História LoneWolf e a Ascenção do Lobo - Capítulo 5


Escrita por: e Gutyerrez

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Infantojuvenil, Lobisomens, Lobos, Mistério, Suspense, Terror
Visualizações 15
Palavras 1.159
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Neste capitulo, estaremos conhecendo um pouco, e vendo o lado de Bily.
Ps: (*) -> Quebra de tempo.

Boa Leitura!

Capítulo 5 - Capítulo 5


Conhecendo Billy

 

Bily estava escorado na parede aos fundos da parte de trás de uma velha casa abandonada. Ele ia até lá às vezes para pensar, extravasar as ideias, ou até então, relaxar.

Sua vida não era uma das mais interessantes. Ele havia se mudado para Northern Hills com um propósito. O propósito de vingança e vida nova. Ele não sabia como essas duas únicas palavras se encaixam juntas, mas ele teria que mover montanhas para que elas dessem certo.

Faltava quase uma hora para que começassem as aulas. Se ele não se apressar, chegaria atrasado e o professor lhe daria uma bela de uma detenção. O que ele não se importava claro.

Ele poderia ficar horas e horas onde estava e ninguém iria sentir sua falta. Além, é claro daqueles idiotas que andavam com ele. "Bando de retardados imbecis" Ele pensou. Aqueles triceratops de imbecis, só estavam com ele por causa de sua fama de mal. Que botava medo nos nerds.

Eles podiam morrer, que ele tava pouco se importando para a trupde.

 

Seu caminho até a escola foi calmo e rápido. Do lugar onde estava até a escola, a diferença era de poucos quarteirões.

Quando finalmente chegou a escola, ele foi recebido pela trupde de idiotas fazendo-lhe várias perguntas.

 

- E aí cara. Onde tu tava? - Começou a falar o magrelo. - Estávamos te procurando para botar a cabeça daquele Dusk no vaso, lembra?

 

Dusk. Um pobre garoto do quarto ano que é atacado constantemente pelos brutamontes por causa de um desentendimento no passado. No caso, uma pequena confusão envolvendo, uma bandeja de comida e a camisa do gordão. Pobre Dusk. Desde daquele dia tem que aguentar tudo sem reclamar.

 

- É cara. Já faz umas meias hora que estamos atrás de você. - Disse um cara alto e forte com a voz grossa e áspera.

 

- Hum... Se não perceberam, eu acabei de chegar. - Falou Bily sério e entediado, continuou sarcástico. - Porque se não. Eu já teria aparecido não é?

 

- É cara. - Concordou o cara alto sem perceber o sarcasmo na voz do outro.

 

- Não importa. Porque demorou? Você sempre chega antes de nos. - Disse o magrelo desconfiado.

 

- Não interessa. - Disse grosseiro. - Cadê aquele balofo que sempre anda com vocês?

 

- Sei lá. Desde ontem não falamos com ele. - Deu de ombros o cara alto.

 

- Hum...

 

- O engraçado é que ele não me mandou mensagens até agora, falando de um restaurante ou da hamburgueria daqui da frente. - Voltou a dizer o magro coçando a cabeça depois de um tempo olhando para a tela do celular vendo se havia mensagens do gordo.

 

 - Hum... Interessante. - Disse sem realmente ânimo para, se o gordo havia sumido ou não.

Neste momento Bily olha para o lado e ao fundo encontra o olhar de Lena em si.

Ele sabia quem ela era, se lembrava dela, daquela noite e quando se "esbarrou" com ela na rua.

 Ele estava curioso para saber se ela também tinha visto aquela "coisa" naquela noite, mas ele sabia que não podia ficar forçando as coisas, mesmo pelo seu status de encrenqueiro. Ele ia esperar pelo tempo certo para finalmente perguntar a ela devidamente sem que esses idiotas que não saíam da sua cola, estivessem por perto.

Quando Bily percebeu que já estavam a um tempo se olhando, ele franze as sobrancelhas desviando sua visão dela para seus "amigos" e vai para aula, sendo seguido pelos mesmos.

 

*

 

- Ei! Olha só. - Exclamou o cara alto.

 

- O que foi Peter? Se estiver nos chamando para mostrar fotos, daquela garota feia pode esquecer. - Disse o magrelo entediado.

 

- Não é nada disso! - Exclamou o tal do Peter novamente, indignado. - E ela não é feia, tá.

 

- Tá. Tá... Tanto faz Peter. Fala logo o que você quer. - Disse Bily cansado dessas brigas patéticas.

 

- É essa notícia que acabei de ver no News Northern. Parece que encontram um corpo. - Anuncia Peter.

 

 - Que corpo?! - Quase grita o magro.

 

- Cala a boca Teodoro! - Bily repreende, ele olha em volta e ver que algumas pessoas estavam olhando para eles.

 

- Não me chame de Teodoro! Sabe que não gosto desse... - Ia dizendo o Teodoro quando foi interrompido por Bily.

 

- Tá. Tá. Que se dane. - Fala Bily e pergunta. - Quem morreu?

 

- Não sei. Aqui não fala. - Peter responde vendo a cara emburrada de Teodoro.

 

- Onde que foi isso? - Pergunta novamente Bily.

 

- Hum... Deixa-me ver... - Diz Peter olhando na tela do celular procurando pelo lugar.

 

- Anda logo Peter!

 

- Calma. Calma... Achei! Fica naquele beco em que estávamos naquela noite... Sabe? - Diz com uma cara meio assustada.

 

- Sei. Sei, sim. - Bily responde com uma cara difícil de decifrar.

 

- Porque tanto interesse nessa notícia Bily? - Teodoro pergunta desconfiado.

 

- Nada. Nada que não seja da tua conta. - Bily responde se levantando e indo para o portão da escola.

 

Bily andava sem rumo pelas ruas de Northern Hills, seus pensamentos estavam em volta do que estava acontecendo ultimamente. O ataque da criatura até então desconhecida, seus sonhos que eram uma mistura de pesadelos e lembranças.

Ele sonhava que naquela noite assustadora o monstro lhe atacava o cortando o peito e rasgando sua garganta para depois comer seus órgãos internos. E que sonhava também com seu pai, com ele lhe levando a escola, lhe ensinando a jogar futebol...

Seus pensamentos foram interrompidos por um carro que passava em sua frente buzinando. O fazendo acordar para a realidade e ver que tava quase parado ao meio da rua.

Ao ver onde estava Bily vai para calçada, mas percebe que mais a frente aquela mesma garota de horas antes na escola e do beco, seguia correndo para um prédio abandonado com duas outras pessoas atrás. "Seus amigos" Pensou Bily.

Bily tinha inveja de pessoas assim. Pessoas que tinham amigos, pais para amar e que se importava com eles. Ter aqueles idiotas como amigos com certeza não era a mesma coisa que os amigos de Lena, que sempre estavam com ela. Não importa para onde iam, eles estavam lá.

Sendo interrompido de seus pensamentos mais uma vez, só que por um caminhão a suas costas dando ré, Bily segue Lena e seus amigos até o prédio abandonado. Ele queria saber o que eles estariam fazendo ali, por que estavam ali.

 

*

 

Bily subia as escadas em silêncio. Do segundo andar ele conseguia ouvir o falatório no andar de cima. Ele não sabia o que estava acontecendo, mas algo sério estava rolando por lá.

De repente Bily ouve rosnados altos e coisas se quebrando lá em cima. Ele apertou o passo e quando finalmente viu a porta do cômodo em que os outros estavam a abriu e viu o que acontecia.

A cena era de dar arrepios.


Notas Finais


Deixem seus comentários ai em baixo, falem-nos o que acham.
Até próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...