1. Spirit Fanfics >
  2. Look After You - Woosan >
  3. Chapter 04

História Look After You - Woosan - Capítulo 5


Escrita por: HannieQuokka

Notas do Autor


Desculpem qualquer erro anjos.
E se puderem, por favor compartilhem, vai me ajudar muito e eu ficaria muito grata👉🏻👈🏻❤️✨

‼️AVISO‼️

**Esta é uma adaptação autorizada, a obra original pertence à autora LouTommo-Styles e todos os direitos são reservados a ela. **

Capítulo 5 - Chapter 04


Fanfic / Fanfiction Look After You - Woosan - Capítulo 5 - Chapter 04

Me espreguicei sorrindo, sabe quando você dorme tão bem, e acorda alegre? Como se estivesse em paz.

Peguei meu celular e vi que era 8:02 da manhã, eu podia dormir mais um pouco, podia rolar na cama e... Então me lembrei de Choi San e toda aquela conversa.

Por Zeus, tudo aquilo tinha sido real?

Choi San era real?

Me levantei e fui tomar um banho, enrolei um pouco só porque eu podia. Depois me vesti e fui tomar café.

Enquanto fazia minhas panquecas, olhei para o relógio, 8:40, Zeus as horas não passam?

Bolo, vou fazer bolo! Porque fazer bolo sempre distrai!

Era tudo uma brincadeira, ele não viria realmente, não é? Talvez até estivesse falando sério, mas percebeu que não valia perder o tempo comigo.

É, deveria ser isso!

Eu devia estar preocupado com problemas reais, se Taewoon está mesmo morto, preciso lidar com todos os problemas legais. Certidão de óbito, funeral, enterro. Bem, isso se tiver corpo para enterrar. E essas coisas são muito caras, e eu não tenho dinheiro. Iria ter que usar o dinheiro da caixa, o que, se pensar bem, chega a ser irônico: usar o dinheiro que Taewoon ganhou ilegalmente para pagar o funeral dele.

8:53

Desde quando eu cozinho tão rápido? Com o bolo no forno e panquecas prontas, não me sobrou muito o que fazer.

"Trarei alguém para consertar a porta do fundo"

Corri para olhar a porta dos fundos, ela continuava trancada como tinha deixado antes de sair ontem. Não estava quebrada, o que ele quis dizer?

Tomei meu chá bem devagar, aquilo era loucura, só podia ser loucura.

Óbvio que era!

8:59

Ok, eu devia está surtando atoa, claro que estava, tudo não devia passar de uma brincadeira!

9:00

Eu batia meus dedos impacientemente no balcão, ele realmente viria?

9:01

- Esqueça Wooyoung! Isso é ridículo!

9:02

Alguém bateu na porta, meu coração disparou. Segui até a porta tentando controlar as batidas do meu coração, se fosse San, por ser um Alfa Lúpus, poderia ouvir.

- Bom dia, Wooyoung - San sorriu quando abri a porta -e perdoe pelo atraso, tivemos um pequeno incômodo para resolver, mas não pretendo que isso se repita.

Ele estava pedindo desculpas sinceras por ter se atrasado dois minutos? Se eu chegar só dois minutos atrasado em algum compromisso, mereço parabéns!

 - Er, ok, claro, entre - me afastei para que ele passasse.

- Esses são Johnny e Mina - ele disse indicando os dois Betas atrás dele.

 - Olá - eles disseram juntos.

- Oi - eu disse meio hesitante - Eu fiz chá, se vocês quiserem.

- Eu aceito - o tal Johnny disse, mas San olhou feio para ele - Depois de terminar a porta - completou com as mãos erguidas e em rendimento, me fazendo rir.

- Bem, estamos indo para a cozinha de qualquer jeito - falei, tentando esconder o riso com a minha mão.

- Você primeiro - San indicou.

Fomos para a cozinha, me sentei no banco do balcão e os observei. Johnny e Mina estavam medindo a porta e fazendo anotações, San estava coordenando e fazendo alguns comentários.

- Quer chá? - ofereci para San, quando os Betas saíram.

- Aceito - ele sorriu se sentando - Dormiu bem?

 - Sim, a muito tempo eu não dormia assim - falei sincero, quando fui o servir, ele foi mais rápido e pegou o bule da minha mão. Além de servir sua xícara, ele colocou mais para mim.

Wow, um Alfa Lúpus estava me servindo?

