1. Spirit Fanfics >
  2. Lobos do vale >
  3. Capítulo 5

História Lobos do vale - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei mais trouxe a vocês a parte 5 da historia, eu não consegui a fazer inteira então terei de dividir em duas partes pois iria ficar muito grande e eu não teria idéia para o próximo capítulo, então amanhã posto a segunda parte.

Capítulo 5 - Capítulo 5


 Hiroshi mostrava o vilarejo inteiro a ela enquanto descia pelos corredores de madeira, Mei-Sun ficava impressionada com a forma que tudo aquilo foi construído não era uma madeira comum, mas sim uma que era cobiçada por muitas pessoas e principalmente os reis, com ela era possível fazer vários tipos de móveis e não importava se ele levasse chuva ou fosse destruído a madeira se regenerava e ficava ainda mais forte. Ela percebeu isso usando sua adaga na madeira para “testar” algo, a madeira rapidamente havia se regenerado a deixando surpresa e animada com aquilo. 

      - Wow essas madeiras são tão incríveis! Elas se regeneram!  

     - Haha, você tentou arrancar um pedaço para ver se tudo isso era verdade mesmo, não é? - o garoto perguntava rindo enquanto descia as escadas. 

      - Talvez... 

  Ao chegarem ao chão ela via dois grandes pássaros, mas não eram maiores que Hiroshi quando ele se transformava em uma ave vermelha. Eles tinham penas brancas e o outro penas verdes, elas brilhavam de uma forma que deixava Mei-Sun hipnotizada. 

      - São tão brilhantes!...ei eu percebi algo – Ela dizia analisando a forma como Hiroshi é quando se transformava em um pássaro, as penas dele era avermelhada e bem mais brilhante isso diferentes dos outros dali. 

       - O que? 

       - Você é diferente dos outros, é um tipo raro? - Ela pergunta curiosa o olhando. 

  O garoto ficava confuso pois não conseguia entender como ela via a diferença dele para os outros de sua raça, para ele não havia nada de diferente. 

      - Eu acho que você não está reparando bem, eu sou exatamente igual eles, o único problema das minhas penas serem vermelhas é por que minha mãe era assim também - Ele dizia sorrindo imaginando que era apenas por isso que ela o achava diferente dos outros. 

 Ela sabia que havia algo errado pois ela tinha certeza das diferenças, mas não querendo o fazer responder suas perguntas e o deixar desconfortável, ela apenas deixava isso de lado. 

      - Deve ser isso, a sua cor me fez achar você diferente, desculpe 

  Hiroshi apenas sorria e levava a casa onde ele morava, ao entrar ele mostra a ela cada cômodo para caso ela precisasse se localizar ali. Após mostrar tudo ele ia com ela até o quarto onde ela ficaria até o amanhecer. 

      - Então o que acha? Não é tão ruim certo? - ele pergunta um pouco nervoso dela não ter gostado. 

      - Eu adorei, é melhor do que meu antigo quarto, e tem bem mais penas – Ela dizia rindo suavemente ao ver que havia várias penas de pássaros em todo canto do quarto. - Por acaso alguém se transforma em pássaro aqui dentro? Ou você cria pássaros? 

  A pergunta que ela fez, fazia o garoto rir, enquanto a olhava da porta. 

      - Mais ou menos hahaha, minha irmã dormia aqui quando criança, assim que ela fez 18 anos e virou uma das guardiãs do vilarejo e dessa parte da floresta, ela não para em casa. Mas bem um dia serei igual ela e talvez possa ficar mais tempo com ela hehe – Ele dizia animado sorrindo. 

  Mei-Sun sorria vendo que o garoto tinha um sonho e para ela não era grande coisa, mas tinha certeza que para ele isso era importante, afinal ele tinha uma família. Isso a fazia lembrar de sua casa e ela empurra esses pensamentos para o fundo de sua mente, não era hora daquilo. Os dois escutavam o som da porta da sala se abrir e Hiroshi olhava das escadas vendo sua irmã que havia acabado de chegar de um dos seus turnos. Isso o deixa nervoso pois não sabia como sua irmã iria reagir ao saber que ele havia trazido uma humana para o vilarejo deles. Sem pensar duas vezes ele ia até Mei-Sun e tranca a porta do quarto. 

      - Você precisa se esconder, esqueci de lhe dizer que uma das regras importante desse vilarejo é que não é permitido humanos – Ele nervoso procurava um lugar onde poderia a esconder de sua irmã. 

