1. Spirit Fanfics >
  2. Look After You - Sterek >
  3. Capítulo 16

História Look After You - Sterek - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - Capítulo 16


Fanfic / Fanfiction Look After You - Sterek - Capítulo 19 - Capítulo 16

Provavelmente foi uma das melhores comidas que eu já comi na minha vida!

Isaac me convenceu a pegar massa com carne, acabei comendo macarrão a carbonara com filé mignon. Scott comeu frango grelhado com purê e salada, ele disse que não queria nada gorduroso. Isaac riu e pediu uma lasanha a bolonhesa com bacon. Peter optou por um prato cheio de carnes e disse que o único Lúpus que come comida vegetariana é o Derek.

— É gostoso!  — óbvio que Amy pediu o mesmo que Derek e o defendeu.

— Deixa o tio Pete, é ele que vai ter um ataque do coração cedo — Derek falou.

— Eu tenho Isaac Lahey como ômega, meu coração já é testado todo dia — Peter falou e Isaac se fez de ofendido.

— Quem é piromaniaco aqui é o Scott! — o ômega acusou o outro.

— Sou mesmo — ele deu de ombros — Aliás, Derek, já preparei tudo, mas tarde Nolan vai comigo lá para terminar aquilo.

— Certo, não se esqueça de fazer imagens, quero no meu celular — Derek respondeu.

Óbvio que fiquei curioso sobre o que eles estavam falando, mas eu entendi uma coisa: às vezes é melhor não perguntar.

Se for para eu saber, em algum momento eu vou saber. Porque tenho certeza que se Derek resolver que ninguém vai saber de algo, ninguém vai saber.

Afinal, ele é considerado um dos Alfas mais Perigosos da América,  se não for o mais perigoso. A regra é nunca cruzar o caminho dele. Ele matou Charlie e Kelly (e esses são só os que eu conheço) sem problema nenhum e todos sabem disso. Também aquele tal de Ennis, que Derek fez questão de transformar sua morte em um show, para que todos soubessem o que acontece com quem mexe com ele. Sem contar que tem um inspetor de polícia atrás dele e Derek nunca foi, se quer, indiciado por alguma coisa.

— Você vai colocar fogo em alguma coisa, não vai? — Isaac perguntou para Scott.

— Baby, quando eu não vou? — Scott sorriu presunçoso.

— Derek! — uma voz feminina soou perto de nós. Peter arregalou um pouco o olho, Isaac sorriu divertido e Scott continuou comendo normalmente — Faz muito tempo que não te vejo.

Era uma beta ruiva, seus cabelos iam até seus ombros e olhos claros. Ela era bem bonita e confesso que me senti incomodado pela forma íntima que ela falava com Derek, colocando sua mão no encosto da cadeira dele e sorrindo para ele, como se se conhecessem há muito tempo e de uma forma íntima demais, de um jeito que eu não conseguia ser ainda.

— Olá Lia — Derek disse sem emoção nenhuma ou sem dirigir um olhar para ela, concentrado na tarefa de ajudar Amy a cortar seus legumes.

— Por onde você anda? Eu estou com bastantes saudades — Lia disse fazendo beicinho. Se eu senti vontade de enfiar meu garfo nela, ninguém precisa saber.

— Por aí, fazendo coisas com pessoas importantes -- Derek deu de ombros.

Isaac gargalhou, Peter apenas observava e Scott continuava comendo.

— Podemos marcar de sair — Lia quase se debruçou sobre Derek, colocando sua mão no ombro dele e o apertando sugestivamente.

Peter e Isaac olharam para mim, provavelmente esperando pela minha reação, não preciso falar do Scott e Derek olhou para seu ombro, surpreso com o toque, como se fosse realmente surpreendente o fato da garota o tocar.

— Não! — Amy falou tirando a mão de Lia do ombro de Derek — Não toque!

