História Loba - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Bankotsu, Kagura, Kikyou, Naraku, Rin, Sara Asano, Sesshoumaru
Tags Felizaniversariosiljin, Karinasesshy, Rin, Sesshoumaru
Visualizações 574
Palavras 1.320
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu to com sono, tenho que acordar cedo amanhã, mas não podia dormir sem dar esse último capítulo do dia pra Siljin 👀👌

Boa leitura pra todo mundo 💙

Capítulo 3 - Primeiro cio


Fanfic / Fanfiction Loba - Capítulo 3 - Primeiro cio

Capítulo Três

 

Primeiro cio

 

Era meu primeiro beijo e não sei como estou me saindo, só sei que estou apenas pressionando meus lábios aos dele. Sesshoumaru circulou seus braços em volta do meu corpo, me puxando para si, e logo sinto sua língua tentando separar meus lábios. Dou o espaço que precisa e logo o sinto explorar habilidosamente a minha boca, assim como fez na minha intimidade minutos atrás.

Sou erguida e enlaço as pernas em sua cintura. Ele começa a andar, mas não me preocupo pra onde, pois estou aproveitando da bela sensação que é ter a boca desse homem colada a minha.

Sinto a maciez da cama embaixo de mim, logo percebendo que estávamos em seu quarto. Seus lábios descem pro meu pescoço e posso finalmente respirar, puxando o ar com força.

Esse platinado maravilhoso me fez perder o fôlego, o que posso fazer? Ele tem esse dom com as mulheres, aposto.

Deslizo minhas mãos por suas costas, o arranhando por cima da roupa. Ele geme e pressiona nossas intimidades, me fazendo ficar ansiosa. Suspiro e, sem querer, acabo rasgando sua camisa.

Ue! Aconteceu, gente, superem!

Sesshoumaru se afastou, sorrindo de lado e me chamando de apressadinha, enquanto retirava os trapos que um dia ele já chamou de camisa. Diz ele que, pra não acontecer o mesmo incidente, seria melhor retirar o resto de suas roupas e eu concordei. É meu primeiro cio, não tenho controle sobre mim mesma, não sei do que sou capaz... Melhor não arriscar.

Vejo-o tirando os sapatos e as meias, logo ficando em pé perto da cama. Seu sorriso era absurdamente malicioso e então ele abre o cinto numa lentidão agoniante. O zíper é aberto também, revelando um pouco da sua cueca branca e fico babando. Quando o jeans cai ao chão, acabo perdendo todo o ar dos meus pulmões. Aquelas pernas fortes e torneadas são maravilhosas e o “pacote” entre elas está em pé de igualdade.

Sorrindo de forma convencida, pois Sesshoumaru é o tipo de cara confiante e que tem a absoluta certeza que é bonito, sua última peça de roupa e jogada ao chão também e a minha vontade era de atacá-lo. Só não fiz isso, pois não quero perder o controle e machucá-lo, matá-lo, devorá-lo, ou qualquer outra coisa ruim desse tipo.

Sesshoumaru: Prontinho! Agora sou todo seu, gatinha. – Estava totalmente nu, exibindo aquele corpo que parece ter sido esculpido pelos deuses

Sim, eu ignorei o fato de ter sido chamada de "gatinha". Isso deveria ser uma ofensa pra mim, mas até que achei fofo.

- A gatinha aqui está muito ansiosa.

Respondi com a baba quase escorrendo pelo canto da boca, enquanto admirava aquele peitoral, os braços fortes, as coxas grossas e, sério, que bunda é aquela?

Eu quero apertá-la.

Ah, claro! Não posso esquecer de falar sobre o fato dele ser bem dotado. Eu sei que mencionei isso logo ali em cima, entretanto é bom ressaltar o quanto ele é gostoso.

Oh paraíso!

Não sou trouxa! Minhas irmãs mais velhas e minha mãe já me mostraram várias imagens de homens nus. Pra falar a verdade, já assistimos pornô juntas. Não me orgulho, não mesmo, mas elas falaram que eu precisava saber das coisas pra quando o momento chegasse.

Sesshoumaru retirou meus saltos, que eram a única "roupa" que eu ainda usava, e voltou a se acomodar em cima de mim; deixando nossos rostos bem próximos, enquanto roçava intimidade com intimidade. Já conseguia sentir o quanto ele estava duro e o quanto eu estava molhada. Circulo minhas pernas em sua cintura e o abraço, enquanto seus braços ficavam um de cada lado da minha cabeça. Seu membro é pressionado na minha entrada e me preparo pro que está prestes a acontecer.

