1. Spirit Fanfics >
  2. Lonely Hearts- imagine Jung Kook >
  3. Drink me.

História Lonely Hearts- imagine Jung Kook - Capítulo 52


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiiii MEUS AMORES, OLHA EU AQUI, COMO SE NADA TIVESSE ACONTECIDO, DEPOIS DE CHOCAR O MUNDO😂😂😂😂😂

ESPERO QUE GOSTEM.😊😊😊😊

DESCULPA QUALQUER ERRO ORTOGRÁFICO.😉😉😉

BOA LEITURA 😊😊😊😊

BJS DA ARY😘😘😘💜💜💜💜

Capítulo 52 - Drink me.


Fanfic / Fanfiction Lonely Hearts- imagine Jung Kook - Capítulo 52 - Drink me.

"Me mate, minta pra mim, me amaldiçoe

Faça mais uma vez

Me beba, me assuste, me odeie

Como nunca antes

Me ame, ore para mim, me quebre

Faça um esforço você mesma

Me lave, me segure

Me foda"

                      Michele Morrone

              Anteriormente

Eu olho em seus olhos, é a primeira vez que não vejo o playboy com excesso de zelo, mas um cara procurando algo mais em uma garota que não tem nada para dar.

E pela primeira vez no que parece uma eternidade, sinto uma pontada de tristeza, bem no centro do meu peito.

Porque agora eu gostaria de poder dar a ele o que ele está procurando.

Jung Kook- Seja minha namorada.

                  Agora

               S/N P.O.V

Eu congelo.

Meu queixo caí aberto.

Me- O quê?

Jung Kook- Seja minha namorada.

Eu fico o olhando em estado de choque, ainda não acreditando em suas palavras.

Jung Kook- De todas as vezes que eu preferiria você estar muda. Essa não é a ocasião. Se você não se importa, escolha uma resposta ou outra. O suspense está me torturando.

Me- Você bebeu?

Jung Kook- Não linda, eu estou completamente sóbrio.

Me- Jung Kook isso não funcionaria, eu te odeio.

Jung Kook- Você acredita mesmo nisso? Mas se isso faz você se sentir melhor, então me odeie o quanto quiser, eu me contento com seu corpo me amando.

Ele passa os lábios ao longo da concha da minha orelha, sacudindo a língua para provocar a pele quente.

Um pequeno suspiro rasga meus lábios e não posso deixar de inclinar meu pescoço para o lado, mesmo com a mão dele me mantendo no lugar.

Me- Você e eu somos tóxicos.

Eu respiro em tom baixo.

Me- Não somos parecidos, você é atenção, eu quero ficar fora de vista.

Jung Kook- São polos diferentes que se atraem.

Ele fala contra meu ouvido, mordiscando a carne sensível.

Mordo meu lábio inferior contra o ataque de emoções.

Eu aperto minhas coxas, mas isso só consegue apertá-lo com mais força contra meu núcleo liso.

Me- Polos diferentes também se destroem.

Jung Kook- Eu também sou bom nisso.

Abro a boca para protestar.

Qualquer palavra que eu estava prestes a dizer termina em um suspiro quando seus lábios reivindicam os meus.

Ao contrário do beijo na biblioteca, este é mais desesperado, violento e fora de controle.

Seus dentes se chocam com os meus e sua língua entra como se ele sempre possuísse essa parte de mim.

Como se ele tivesse me tido a vida inteira.

Eu não luto.

Eu não posso.

Quando ele puxa meu cabelo, inclino a cabeça para trás e deixo que ele me beije.

Não.

Risque isso.

Porque Jung Kook não beija, ele devora.

Ele me come como se eu fosse seu sabor favorito.

Então, um segundo depois, ele aperta meu pescoço e separa nossas bocas.

Estou ofegante e implorando por ar, mas tudo em que consigo pensar é... mais.

Eu preciso de mais.

Nossas bocas não são para respirar ou conversar. Elas foram feitas para beijar.

É um crime que ele não esteja me beijando o tempo todo.

Jung Kook é a droga. Eu sou vítima do meu vício nele.

Sou vítima da obsessão dele por mim e da maneira como ele me olha como se eu fosse o dilema da vida dele.

Jung Kook- Diga que sim.

Ele murmura contra minha boca.

Me- O quê?

Jung Kook- Diga.

Me- E a aposta?

Eu incito.

Jung Kook- Foda-se aposta. Foda-se Gianna, Foda-se todo mundo. Quem liga? Nenhum  deles importa.

Me- E eu importo?

Eu zombo.

Jung Kook- Você faz.

Doce Jesus, seus olhos não mostram nenhuma sinal de mentira.

Me- Me deixe sozinha, se você estiver jogando comigo, não pense que eu vou jogar com você.

