1. Spirit Fanfics >
  2. Living With A Gangster >
  3. True

História Living With A Gangster - Capítulo 48


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 48 - True


P.O.V. Justin Drew Bieber
Stanford/California - 1 de novembro de 2017
15:28 PM

-Foi isso. -- Jaxon fala em um suspiro, terminando de limpar meus ferimentos das costas.

-Certo, eu quero ver se entendi... você simplesmente foi forçado por Sophia a vir para cá? -- pergunto sentindo ele pressionar o esparadrapo contra os possíveis cortes.

O vejo assentir por cima de meus ombros.

-Exato.

-História emocionante essa, huh? -- debocho sorrindo fraco.

-Nem tanto, Bieber. -- responde em um tom sofrido.

Eu respiro fundo pensando em uma mil perguntas de como sair daqui.

-Você poderia nos dar dicas de como sair?

Ele para um pouco parecendo pensar.

-Hm...eu acho que não.

-Por que?

-Porque eu não quero ser morto.

-Você não vai! -- afirmo.

-Vocês vão ser, por que eu não seria a próxima vítima?

-Porque vamos sair todos juntos. -- Elizabeth responde atraindo nossa atenção. -- se um ficar todos ficam, até que seja possível todos irmos.

Jaxon suspira, mordiscando seus lábios.

-Ela está certa, você sabe. -- troco olhares com Beth vendo sua feição neutra.

-Certo. -- vejo ele fechar seus olhos fortemente, antes de respirar fundo assentindo. -- certo...eu...eu preciso que... -- tosse falso, me fazendo arquear minhas sombrancelhas. -- veja cada canto da cela. -- sussurra a última parte, logo abrindo seus lábios para respirar, em seguida tossindo outra vez. -- eu preciso que você erga seu braço, Justin. -- fala normalmente, erguendo minha mão direta. Olho para aquela direção observando a corrente se afrouxando lentamente.

Isso é bom...

Certo, Justin, você vai ter que entrar em ação uma hora ou outra.

Replico esse pensamento várias vezes em minha mente, imaginando inúmeras situações em que posso tirar nós daqui.

Quando vejo Jaxon coloca todos os medicamentos dentro de uma caixa que até o momento eu não havia percebido a existência dela ali.

Ele dá a volta, parando a minha frente. Eu suspiro e em um movimento com meus lábios eu agradeço. Ele assente em um movimento de cabeça.

-Até amanhã você vai estar melhor. -- murmura para somente eu ouvir. -- vou pedir para trazerem comida para vocês. -- ele pisca seus olhos repetidas vezes, antes de pegar a caixa do chão saindo rapidamente.

Olho para Elizabeth que abre sua boca para dizer algo, mas eu faço um movimento de cabeça indicando que agora nós não podemos falar nada que seja confidencial para nós.

Eu tenho que saber interpretar a frase de Jaxon...

[...]

Kendall estava a minha frente bem como Jaxon havia descrito. O puteiro estava aberto.

Elizabeth apenas observava tudo com tranquilidade, ela sabia que eu estava querendo quebrar a cara das duas vadias que estavam aqui. Porém, felizmente, Pattie soube me dar educação.

-Coma, amor. -- já era a quarta vez que eu virava a cara para a merda da colher com um pedaço de baicon, fazendo com que Kendall se irritasse de seu jeito mimizento de todos os dias que passei com ela. -- por favor! -- murmura choramingando. Reviro meus olhos sentindo a ponta da colher bater contra minha bochecha pela quinta vez.

-Ele não quer comer, Jenner. -- Elizabeth fala cortando um pedaço do baicon, logo mastigando despreocupadamente.

Eu sorrio adorando essa situação. Parecia que uma luz sempre se ascendia no fundo de meus pensamentos gritando "gostosa!" para Elizabeth.

Kendall suspira fundo, empurrando a colher novamente em minha direção. Eu viro o rosto agora pela sexta vez.

-Docinho, não seja mal! -- sussurra parecendo incomodada.

Arqueio minhas sombrancelhas em deboche em sua direção. Depois de alguns segundos dos olhos de Kendall me encarando mortalmente, sinto seus dedos apertando a lateral de minhas bochechas, espremendo meus lábios, me fazendo abrir a boca. Eu quase bufo em sua direção quando sinto o baicon quase ser ingerido inteiro por mim.

Eu mastigo encarando o rosto de Kendall, vejo seu sorriso convencido ao olhar para Elizabeth, se virando para mim momentos depois. Faço pressão com meus lábios, cuspindo a comida mastigada bem no meio de sua testa. Sorrio olhando Elizabeth de canto de olho, a vejo reprimir uma risada, comendo seu baicon.

-UGH! -- ela parece enojada, passando a ponta de suas unhas sobre sua testa. Ela dá alguns pulinhos antes de sair correndo até às escadas deixando o prato de metal no chão.

Reviro meus olhos chutando com a ponta de meu tênis o prato para longe fazendo com que toda a comida se espalhe pelo chão no mesmo segundo.

-Menina retardada. -- murmuro fazendo uma careta.

-Eu que o diga... -- Elizabeth sussurra respirando fundo antes de deixar seu prato de lado.

P.O.V. Christian Beadles
Stanford/California - 1 de novembro de 2017
15:56 PM

-Parece que seus amigos estão se comportando, Beadles. -- Brandon comenta a minha frente, sorrindo sugestivo. Travo meus maxilar vendo Justin e Elizabeth presos a correntes.