- Fico feliz por isso - ele respondeu tranquilamente.

- Betas passando - Mina falou alto, enquanto ela e Johnny passavam segurando uma nova porta. Uma PORTA!

- O que eles vão fazer? - perguntei os seguindo com o olhar. A cozinha já era pequena, agora parecia menor ainda.

- Trocar a porta - San deu de ombros, como se aquilo fosse algo rotineiro.

- E por quê? - insisti.

- Sua casa não é segura, é muito fácil arrombar aquela porta - ele respondeu no mesmo tom de voz de antes.

- Você está brincando?

- Não, por que eu estaria? - ele me perguntou confuso - Bem, enquanto eles terminam isso, podemos verificar o andar de cima?

- Acho que sim - aquilo tudo realmente estava acontecendo - Eu preciso verificar o bolo no forno.

- Alguém disse bolo? - Mina olhou curiosa - Não se preocupem, eu fico de olho.

San e eu fomos para o segundo andar, onde só ficava os dois quartos e o banheiro. Ele olhou rapidamente o banheiro, não falando nada, me senti um pouco constrangido. Era pequeno e não tinha muita coisa, nem banheira. Depois fomos para o quarto de Taewoon, que eu mal entrava a muito tempo.

- Podemos doar todas as roupas e pertences daquele homem - San disse assim que entrou no quarto, olhou a cama intacta há dias, até com poeira estava - Ontem percebi que suas roupas não estão aqui, onde você dorme?

- Com a Yeji.. com assim, ontem? Você ficou andando por aqui ontem?

- Claro que sim - ele disse como se aquilo fosse óbvio e uma coisa normal , afinal, quem nunca invadiu a casa alheia, não é mesmo? - Eu precisava verificar como era esse lugar.

- Se você verificou, como não sabia onde eu dormia? - Eu não entrei no outro quarto, percebi que era da Yeji e não quis invadir a privacidade dela assim.

Ah, claro, ele não quis invadir a privacidade da minha filha, mas a minha...

- Posso ver o quarto dela? - ele perguntou e, tenho certeza, se eu tivesse dito não, ele não iria.

- Claro, só falta lá mesmo - dei de ombros.

O quarto era pequeno, como toda a casa. Pintado de branco e rosa, um guarda roupa branco, uma cama infantil, um baú de brinquedos e um colchão de solteiro encostado na parede.

- É lindo - San sorriu - Mas onde estão os brinquedos dela?

- Ali - apontei para o baú.

- Só isso? - San falou fazendo careta ao olhar o conteúdo do baú - Menos do que eu pensei, precisamos concertar isso.

- Olha - eu disse nervoso - Nós não temos dinheiro, mas eu faço o que posso para fazer a infância da minha filha feliz e...

- Woo, eu tenho certeza que você é o melhor pai do mundo, sei que Yeji te ama eo admiro por isso. Você fez quase o impossível com tão pouco, deveria sentir muito orgulho disso! - senti minhas bochechas corando - Mas estou aqui para cumprir meu papel, hoje vou levá-los no shopping para compramos muitas coisas! - eu ia retrucar, só que ele parecia tão feliz com isso, que não falei nada.

 - Ainda não entendo por que está fazendo tudo isso - sussurrei - Mas obrigado.

- Eu já te disse - ele deu de ombros - a única TV que vocês possuem é aquela da sala?

- Sim - respondi confuso.

- Ela não é muito boa - ele falou fazendo careta e eu ri.

- Chama-la de boa é elogio, ela é bem velha, mas funciona - minha vez de dar de ombros.

Voltamos para a sala, eu tentava manter tudo na minha casa organizado para que transmitisse uma sensação de "Lar", mas eu sempre sentia que faltava algo.

- Eu gosto das fotos - San disse distraído.

Na estante da sala coloquei vários porta retratos com fotos minha com Yeji.

- Fiz isso para que a Yeji nunca se esqueça do quanto é amada - eu sorri para as fotos.

 - Essa é minha favorita - ele disse segurando um dos porta retratos.

- Essa foi o Hyuck, meu colega de trabalho que tirou. Foi na apresentação do Dia dos Pais da escola - Yeji estava no meu colo, nós nem estávamos olhando para a câmera, mas estavamos sorrindo para algo, provavelmente para alguma apresentação no palco - Acho que é uma das mais recentes.

- Posso ficar com ela? - San me surpreendeu com o pedido, ele quase parecia tímido por perguntar aquilo.

