História Lonely - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Min Yoongi (Suga), Yugyeom
Tags Fanfic's Bitch, Haneul, Ninfomaníaco, Sexo A Três, Yoongi, Yugyeom
Visualizações 61
Palavras 1.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Crossover, Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, minhas safadenhas!
Como já está nos avisos. Sim, essa fanfic irá ter sexo.
"Autora, vai ter putaria?"
Se não tivesse putaria, eu não seria uma bitch.
Eu só queria deixar claro, que o Spirit tem sérios problemas com espaços.

Eu escolhi o Yoongi, porque eu tenho uma tara por ele. As veias e cor da pele dele aaa.
Lonely, não ia ser hetero. Porém, eu prometo que essa iria ser a única hetera no meu perfil. Eu gosto mais de escrever lemons e me dou com eles.

Boa leitura!

Capítulo 1 - One;


Fanfic / Fanfiction Lonely - Capítulo 1 - One;

One; 



 – Ih, olha lá. A louca chegou! – Yugyeom, meu amigo tapado falou quando eu me aproximei.

 – Já te mandei ir a merda hoje, Yug? – Falei. Peguei o sanduíche que estava em sua mão e dei uma mordida.

 – Nem vem, e não morde o meu sanduíche. Vá comprar o seu! – Mandei o dedo do meio para ele, A desgraça riu de mim.

   Tive que ir pagar a minha comida. Yugyeom não é um bom amiguinho.

 – Então, Haneul. O que você vai fazer esse final de semana? – Perguntou assim que eu sentei na mesa.

 – Um monte de nada, sabe. É muito bom. Eu, morando sozinha, aaah. – Suspirei, dando um certo alívio.

 – Tá bom então. Eu ia te chamar para uma super festa de despedida da faculdade. Mas aí, eu lembro daquele seu pequeno incidente na última vez que fomos a uma festa.

 Aí, eu calei legal.

  Flash Black (1 ano atrás)

– VIRA, VIRA, VIRA. – Já tomei três garrafas de soju, e tô bem. Não cai e nem nada.

Tô Flex.

– Cara... Ela vai cair legal. – Yugyeom murmurou. E eu ouvi.


– EU OUVI. – Falei mais alto que o normal, e ouvi ele reclamar.

– Tá bom de beber, sim? Daqui a pouco tu cai aí, e eu vou rir da tua cara. – Disse risonho.

– Ótimo amigo você é! Mais eu ainda quero beber. – Desci da cadeira e fui até o barman, onde eu pedi mais uma garrafa de soju.

– Estou vendo que isso não vai acabar bem... – O vi cobrir seu rosto com as mãos. Gargalhei alto.

– Deixa de ser tão responsável. Eu só estou bebendo... E além do mais, o que pode acontecer de ruim? – Virei a garrafa, bebendo o líquido como se fosse água.

03:33 AM

– Eu te falei que ia dar merda. Você não me ouve. – Respirei fundo, antes de eu colocar tudo para fora naquele vaso.

– Cala a boca, Yugyeom. – Pedi rindo.

Legal... Eu estou bêbada.

– Sabe Yug... Se o filho da puta do Mark não tivesse me traído, eu não estaria dando assim. Eu ainda o amo pra caralho.
– Senti as lágrimas querendo sair. Mas não deixei.

– O que essa garota tá falando agora?
– Faltava só um ponto de interrogação desenhado na testa. Sorri.

– Eu sou muito estranha? Porque que toda vez em que eu conheço alguém, ele me deixa depois?

Sentei no chão, e ele me olhou estranho.

– Você não é estranha. Só é... Diferente.
– Olhei para ele que sorria.

Após um tempo ali no chão. Comecei a me sentir tonta, e tudo em minha volta girar.
Depois, tudo o que eu ouvi foi Yugyeom chamando o meu nome.

(Atualmente)

– Porra. Mark nem era pra ter entrado nessa história. Ele é um idiota. – Falei emburrada.

– Que pena Haneul... Olha, eu sou muito bonzinho. E também porque eu não quero ir sozinho.

– E vai ser hoje? – Perguntei tirando um gole do meu suco.

– Isso! Aí, eu te passo o endereço direitinho que você vai. – Falou, se levantando do banco.

– E porque você não me leva?

– Por que... Você anda meio folgada ultimamente.

– Vai a merda, eu não queria carona mesmo. – Taquei um pedaço de papel nele. Yugyeom riu, indo para o carro dele.

Viado de merda.

20:15 PM
(Room chat)

Kim Yugyeom  
"(Endereço, galpão)"
"Vê se não se perde, igual da última vez."

Kim Haneul 
"Nem vem, que daquela vez você quem mandou o endereço errado."
"Mas, okay."

