1. Spirit Fanfics >
  2. Loki >
  3. Capítulo 6

História Loki - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capítulo 6


-Eu só quero que você concorde com o que eu disser. Não abra mais a boca, Casablanca não irá poupar você se descobrir que está mentindo! - suas regras eram certeiras, mas Laufeyson era o rei das grandes mentiras, nem ao menos seu pai, Odin, descobria. Quem dirá um fraco humano,capaz de ser enganado por uma garota como Nicolette.

Loki revirou os olhos, apoiado na parede ao lado da escada de madeira, nem sequer prestava atenção nas palavras da outra. Estava mais preocupado com sua volta gloriosa para Asgard do que com o mísero plano da estadunidense.

-Ninguém nunca descobre. - respondeu-lhe atrevidamente, piscando em seguida. Foi para a cozinha e o olhar da garota foi junto contigo, preocupada sobre ele ter pego uma faca novamente.

-Tem certeza? - caçoou, cruzou os braços, vendo o rosto do moreno se virar junto ao corpo e lhe encarar com descaso, diretamente para sua pergunta retórica.

Deu de ombros e continuou a mexer nos armários e gavetas, até mesmo abriu a fina geladeira da anfitriã. Mas não achou o que tanto queria.

-O que você tá procurando? - perguntou, e adentrou o pequeno espaço que o outro estava. Observando cada passo do moreno sobre sua casa, ele caçava em casa canto do lugar, espaço por espaço.

-Pessegos. 

Ela indagou, descruzou seus braços e inclinou sua face para o lado, encostando ao ombro esquerdo. Questionando mentalmente as ações do desconhecido.

-Você acabou com todos. Por que gosta tanto dessa fruta? Pare de mexer nas minhas coisas! - enquanto ela o dizia, via-o mexendo em vários outros armários a procura da comida, mas não encontrava e então se ouviu o grito da mulher próxima a si. Fechou o armário e se levantou, quando ela o perguntou não lhe havia resposta, na verdade, havia, mas o herdeiro de Jotunheim não lhe diria.

Claro que não era da conta da garota saber que sua mãe lhe levava pêssegos quando estava de castigo por algo que havia feito contra Thor ou qualquer residente de Asgard.

Loki respirou e sorriu.

-Vai ficar aí me olhando? Olha eu sei da beleza de um Deus como eu, mas vamos logo com isso. - sua frase fugitiva da realidade perdida que carregava consigo, piscou várias vezes e faz uma expressão carregada de nojo para mais velho.

Cruzou os braços novamente e deu meia volta. Olhou para trás de forma atrevida, esticou o braço e pegou a bolsa preta que carregava sempre que saia, ou quando ia ver alguns bandidos. 

-Vamos logo. - finalizou, chamando pelo maior que já estava com um tomate em suas mãos observando cada defeito que a fruta poderia conter, mas, largou-a no chão quando Nicolette lhe estava chamando com um semblante exausto e mãos rígidas de ódio.

Suspirou fundo quando passou ao lado da moça e se lembrou de algo no mesmo instante que viu a porta da frente sendo aberta vagarosamente. Loki levantou as sobrancelhas e sorriu travesso, percebeu que estava frio e por isso a garota estava com sua bota alta, mas não era motivo. Não pra ele e para suas brincadeiras sem nexo.

-Não está tão frio assim, porque não troca de sapato? Coloque um mais fino. - afirmou o Deus, deixando a outra um tanto quanto confusa com sua "preocupação" de estilista. 

Estreitou as orbes e fitou-o em perspectiva, lentamente viu-o descer a escadinha de três degraus da sua casa, foi logo atrás mais devagar só que andaria, um pé de cada vez enquanto encarava a face mirabolante que Laufeyson estava fazendo no momento da deixa da garota.

-Vai! Pisei em alguma coisa, merda. - achando que seria um brinco ou alguma pedrinha que tinha na frente de sua casa, Nicolette ergueu o pé direito de forma que conseguisse enxergar a própria sola. Quando viu, Loki estava andando mais rapidamente até o carro estacionado entre árvores, surpreso por não ter dado certo seu mini plano de machuca-la.

Um prego, preso na parte do calcanhar direito da nova iorquina, por sorte seu saltinho fez o objetivo não lhe perfurar, mas ele era demasiadamente grande, e claramente por sorte da moça, não tinha pisado-o inteiramente.

Ele era um porco, ou um maldito. 

