História Loki - Mastron - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Thor
Personagens Loki, Thor
Tags Avengers, Loki, Marvel, Thor
Visualizações 104
Palavras 2.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, gente. Tudo bom? Fico feliz que estejam gostando da história, eu vou demorar uns dias pra postar porque vou precisar viajar esse fim de semana, mas vou tentar não demorar muito, prometo. Agradeço desde já por tudo. <33

Capítulo 7 - O diário de Zya


Fanfic / Fanfiction Loki - Mastron - Capítulo 7 - O diário de Zya

Yule pegou o diário de Zya em seu quarto enquanto Zion conversava com Thor e Valquíria no café da manhã. Depois de algumas horas, ela se trancou nos aposentos que foram reservados para ela, pegando o diário debaixo das roupas e se sentando na cama, começando a ler, o diário. Era possível notar que apesar de viver em outro planeta, Zya era apenas uma jovem normal, como qualquer terráquea, tendo um diário colorido e cheio de adesivos, além de uma letra cuidadosamente linda, sublinhada com canetas coloridas vez ou outra, enfatizado alguma situação. Yule se entreteve com os desabafos de uma jovem Zya, que recebia ordens do pai sobre o que fazer o tempo todo. Porém, em meio aos desânimos, Zya se mostrava bem rebelde e prepotente, não dando ouvidos ao pai quase sempre, odiando receber ordens e seguir regras. Não sabia quanto tempo perdera lendo, mas com certeza lhe foi bastante satisfatório, não se importando com nada ao seu redor, sempre quisera saber bastante sobre sua mãe e agora finalmente lhe veio essa oportunidade, sem que precisasse ter uma conversa longa e chata com seu avô, por quem claramente ela não tinha muita paciência desde que pôde notar o quanto ele era exigente e controlador.

Depois de algumas horas, alguém bateu na porta do quarto e interrompeu a leitura de Yule, que dobrou a página em que parou e fechou o diário, guardando de baixo do travesseiro, se ajeitou.

– Pode entrar. – Gritou e viu a porta se abrir, era Valquíria.

Valquíria entrou no quarto e fechou a porta, se aproximando da amiga, sentou ao lado de Yule e relaxou, dizendo:

– Que preguiça, aqui é um tédio e as bebidas aqui são controladas pelo seu avô, além de teimoso, ele é mão de vaca.

Yule soltou um riso.

– Eu posso pegar bebidas pra você depois. – Respondeu, tranquilamente – Mas o que ficou resolvido?

– Ainda estamos no resolvendo. – Valquíria disse – A gente está se preparando pra se organizar antes de irmos á caçada de Misael.

– Me desculpem por eu não poder ajudar. – Yule respondeu, suspirando – Me sinto uma inútil vendo todo mundo forte e lutando enquanto eu fico isolada.

– Com certeza você herdou algum poder da sua família, só precisa descobrir o que é. – Valquíria disse – Posso te ajudar a treinar, se quiser, se descobrir e se tornar mais forte. Se descobrir é algo muito útil. Devia perguntar ao seu avô que tipo de poder sua família tem no sangue, isso pode facilitar as coisas pra você.

Yule cruzou os braços, com uma expressão de poucos amigos e respondeu:

– Eu prefiro descobrir isso sozinha, sem ajuda desse velho conservador.

Valquíria sorriu.

– Você pode descobrir com a minha ajuda. – Valquíria respondeu – Se quiser, é claro.

– Eu quero, óbvio. – Yule respondeu, sorridente – Não teria forma melhor de descobrir. Obrigada, Valquíria.

– Não precisa me agradecer. – Valquíria disse – Isso vai ser bom pra você e pra mim.

– É claro que preciso agradecer. – Yule respondeu – Você é minha única amiga.

– Fico feliz por saber disso. – Valquíria disse – Mas e o Thor?

