História LOLITA(EXO) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Drama, Exo, Incesto, Romance, Sádico
Visualizações 565
Palavras 2.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo 2


MIN

ㅡ Eu acredito que todos tenham feito o eu pedi na aula passada. ㅡ diz a professora fazendo um gesto com a mão para que todos se sentem. ㅡ É bom escrever, é maravilhoso tentar e conseguir passar seus sentimentos para uma folha de papel ou a tela do computador de vocês. ㅡ sorri gentilmente. 

Particularmente, sempre tive uma certa preferência pela professora de redação. Ela chega a ser uma excelente pessoa no meu opinião. Não sei o que ela faz fora da escola, mas provavelmente a mesma faz algo de errado na vida, ou pelo menos já fez. Essa é a natureza do ser humano.

ㅡ Me sinto imensamente triste por não seguir em frente com vocês no colegial. Sair do 9°ano é algo realmente importante. Espero que saibam disso. ㅡ observo todos os seus movimentos com as mãos. Ela deve ser boa batendo punheta para algum outro professor velho e divorciado. Sua camisa branca por baixo da saia estilo "tubinho" é um pouco transparente. Sou uma vadia reservada. Talvez ela queira passar isso para os outros professores. 

ㅡcalcinha.ei inconveniente de pedir para vocês lerem em voz alta. Não quero constranger vocês. Apenas troquem entre si como eu disse anteriormente.

"Na próxima aula eu quero que vocês façam uma carta, texto ou até mesmo um bilhete para alguém da sala de aula que representou uma parte muito importante da sua vida durante todo esse ano. Troquem entre si, eu não pretendo constranger nenhum dos meus alunos."

Lembro nessse exato momento que não escrevi nada. Porque ninguém foi especial para mim aqui nessa bendita sala. 

Foco minha visão no quadro atrás dela. Sem me mexer com esse uniforme de ninfeta. Automaticamente me tornei uma ninfeta de colegial.

ㅡ Mi-Min? ㅡ sinto uma mão macia em meu ombro direito.

Saio dos meus pensamentos aleatórios para analisar quem me chama. Agora posso perceber que a maioria dos alunos andam de um lado para o outro, trocando papéis. 

Ao meu lado está o jovem mestiço da sala. Ele é muito atraente. Seu cabelo negro com pontas encaracoladas, o nariz longo e fino combinam perfeitamente com seu rosto oval cheio de sardas. Os olhos dele são claros como os meus. Sei que não sou asiática legítima, porém não gosto de ser rotulada como "mestiça". É terrível para minha mentalidade.

ㅡ O que houve? Kim. ㅡ faço uma expressão de desinteresse. Seus lábios são extremamente rosados. 

ㅡ Eu fiz para você. ㅡ estende a mão segurando um envelope. ㅡ Não tivemos a oportunidade de conversar mais, só que eu estive notando você esse tempo todo e me sinto lisonjeado por frequentar a mesma sala que você. ㅡ sem jeito ele abre um sorriso.

Pego mesmo sem entender absolutamente nada. Kim parece nervoso, apesar de seu estilo ser descolado. O mesmo usa brincos. Espero que não seja uma declaração de amor. Terminar esse ano escolar com cartinha de amor pode facilmente me enojar. Eu tenho pensamentos amorosos muito libertinos. Quem sabe viajar para uma ilha paradisíaca? Com um garoto legal que curte dar passeios ao ar livre e me beijar na boca sempre que quiser. 

ㅡ Obrigada. 

Abro o envelope e ele continua parado perto da minha mesa. Irei ler essa carta rapidamente. 

"Querida Min,  

Durante todo esse tempo eu estive observando você do outro lado da sala. Me perguntei diversas vezes se eu teria coragem de lhe chamar para ir ao karaoke comigo. Poderíamos ir ao boliche também... Tentar se conhecer, entende?

Foi um imenso prazer ser seu colega de classe, apesar de eu querer ser mais que isso.

Desejo que esteja sempre bem e saudável. 

Saudações do seu colega de classe Kim Mujae."

Levanto a cabeça automaticamente sorrindo. Balanço a cabeça de um lado para o outro. Essas palavras escritas foram quase que uma declaração explícita. Kim realmente está ou estava interessado em mim. 

ㅡ Foi muito gentil da sua parte escrever para mim. Acho que me sinto triste por não ter conseguido escrever nada. Não tive ninguém em mente. Me mantive focada somente nos estudos. ㅡ puxo sua mão para mim.

ㅡ Sem problemas. De qualquer forma, eu deveria ter ido procurar falar com você. 

Kim é um bobo descolado. Se ele quer tanto me conhecer assim, eu poderia mostrar pela última vez meu melhor lado. Talvez ele goste se eu for mais esperta com ele. Pode se tornar algo divertido.