- Pode? Bem, claro, pode ficar. - Obrigado! - ele sorriu para a foto.

- Hey - Mina nos chamou - Venham aqui.

Johnny e Mina realmente tiraram minha porta do lugar e colocaram uma nova, que parecia bem mais forte do que a original. Também reforçaram a fechadura e colocaram uma corrente de segurança.

Tudo em menos de uma hora e cantarolando, como se fosse uma tarefa comum.

 - Prontinho - Johnny disse orgulhoso - Agora eu aceito aquele chá.

Durante a próxima meia hora, apenas ficamos conversando, eles eram divertidos, ficamos contando histórias e fazendo piadas. Eles trabalhavam com San, não perguntei especificamente no quê, sinceramente, até fiquei com medo de perguntar, mas falam que amam o que fazem.

 - Você quer ir na "No Control"? - Johnny disse animado - É o melhor club de todos, sempre que a gente não tem trabalho, vamos para lá!

- Eu não sou muito de baladas - falei - E eu nunca fui em uma grande, só umas pequenas em llsan e nas cidades em volta.

- Nunca? Você mora em Seul! - ele disse revoltado.

- Brow, vamos conosco hoje a noite - Mina insistiu no assunto.

 - Não dá, eu tenho a Yeji.

- Se você quiser ir - San finalmente falou - Pagamos um babá de confiança para ficar com ela e eu te levo.

- Ah... - Perfeito! - Johnny comemorou - Você vai adorar Wooyoung!

- Eu ainda não sei, mas prometo pensar - falei me recuperando do choque.

Nisso o celular da Mina apitou uma mensagem, ela leu e se voltou para San, não tinha mas ar risonho.

- Chefe, Seonghwa mandou uma mensagem, eles já encontraram aquele endereço. Vimos ter que ir lá resolver. Aquilo, sabe?

 - Certo - San concordou - Woo e eu estava de saída também. Qualquer problema, avise Yunho.

- Problema? - Johnny revirou os olhos - Isso vai ser rápido e ainda vai dar tempo de voltar para casa e tirar um cochilo, antes de sairmos.

- Johnny - San falou sério - Sabe que eu não gosto quando tratam nossos assuntos com arrogância.

- Ok - ele disse com as mãos para cima, em paz - Vamos levar a porta velha, usar no fogo.

- Fogo? - perguntei.

 - É, melhor você não saber - Johnny disse olhando de soslaio para San, que parecia não gostar muito do rumo da conversa - Foi um prazer Wooyoung, espero que venha no "No Control" qualquer dia desses.

 - Quando quiser nos chamar para tomar chá, a gente vem na hora - Mina disse com a boca cheia de bolo.

Acabei cortando um pedaço grande de para ela levar, então tive que dar um pedaço para Johnny, porque Dahyun não quis dividir com ele.

San e eu saímos, enquanto ele me esperava perto do carro dele, tranquei minha casa. Quando me virei para segui-lo, pude ver vários vizinhos nos espionando. Também pudera, San estava encostado em seu carro, uma enorme SUV preta, parecendo um modelo, com sua calça apertada e seu casaco que devia valer mais que minha casa.

E tinha o fato óbvio que ele era um Alfa Lúpus.

Nunca conversei muito com meus vizinhos, não há ninguém que possa chamar de amigo, sempre fui reservado na minha vida, eles apenas me viam com Taejoon.

Eu sei que todos sabem o quanto ele me traia e já ouviram ele gritando comigo e me batendo.

Ninguém nunca fez nada. Agora se achavam no direito de querer investigar a minha vida porque estava surpresos por eu estar acompanhado de um Alfa Lúpus?

- Não gosto da sua vizinhança - San murmurou quando entramos no carro.

 - Eu também não - respondi em voz baixa. San ligou o carro e partimos dali.



Notas Finais


E é isso, até o próximo cap.

Amo vocês, ah e essas são minhas redes sociais e o link do grupo que eu fiz pra nós conhecermos melhor.🥰❤️✨

TikTok: https://vm.tiktok.com/ZMenew8j1/

Twitter: https://twitter.com/jjquokkawooy?s=09

Instagram: https://www.instagram.com/woosanlland?r=nametag

Wattpad: https://www.wattpad.com/user/HaoJii

Grupo do whats: https://chat.whatsapp.com/HNFespgeusM3Pae3XOQNI9


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...