– O Thor é diferente, ele é um grande amigo mas você me faz me sentir mais á vontade. – Yule respondeu, dando de ombros – Também gosto do Loki, apesar de tudo...

– O Loki já foi mais insuportável. – Valquíria disse – Mas eu te aconselharia a não confiar muito nele, pergunte ao Thor depois, ele vai te contar a lista de pegadinhas que o Loki já aprontou com ele.

Yule soltou um riso baixo, pensativa, disse:

– Mas eu acho que tudo que o Loki talvez precise é um pouco mais de confiança, pode ser um gatilho pra ele mudar mais, sabe?

Valquíria olhou para Yule por alguns segundos, disse:

– Espera... Você está gostando dele?

– O que? Não. – Yule respondeu em um pulo, quase aos gritos – Enlouqueceu?

– Se você diz... – Valquíria respondeu, a olhando atravessado – Droga, preciso beber.

Valquíria se levantou da cama, saindo do quarto.

– Ei, espera. – Yule tentou conter Valquíria mas a amiga saiu rapidamente.

[…]

Yule voltou a ler o diário, procurando ali uma forma de se distrair um pouco em um momento tão complicado de sua vida, em poucas horas, já estava se sentindo muito melhor por ter lido o diário de sua mãe, era libertador conhecer tão intimamente alguém que conhecia apenas por fotos e comentários do pai. Estava sendo delicioso e um tanto tranquilo para si, se identificando com algumas coisas que sua mãe dizia ali. Depois de ler bastante, resolveu sair de dentro dos aposentos e ir direto para o subsolo onde ficava a cela de Loki, parecia automático fazer isso todo o tempo, até chegar em frente ás grande e se dar conta disso. Loki a viu chegar e se aproximou das grandes, a viu um pouco destoada, em seus devaneios, de repente. Yule apenas havia se dado conta que poderia estar priorizando a ida á cela de Loki vezes demais, parecia pensativa, de repente.

– Está tudo bem? – Perguntou, a olhando – Você parece que congelou, de repente.

Yule o olhou, sacudiu a cabeça e respondeu:

– Não, eu estou bem, sei lá, só me lembrei que não fiz nada de muito produtivo hoje, estamos perdendo tempo demais enquanto Misael está destruindo a terra, basicamente.

– Entendo. – Loki respondeu e sorriu – O seu avô não disse nada ao Thor sobre o que o Misael tem de diferente?

– Eu não vi a conversa. – Yule disse – Eu estava aqui, te trazendo lanches.

Loki a olhou um pouco surpreso com a resposta, disse:

– Então você fica mais tempo aqui do que com seu avô?

– Ah, ele é um chato, ninguém aguenta aquele velho ultrapassado. – Yule disse e se aproximou das grades, se abaixando e sentando, encostou as costas nas mesmas e virou o rosto, olhando para Loki – Eu tive uma ideia pra passar o tempo. Que tal a gente brincar de adivinhação? Eu dou dicas de filmes, músicas, livros e você tenta adivinhar, depois eu tento adivinhar suas dicas e assim sucessivamente. E aí?

Loki se abaixou e sentou de costas para Yule, mas de forma que pudesse olhá-la de vez em quando e respondeu:

– Ótimo, adorei a ideia. Vamos ver o que sabemos.

[…]

Thor foi até Valquíria, que estava bebendo uma garrafa de bebida direto no gargalo, toda, em menos de 5 segundos e limpando a boca com as costas da mão.

– Até que enfim te deram bebida. – Thor disse – Onde está a Yule? Ela anda meio sumida, o rei Zion têm reclamado disso.

– Ela resolveu se mudar para a cela de Loki, praticamente. – Valquíria disse, dando de ombros – Esqueceu da gente e da nossa missão aqui em Mastron.

– Eu confesso que estou me sentindo muito parado nesse lugar aqui, quase em cárcere privado. – Thor respondeu, um pouco sério – O rei Zion não nos ajuda direito e nem solta o Loki pra irmos atrás do Misael, eu não sei o que ele quer da gente.