   Mei-Sun observava o garoto a revirar o quarto inteiro, e os dois escuta alguém bater na porta do quarto, isso deixa os dois ainda mais nervosos. 

      - Hiroshi? Você está mexendo em minhas coisas novamente? Vamos me deixe entrar em poucos minutos irei voltar para meu segundo turno – A porta era empurrada com força deixando os dois sem saber o que fazer. 

  Hiroshi finalmente encontrava um lugar onde Mei-Sun poderia se esconder por um tempo, ele abre as portas do armário velho e chama a garota. 

      - Rápido venha, se esconda aqui até ela ir embora. 

  Mei-Sun ia ao armário e se esconde no fundo dele, o garoto fecha as portas do armário e ia até a porta do quarto vendo que sua irmã já estava a ficar impaciente. Ao abrir a porta ele era recebido pelo olhar sério de sua irmã que o deixava ainda mais nervoso, mas tentava não demonstrar isso. 

      - Oi Lily, desculpe não abrir antes eu estava ocupado procurando o meu colar – Ele dizia forçando um sorriso enquanto esperava não ser pego em sua mentira. 

      - Sério? Como você perdeu algo que você nunca tira do pescoço? - Ela pergunta adentrando o quarto e olhando em volta desconfiada, ela sente que há algo errado e iria descobrir o que seu irmão estava escondendo dela. 

  Lily começa a procurar pelo quarto em cada canto pois não planejava deixar nenhum lugar passar por mais que seja improvável. Ver sua irmã tão determinada em achar o que ele escondia o deixava sem saber o que fazer e o deixava ainda mais nervoso. 

      - Hoje eu tirei, eu havia tido coisas para fazer e não queria perder o colar que nossos pais deixaram para gente, você sabe como isso é importante para mim – Ele fala e ao ver ela se aproximar do antigo armário sente seu corpo travar e fechava os olhos nervoso. 

  Ela ao abrir o armário devagar ficava surpresa ao ver vários musgos, ela se afasta ao ver aquilo e suspira vendo que apenas estava a imaginar coisas, ela achava o colar do irmão em baixo da mesinha e ao se levantar ia até ele e colocava no pescoço dele. 

      - Não perca novamente você sabe que eles derem esse colar a você com todo o carinho, isso os deixaria abalados – Ela bagunça o cabelo de Hiroshi enquanto sorria e saia do quarto o deixando lá parado – Tenho de ir ao segundo turno dessa noite, se cuide e não saia, aquelas bestas estão ainda mais perto de nosso território, e temo que isso está ficando fora de controle. 

       - Isso está ficando perigoso Lily, você sabe o que aconteceu com nossos pais, nenhum de nós pode com aquelas bestas, você vai se machucar gravemente ou pode acabar igual os que desapareceram – Ele dizia a olhando, ele sabia o que acontecia lá fora mesmo que ninguém falasse sobre isso no vilarejo por conta do quão sério era. 

       - Eu sei disso, mas não posso ficar parada, preciso defender todos daqui, e se para isso eu tenho de arriscar minha vida eu farei, e não se preocupe eu irei voltar amanhã como sempre faço.  

  Ela sorria e sai de casa, Hiroshi olhava a porta sem saber o que fazer, ele queria impedir sua Lily mas não sabia como e o que aconteceria caso ele conseguisse. Mei-Sun saia do armário após escutar toda a conversa e a irmã do garoto ter ido embora. 

      - Que bestas são essas? Pelo que escutei da conversa elas são bem perigosas – Ela se aproxima do garoto curiosa e confusa com toda a situação. 

       - São grandes lobos que estão a nos aterrorizar desde o ano passado, não sabemos como o deter pois não comuns – Ele se senta na cama que havia ali pensando no que iria fazer. 

       - Como assim não são comuns? 

      - Eles não são apenas grandes, eles são corrompidos pelas sombras e isso os dá poderes desconhecidos por todos nós, não sabemos como isso acontece, mas é letal e pode acabar com quem seja sua presa em segundos – Ele fala o que havia escutado de um dos guardiões do vilarejo. 

 Mei-Sun logo percebe de quem ele está a falar e ela sente seu sangue ferver e algo em dentro dela começa a acordar, ela não sabia como estava a se sentir, mas uma coisa se passa em sua cabeça, seu inimigo está perto e ela não pode perder essa chance. 

      - Hiroshi, me leve de volta a floresta, tenho algo a fazer – Ela diz séria ao andar até a porta. 

      - Espere o que? Você enlouqueceu? Eu acabei de dizer que aquelas bestas estão à espreita na floresta, não posso lhe deixar sair, você vai morrer! - Ele dizia preocupado e não ia a deixar sair para morrer. 

