História Locked Out Of Heaven - Camren - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Camren, Drama, Romance
Visualizações 521
Palavras 1.542
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia amores, vamos lá. Boa leitura.

Capítulo 1 - Prologo


P.O.V  Camila

Pego o menininho no colo com delicadeza, o mesmo sorriu para mim e enlaçou seus braços em volta do meu pescoço, coloco-o sentado na cama de meu consultório e pego um palito, aqueles de sorvete, peço para ele abrir a boca e o mesmo me obedece, pressiono o palito em sua língua e fico olhando cada canto de dentro de sua boca. O pequeno Tom, me olhava atentamente e seus olhos brilhavam, talvez por medo, o garotinho de cinco anos tem medo de tomar injeção mas esse não é o caso, não precisara. Tiro sua blusinha e passo o aparelho em seu peito e em suas costas, o mesmo se encolheu por conta do gelado do aparelho mas logo se acostumou com a sensação. Abri um sorriso para acalma-lo, logo me afastei sabendo o que ele tem, pedi para que a mãe de Tom o vista enquanto fui para a minha cadeira. Sinto o meu celular vibrando e olho rapidamente vendo que é uma mensagem de Carly, minha prima.

[Carly] Priminha, adivinha quem vai passar um tempo com você? Chego amanha de manha, beijos priminha.

Abri um sorriso enorme, não acredito que a minha prima está vindo, faz tantos anos que não a vejo. Convivi com a Carly quando morei no México, eu tinha cinco aninhos e ela quatro, éramos muito grudadas mas quando completei dez anos, meus pais me contou sobre a mudança e que iriamos para Miami nos Estados Unidos. Foi ai que tivemos que nos separar, desde aquele dia, nunca mais a vi mas tenho boas lembranças. Agora estou vivendo uma vida que eu sempre sonhei, sou pediatra, tenho uma linda irmãzinha de cinco anos e os meus pais são adoráveis.

- Já sei o problema – Constatei, ambos me olharam – O pequeno Tom está com começo de gripe, é por isso que a garganta está inflamada.

- O que devo fazer? – A mãe do garoto perguntou preocupada.

- Fique calma, mamãe – Sorri educadamente – Vou receitar dois remédios, um para a garganta e outro para prevenir a gripe.

- Não vou tomar injeção? – Tom indagou com medo.

- Não campeão, você apenas vai ter que tomar os remédios nos horários que marcarei – Pego um papel e receito os remédios que mencionei, coloquei o horário que deve tomar.

- Obrigada, doutora Cabello – A moça sorriu e pegou a receita de minha mão.

- Se ele piorar, traga-o aqui que irei examinar melhor – Me levanto e aperto a mão da mulher, abro a gaveta de minha mesa e tiro de lá um pirulito de chocolate – Ei mocinho, tome aqui.

- Obrigado, tia Mila – Tom me puxou para um abraço apertado e pegou o pirulito – Você é a melhor.

- Você que é – Beijo o topo de sua cabeça – Tchau.

- Tchau.

Acenei para ambos e voltei a minha cadeira, respondi a minha prima já que naquela hora eu não poderia faze-lo, foi uma breve mensagem e Carly não comentou mais nada. Fiquei brincando com a minha caneta e olhando para o relógio de parede, daqui a pouco irei para casa, estou tão cansada, tive um plantão ontem e estou quase morrendo de sono. A porta se abri revelando a Dinah Jane, minha melhor amiga e ela é medica geral.

- Chancho – Dinah puxou um cadeira para se sentar em minha frente – Esse hospital está uma loucura.

- O que foi dessa vez? – Perguntei soltando a caneta.

- Uma velha rabugenta, da próxima vez vou pegar a bengala dela e vou meter na cabeça daquela senhora – Dinah resmungou.

- O que aconteceu?

- Ela quer se achar melhor que eu, case cai da pancada com ela – Dinah cruzou os braço.

- Não estou entendo – Prendo a risada – Porque ela se acha melhor que você?

- A bicha é teimosa, ela está reclamando de dores no corpo e eu perguntei se ela anda tomando os medicamentos, mas a burra não toma porra nenhuma – Dinah bufou – Ela quer que faz efeito como?

- Tem que ter paciência.

- Paciência o caralho – Dinah reclamou – Ela disse que os remédios não adianta, obvio que não adianta, ela nem toma.

- O que a minha linda namorada anda resmungando? – Normani abriu a porta de minha sala e entrou – Oi baby.

- Oi morena – Dinah a puxou para o seu colo e deu um selinho na mulata.

- Sem melação – Reviro os olhos – Mani, da um jeito na sua namorada.

- Essa ai não tem jeito – Normani riu.

- Isso se chama falta de dar – Comento entre risadas.

- Você quer falar sobre isso? – Dinah me olhou, arregalo os olhos – Quando foi a ultima vez que você deu a sua bilu teteia?

- Bilu teteia? Sério? – Bufo, me arrependi de entrar nesse assunto – Me poupe.

