1. Spirit Fanfics >
  2. Longe de Você >
  3. Capítulo 2 - Surpresas

História Longe de Você - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Isso é uma fanfic FICTÍCIA mas com personagens REAIS
Não forcem o ship de Aldo Mendonça e Júlio Reipert, são pessoas reais com suas próprias vidas, não os force a ter um relacionamento que não querem ter

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Surpresas


Ponto de Vista: Júlio

Depois que o Aldo tinha se mudado para SP, eu tinha planejado com alguns amigos nossos de irmos visitá-lo em seu apartamento novo... O problema é que não achávamos que seria tão pequeno!

Ok, ele nos convida à entrar com uma expressão confusa, e quase instantaneamente depois que entramos e sentamos no sofá, ele pergunta confuso, com risos das meninas abafando sua voz:

- Oi! Como vocês vieram? A passagem de metrô pra cá não é tipo, muito cara? — Ele com um sorriso surpreso e confuso no rosto fecha a porta e senta conosco no sofá.

- A gente planejou te visitar desde que você se mudou — Larissa ria enquanto respondia Aldo e passava um olhar rápido pelo apartamento.

- E não me avisaram!? E se eu não tivesse em casa?! — Aldo parecia o tipo de pessoa que não gostava de surpresas, mas não ficou bravo com essa notícia.

- Migo, quando você compartilha seus horários com a gente é fácil saber dessa coisas — Manu debocha dele, Larissa e Isabella concordam com a cabeça.

Passamos o resto da noite conversando sobre o plano da visita surpresa e sobre o dia cheio de Aldo, mas oque mais me deixou envergonhado foi quando fomos dormir. Eu achei que teriamos colchonetes o suficiente pra poder dormirmos na sala, mas fui ingênuo ao pensar isso. Depois que percebemos o erro de cálculo das colchonetes, Aldo ofereceu pra algum de nós quatro a dormir com ele:

‐ Olha, tem espaço na minha cama, se resolvam aí e vão pra lá depois que decidirem — Ele apenas jogou o dilema no ar, coçou os olhos e entrou no quarto.

Como não me incomodo com essas coisas, afinal, somos apenas amigos, peguei minhas coisas e fui pro quarto de Aldo, mas oque eu não sabia que ele se sentiria incomaodado com dividir a cama comigo. Quando me viu entrar no quarto, se calou, cobriu o rosto com o cobertor e ficou de costas pra lado onde eu deitaria e murmurou:

- Apaga a luz...

- Sem problema... — Apago a luz, ficando corado quando noto o desconforto do amigo, então me deito, me cubro, e adormeço, de costas pra aldo.

Ponto de Vista: Aldo

Tudo bem, achei legal oque meus amigos fizeram por mim, passar um tempo aqui na cidade pra eu não ficar tão sozinho, tanto que planejaram os mínimos detalhes, mas, erraram na única coisa que eles não podiam errar, o número de colchões.

Não que eu não goste do Júlio, pelo contrário, sei que ele é altruísta, por isso seria a pessoa que se dispor a dividir a cama comigo, por isso mesmo fico desconfortável. Dividir a cama com minhas amigas não é como um problema gigante, é que o Júlio... Quem eu quero enganar? Eu reparo no Júlio desde que nos conhecemos, por isso fiquei tão desconfortável com ele dividindo a cama comigo.

Depois daquela péssima noite de sono, acordei antes de todo mundo, pois estavam cansados pelas várias horas de viagem, então fiquei despreocupado em fazer barulho, porque estavam num sono muito pesado.

Fiz minha rotina depois de acordar de sempre: Tomar banho, escovar os dentes... Oque eu não sabia é que Júlio tinha um sono tão leve quanto o meu, e enquanto eu estava escovando meus dentes com a a toalha cobrindo minha cintura pra baixo, Júlio acorda com os olhos entreabertos, e me vê despido de camiseta.

Fecho a porta rapidamente ao notar que ele acordou. Quando me olho no espelho, minhas bochechas estavam coradas e meu coração batendo rápido... Termino de escovar meus dentes, oque me faz perceber que teria que sair do banheiro de qualquer forma.