Kim Yugyeom
"Te espero lá ;)"

  Levantei da cama e, fui para o banheiro tomar banho.
  Uma hora depois, eu já estava pronta. Vestida em uma saia preta e um cropped da mesma cor. Não passei maquiagem porque era desnecessário, somente um batom vermelho. Andei até a garagem, entrei no meu carro e dirigi à caminho do galpão.

***

 – Caralho, que gostosa. Haneul, é você? – Yugyeom perguntou, me olhando de cima a baixo.

  Menos né, Yugyeom.  

 – Vai a merda. – Mandei-lhe o dedo do meio e sorri.

 – Vamos beber alguma coisa. Aí depois, eu te apresento uns amigos.

 – Me apresenta agora. – O barman estava cheio.

  – Está bem então. – Ele me puxou pela mão, costurando as pessoas, até uma mesa onde tinha um pessoal. 

E que amigos...

–Yugyeom! – O garoto se levantou e o abraçou, logo depois fez um toque com as mãos. 


 – Jeongguk, estava com saudades... E ah, galera. Essa é Kim Haneul, minha melhor amiga.

 Hora da minha análise. Cada um daquela mesa me observou. E sorriram iguais.

 Mas que porra.

– Olá Haneul. Eu sou Byun BaekHyun.

 Todos se apresentaram. Menos um. E esse me olhou feio.

Não gostei dele.  

 – Não vai falar nada? – Perguntei ao garoto. E ele riu sarcástico.

 – Não sou obrigado a nada, meu amor. – O vi morder seu lábio inferior.

 Senti uma fisgada em meu baixo ventre.
Fodeu.

– Não ligue para ele, Haneul. Ele é um idiota. – Jeongguk falou. Dei de ombros e deixem o grupo de lado.

  Fui ao barman. Pedi dois shots de Whisky e virei os dois ao mesmo tempo. Percebi que alguém parou ao meu lado e o ouvi pedir uma garrafa de vodka. Olhei de relance e era ele.

– Veio aqui para me dizer o seu nome, ou só veio pra me encher? – Perguntei direta.

– Na verdade. Vim perguntar, se você não quer me ajudar em uma coisa simples. – Disse, virando para mim e apoiou seu cotovelo no balcão.

  Pedi mais um shot e virei.

– E o que séria? – Semicerrei os olhos, desconfiada.

  Ele se aproximou como se fosse me beijar, mas desviou para o meu ouvido.

– Você me deixou duro com essa roupa. E essa sua voz, me deixou muito excitado. – Seus dentes puxaram o lóbulo da minha orelha e eu arrepiei.

  Puta merda.

– Eu quero que essa sua boca trabalhe aqui. – Levou a minha mão discretamente, até o seu membro coberto pelo jeans.

 Apertei ele, recebendo um gemido baixo vindo dele.

Sem volta.

  Ele me puxou pela mão até algum local mais vazio. O garoto excitado me empressou na parede, onde sem rodeios atacou os meus lábios. O ósculo foi ficando mais quente até ele nos separar e me mandar ajoelhar.
  Deixei um selar por cima do tecido e o ouvi murmurar algo desconexo por mim. Desfivelei o cinto, depois o zíper e abaixei a calça.

– Isso! – Falou, após eu ter dado uma mordida leve em seu membro já descoberto.

  Passo a masturbar sua extensão enquanto olho suas expressões. Depois, lambi sua glande rosada que expelia pré-gozo. Sorri safada, quando senti sua mão invadir meu cropped, gemi baixinho ao sentir ele apertar o meu seio direito. Fiz ele gozar em minha boca depois de alguns minutos. Eu já estava voltando para a festa, quando senti sua mão me puxar pela cintura e me beijar ferozmente.
Fiquei meio confusa quando eu vi uma mesa grande no espaço em que estávamos. Poderia jurar que não tinha nada, decidi deixar isso de lado e quando voltei a realidade, o branco tinha me colocado de bruços sobre a mesa, afastou a minha calcinha para o lado e gemi alto ao ter ele dentro de mim. Eu gemia manhosa enquanto suas estocadas eram fortes e rápidas. Ele era muito bom no que fazia.
  Quando cheguei ao meu orgasmo, ele me virou e suas mãos adentram a minha blusa e, apertam os meus seios, enquanto o loiro me prenchia com mais rapidez. Ele chegou ao seu ápice completamente ofegante e meio soado. Aposto que eu não estava diferente. Abaixei a barra do cropped e o olhei. Foram segundos assim. Até eu acabar com esse silêncio maldito.

– Eu vou voltar pra lá. – Falei e sai andando.

 E de longe o ouvi gritar.

– Meu nome é Min Yoongi.


To be continued 


Notas Finais


Então, o que acham?
Ficou bom?
Ruim?
O que faltou?
Falem pra mim aí nos comentários, e eu irei melhorar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...