Durante a penetração, tudo o que o Sesshoumaru fazia era me encarar e notar todas as minhas reações faciais. Eu tentei disfarçar, é claro, mas incomodava muito e até doía.

Após estar totalmente dentro de mim, e devo dizer que ele foi um cavalheiro em ter se preocupado comigo e ido devagar, o platinado começou a beijar meu pescoço; fazendo-me relaxar aos poucos. Suas mãos exploravam meu corpo, enquanto as minhas puxavam seus longos cabelos, arranhavam suas costas ou apertavam suas nádegas.

Minha santa lua! Como é maravilhosa! Acho que eu nunca me cansaria de apertar.

Ele começou a se mover e foi inevitável não gemer por causa do incômodo, mesmo com o Sesshoumaru se movendo de forma lenta. Sua boca desce até os meus seios e mordo os lábios, na intenção de abafar um gemido, mas não consegui.

- Maru... – Digo com manha e ele morde o bico do meu seio esquerdo, fazendo com que eu me contorcesse de prazer

Aos poucos ele vai aumentando a velocidade de seus movimentos e o puxo pelos cabelos, até que seu rosto viesse até o meu. Tomei seus lábios pra mim, enquanto o arranhava com vontade. O homem geme contra a minha boca e seus movimentos ficam mais intensos. Meus quadris já seguiam o mesmo ritmo que o seu, fazendo-o gemer em aprovação.

Em um movimento rápido ele se sentou na cama, enquanto eu ficava em seu colo. Segurando-me pelas nádegas, Sesshoumaru me incentivou a começar. Meus movimentos eram sensuais, e pude ver os olhos dourados sendo revirados por pleno prazer.

Sesshoumaru: Rin, como você é gostosa! – Jogou a cabeça pra trás, enquanto eu chupava e mordiscava seu pescoço, deixando várias marcas vermelhas – E é tão apertada... – Mordeu os lábios, enquanto segurava minha bunda fortemente – Vira. – Parei o que fazia e o olhei confusa – Eu disse pra virar. – Falou de forma autoritária e foi quase impossível não obedecer

Eu me virei, ficando de costas pro Sesshoumaru; que me segurou pela cintura e, de uma vez, fez com que eu me encaixasse nele. Joguei a cabeça pra trás, enquanto apoiava as mãos no colchão e rebolava naquela delícia de homem. Sinto seus lábios nas minhas costas, alternando entre beijos e mordidas.

Estava tão absorta no momento delicioso que estávamos tendo, que nem reparei quando mudamos de posição novamente. Fiquei debruçada, com o rosto apoiado no colchão, enquanto o Sesshoumaru me segurava pelos cabelos e ia bem fundo.

Eu gemia sem parar, enquanto segurava os lençóis com força. Já gritei "Maru" tantas vezes, que comecei a perder a voz e passei apenas a ficar com a boca aberta; aproveitando da loucura que fazíamos. Passei a receber palmadas nas nádegas, o que me fez recobrar a voz e gemer bem alto. Ardia um pouco, com certeza eu ficaria cheia de marcas, mas estava tão bom... Eu que não iria reclamar.

Mais uma vez o sinto me acertar no meu ponto mais sensível e uivei, ao gozar intensamente daquele jeito. Sesshoumaru deu mais duas estocadas e logo o sinto saindo rapidamente de mim e seu líquido quente escorrer pelas minhas costas. Aquele belo homem cai esgotado ao meu lado e eu posso finalmente relaxar.

Ficamos alguns minutos em silêncio, apenas nossas respirações pesadas eram ouvidas e eu nem me movia, de tão exausta. Sinto sua mão me acariciando, deslizando de cima a baixo pela lateral do meu corpo, e então viro o rosto. Encontro aquele dourado novamente e o belo sorriso de lado surge entre aqueles lábios finos.

Sesshoumaru: Vai me dizer o que achou? – Pergunta rouco

- Muito bom. Foi mil vezes melhor do que eu sempre imaginei.

Sesshoumaru: Fico feliz em ter superado suas expectativas. – Aproxima nossos rostos e roça nossos narizes – Descanse. Por ter sido sua primeira vez, você deve estar dolorida.

- Um pouco. – Admito, um pouco sem graça, mas não coro

Acho que finalmente perdi aquela vergonha toda.

Sesshoumaru: Amanhã você estará melhor. – Me dá um selinho e me puxa pros seus braços, onde sou acomodada perfeitamente

Suas mãos continuavam a deslizar pelo meu corpo, e relaxo por completo. Durmo ouvindo as leves batidas de seu coração e acabo sorrindo pela noite fantástica, agradecendo mentalmente a mãe lua.


Notas Finais


Agora to indo dormir.
Beijinhos e até a próxima 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...