      - Olha eu sei que você está preocupado comigo, mas não posso ficar aqui parada, eles mataram minha família a sangue frio, eu os farei pagar, agora me leve para a floresta! Estou perdendo cada vez mais tempo aqui enquanto eles podem estar cada vez mais longe – Ela dizia sentindo sua calma sumir e algo rosnar dentro dela querendo provar o sangue de seu inimigo. 

 Hiroshi não conseguia entender o porquê de ela querer tanto os enfrentar, mas não havia nada que pudesse fazer. Derrotado ele a ajuda ir até a entrada do vilarejo, enquanto subiam as escadas eles viam que todos ali pareciam assustados e preocupados.  

      - O que está acontecendo? Eles parecem bastante preocupados – Mei-Sun dizia enquanto olhava as pessoas. 

       - Não deve ser nada de mais, os filhos, maridos ou esposas deles devem ter saído para combater as bestas e estão preocupados com o que pode parecer, todos eles são idiotas! - Ele dizia irritado por ver tanta gente sacrificar suas vidas em nada, ele sabia que nenhum deles eram fortes os suficientes para conseguir vencer aqueles lobos. 

 Mei-Sun ficava em silencio enquanto sentia algo nela querer assumir o controle, mas ela tentava controlar isso sem entender o que estava acontecendo. 

      - Droga tem algo errado comigo, mas o que será? Não lembro de ter comido algo estranho – Ela pensava enquanto subia as escadas e ao finalmente saírem ela corria sem direção apenas com esperança de encontrar algum dos lobos. 

 Hiroshi a seguia tendo um sentimento ruim sobre estaria ali, havia algo estranho naquele lugar a noite e seus extintos avisava para ele sair dali o mais rápido possível. Ele corria um pouco ficando ao lado de Mei-Sun e tenta a convencer de voltar para o vilarejo. 

      - Ei, eu não acho uma boa ideia continuarmos a prosseguir, algo me diz que devemos voltar ao vilarejo lá estaremos protegidos – Ele dizia ao olhar ela, e via um olhar sério e havia algo nele o que assustava. 

      - Eu não pedi para você vir comigo, se quiser você pode voltar para lá, não estou lhe prendendo comigo – Ela dizia com raiva. 

 O garoto ficava calado não tendo coragem de falar algo a ela. Os dois paravam ao ouvir sons dos arbustos e sabiam que os lobos estavam ali, eles estavam cercados por eles, a garota se aproxima das sombras. 

      - Apareça eu sei que você está aí, não banque o covarde agora!  

 Em alguns minutos um lobo negro saia das sombras a frente da garota, seus olhos vermelhos a fazia o reconhecer, logo ele mostrava suas presas afiadas a garota que apenas o olhava com ódio e não saí do lugar. 

      - Você cresceu pequena criança, pena que não pude ver quando sua aldeia foi apagada do mapa, mas meus servos fizeram o favor de me contar, os gritos e os choros deles antes de morrerem me fez desejar estar lá e observar isso de perto – Ele dizia enquanto a olhava e soltava uma risada ao ver que a garota a sua frente havia ficado irritada. 

      - Eu sabia desde o início que você estava por trás disso, desde aquela marca deixada por você, eu sabia que eu era uma de suas presas que você um dia ou outro iria vir atrás. Mas saiba que dessa vez eu que irei dar um fim a você - Ela dizia o olhando e sentindo algo dentro dela lutar para sair. 

      - Você realmente continua uma criança mesmo depois de tudo em? Eu sabia desde aquele dia que estamos meu destino está ligado ao seu, e para que o que eu almejo acontecer eu terei de destruir tudo o que você ama...e esse garoto é um dos meus alvos – Ele dizia com um sorriso sanguinário ao olhar o garoto que dava passos para trás. 

 Ele sentia algo morder sua camisa e era puxado para as sombras e Mei-Sun via isso e ia atrás dele, mas era empurrada e mordida pelos lobos sempre que tentava se aproximar deles, ela havia o levado para um caminho sem volta e Hiroshi poderia naquele momento ter sido devorado pelos lobos e a culpa era dela. Ela não sabia o que fazer, mas estava ficando sem tempo e o ser dentro dela ficava cada vez mais furioso e querendo provar sangue. 


Notas Finais


Aqui está o quinto capítulo, espero que gostem, esses dias foi agitado por isso a demora de postar e provalvemente vá acontecer isso mais vezes mas postarei os capítulo sempre que puder.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...