Revirando os olhos para não cruzar o olhar com Júlio, saio do banheiro e pego roupas para me trocar, mas quando percebo, ele nem estava mais no quarto, então tranco a porta e me troco.

Quando saio do quarto, vejo as três garotas dormindo... Onestava Júlio afinal? Logo depois, me assusto com o som de cuspe vindo do banheiro. Antes que eu verificasse, eu já sabia que Júlio estava escovando os dentes no banheiro de visitas, então vou fazer o café de manhã, tentando esconder meu rosto vermelho de vergonha. Júlio sai do banheiro de hóspedes, vai até a cozinha, abre o maior armário da cozinha, onde especulou onde ficavam as louças, tirou cinco pratos e canecas de café de lá e os colocou na mesa da cozinha.

Não trocamos uma sequer palavra até eu me levantar para sair do apartamento, com o celular na mão direita, quando Júlio com um sorriso no rosto, diz:

- Tenha um bom dia, cara! — Júlio exalava simpaticidade com apenas um olhar.

- Vocês também — Respondo, colocando um sorriso no rosto e observando Júlio tomando seu café.

Saio do apartamento, respiro fundo e tento esquecer o ocorrido da manhã, e quando saio do elevador, caminho até a estação de metrô mais próxima, como sempre. E quem me esperava? Nayeon, usando uma blusa regata preta, por cima, um cardigã beje, com shorts curtos e uma meia calça preta, que cobria toda sua perna e com botas de cano alto marrons. Estava de pé, encarando ela com um sorriso no rosto... Não é nada demais, certo?

Ponto de Vista: Nayeon

Ao perceber Aldo parado como uma muda na frente da escada do metrô, desligo o meu celular e o guardo no bolso. Abro um sorriso simpático no rosto e o cumprimento:

‐ Bom dia, Aldo!

‐ B-Bom dia, Nayeon! — Ele ainda parecia meio tímido, mas não sabia o quanto era fofinho com aquela timidez.

Ele vestia uma blusa de flanela vermelha, com uma camiseta de uma lua por baixo, usando uma calça jeans azul escuro e um tênis All Star vermelho com detalhes em branco. Entramos no trem depois de uma troca de elogios quanto as nossas vestimentas. Dessa vez, o trem não estava tão cheio, então, sentamos um de frente pro outro, tentando não cruzar os olhares um com o outro. Depois que chegamos no trabalho, nada demais acontece, apenas batemos papo enquanto antedemos os clientes.

Ponto de Vista: Júlio

Desde que Aldo tinha saído, percebo o quão desconfortável ele teria ficado. Penso em uma forma de compensar o ocorrido, quando ouço movimentação na sala e passos vindo até a cozinha. Quando a pessoa entra pela porta, noto que era apenas Isabella, que tinha acabado de acordar e estava indo tomar café, e então me cumprimenta ao me ver:

- Bom dia, Júlio — Com a voz meio rouca e o cabelo colorido bagunçado.

- Bom dia, Sayu — Cumrpimento Isabella com seu apelido, e então pergunto — Dormiu bem?

- Dormi sim! E você? — Ela responde e pergunta quase instantaneamente, enquanto pegava um xícara é derramada café nela.

- Idem — Economizo palavras, pois depois daquela viagem longa, nem uma noite de sono conseguia retirar minha preguiça — Vão fazer oque hoje?

- Ah, vamos passear pela 25 de Março, comprar comidinhas. Você vem, né? — Ela me indaga com um sorriso de dúvida no rosto.

- Gente demais, tô com um pouco de enxaqueca... — Coloco a mão em minha testa enquanto como uma torrada com manteiga.

- Aah, que pena! Vamos trazer um remédio pra você, ok? — Diz com um uma cara um pouco emburrada.

— Tudo bem, obrigado — Sorrio, agradecido.

Não demorou muito pra que Manu e Larissa acordassem, e depois das três tomarem café e se arrumarem, elas saiem do apartamento e me deixam lá. E então me indago com uma única pergunta: "Oque fazer agora?".


Notas Finais


Roi👉👈
Capítulo 2 lançado, yayy
Lembrem-se, se acharem algum erro de digitação, avisem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...