– Ele deve estar com medo de soltar Loki, de sairmos daqui e a neta dele vir conosco. – Valquíria disse, encostada na parede – Ele sabe que Yule não vai ficar aqui sem você e o Loki.

– E sem você também, viraram grandes amigas. – Thor completou, a olhando.

– Eu não sei se ela me incluiria nessa lista – Valquíria respondeu, com leve desânimo.

Thor ficou a olhando, perguntou:

– Vocês brigaram?

– Não brigamos. – Valquíria respondeu – Só acho que ela está priorizando demais o Loki, só não enxerga quem não quer.

– Ciúmes? – Thor perguntou, a olhando.

– Claro que não. – Valquíria rebateu, impaciente – Só estou dizendo a verdade.

– Parece ciúmes. – Thor respondeu, a olhando e Valquíria tacou a garrafa vazia de bebida em sua direção mas Thor foi rápido em segurá-la – Não precisa jogar garrafas em mim, apenas fiz um comentário.

De repente, o chão do castelo começou a estremecer, fazendo com que Thor e Valquíria se olhassem, assustados, tudo parecia um grande terremoto.

– Que droga é essa? – Valquíria perguntou, um pouco assustada.

Os objetos começaram a cair pelo chão, Thor olhou para os lados, um pouco pensativo, como se procurasse por alguma explicação.

– Vamos procurar pelos outros, vamos nos reunir. – Thor disse e saiu com Valquíria, procurando pelos demais pelo castelo.

No subsolo, Loki e Yule estavam brincando e rindo, quando começaram a sentir o tremor, se assustando um pouco, ambos se levantaram do chão e se olharam.

– Isso é terremoto? – Yule perguntou, confusa e assustada.

– Não, tem alguém fazendo isso. – Loki disse, um pouco sério e pensativo, olhou para os lados e em seguida saiu da cela atravessando as grades normalmente, parecia um fantasma – Vamos sair daqui, isso tá suspeito.

Yule o olhou assustado, perguntou:

– O que foi isso?

– Ilusão. – Ele respondeu e a olhou – Vamos sair daqui, não tenho um bom pressentimento, vem.

Em seguida, a segurou pelo braço e ambos saíram do subsolo, correndo, o castelo parecia prestes a se desfazer, algumas partes dele já estavam caindo, os empregados do rei corriam de um lado para o outro, desesperados e sem saber o que acontecia.

Ao correrem para fora do subsolo, tiveram que cortar caminho, pois uma das saídas estavam totalmente fechadas, por conta dos desabamentos de algumas áreas do castelo que estavam se quebrando. Loki e Yule correndo pelo caminho de um campo, que dava acesso á saída do castelo, a mesma obviamente fechada pelos enormes portões, dessa vez sem os empregados armados do rei, mas a surpresa não fora apenas essa, pois além dos empregados sumirem em meio á confusão, Loki e Yule viram o rei Zion levitar no céu, o céu que por sua vez, escurecera, como se fosse cair um imenso temporal á qualquer momento. Os dois se aproximaram devagar, embora rei Zion estivesse muito alto e sequer os visse.

Loki olhou para Yule, disse:

– Não saia daqui, já volto.

O tremor parara, á altura em que Loki começou a levitar em direção á rei Zion e vira o quanto ele parecia assustado, como se levitasse sem permissão própria.

– Senhor... – Loki se aproximou bastante de Zion, que finalmente o olhara, dominado pelo medo – Está tudo bem?

– Por favor, me mate, Loki. – Zion pediu, parecia trêmulo – Meu corpo foi dominado por um feitiço de Misael, um de seus homens conseguiu isso ao entrar aqui. Agora, ele pode ter meu corpo como acesso para dominar Mastron como quiser, não me deixe viver, senão ele vai se apossar de tudo.