ㅡ Kim, eu sinceramente não quero que você se sinta arrependido. Gostaria de procurar você na saída. ㅡ passo o dedo no cinto de sua calça azul-escuro. ㅡ Você aceita ficar um tempinho comigo? Antes de trocarmos oficialmente de escola. 

ㅡ Sim, sim! ㅡ arregala os olhos e se faz animado com a proposta. 

Na maioria das vezes eu me sinto como a própria garota infernal. Usando minha beleza para conquistar qualquer homem e no fim do sexo destruí-los. É comum que o sexo oposto seja tão frágil com aparência. 

ㅡ Eu posso esperar por você perto do campo. ㅡ digo gesticulando internamente o que posso fazer com ele.

ㅡ Oh Minjae, você não escreveu nada? ㅡ a professora surge atrás dele.

Eu não escrevi nada. Como eu poderia escrever para pessoas que sequer conheço? Passei o ano todo frequentando esse mesmo ambiente e não sei o nome de metade da turma.  

ㅡ Eu realmente não escrevi. Preferi falar, não é mesmo? ㅡ acaricio a mão dele. A professora arqueia a sobrancelha. 

Kim apareceu em um bom momento. Ser fingida é tão cansativo, nunca, jamais, você para. 

ㅡ Si-sim... ㅡ gagueja Kim. A alegria é resplandecente em seu rosto. 

A mentira é como uma droga. A primeira vez que você experimenta não se dá muito bem, porém quer continuar "experimentando", você começa a usá-la por qualquer baboseira que tecnicamente se torne um problema. Nunca vai perceber que de repente se viciou na maldita. Com as mentiras vem as responsabilidades, ou seja, sustentar todas as mentiras. Sem um deslize sequer.





KIM MUNJAE

Não entendo porque os alunos estão tão apressados para sair da escola. Na saída da sala quase me derrubaram no chão. Aonde está todo o bom comportamento e educação? Me irrito facilmente com coisas desse tipo.

Devo me manter calmo apenas por Oh Minjae. Eu não consigo acreditar que podemos ter um relacionamento sério. Ou seria muita ilusão? Quero dizer, devo estar imensamente iludido por uma garota tão incrível e perfeita como Oh Minjae. 

Lembrando que é apenas um tempinho com ela. Mesmo assim não consigo diminuir as expectativas de ter uma relação mais íntima, como amigos de verdade. 

Antes de encontrá-la perto do campo, tenho certeza de que a moça não vai se importar de esperar mais um pouco. Preciso ir ao banheiro primeiro, meu órgão genital está dolorido de tanto me segurar para mijar. 

ㅡ Minjae saiu primeiro da sala, ao lado de duas colegas. Provavelmente estará ainda conversando com as mesmas. ㅡ tiro meu óculos da mochila e limpo as lentes com a manga do casaco. ㅡ Prontinho! 

Coloco o óculos e minha visão melhora rapidamente. Manter esse visual descolado não é facil. 

Caminho diretamente para o corredor dos banheiros masculinos. Não tem ninguém por aqui, todos realmente se sentiam ansiosos por um final de ensino fundamental. 

Empurro a porta branca e dou de cara com meu reflexo do espelho acima da pia. Meu cabelo está meio bagunçado. 

Coloco a mochila azul no chão perto da porta da cabine em que vou entrar. Afrouxo o cinto e ando para dentro, abro a tampa do vaso sanitário rapidamente e desço um pouco a calça e a box preta. 

ㅡ Liberar tudo é tão bom! ㅡ de olhos fechados o alívio consome meu corpo por inteiro. O ruim de ter um pênis e mijar desse jeito é que faz um barulho não necessário. Por esse motivo costumo evitar vir aqui com outros alunos. 

ㅡ Você falando sozinho é divertido. ㅡ ouço a voz super reconhecível dela e sua mão com unhas pintadas de rosa claro sobre a minha que seguro na base do meu membro. 

ㅡ Meu Deus! ㅡ exclamo assustado me virando e tentando subir as calças mas Min não quer deixar e segura na barra. Começo a me tremer e o rosto enquenta. 



MIN

Kim está vermelho como um tomate. Seguro na barra de sua calça.

ㅡ Se acalme! Está tudo bem! Eu quero ver você! Eu quero você! ㅡ me jogo de joelhos no chão e inesperadamente coloco o pau dele na boca meio desajeitada.

ㅡ NÃO FAÇA ISSO! EU ESTAVA MIJANDO! ㅡ arregala os olhos se segurando na parede. 

Começo a chupar fortemente e aos poucos vou mais lentamente. Kim espreme os olhos. Ele fica incrivelmente sexy de óculos com as bochechas coradas. 