-Desgraçado! Sabia que eu poderia ter me machucado! Olha, ele ainda tá enferrujado! E se pegasse tétano?! Qual seu problema? - Loki estava com os olhos ainda mais abertos, assustado com a forma que a outra lhe gritava e vinha em sua direção cada vez mais rápido e furiosa, carregando o prego velho entre os dedos apontados para o farsante.

Nem sequer disse uma palavra, no momento Nicole sentiu seu calcanhar esquerdo sendo puxado para baixo, o prego voou para longe em resposta ao susto momentâneo da morena. Inclinou os lábios de forma que diria algo mas não podia, havia escorregado num buraco coberto por folhas podres e secas, não estava presa, não totalmente.

-Loki! Me tire daqui, agora! - gritou em contrapartida. Mas o filho de Frigga nem sequer saiu de perto do carro da mesma, fixando seu olhar apenas na perna que estava presa dentro do buraco feito por si. Não havia mudado, claro que não.

Enquanto resmungava sobre o quanto o Deus da Trapaça era um desgraçado, maldito, etc… Ele simplesmente foi até a mesma, abaixou-se próximo onde havia caído a chave do carro e puxou-a.

-Eu juro que volto logo. - afirmou rapidamente, deixando com que Nicolette tentasse de todas as formas sair dali sozinha, vendo-o entrar no carro logo depois do pib que fez. Sorriu alegremente para ela e lançou um tchauzinho com sua mão esquerda na qual segurava o objeto prateado.

Mas parecia que o importante para si era tirar seu calcanhar dali, de todo o modo não estava se importando com Loki tentando dirigir seu carro.

Olhou para trás quando viu o mesmo gritar da janela que estava abaixada até o fim. 

-Achou mesmo que não sabia mexer nisso? Eu vi como você fez ontem. - sorriu para o lado, inclinando sua cabeça. Nicole deu de ombros mesmo assim e Loki estranhou mas não o deu importância com o que fez. Começou a dar ré e virou o carro.

Depois de um minuto, o carro parou. De vez, e começou a apitar descontroladamente, não tão alto, mas o suficiente para Laufeyson estranhar e começar a bater no volante como se fosse culpa da máquina estar fazendo aquilo.

Nicolette começou a rir alto, muito alto, tirou a bonitinha e puxou o pé, depois pegou o sapato vazio. Descalça de um pé e segurando a bolsa preta do outro lado, foi andando lentamente até a porta do motorista de seu carro, vendo o semblante pesado e raivoso do moreno. 

-O que fez?! Sua bruxa! - gritou contra, dando um soco no volante suficiente para fazer a buzina mais alta possível. Enquanto assistia Loki se contorcendo de ódio e estranheza, a morena botou o pé dentro da bota, subiu-o até a porta e fechou-a com o pequeno zíper do lado. Sorrindo alegremente.

-Como pode ver, babaca, ele tem alarme. Depois de um minuto ele desliga, o carro para e você não vai pra frente nem pra trás. Entendeu? - vendo-o franzir as sobrancelhas em autodefesa, Loki se prendeu ainda mais ao volante -Ah, e só eu sei como desligar.

O apito do carro continuava e finalmente o herdeiro de Jotunheim se rendeu, saindo do banco do motorista e sentando-se ao banco do lado, sem precisar sair do automóvel.

Nicole gostou da resposta travessa, abriu a porta e se sentou como uma bela motorista. Olhou para Laufeyson, jogou a bolsa no banco traseiro e abaixou-se um pouco para poder tocar abaixo do banco que estava sentada. Quando encontrou o botão, apertou-o, não se ouviu mais o alarme apitar e Loki com sua expressão de surpresa escondida. Ainda bem que o espelho de fora lhe entregou.

O moreno deu de ombros, a outra não fez mais nada e retornou com o carro em direção a estrada estreita que tinha em sua rua. 

-Na próxima vez que colocar um prego no meu pé de novo, eu vou lhe dar um chute tão forte, que te fará incapaz de ter filhos. - sua ameaça não amedrontou o rapaz, pelo contrário, ele estava rindo como uma hiena descontrolada dentro de seu carro, enquanto tocava Cher no rádio ao fundo -Do que tanto ri?!

Indagando, mesmo assim Loki a respondeu já voltando com a mesma expressão séria de antes.

-Não precisa se preocupar, não quero ter isso. Uma coisa dessas em primeiro lugar? Eu em primeiro lugar, sempre! 

