História Lolita (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


 

Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu da boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta.

Pela manhã, um metro e setenta e cinco a espichar dos soquetes; era Lo, apenas Lo. De calças práticas, era Lola. Na escola, era Dolly. Era Jimin na linha pontilhada onde assinava o nome. Mas nos meus braços era sempre Lolita.

Teve uma precursora? Teve, sim, teve. Na verdade, talvez até não houvesse Lolita nenhuma se, certo Verão, eu não tivesse amado aquele garoto. Oh, quando? Quase tantos anos antes de Lolita nascer quantos eu contava nesse Verão. É sempre de esperar num assassino uma prosa de estilo caprichoso.

Senhoras e senhores do júri, a prova número um é o que os serafins, os simples, mal informados e nobremente alados serafins, cobiçaram. Reparai neste emaranhado de espinhos.

H.H

 

—Jungkook, venha cá! — o senhor — já de idade — chamou o garoto, que brincava com água um pouco a frente, no enorme jardim. —Jungkook! — chamou novamente, chamando a atenção do garoto.

  —O que foi vovô? — perguntou levemente irritado por ter que parar o que estava fazendo, andou a passos largos até ele e sua cadeira de rodas.

O homem fez gesto para que ele se aproximasse mais de onde estava e sentasse em seu colo.

—Vou te contar uma historinha, pequeno! — falou mais rouco que o normal, arrancando um bufar chateado da criança.

—Eu já sou homenzinho, vovô! Tenho sete anos. — mostrou os dedos, indignado.

—Sim querido, mas essa não é uma história qualquer, é uma especial! — falou pensativo, deixando o menor curioso.

—E é sobre o que? — o encarou com expectativa, não podendo ver seu rosto direito, por ser de noite e ali estar escuro.

—Sobre algo que você deve prometer que irá se lembrar! — o Jeon afirmou, e só então ele começou:

—Em um reino escondido pelo tempo e pelas sombras, existia um rei muito malvado, sua crueldade o fazia ser temido por todos os que em suas terras habitavam. Chamavam-no de Terror, o rei cruel do Norte, capaz de matar qualquer um somente por falar sem ser solicitado. O reino do leste e do oeste o temiam por ser um homem implacável que faria qualquer coisa pelos seus ideais, mas o rei tinha um ponto fraco: o amor. Ele amava o doce rei do Sul, que era conhecido pela bondade, inocência e luz. O rei o queria, o rei faria qualquer coisa para ter a inocência em seu domínio. Então sem pensar duas vezes, Terror partiu com seus soldados para atacar o reino do Sul. O reino da luz era pequeno e mais fraco que o do Norte, todos foram mortos menos o rei da luz. Nas lendas que contavam sobre aquele pequeno reino era que eles eram mágicos, e os reis e rainhas podiam brilhar se seu coração fosse puro o suficiente, mas o rei do Sul estava tão desgastado que já não tinha sua Áurea angelical. Terror simplesmente  ignorou os gritos o protesto e tomou a força os lábios do pobre inocente....

 

—Agora, você vai dormir meu inocente. — susurrou ao menor, que apenas maneou a cabeça.— Amanhã terá uma  grande surpresa.

 


Notas Finais


Obg por ler ate aqui❣
Espero que tenham gostado 🤗

Bye 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...