Elizabeth se mantinha sentada no chão em um dos cantos da sala, enquanto Justin estava pendurado com dois pares de amarras em seus pés e mãos.

Fazia menos de uma hora que havia descoberto que os dois estavam sendo mantidos em cativeiro. Eu estava a quase trinta minutos amarrado em uma cadeira no meio de uma sala enorme com duas telas a minha frente. Cada uma mostrando um ângulo da sala onde Justin e Elis estavam.

Me perguntava mentalmente a quanto tempo estávamos aqui, eu já tinha perdido às contas a muito tempo.

Kendall dava um pedaço de baicon com ovos para Justin com uma colher, enquanto Elizabeth comia tranquilamente. Aposto que ele queria vomitar a cada segundo a mais que passava de frente a Jenner. Qualquer um perceberia por suas expressões.

Justin não vai ficar ali por muito tempo.

Isso foi a minha mente gritando a cada cinco segundos, e sinceramente? Eu concordo. Ele vai querer sair daqui e provavelmente nesse exato momento está pensando em várias estratégias ao mesmo tempo.

Desvio meu olhar para Brandon observando seu sorriso presunçoso.

-Você gosta de alguma dessas mulheres que estão aqui? -- pergunto recebendo sua atenção imediata.

Ele coça seu queixo antes de responder.

-Por que eu gostaria?

Reviro meus olhos fixando eles na tela.

Esse cara é doido e quer destruir com nossos psicológicos.

P.O.V. Ryan Butler
Toronto/Canada - 1 de novembro de 2017
15:57 PM

Assim que pisei em Toronto senti calafrios passando por minha nuca, logo chegando a minhas mãos.

Meu pai estava diante de meus olhos com minhas malas em mãos enquanto observava em volta, provavelmente procurando seu velho filho de 12 anos atrás.

Um suspiro passou por meus lábios e meus dedos agarraram a alça de minha mochila sobre minhas costas.

O pensamento de que Pattie havia ligado para o grande Willian Clark Butler e explicado a situação, óbvio que tirando alguns detalhes como "seu filho trabalha na máfia russa junto com seus amigos de infância", estava passando por completa analise no momento.

Minhas pernas foram para o lado oposto de onde meu pai estava, me virando e voltando para trás, assim dando de cara com um segurança. Ele me encara parecendo querer me socar. Sorrio amarelo não saindo de meu lugar.

-Ei, idiota! -- uma voz feminina grita atrás do segurança, me fazendo procurar pela dona da voz por trás dos ombros dele. -- Você vai andar hoje ou amanhã?! -- reviro meus olhos olhando para o segurança novamente.

-Você tá trancando a fila. -- ele me observa calmamente, arqueando suas sombrancelhas.

Eu bufo, me virando para rapidamente começar a caminhar dentre as pessoas do aeroporto, tentando ao menos me camuflar para não ser visto por William.

Minhas malas iriam ficar com ele...eu realmente não me importo. Roupas eu posso comprar a hora que eu quiser e quando eu quiser. Dinheiro é o que não falta.

-Ryan? -- a voz grossa de meu pai chega até meus ouvidos, me fazendo espremer meus olhos amaldiçoando quem quer que esteja no controle de minha vida do modo mais ousado e idiota como esse.

Levanto minha cabeça encarando William.

-Pai... -- sorrio fechado colocando minhas mãos em meus bolsos do jeans de minha calça.

Ele sorri antes de largar minhas malas correndo até mim em passos rápidos, logo sinto seu abraço... me deixando sem reação.

William nunca me abraçou como agora, e isso só aumentava minhas suspeitas de que Pattie havia dito algo. Provavelmente algo suficiente para fazer com que ele pensasse que eu estaria arrasado e triste.

-Eu sinto muito!-- franzo meu cenho quando sua voz sussura em meu ouvido, abraçando minhas costas e dando dois tapas em meu ombro antes de se afastar.

-O que?

-Pattie me contou que você reencontrou Justin e vocês acabaram brigando...

Reviro meus olhos.

-Claro... nós brigamos feio. -- murmuro tentando me afastar dele.

Ele me encara suspirando.

-Você está bem?

-Uhum.

William desvia seus olhos dos meus encarando seus pés. Mordo meus lábios.

-Precisamos conversar, William. -- falo atraindo sua atenção novamente para mim.

-Filho...

Eu nego.

-Daqui algumas horas eu vou te esperar no restaurante que sempre íamos. -- murmuro, pegando minhas malas de suas mãos. -- eu tenho que resolver algumas coisas antes disso. Você tem meu número, que tenho certeza que Pattie te passou.

William me encara assentindo calmamente. Vejo tristeza em seus olhos.

Se ele esperava passar um tempo comigo, não é agora que isso vai acontecer.

Me afasto com passos rápidos logo me virando novamente. Encaro meu pai com frieza, como se fosse eu nunca tivesse gostado dele.

E isso, em partes, era verdade.

-Obrigado por pegar elas, mas você sabe que não seria preciso. -- sussurro apontando para minhas malas com meus olhos. Sua expressão se torna neutra.

O vejo abrir sua boca para responder, mas ainda me afasto, saindo rapidamente dali. 


Notas Finais


Dois capítulos em um dia é o meu recorde KKKKKK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...