História Lord Sasuke - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Naruto, Sasusaku
Visualizações 582
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Corpo manuscrito


Fanfic / Fanfiction Lord Sasuke - Capítulo 9 - Corpo manuscrito

Em todo lugar que a fatídica vida nos leva, nossa alma é manuscrita e essas são as marcas, em que vocês, humanos, fizeram em mim.

_ MrsEloi.

Lord Sasuke

Corpo manuscrito.

Escrito por MrsEloi;

.

.

.

ღ♔ღ

 

Entraram nos aposentos do demônio, silencioso, exceto pelo som dos passos. Sasuke depositou a silhueta miúda e completamente enfraquecida sobre as cobertas azuis cobalto, no qual lembrava a imensidão e pureza dos olhos de Naruto. Sakura resmungou quando o moreno apoiou a mão em suas costas.

Sasuke franze o cenho surpreso, desvencilhando os trapos do vestido das feridas purulentas e completamente infeccionadas. — O que significa isso? Quem diabos fizestes isso contigo?

— Seu lacaio lhe serviu bem... — Sakura murmurou irônica, porém se arrependeu ao direcionar seu olhar para Sasuke. Os caninos níveos do homem pairado a sua frente encontravam-se pontiagudos, seus olhos estavam contornados por um delinear preto e suas íris flamejavam escarlate como a personificação do inferno. Ela não precisava de uma resposta silábica, afinal, observar a ira do Uchiha de perto era a comprovação necessária de que não havia sido ele no qual havia ordenado Orochimaru a surrar com tamanha crueldade. Ela fechou os olhos e deixou seus pensamentos fluírem para lembranças de alguns dias atrás.

Quem você pensa que é? gritou tanto que sua garganta doeu. Achas que podes escarnecer com a vida das pessoas assim?

Para uma plebeia vossa senhorita és bem corajosa. Tamanha bravura lhe levaria a eventos benéficos ou desventuras a si mesma? seus lábios tiritavam irônicos e seus olhos negrumes se reviravam de um lado para o outro, sem leva-la a sério. Sakura sentiu-se como uma pequena criança birrenta.

Tenho algo a temer? cerrou o punho com força. Pudera até mesmo os anjos compreenderem sua fúria. — A morte soa-me como uma libertação da alma.

Mate-se e liberte-se.

Sakura se espantou com a frieza no tom de voz do moreno. Porém, algo positivo surtiu de seu descomedimento: Sasuke finalmente havia prestado atenção nela.

No entanto, não se desvencilhara de mim com a morte.

Ela queria mesmo morrer?

— Sakura, está me ouvindo? — o som de sua voz impiedosa começou baixa e vagarosa, encerrando-se alta e descontrolada.

— Poderia ter me deixado morrer... — a Haruno murmurou entre soluços.

— É isso que querias? — Sasuke depositou o dedo indicador delicadamente abaixo de seu queixo, erguendo-o para que seus olhos se encontrassem e com o polegar, acariciou suas bochechas, limpando as lágrimas cristalinas que fluíam dos orbes esmeraldinos. — Serias capaz de desperdiçar tamanha beleza, Senhorita Haruno?

— Você chama isso de vida? Neste lugar, irei morrer de qualquer forma...

— Por qual motivo diz isso? Não lhe trago confiança?

— Até que Orochimaru arme mais alguma coisa... E você me deixe ainda mais marcada.

Sasuke se levantou da cama e com os dedos começou a desabotoar os botões dourados da sobreveste, assim que o fez, movimentou os ombros para cima e para baixo se desvencilhando da roupa até que caísse ao chão. Sakura foi capaz de perceber a hipertrofia dos músculos de Sasuke por debaixo da malha fina de sua camisa cinzenta no qual estava sendo retirada pelo mesmo. Suas veias saltavam e mesmo que ela não quisesse admitir, seu coração ficou agitado.

— O que é isso? — o corpo da rosada estremeceu e seus olhos se arregalaram.

