1. Spirit Fanfics >
  2. Looking for Love >
  3. If there is something.

História Looking for Love - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


oieeeee pqp quase uma semana sem att, enfim, vou aproveitar que estou esperando a tinta no meu cabelo pegar e trazer mais um cap desta fic que ninguem liga rs
boa leitura.

Capítulo 8 - If there is something.


John dedilhava seu violão preto causando sons aleatórios sem pretensão alguma em fazer sentido. O céu já estava clareando e logo ele percebeu que não havia dormido, a noite daquele domingo tinha sido longa, ainda sentia o efeito da bebida em seu corpo e o cheiro de nicotina ainda era presente em sua camiseta preta. Show extra no pub que levara á bebedeira entre amigos era de lei. Típico.

Ele falhava em tentar esquecer Crystal, lembrou-se de sábado e das horas que passou ao lado dela, o beijo que roubou da garota ainda era memória vivida em sua mente, havia perdido a conta de quantas vezes olhou as fotos no perfil dela no Instagram. Desde quando uma one night stand ficava presente em seu pensamento por mais de um dia? Torceu para que a mãe de Crystal o ligasse para contratá-lo outra vez, mas achava difícil; Era notável que a mulher tinha percebido a proximidade dele com a filha e nunca mais iria permitir que aquilo se repetisse.

Mesmo afogado em seus pensamentos, John despertou quando ouviu Nick resmungando na cama à sua frente segurando o travesseiro sobre a cabeça, fazendo algumas mechas loiras de seu cabelo cair em seu rosto sonolento.

— Temos algum trabalho para hoje? — A voz grossa e profunda do rapaz soou abafada.

— Hm... — John tentava se lembrar. — Acho que não.

— Ótimo, então para de tocar esse violão e vai dormir. Ainda é madrugada e eu odeio ouvir barulho quando estou bêbado.

John revirou os olhos ao ouvir a ordem de seu amigo mas concordou. Deixou seu instrumento encostado na parede e se levantou para pegar um copo d'água. 
Ao chegar na sala de estar deu de cara com a televisão ligada aberta no catálogo da Netflix. A claridade do aparelho doméstico refletia sobre a face dos outros três jovens rapazes que dormiam de maneira desajeitada naquele cômodo; Roger repousava serenamente sobre o sofá escuro, enquanto Andy e Simon estavam lado a lado ao chão repleto de almofadas. 
Cinco rapazes tocando em uma banda e morando juntos, o que podia dar errado afinal? Fora os longos ensaios na garagem e a bagunça que se instalava naquela residência, não parecia grande coisa passarem a noite bebendo mesmo sabendo que no dia seguinte voltariam aos seus cotidianos de emprego normal.

Após se refrescar, John se sentou em um banquinho alto e se encostou na bancada pegando o maço de cigarro e o isqueiro que encontrara ali em cima. Puxando o primeiro trago, ele olhou para o relógio na parede que marcava seis e meia da manhã, sabia que alguns de seus amigos precisavam se levantar mas não se importava em chamá-los, ele apenas queria que aquele silêncio permanecesse pela casa e que os seus pensamentos o levasse para Crystal. O rapaz se sentia um adolescente, ansiava por uma chance de vê-la novamente e era inevitável, seu caminho sempre traçava o dela e vice versa.

Valia a pena assumir que um sentimento começava a brotar em seu coração? Talvez. A rapidez em que haviam se aproximado e a intensidade em que se uniram poderia ser pontos positivos para deixar fluir, o ponto negativo era que a garota que tanto queria estava noiva, logo se casaria e se esqueceria dele para sempre. Isso irritava John, ele queria estar por perto e conhecê-la melhor.

'Por que não pediu o número dela de uma vez? seu idiota!' Era o que a voz de sua consciência berrava mostrando inconformação.
Quando terminou de fumar, amassou o cigarro no cinzeiro e respirou fundo deitando sua cabeça no pedaço de madeira em que se apoiara.

[...]

Naquela mesma manhã, Crystal se levantou e após realizar sua higiene matinal, ouviu barulhos do andar de baixo indicando que a empregada estava começando seu expediente e sua mãe tomava café antes de ir fazer a visita mensal em suas lojas. 
Olheiras habitavam a volta dos olhos castanhos da garota, após uma madrugada inteira chorando de vergonha pelo o que fez... E pela segunda discussão que havia tido com Candice antes de expulsá-la do quarto. Suspirou em puro alívio em perceber que não tinha nenhum compromisso relacionado ao casamento durante o dia e que Pete não a encheria o saco por algum tempo. 
Finalmente em paz?
Antes de retirar-se do lugar onde dormia, vestiu seu casaco longo de lã rosa sobre sua camisola de mesma cor na tentativa de cobrir suas coxas arrepiadas pelo frio que entrava pelas janelas do lar e por fim pegou o celular que se encontrava na escrivaninha. A morena descia os degraus da escada lentamente apagando notificações desnecessárias, mandando mensagens para suas amigas e mais uma vez fez login em seu Instagram afim de admirar o belo rosto de John.