ㅡ Oh Minjae... O que pensa que está fazendo? ㅡ sussurra abafado.

Continuo chupando insistentemente. Passo a língua na glande. O pênis dele é médio, um pouco fino, é branco, a ponta é rosada e está melecada com minha baba. Veias são visíveis. Kim está somente assustado e excitado. 

ㅡ Não se preocupe. Eu quero fazer isso com você. ㅡ acaricio e bato vagarosamente em meu rosto. ㅡ Não precisa ficar assustado. Sou eu, Oh Minjae, você ficou excitado facilmente. Me deixe terminar. Por favor. 

ㅡ Mas eu não entendo. ㅡ morde o lábio inferior. 

ㅡ Não precisa entender. Só fique quieto. ㅡ franzi o cenho ㅡ Uma vez eu estava assistindo um filme pornográfico... E nele, a garota enchia a boca de saliva e logo em seguida cuspia no pênis do homem. Eu achei isso tão interessante que nunca consegui esquecer. ㅡ cuspo no pênis dele e em seguida espalho com a mão por toda a extensão. 

ㅡ Oh Minjae... Aah, eu preciso saber... Você está fazendo uma oral em mim. ㅡ me puxa pela trança um pouco desfeita. ㅡ Não! 

Me empurra fortemente. Caio de bunda no chão para fora da cabine. 

ㅡ POR QUE VOCÊ FEZ ISSO? ㅡ grito irritada com  situação irrelevante.

ㅡ NÃO FAÇA ISSO! O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? ㅡ Kim grita comigo também. 

Pela primeira vez consigo ver um lado mais abrupto dele. Um garoto de 14 anos. Meu olhar se torna calmo. Me fixo nele e abro lentamente as pernas. 

ㅡ O que pensa que está fazendo? ㅡ se assusta novamente e cobre os olhos com a mão trêmula. 

ㅡ Kim, como consegue repetir as mesmas palavras sem parar? Veja o quão molhada estou só de pensar em você. ㅡ arreganho as pernas. Entre os dedos ele observa descaradamente. Eu posso sentir seu pau implorar por minha boca novamente. É impossível que Kim não me queira. 

Me levanto sensualmente do chão, caminhando lentamente na direção do gatinho assustado. Percenbendo minha aproximação o mesmo tenta fechar a calça de forma atrapalhada. Sem sucesso, agarro na sua mão e o empurro contra a parede. 

Kim Munjae, você pode me conhecer melhor, somente por hoje, nosso último dia. Aproveite que estou dando espaço para você se agradar com uma linda prova oral. Deixe-me adivinhar... ㅡ faço uma expressão pensativa ㅡ Sua matéria preferida é matemática, certo? ㅡ seguro em seu membro e acaricio suavemente. Seguido de um beijo molhado no seu pálido pescoço.

É... ㅡ sussurra trêmulo de olhos fechado. Engole em seco.

ㅡ Finja que sou um problema extremamente chato que você precisa resolver de qualquer jeito porque vale metade da sua nota no teste. ㅡ desço aos poucos, esfregando meu rosto por todo o seu corpo.

Min... ㅡ solta um longo gemido depois que abocanho seu pênis. 





...

Subo a saia acompanhada da calcinha. Limpo o canto da boca melado de gozo, reviro os olhos ao mesmo tempo. 

ㅡ Foi bom... ㅡ abro um sorriso malicioso para o adolescente ofegante que se segura na parede. 

ㅡ Si-sim... 

Pego a mochila com detalhes rosas e coloco nas costas. Me analiso no reflexo do espelho para ver se está tudo okay. Kim gozou 3 vezes seguidas na minha boca. Isso é realmente louco. O amargo permanece na garganta. 

 ㅡ Eu não te conheço mas foi ótimo. Pra quer ir ao karaoke se podemos fazer isso? Eu gostei, sinceramente espero que meu boquete tenha valido a pena. 

Kim está concentrado em se arrumar. Olho em meu relógio de pulso e já se passou 30 minutos. Preciso ir para a casa, Oh Sehun chega em 20 minutos e eu ainda não estarei lá. 

ㅡ Preciso ir! ㅡ saio apressadamente do banheiro sem dizer mais palavras triunfais depois de algum ato sexual. O corredor se encontra vazio. Antes de fugir desses corredores alguém agarra meu braço, me solto rispidamente e vejo Kim.

ㅡ O que quer? ㅡ meu tom é impaciente. 

ㅡ Me dê seu número. ㅡ coça a cabeça.

ㅡ Vai se ferrar! ㅡ continuo andando e sem olhar para trás dou o dedo do meio. 

ㅡ Mas eu gosto de você! ㅡ exclama o mestiço e suas palavras ecoam pelo longo corredor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...