— Oh — Lia olhou surpresa para Amy, como se a tivesse visto pela primeira vez ali, mesmo que Amy estivesse o tempo todo no colo de Derek — Eu não tinha vista você.

— Percebi — falou petulante — Você não precisa ficar tão perto, seu perfume é ruim.

Lia ficou chocada, Peter deu de ombros e voltou a comer, Derek e Isaac riram, Scott olhou em volta como se finalmente percebesse que algo estava acontecendo.

— Você é atrevida — Lia sorriu falsamente — E quem você acha que é?

— Eu sei quem sou, não sei quem VOCÊ pensa que é!

— Amy! — a repreendi. Não que não fosse divertida a cara de chocada da tal Lia, mas não podia deixar a Amy se comportar mal.

— Tá — minha filhote revirou os olhos — sou a Amy, Amélia para você!

— Nossa, você é bem mal educada — Lia disse olhando para mim — É a sua filhote? Você devia educa-la melhor.

— E você não devia se intrometer nisso — respondi sem pensar — Foi você que atrapalhou o jantar dela.

— Bem, se ela fosse minha filhote...

— Ela não é — respondi.

— Amém — Amy murmurou, mas todos ouviram, fazendo que a mesa inteira risse.

— Minha garota — Scott estendeu a mão para um high five, mas Derek impediu Amy de bater na mão do McCall.

— Você realmente precisa parar com isso — Derek falou para Scott.

— Você ainda está aqui? — Amy perguntou para Lia.

— Por Lupa, essa menina é meu orgulho!  — Isaac falou.

— Vocês poderiam parar de tratar a MINHA família como a de vocês?  — Derek resmungou — Você quer alguma coisa Lia?

— Família?  — ela perguntou.

— Sou Amélia Stilinski, futura Stilinski Hale — Amy disse estufando o peito.

Eu não sabia onde enfiar a cara. Essa criança não pode ter só cinco anos!

É muita vergonha para pouca altura!

Derek sorriu a abraçando, o jeito que eles se olhavam prova que realmente e irrevogavelmente, eram pai e filha.

Depois Derek olhou para mim, ele sorria abertamente, mostrando suas covinhas. Aquela cena era tão adorável, que não pude deixar de sorrir de volta.

— Como? — Lia perguntou aturdida. Por um momento, até esqueci que ela estava lá.

— Ômega — Isaac apontou para mim — Filhote — apontou para Amy — Precisa de mais alguma explicação?

— Mas ela deve ter quatro ou cinco anos? — Amy ainda tentava entender — Nós ficamos no começo do ano.

Derek enrugou um pouco os lábios, tentando esconder a expressão de nojo. Acho que só eu vi, mas aquilo foi engraçado e eu ri um pouco. Vendo que foi pego, Derek fez careta, o que me fez rir de verdade.

— Qual é a graça? — Lia perguntou para mim, de um modo agressivo — Se ele é seu Alfa e essa criança "é realmente dele", você sabe que é corno, não é? Porque não traiu você só comigo, teve metade de Nova York passando...

— Eu te perguntei algo? — a interrompi irritado — O que Derek fez ou não fez antes de estarmos juntos, não me interessa. Eu não tenho paciência para quem se presta a esse papel lamentável de se humilhar por alguém, eu não vou estragar o jantar com a minha família caindo nesse seu joguinho. Ao menos tenha a decência de ter cuidado com as suas palavras perto da minha filhote!

O silêncio reinou na nossa mesa. E acho que até nas mesas em volta, que estavam prestando atenção na nossa conversa.

— Wow — Isaac exclamou.

Derek sorria genuinamente feliz, como se eu tivesse feito o maior elogio do mundo e eu fiquei feliz comigo porque, de algum jeito, eu o fiz feliz.

Óbvio que ainda sou extremamente inseguro com tudo isso e comigo mesmo. Ainda não entendo o que Derek viu em mim e porque ele quer justo a mim, um ômega nada especial, ao seu lado.

