.

Eu sou um merda.

-Você é um bosta, sério.

Eu sei, pequena Elizabeth.

[...]

Já havia anoitecido. Todos resolveram dormir na casa de Jaxon...mas como não têm tantos quartos na casa, Ryan teve a brilhante ideia de colocar colchões na sala para todos dormirem lá. Claro que tirando eu, Elizabeth e Jaxon.

Se passássemos pelo corredor conseguíamos ouvir o ronco de Chris e Chaz, o que era digno de uma cena de filme de terror. Para piorar está caindo o mundo do lado de fora, o que é ruim já que consigo ouvir Elizabeth rezar mil Ave Marias na cama ao lado. Eu até riria com a cena, mas estou mais ocupado em fechar meus olhos e desmaiar. Isso é difícil quando a garota parece que vai morrer a cada estrondo dos trovões.

Suspiro olhando para o escuro enquanto Elizabeth murmura algo.

-Justin. -- me chama. Molho meus lábios.

-O que?

-Você tem medo de trovões? -- pergunta. Franzo meu cenho bocejando.

-Quando mais novo tinha. Por que? -- respondo. A ouço se remexer na cama.

-Por nada.

-Certo. -- respondo respirando fundo. Fecho meus olhos sentindo minha respiração ficar calma aos poucos.

-Justin? -- me chama novamente depois de outro estrondo. Solto o ar de meus pulmões, quase irritado.

-Hm?

-Posso pegar na sua mão? -- pergunta. Franzo meu cenho.

O que?

-Por que? -- pergunto. Ela picarreia.

-Estou com medo... -- fala quase sussurrando. Coço meus olhos suspirando. Me levanto indo até a sua cama.

-Chega pra lá! -- mando. A ouço suspirar me dando espaço para me deitar ao seu lado. 


Notas Finais


Gostaram?

Não seja um leitor fantasma, favorito e comente! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...