Crystal queria muito matar a insegurança boba que havia dentro dela e mandar uma mensagem direta para ele, a parcela de culpa que antes importunava seus pensamentos agora era passado, ela estava disposta a uma rápida e intensa aventura. Estava convencida que seu interesse no tal baixista era apenas físico, sem nenhum sentimento envolvido e assim seria fácil de dizer adeus quando seu casório viesse a tona dali três semanas.

Parecia tão errado pensar nisto na teoria, mas certamente na prática não seria tão ruim. Crystal tinha plena certeza de que logo logo John se enjoaria dela e procuraria outra garota para entretê-lo.

Quando chegou á mesa, ela se sentou olhando para o extenso leque de opções do que poderia matar sua fome. Após pegar um pedaço de bolo, começou a tramar a deixa perfeita para enviar uma mensagem para quem tanto queria; Eis que sua memória a relembrou algo importante: o disco que ganhou de presente.

Mais tarde;

Crystal segurava nas mãos a capa do vinil da tal banda Roxy Music, andava de um lado para o outro no quarto de sua mãe lendo o nome das faixas enquanto esperava a mídia começar. Seus olhos se arregalaram em breve susto quando o toca discos deu início a Re-make/Re-model, a faixa que abria a obra.
Aquilo soava diferente e até destoado de tudo o que já tinha escutado antes, a estranheza se tornava em empolgação ao que viria pela frente, era uma sonoridade que ela estava curtindo.

Conforme as faixas do lado B iam passando, Crystal apreciava cada canção impressionada e conseguia entender cada vez mais porquê aquela banda era a preferida do tal baixista que conhecia. Quando o disco chegou ao fim, a garota ficou parada por alguns segundos absolvendo tudo o que tinha acabado de ouvir e logo tratou de guardar o vinil dentro da capa, se retirando dos aposentos de sua mãe logo em seguida.
Assim que chegou ao seu quarto, Crystal tratou de expressar sua euforia com John, então pegou o celular no bolso de seu shorts-saia e se prontificou em contactá-lo. Um sorriso brotou em seus lábios ao ver que o mesmo estava online.

callhercrystal: Oi! Finalmente ouvi o disco que você me presenteou :)
callhercrystal: Roxy Music é incrível, mal posso esperar para ouvir os outros álbuns. Amei as faixas: Ladytron, 2 H.B. e Virginia Plain!
callhercrystal: Sei que estou falando demais e você ainda não visualizou, mas eu precisava conversar sobre. Muito obrigada, esse disco é meu tesouro agora!
johntaylor: Sereia! Lembrou que eu existo? :D
johntaylor: ​Que bom que curtiu o álbum tanto quanto eu. Nunca soube escolher uma faixa favorita pois amo todas :(
johntaylor: Poderíamos escutar juntos um dia desses, sei lá geralmente só ouço com meus amigos. Ter uma companhia diferente seria ótimo
callhercrystal: Boa ideia, eu iria adorar. Talvez você poderia me mostrar outras bandas que você escuta huh? ;)
callhercrystal: E então? Vamos marcar?
johntaylor: Só se primeiro me der o seu número...
callhercrystal: Claro! E me ligue agora se puder, eu iria adorar conversar ouvindo sua voz.

Ao passar seu telefone, Crystal não pode se conter e deu um grito estridente, se encontrava nervosa naquele instante. Era difícil de desviar dos efeitos que John lhe causava, ainda mais quando respondia seu flerte sem vergonha nenhuma.
No chat mostrava que o rapaz havia visualizado a última mensagem e isso fez Crystal morder a unha de seu dedão expressando sua ansiedade.

Depois de alguns minutos, o celular começou a tocar e a garota atendeu apreensiva.
— A-Alô?

— Finalmente tenho o seu contato! — John exclamou brincalhão fazendo Crystal rir. — Pensei que esse dia nunca chegaria.

— Somos bobos né? Eu sempre esquecia de te perguntar. — Ela falou suavemente.

— Tudo bem, eu que sou um idiota e esquecia também.

Crystal se sentou em sua cama e mudou de assunto.

— Então... Temos alguns planos a fazer, Certo?

Para ela aquele momento era um ponto de virada, não acreditava que estava sendo tão atenciosa com alguém que ela desprezava em um breve espaço tempo! Nem sequer se incomodava em ser chamada pelo apelido cafona que lhe fora dado, apesar de tudo, Crystal estava se permitindo a viver sua primeira e última aventura antes de se casar.


Notas Finais


UHUL CAPITULO MERDA CARA!! agora vou lavar meu cabelo pq ele ta fritando já
espero que tenham gostado :^)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...