Mas Derek me quer, ele disse isso e eu acredito nele. Eu sei que esperança é algo que pode te destruir, mas Derek Hale é o tipo de pessoa que vale a pena qualquer risco.

— Sty, você, definitivamente é meu...

— McCall — Derek rosnou — termine essa frase e eu juro que você...

— Sem ameaças, por favor — Peter repreendeu Derek, que bufou como uma criança — Lia, estamos tentando ter um jantar tranquilo aqui. Será que você pode ir embora, por bem?

— Mas, ele, esse ômega — ela disse a palavra "ômega" com tanto desprezo, que aquilo me irritou. Qual é de alguns betas e alfas acharam que são melhores do que nós só por causa do nosso gênero? — ele está claramente mentindo, vocês não vêem isso?  Ele...

— Por favor, não seja uma vadia, apenas dê o fora — Amy disse calmamente, enquanto escolhia sua sobremesa.

— Amélia! — exclamei chocado — Com quem você aprendeu isso?

—Com o tio 'Ike — ela respondeu como se fosse óbvio.

— Opa — Isaac exclamou.

— Vadia? Oras, sua...

— Preste bem atenção — Derek agarrou o pulso de Lia, a puxando para ele — mais uma palavra sobre a minha filhote e, eu juro, será a sua última!

— Mas...

— Dê o fora agora, ou lembra daquela dívida do seu bistrot que eu estou deixando passar? — ela concordou assustada — Amanhã mesmo eu estarei lá para receber e você sabe como funciona, ou me paga ou você tem ideia do que acontece — Ah, é por isso que todo mundo tem medo do Derek. Se eu não o conhecesse, provavelmente estaria tremendo de medo, igual Lia estava naquele momento — Como eu acho que você não quer isso, tenho certeza que já está indo, não é? — Lia confirmou com a cabeça na mesma hora — Até mais!

Ele soltou o braço dela, que se afastou imediatamente.

— Vou querer bolo de sorvete de chocolate de sobremesa — Amy disse.

— Que tal com calda de caramelo? — Derek perguntou carinhoso, como se não tivesse acabado de ameaçar alguém.

Na verdade, Scott, Isaac e Peter conversavam tranquilamente. O único que não tinha encarado isso como normal, tinha sido eu. Mas aí eu entendi que quem estava agindo estranho era eu, porque se aquela era a minha nova forma de viver, eu tinha que aceitar do jeito que era. Se até a minha pequena filhote de apenas cinco anos já tinha se adaptado (bem até demais), por que eu também não podia?

Eu realmente precisava parar de tentar racionalizar tudo, apenas deixar acontecer.

Depois de comermos (muito!) e Derek ter dado várias colheradas do delicioso mousse que ele comia na minha boca (eu não queria pedir nada, então ele pediu uma porção grande de doce, que foi feita especialmente para ele, e eu comer com ele), chegou a hora de irmos.

•━━━ ✽ • ✽ ━━━•

— Por que eu não posso ir com vocês?  — Amy insistiu no assunto.

— Eu já expliquei, não é um lugar para filhotes. Mas eu vou te levar em um lugar que tem outras crianças e o que eu quero que você faça?  — Derek perguntou para ela.

— Que eu fique amiga delas e tenha certeza que estão bem — ela repetiu as palavras dele.

— Por que?

— Porque um dia eu vou ser tão forte quanto você e vai ser meu trabalho mandar em tudo e proteger os outros — ela respondeu orgulhosa.

Talvez eu devesse começar a me preocupar...

Derek disse que estávamos indo para uma casa de uma amiga, Marin Morrell, e lá tinham algumas crianças. Pelo o que entendi, Marin também trabalhava para o Derek, só que ela cuidava dos filhos de algumas pessoas durante a noite.

— Chegamos — ele disse ao estacionar em frente de uma casa bem diferente do que eu esperava.