Não entendeu sua declaração egoísta, não entendeu porquê daquilo e se tinha algo haver com o fato dele ter dito sobre o abandono de seu pai. Mas não era da sua conta mesmo, não iria se intrometer, talvez ele tentasse colocar facas ao invés de pregos.

-Foda-se. - cortou-lhe o assunto. O que estava a falar era mais importante do que declarações do moreno -E aí, quanto tempo vai durar essa chantagem?

Loki riu.

-Até eu ter de volta o que é meu. - quando ouviu o que Laufeyson disse, Nicolette parou em um farol vermelho atrás de dois carros, bateu no canto do volante e o encarou ferozmente.

-Isso vai demorar? Por quê assim, você dá muito trabalho, toda hora tenta me matar com alguma coisa diferente, você suja minha casa e toma o banho mais demorado de todos! - conforme gritava, o mais velho lhe respondia revirando os olhos e bufando sobre tudo que ouvia da garota. Os dois estavam em oposto, até Nicolette ver de longe Lee fumando seu cigarro encostado no carro do patrão.

-Foi só um prego, supere. 

Quando virou a esquina para estacionar seu carro um pouco mais afastado do bar de Casablanca. Deu um soco no couro da porta de seu carro, que o fez afundar no mesmo instante, segundos depois ela escorregou sua mão e o local não estava mais amassado.

-Vamos logo com isso. Siga seu papel de bom moço. - apressada, a morena saiu do carro e enxergou do outro lado, Loki abrindo o porta luvas e vendo seus cds de música aberto, e também provavelmente arranhados. Revirou os olhos e percebeu de que se tratava de uma criança, uma criança estúpida e com manias de sociopata.

Laufeyson olhou para trás sem que a garota percebesse e pelo outro lado do vidro traseiro do automóvel ele enxergava Lee vindo devagar até Nicole, com um sorriso travesso e jogando o cigarro aceso no chão.

Abriu-a ao lado, se levantou rapidamente e bateu com força a porta do carro da nova iorquina. Sorrindo como um sol brilhante.

Mas o asiático não tinha lhe percebido ainda, se aproximando devagar. E quando Nicolette percebeu isso, respirou o mais fundo possível para não ter que encara-lo de vez. Mas ainda assim, podia ouvir suas frases sedentas de atenção.

-Apareceu, princesa. - e ao tentar tocar na delicada mão da moça, Lee sentiu-a empurrar com força, transmitindo o quão irritada estava em vê-lo ali. E em resposta, o maior tentou enganar a face raivosa no automático após o ato enojado da mulher.

Saiu de sua frente, e bateu ombro a ombro com o rapaz. 

-Nem mais uma palavra, Lee. - cortou-o a chance. Loki então saiu do outro lado do carro e encarou o menor com desdém. 

-Ela não gosta de conversa. - esticou as sobrancelhas para cima, bateu no capô do carro, colocou as mãos aos bolsos da calça preta e balançou os dois ombros na mesma hora. -Continue tentando, golpista. 

Loki não era burro, sua inteligência o fez descobrir sobre o verdadeiro motivo de Lee correr tanto atrás da humana megera. Já o homem próximo a si, suspirou e começou a rir da fala alheia.

-Com certeza eu vou. Mas e você? 

Negando com a cabeça, o irmão de Thor atravessou o moreno e ficou de costas para si.

-Isso, não tem haver com você, humano. 

Loki o havia chamado de tal palavra, deixando-o perplexo por quê dizia aquilo de forma tão enojada e repugnante. Estava na ingonita sobre este.

Atravessando a rua, do outro lado se via uma Nicolette de braços cruzados olhando o moreno sendo ríspido com o capanga do bandido superior. Suspirou fundo aí vê-lo já do seu lado com seu mesmo sorriso travesso de antes.

-Deixe-o no vácuo, é melhor. - havia entendido que Lee estava tentando irritar seu chantagista, mas era melhor que não tentasse nem abrir uma conversa com ele. Não valia a pena.

Nicole deu dois passos e empurrou a porta do bar, revelando vários homens bêbados adentro do lugar, uns chorando enquanto outros apenas lhe encarando de uma forma gélida.

No entanto, era uma mulher, mulheres vivem com esse tipo de situação. E assim foi quando atravessou o local a frente de Loki, vários homens colocaram seus olhares na mesma que sempre mantinha sua pose firme e séria para desconhecidos.

Mas estava demais gritar para a quase filha do dono daquele local, ainda mais quem não sabia de seu histórico. E após ouvir a frase, seu incômodo fora com o homem assentado, passou a mão sobre uma mesas e o encarou com prontidão. Gritou de volta, a palavra torpe fez Odinson sorrir de canto.