O corpo do rei parecia tão trêmulo que era possível notar o quão ele não tinha domínio do próprio corpo, olhava de forma dolorosa para Loki, que parecia um pouco assustado com a novidade, uma gargalhada o chamou a atenção em seguida, e um corpo levitara até ele e Zion.

– Loki? – O homem gritou, gargalhando – Sério mesmo que está aqui? Que piada.

– É Misael. – Zion disse, rapidamente – Ele pode dominar muitos corpos ao mesmo tempo, mesmo estando tão distante da gente, e ainda pode consumir toda energia vital dentro do corpo, os corpos viram marionetes mortas nas mãos dele, e ele quer fazer o mesmo comigo agora.

O homem avançou rapidamente em direção á Loki, mas foi surpreendido por uma lança que veio de algum lugar, atravessando sua barriga, Loki disse:

– Sem paciência pra lutar contigo.

Em seguida, se virou para Zion, o olhando. Zion tinha o corpo paralisado por Misael.

– Me mate logo, Loki. – Zion implorou, parecendo se esforçar em lutar contra o controle físico – Me mate antes que eu seja completamente dominado e morto por dentro.

Loki o olhava, um pouco hesitante e assustado, enquanto o homem atrás dele, tirava a lança de sua barriga rapidamente e a lançava em sua direção, mas Loki a sentiu se aproximar e a pegou rapidamente com uma das mãos, mesmo sem olhá-la.

Zion esticou com dificuldade, uma de suas mãos para Loki, abrindo a palma de sua mão e uma pedra extremamente brilhosa e verde era segurada por ele, Zion disse:

– Esta é a chave de Mastron, se aproxime.

Loki se aproximou mais de Zion e o rei pegou sua mão livre, com dificuldades e sua mão com a pedra ficou totalmente neon, parecendo apenas uma bola reluzente. Loki apenas viu o rei pousar a palma de sua mão com a pedra verde sobre a palma da mão de Loki, transferindo a pedra verde e reluzente para a mesma. Loki sentiu um frescor penetrar a palma de sua mão enquanto olhava para Zion, que terminou a transferência e afastou sua mão.

– Agora tem a chave de Mastron consigo, ninguém pode removê-la. – Zion disse, respirando com dificuldades – Não deixe que mais ninguém entre aqui, agora você tem esse domínio sobre Mastron, o dê para Yule apenas quando ela estiver pronta.

Enquanto Zion falava, o homem tentava se aproximar deles, correndo e levitando com rapidez, mas Loki usava a telecinese para acertá-lo com alguns objetos que via lá embaixo na entrada do castelo, impedindo de se aproximar totalmente.

– Agora me mate, ele está quase me dominando por completo. – Zion disse, com dificuldades em sua voz – Se ele me dominar completamente, poderá usar minhas magias para retirar a pedra de você e tornar tudo mais difícil.

Loki assentiu com a cabeça, ouvindo tudo que Zion disse, segurava a lança que pegou antes, uma vez que o homem, dominado por Misael, tentou acertá-lo com aquela mesma lança antes. Thor e Valquíria chegaram e correram em direção de Yule, perguntando o que aconteceu. Yule apontou para o céu, mostrando Loki levitando no ar com Zion e o homem estranho tentando atacar Loki, embora sendo diversas vezes acertado por objetos lançados por Loki em sua telecinese.

O trio não entendia ao certo o que estava acontecendo mas se assustou ao ver Loki acertá-lo com a enorme lança que segurava, o homem estranho começou a gritar em desespero, logo seu corpo começou a se desfazer no ar, Loki segurou o corpo de Zion que começou a cair e desceu devagar.

Ao terminar de descer, com Zion nos braços, Loki viu o olhar espantado de Yule, Thor e Valquíria.

– Você matou Zion. – Thor disse, assustado – Por que?

– Precisamos entrar e conversar. – Loki disse, sua atenção foi tomada por Yule, quando a viu sair correndo, com os olhos marejados – Eu tive que fazer isso.

[…]

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...