- É verdade Mila – Normani concordou com a namorada, a mulata é cirurgiã.

- Não é nada.

- É sim – Dinah se intrometeu – Você vive focada nesse hospital, esqueceu como é sair com amigos, beijar e fazer sexo. Vive socada dentro de casa, estudando ou sabe-se lá mais o que.

- Para, eu gosto de me dedicar ao meu sonho que se realizou.

Dinah e Normani ficaram falando ao mesmo tempo sobre a minha vida sexual que não está ativa, elas tem razão mas o que eu posso fazer? Não sinto mais vontade de ficar saindo para ficar com alguém ou fazer algo pervertido, meu cérebro só está focando no hospital e eu amo cuidar de crianças e adolescentes. A porta novamente se abriu, agora revelando a Ally, ela é fisioterapeuta. Minha sala está bem movimentada pelo jeito.

- Olha ai a outra que não da a bilu teteia faz um tempo – Dinah provocou – Virou até teia de aranha.

- Me poupe, você só tem esse assunto? – Ally retrucou – Que dia cansativo.

- Está mesmo – Normani concordou – Não vejo a horar de ir embora.

- Boa sorte para vocês – Dinah resmungou de cara fechada – Hoje é o meu plantão.

- Coitadinha – Ally riu – Mentira, bem feito.

- Olha só anã, vai voltar para a Branca de Neve, não deveria ter saído de perto dos seus irmãos – Dinah mostrou o dedo do meio.

- Para com isso amor – Normani a repreendeu.

- Vai defende-la?

- Vou sim, você está um saco hoje.

- Ah é? Está comigo porque então? Aposto que é por causa dos meus álbuns da Queen B – Dinah falava de um modo sério.

- Essas duas vão começar a brigar de novo – Ally deixou os ombros caírem – Não aguento mais ouvi-las discutindo.

- Nem eu – Me levanto – A discussão delas sempre tem que ter a Beyonce no meio.

- Isso que eu chamo de ser fãs – Ally riu – Bom, eu vou embora.

- Eu também, já deu o meu horário.

- Deixa essas duas discutindo ai.

Acenei para a baixinha e tirei o meu jaleco, saímos do hospital acenando para alguns conhecidos, nos despedimos com um abraço apertado e cada uma foi para o seu carro. Entro no meu, dou partida e dirijo com cuidado já que são oito horas da noite, os carros começam a se movimentar mais esse horário em Miami. Faço o trajetória que me leva até a minha casa, cheguei em vinte minutos, estaciono dentro da garagem e entro em casa ouvindo meus pais conversando na cozinha.

- Cheguei família – Bocejei, penduro o meu jaleco na cadeira e me sento.

- Oi meu amor – Minha mãe, Sinu, me cumprimentou.

- Chegou na hora hija – Meu pai colocou uma panelada de macarrão na mesa – Vamos comer?

- Estou morrendo de fome – Pego um prato e me sirvo – Cadê a Sofi?

- Está no quarto – Minh mãe foi até a porta e berrou – SOFIA, VEM JANTAR.

- To indo mama – Escutei uns barulhinhos de passos até que o serzinho entrou na cozinha – KAKI!

- Oi, meu amorzinho – Beijo a sua testa e a mesma retribuiu com um beijo na minha bochecha.

- Comida! – Sofia comemorou.

- Hija, ficou sabendo da sua prima? – Meu pai me olhou.

- Sim papa, Carly mandou uma mensagem avisando que amanha chega aqui – Comento animada – Estou ansiosa para vê-la.

- Acho que ela não detalhou – Minha mãe riu baixinho – Carly vai morar um tempo aqui.

- Sério?

- Sim, ela e a namorada dela.

- Carly namora? – Pergunto surpresa, Sinu assentiu – Nossa, não sabia que ela era do lado colorido.

- Assim como você – Meu pai piscou um olho.

- Isso vai ser legal, quero passar um tempo com a minha prima.

- É mesmo – Meu pai concordou – Espero que a namorada de Carly seja legal.

- Eu também espero – Murmuro.

- Mama, quero mais – Sofia estendeu o pratinho.

- Meu Deus, vocês duas vão me levar a falência – Minha mãe comentou me olhando e olhando para a Sofi.

- Vou dormir – Anunciei.

[...]

Tive um ótima noite de sono, fazia tempo que eu não dormia tão bem assim e eu não fazia a mínima ideia de que horas são, mas escutei umas vozes vinda do andar de baixo, é diferente. Será que a Carly já deu chegou? Vou até o banheiro, faço minhas higienes e troco de roupa ficando apresentável. Saio do meu quarto bocejando, as vozes continuavam, sigo o som e desço a escada, indo para a sala.

- Priminha, chegamos!


Notas Finais


O que acharam? Espero que tenham gostado. Gente comentem bastante para eu poder continuar com essa fic, é o mesmo esquema de sempre. Amo vocês, estou tão ansiosa para essa fic. Espero que vocês também tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...