Era bem grande e bonita, cores claras e eu podia ver que tinha uma espécie de parquinho no fundo.

Derek disse que Amy ficaria por algumas horas ali, eu fiquei muito apreensivo, mas a casa parecia ser legal. Só que eu ainda não tinha certeza sobre aquilo, como deixar minha filhote com estranhos?

— Derek! — uma ômega de cabelos pretos e pele escura exclamou ao abrir a porta — Que bom que chegaram, as crianças já vão começar a assistir o filme da noite, resolveram maratonar Meu Malvado Favorito  — ela disse após o abraçar.

— Marin, esse é o Stiles, meu companheiro, e essa é a Amy, minha filhote — Derek nos apresentou.

— Que bom finalmente conhece-lo! — ela disse me abraçando — Derek fala muito de você. É muito bom poder conhecer a pessoa que tem feito meu amigo tão feliz! Além de que você é mais bonito do que eu pensava.

— Obrigada — eu disse corando.

— Padrinho! — uma menina morena, devia ter a idade de Amy, veio correndo e abraçou a perna de Derek, que a pegou no colo imediatamente. Quem não gostou nem um pouco foi Amy — Eu estava com saudades!

— Eu também — Derek beijou a pequena, que riu. Amy estreitou os olhos para eles e bufou — Alya, eu preciso te apresentar duas pessoas muito importante. Esse é o Stiles, ele é meu companheiro — a menina estendeu a mão para mim, timidamente — e essa é a minha filhote, Amy.

Derek colocou Alya no chão, que parecia tímida, já Amy parecia brava.

— Oi — Alya falou para Amy. Eu tive que dar um leve empurrão nela, para que minha filha respondesse.

— Oi —  Amy disse, claramente a contragosto.

— Se você é filha do meu padrinho, você é minha prima? — Alya perguntou e Amy ficou pensativa.

— Primas? Eu não tenho nenhum primo, acho que posso te deixar ser minha prima, desde que não tente roubar meus pais de mim.

— Eu prometo! — Alya respondeu animada.

— Ok, você pode ser minha prima — Amy deu de ombros.

— Eba! — Alya comemorou — Vem, temos que assistir os filmes, eu tenho doces — ela sussurrou a última parte, mas nós todos ouvimos.

— Se comporte mocinha — eu avisei minha pequena — obedeça, nada de arrumar confusão e sem extorquir os doces de ninguém.

— E mostre quem é que manda — Derek completou, mas eu olhei feio para ele — brincadeira, obedeça a tia Marin.

— Não se preocupem, vai ficar tudo bem — Marin disse.

Nos despedimos de Amy, que entrou na casa sendo puxada por Alya e nem olhou para trás.

— E como estão as coisas aqui? Tudo certo com o dinheiro?  Precisam de algo?

— Acredito que as fraldas vão dar certinho para esse mês, mas prefiro comprar mais. Melhor sobrar do que faltar — ela respondeu e Derek concordou — O leite e as fórmulas estão acabando, duas crianças ficaram doentes na última semana, acabamos gastando mais do que o previsto. Ah, acredito que já esteja na hora da manutenção no parquinho e na casa de bonecas. De resto tudo está normal.

— Vou falar com Peter, mas faça uma lista do que precisa e me mande, amanhã eu mando entregarem aqui — Derek falou, ele parecia concentrado na conversa, claramente era um assunto que importava para ele — E as crianças? As que estavam doentes já melhoraram? E Danniel já foi no médico?

— As crianças estão bem, era só uma virose, mas deu trabalho para não passar para os outros. Isso que dá ter 25 crianças em casa — ela fez uma careta engraçada. Vinte e cinco? Como assim? — Danniel fez os exames na clínica que Brett indicou, aliás acho que foi ele e Nolan que o levaram. O médico suspeita de alergia a proteína do leite de vaca. Eliza já está nervosa porque disse que a dieta e os remédios são muito caros, mas eu falei pata se acalmar, porque eu conversaria com você. De qualquer jeito, os resultados saem amanhã.