Jung Kook- Eu já disse que eu nunca joguei com você.

Ele sorri.

Jung Kook- Isso que dizer sim?

Me- Sim, isso quer dizer um sim,

não me faça se arrepender disso.

Seu sorriso aumenta.

Jung Kook- Ok, então, namorada.

Me- Jung Kook, eu sou vadia, mal humorada, insegura, cheias de problemas, e eu quero que você me prometa, que você esta bem com isso, porque esta é quem eu sou, eu eu não vou mudar.

Ele não disse nada por tanto tempo, que comecei a ficar preocupada. Será que fui sincera demais na minha auto-avaliação? Verdade, isto não soou como uma propaganda que normalmente se faz de si mesmo, mas eu estava tentando mostrar meu ponto...

Jung Kook- Você é minha S/N, e eu nunca vou te deixar ir.

Deus, eu provavelmente vou me arrepender, disso mais tarde.

Minha linha de pensamento, é abruptamente cortada, quando Jung Kook bate sua boca na minha, e eu abro, é toda a permissão que ele precisa.

Sua mão tatuada agarra meu cabelo e a outra pressiona contra a parte inferior das minhas costas. Minhas mãos cobrem os dois lados do seu rosto enquanto nossas bocas lutam juntas.

A falta de ar, resolver da um oi, e nós nos separamos.

Jung Kook- Ver outro cara te tocar...

Ele balança a cabeça, sobrancelhas franzindo ainda mais.

Jung Kook- Eu não posso lidar com isso.

Ele dá um beijo provocante nos meus lábios, me fazendo choramingar desesperadamente quando ele se afasta.

Jung Kook- Então, que tal ter certeza que isso não aconteça mais?

Me- Sim, tudo bem.

Eu sou uma vadia neste momento.

Ele balança a cabeça e deixa cair a boca no meu ouvido.

Jung Kook- Você não está me ouvindo, S/N.

Sua voz vibra na minha espinha.

Me- Mmm...

Eu gemo, fechando meus olhos.

Me- Não deixar você me ver com outro cara. Entendi.

Jung Kook- Diga-me, S/N.

Sua respiração quente traz arrepios à superfície da minha pele.

Jung Kook- Diga-me. Nenhum outro cara. Apenas eu.

Me- Você é mandão.

Eu respiro e envolvo minhas pernas em torno dele.

Jung Kook- Isso é porque você gosta de mim mandão.

Ele me dá mais do seu peso, e sua voz rouca acaricia meu ouvido.

Jung Kook- Diga-me.

Me- Sim, tudo bem. Só você.

Ele puxa de volta instantaneamente, seus olhos indo para frente e para trás entre os meus.

Jung Kook- Você mesma disse, você não mente.

Me- Jung Kook?

Jung Kook- Sim?

Eu envolvo meus braços em volta do seu pescoço, puxando- o mais para mim.

Me- Mexa-se.

Eu exijo enquanto levanto a cabeça, selando nossas bocas juntas.

Ele não decepciona.

Seu polegar escova meu mamilo através da blusas, e eu tremo. Jung Kook  os circula ainda mais, aplicando mais pressão desta vez, me fazendo arquear em seu toque.

Ele tira, minha blusa do meu pijama, jogando o longe, soltando o fecho do meu sutiã, ele faz mesmo, e coloca as mãos em concha nos meus seios antes de se inclinar para sugar um mamilo na boca.

Jung Kook- Porra.

Ele cai e sacode meu mamilo com a língua, ganhando um gemido de mim.

Jung Kook- Tão fodidamente perfeita.

Ele aperta meu seio esquerdo enquanto chupa meu mamilo direito em sua boca.

Jung Kook- Você quer mais?

Ele pergunta com um sorriso.

Me- Eu quero tudo.

Ele tira, minha blusa do meu pijama, jogando o longe, soltando o fecho do meu sutiã, ele faz mesmo.

Ele desliza pelo meu corpo, amontoando meu vestido na minha cintura.

Ele conecta os dedos nas laterais do meu short junto com a, minha calcinha preta e a arrasta pelas minhas pernas antes de jogá-los em algum lugar do quarto.

Ele se levanta saindo de cima de mim, apenas pra tirar a roupa, logo voltando para cima mim.

Ele deixa um rastro de beijos no meu pescoço, eu choramingo, seus dedos saindo para brincar com minha abertura. Ele introduz dois dedos, estocando em mim, como se estivesse me fudendo com seu pau, meus olhos rolando para trás, eu gemo incontrolavelmente.

Jung Kook- Tão molhada.

Gemo em resposta, seu polegar começa circular, meu clitóris, e eu desmorono em um grito.

Jung Kook- Essa é minha garota.

Jung Kook entra em mim em impulso, minha cabeça rola pra trás.