-Sem noção… - em um sussurro fino, estalou os dedos no mesmo minuto que junto seus punhos em auto defesa.

No entanto o homem atrás de si, abaixou a cabeça e a inclinou para aproximar-se do lóbulo da orelha esquerda da morena.

-Não é só um rostinho bonito. - o que quer dizer com isso? Pensou Nicolette virando-se para o lado e lhe vendo em escanteio. Cerrou as pálpebras num mdo firme, e durante dois segundos esqueceu que Loki a estava chantageando. Como era bonito.

Respirou fundo, negou mentalmente e após piscar algumas vezes seguiu o caminho para detrás do salão do bar. 

Mas o local escuro e com luzes azuladas tinha um alvo, Casablanca que estava assentado na cadeira rotativa jogando poker com outros de seus capangas mal pagos. Mas foi pequena sua reação quando pôde ver a garota adentrar o local escondido junto com um rapaz alto e de olhos verdes como esmeralda.

-Estou preocupado com sua presença repentina aqui, não gosto de vê-la acompanhada, filha… - suas palavras eram pouco importantes para a mente escassa em paciência da estadunidense. Juntou seus punhos e abriu os lábios com suas sobrancelhas franzidas, adiantando seu diálogo com o grisalho.

-Estive pensando, andamos com muitos problemas em descrição. Achei a pessoa que procurava. - seu processo em fazer o mais velho acreditar que estava realmente preocupada com o roubo de jóias, ou desvio político. Na maior parte de sua mente, estava ali tendo essa conversa porque Lee era um tagarela fofoqueiro que certamente já havia dito sobre o trapaceiro para Casablanca.

-Estive pensando? Pensou tanto e me traz um filhinho de papai? Filha querida, precisa pensar mais.

Não gostou do que ouviu vindo do superior, franziu suas sobrancelhas e puxou a roupa do mais alto, que fez sua expressão enojada. A morena apontou com as suas mãos, quase que a suplicar de forma mais grosseira possível.


-Não! Ele é bom! Me escute, Casablanca! 

Ergueu uma de suas sobrancelhas o mais velho, jogou todas suas cartas sobre a mesa revelando que o jogo havia acabado por conta da dupla que entrou.

-Vamos ver. - olhou para o lado e fez um sinal com o dedo para o homem próximo a entrada do local, que em seguida foi atrás de Loki tentando-o acertar com um mata leão por trás de si. Mas Laufeyson conhecia aquele golpe como ninguém, ele tinha os mais rápidos movimentos, percebia tudo como ninguém, e fora isso que lhe tirou daquele ataque rápido, sua defesa particular.

Nicolette foi para o lado e bocejou alto quando o mesmo começou a se defender, chutando o capanga e vendo-o bater com a cabeça numa das quinas, desmaiando-o.

Mas não foi o suficiente para Casablanca, que logo em seguida ordenou que outro fosse atacar o mentiroso. E assim foi feito, mais dois foram atrás de Loki, mas o Deus era muito mais inteligente do que qualquer um daqueles homens que se atrevessem passar por seu caminho.

Com um, cotoveladas e cabeçadas foi o suficiente para que se sentisse ameaçado e começasse a sangrar uma das narinas rapidamente, mesmo assim o moreno não se importou em lhe acertar com um soco na barriga.

Por sorte viu no outro uma faca escondida debaixo do cinto de couro afivelado. Foi capaz de torcer o braço do homem para que conseguisse puxar a faca por trás e encostar nas costelas do bandido, afundando o suficiente para que sentisse apenas uma picada.

-Isso que eu chamo de luta, você soube escolher bem. - afirmava em um ato de surpresa em visão de Loki, sorrindo de canto sobre o ato da moça em ter levado-o para lá.

-Eu disse, ele é o melhor. - e por dentro, Nicolette rezava para o chantagista esquecer aquela frase sua. Mas sabia que isso seria incapaz. 

Loki empurrou o capanga e colocou a faca afiada em cima da mesa de vidro do homem dali, sorrindo em contrapartida pelo o que ouviu.

-Qual seu nome, em? 

O questionamento de Casablanca fez Loki lembrar das palavras de antes da pequena humana grosseira. Ela o olhou de canto, engoliu seco e esperou que ele fizesse o que ela mandou.

-Me chame de Loki.





Notas Finais


Gostaram? Comentem aí!

Bjosss e até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...