— Me avise assim que souberem — Derek disse sério — o dinheiro não é problema, apenas fale com Peter. E não sei do que Eliza está reclamando, Danniel fica mais tempo aí do que em casa. A avise que se ela for louca de não fazer a dieta ou comprar os remédios do menino, quem vai resolver com ela sou eu! — eu estava totalmente perdido no assunto, mas era legal ver o quanto Derek se importava com aquelas crianças — E Lilá?

— Continua na mesma, até pior — Marin suspirou, parecia triste — Nem trazer mais Daphne e Anthony ela está fazendo. Anna, que vem trazer sua filha, tem trazido os dois, com dó das crianças. Eu não sei mais o que fazer, as vezes demora até três, quatro dias para Lilá dar as caras. Até ja fiz um quarto só para os dois, porque tem sido inevitável a nossa conversa.

— Pedirei para Allison e Malia conversarem com Lilá. Se não resolver, tomamos as crianças, não vamos deixar crianças sofrendo — Derek falou — Marin, vou levar Stiles para conhecer um dos meus bares, qualquer coisa, ligue para mim ou Peter.

— Sim, até daqui a pouco, se divirtam e não se preocupem, Amy estará bem.

Depois nos despedimos e fomos para o carro. Eu fiquei me debatendo se perguntava ou não, mas a curiosidade foi mais forte.

— Derek, o que a Marin faz? Ela dirige um abrigo ou algo assim?

— Quase isso. Era para ser uma creche, mas as vezes acontecem casos como esse que você ouviu.

— Creche? Que tipo de creche? — eram bem mais de oito da noite e ela falou que as crianças iam maratonar os filmes do "Meu Malvado Favorito", que creche funciona nesse horário?

— Para as pessoas que trabalham para mim — ele falou dando de ombros — eu percebi que bastante pai ou mães solteiros trabalhavam para mim e não tinham onde deixar seus filhos. Grande parte eram ômegas, mas também alguns betas, que não tinham companheiros e por isso tinham a obrigação de criar os filhos sozinhos, tendo trabalho que eram mais lucrativos a noite. Por isso, além de terem que pagar para alguém,  ainda trabalhavam preocupadas com as crianças. Então eu montei, junto com a Marin e o Peter, essa creche. Essas pessoas deixam seus filhos aí e podem trabalhar sem preocupação nenhuma, nós cuidamos de tudo.

— Isso é muito legal — eu realmente estava admirado, não imaginava que seria isso. A maior preocupação de uma mãe ou pai, sempre é seu filho e Derek tinha criado um ambiente saudável para essas crianças — elas pagam alguma coisa?

— Não, é de graça. Sabe Sty, eu tenho todo o tipo de negócios, desde de bares caros até casas de strip — Derek falou sinceramente — algumas deles são prostitutas, antes de trabalharem para mim, em alguns dos meus negócios, elas estavam sujeitas a qualquer tipo de violência. E quando você tem um filho, isso só piora, porque você traz para dentro de casa essa violência, o que pode atingir a criança. Eu não quero que nada aconteça com eles, por isso que criamos esse espaço.

— Eu acho incrível isso que você fez. Você está dando uma chance para essas crianças e para essas mães. Não importa no que eles trabalham, isso não muda o fato de que estão buscando o melhor para as suas famílias e você está os ajudando com isso. Você conseguiu me deixar ainda mais impressionado com você!

Derek sorriu abertamente, feliz, e me beijou. Nós continuamos a nos beijar até que o carro de trás começou a buzinar como o semáforo já tinha ficado verde e nem percebemos.

— Pronto para conhecer parte do meu mundo, Stiles? — Derek me provocou.

— Com certeza!

•━━━ ✽ • ✽ ━━━•



Notas Finais


Esse é o último por hoje.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...