Minhas pernas instintivamente, se enrolam em sua cintura, minhas unhas vão para afundar em seus ombros.

Ele envolve meu cabelo em seu punho, enquanto estoca dentro de mim.

Me- Mais.

Eu imploro.

E ele me dá, cada estocada me levando ao céu, eu gozo gritando seu nome.

Jung Kook vem depois de mais algumas estocadas, ele desmorona em cima de mim, nossas respirações ofegantes.

Me- Eu preciso de um banho.

Jung Kook- Você não pensa mesmo que acabamos? Não é mesmo querida?

Santo Deus.

Quebra de tempo.

Me- Jin cadê o almoço.

Jin- Nada de almoço hoje, vamos comer besteira lá embaixo, todos os alunos estão lá.

Jin não estava brincando está sentados na mesas, Jung Kook está longe de ser visto.

Eu estou faminta. 

Com a besteiras na mão, vou me sentar ao lado de Jennie, só para que Baek abaixe antes de mim e me ponha em seu colo.


Minhas sobrancelhas se levantam e eu sorrio para ele.


Me- Oi.


Eu coloco meus salgados e meu refrigerante em cima da mesa, estrategicamente mantendo meu chocolate na mão.

Nunca sei quando um ladrão doido por doce pode aparecer.  

Ele sorri para mim.

Baekhyun- Oi, S/N.

Ugh...

Sua mão pegajosa corre pelo meu braço esquerdo.

Ele se inclina quando me inclino para trás.

Me- Qual é o seu jogo?

Baekhyun- Nós não conseguimos fazer a parte boa, agora nós podemos?

Ele sussurra, Eunha está pirando do outro lado.

Vai entender esse dois.

Sua voz está se esforçando para ser sedutora, mas seus olhos têm um brilho endurecido por trás deles.

Me movimento para ficar em pé, mas ele perde a sugestão e me ajusta em seu colo.

Ele empurra meu cabelo por cima do meu ombro.

Baekhyun- Então...

Em algum lugar atrás de mim, eu ouço um “Oh merda”

antes de senti-lo.

Eu me viro para encontrar Jung Kook abrindo caminho através das mesas. Infelizmente, virar envolve uma mudança de minha cintura e eu sinto um pouco da emoção de Baek sem trocadilhos, mas neste caso, infelizmente, funciona.

Jung Kook vê meus olhos se arregalarem e deixa cair seu olhar estreito para onde o corpo de Baek e o meu estão se tocando.

Sua mandíbula aperta e não há dúvida de que ele sabe exatamente o que aconteceu.

Ele disfarça sua raiva em um piscar de olhos e me lança um aviso com os olhos, dizendo-me para 'correr', a menos que eu esteja pronta para o que está por vir.

Curiosidade matou o gato depois de tudo...

Ele está quase perto de mim agora, seus olhos queimando nos meus, mas quanto mais perto ele fica, mais claro eles se tornam para mim.

Você nunca veria ou acreditaria, neste caso a maneira como o corpo dele está se movendo.

Com os braços soltos ao lado do corpo, seus passos fáceis, uma sombra de sorriso nos lábios e o queixo erguido, ele exala confiança. Ou arrogância, dependendo de como você olha para ela.

Seu rosto é uma máscara fria para todos os que nos rodeiam verem, mas por alguma razão, vejo a vulnerabilidade escondida em seus olhos escuros.

Ele não está escondendo isso de mim.

Ele quer que eu saiba o que ele quer, o que ele está esperando... secretamente implorando por mim.

Eu dou a ele.

Nunca quebrando nosso contato visual, eu empurro as mãos de Baek de mim e fico em pé enquanto os pés de Jung Kook pousam na frente dos meus, colocando-nos frente a frente.

Seus olhos brilham instantaneamente e eu nem me importo com o seu sorriso arrogante.

Jung Kook- Você esqueceu o que você me prometeu de hoje de manhã, namorada?

Ele sussurra apenas para eu ouvir, seus olhos se estreitando.

Minha língua desliza para molhar meus lábios de repente secos, eu balanço minha cabeça.

Porque não, eu não esqueci.

Eu também não pensei por um segundo que ele estava falando sério.

Jung Kook- Bom.

Ele diz e pisca.

A próxima coisa que eu sei, é que seus lábios macios estão nos meus.

Seu beijo é mais exigente e territorial do que qualquer coisa, mas agora eu não me importo.

Não dando a mínima para os suspiros e risadinhas e as cadeiras estridentes, eu coloco minhas mãos em volta do seu pescoço e o beijo de volta.

Nem me importo quando meu chocolate cai no chão.


Notas Finais


FUiiiiiiii.
Continuaaaaaaaaa?????????????
Digam o que acharam.
Bjs amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...