— Em todo lugar que a fatídica vida nos leva, nossa alma é manuscrita e essas são as marcas, em que vocês, humanos, fizeram em mim. — no centro do peitoral de Sasuke estava tatuada a palavra “Imortal”, enquanto em seu ombro e pescoço haviam diversas ilustrações demoníacas e símbolos satânicos. — Então eu fiz um juramento.

— E qual seria esse juramento? — Sakura engasgou, no início da frase. Estava tão perplexa que mal conseguia respirar.

— Eu aterrorizarei os humanos até a eternidade. Essa é minha marca.

Sakura se aproximou dele, tocando com a ponta dos dedos o seu peitoral completamente delineado e então, desenhou todas as marcas vagarosamente, fazendo-o se arrepiar.

— São lindas, não há motivo para escondê-las com ilusão... — sussurrou.

— Apenas adormeça, Senhorita Haruno. — o demônio pegou o corpo inconsciente nos braços. — Vai ficar tudo bem de agora, eu prometo.

Sasuke tocou as feridas de Sakura, fechou os olhos e esperou que elas sumissem. Resmungou ao senti-las serem transferidas para sua pele e sucessivamente se curarem. Ao abrir os olhos completamente vermelhos, sorriu ao morder os lábios com os caninos pontiagudos, enquanto o sangue escorria circundando o queixo e desenhando seu abdômen. O demônio estava irado.

Seria Lord Sasuke o monstro que todos temem?

 

(...)

 

— Yamanaka, retire-se. — Sasuke ordenou, ao abrir a porta dos aposentos de Orochimaru. A garota o retribui um olhar aliviado, entre suas pernas tremulas o sangue pingava no chão formando uma poça.

Ino passou ao seu lado apressadamente, sussurrando um inaudível agradecimento.

— Vejo que adoras surrar as senhoritas deste castelo.

— Meu Lord — Orochimaru tentou cobrir sua nudez com um lençol. Estava preocupado com a maneira que o demônio o encarava. —, o que o traz aqui, neste, tão inconveniente momento para vossa majestade?

— Não se incomode em escondê-lo de mim... — instantaneamente, Sasuke estava curvado na frente de Orochimaru, suas garras peçonhentas e nocivas circundavam os testículos do homem. — Terei o prazer de arrancá-los. — e assim o fez. Sasuke ergue a mão para o alto e estala os dedos. Os gritos de desespero se misturam com os estrondos provocados pelos raios que o atingiam certeiramente. Para Sasuke, aquela situação era música para seus ouvidos. Pudera ele poder revivê-lo apenas para mata-lo novamente centenas de vezes.

— Clemência... meu... — Orochimaru se contorce em agonia, cuspindo o fluido avermelhado pelas numerosas hemácias. — Lord...

Sasuke arremessa o órgão genital mutilado para um canto qualquer do quarto imundo, no qual cheirava a peixe podre. — É assim que vermes terminam — Sasuke dá de ombros, estalando os dedos. — Katon — as chamas do inferno consumiram a silhueta patética de Orochimaru.

 

(...)

 

Sakura abriu os olhos lentamente e vislumbrou-se ao notar que as feridas não a incomodavam mais. Estava tão disposta que poderia apostar corrida até mesmo com Sasuke pelo castelo. Contornou os olhos ao redor do quarto de Sasuke e percebeu que o chão estava coberto por pétalas negras. Sasuke estava sentado no no chão, meio do quarto com as pernas cruzadas, no qual escondiam seus pés descalços; observando-a intensamente, seus lábios estavam torcidos em um sorriso sedutor e seus dedos seguravam uma encantadora rosa negra, no qual permanecia próxima a seu nariz, enquanto seu cheiro era inalado gentilmente pelo demônio. Ele estava sem camisa, desta vez, sem esconder seu corpo marcado. Ela sentiu uma sensação gloriosa em seu peito e então, retribuiu um radiante sorriso para Sasuke.

“ Lord Sasuke, eu irei achar seu coração. “

— Venha até mim, Senhorita Haruno — Sasuke umideceu os lábios com a língua vagarosamente. —, mas, desta vez, sem roupas.

Seria Lord Sasuke o mosntro que todos temem?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...