1. Spirit Fanfics >
  2. Lose Control - Imagine Kai (EXO) >
  3. Sweet Chaos

História Lose Control - Imagine Kai (EXO) - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Eai pitícos🌻❤? Como tão?💕🌻

Eu demorei um pouco pra trazer o outro capítulo até por quê eu tava maratonando vários Doramas;-; e acabei por esquecer.

E pela primeira vez em quase vinte sete capítulos eu gostei de um KKKKKK acho que foi por quê eu tive a ajuda da minha amiga e tals kkkkkk❤️

Mas é isso, boa leitura ❤️

Capítulo 24 - Sweet Chaos


Fanfic / Fanfiction Lose Control - Imagine Kai (EXO) - Capítulo 24 - Sweet Chaos

Você me tem como réu o culpado e o ladrão por tentar ganhar seu coração. . . 



Existem momentos que ficam fixados na memória de uma pessoas, tanto que varia em momentos bons e também os ruins, independente de serem lembranças boas, ou ruins o importante é tê-las, já que em algum momento da vida elas viram átona e serão mais que preciosas. Usaremos elas como uma lição de moral, ou pra uma tristeza sem fim. 

Eu quero guardar a memória do que eu estou vivendo agora, mesmo que tenha sido apenas uma noite, foi a melhor noite da minha vida. O homem com respiração calma, do perfume madeirado, dos cabelos loiros,  com os olhos fechados num sono profundo, com os lábios semi abertos. Sim eu iria guardar esse momento. 

Cá estava o homem que eu tanto julguei odiar, estava cá estirado na minha cama com o rosto afundado em meus seios enquanto dormia tranquilamente depois de uma madrugada tomada por prazer. 

Se alguns meses atrás alguém me dissesse que eu iria acabar nos braços do homem eu com toda certeza iria rir feito uma condenada negando mil vezes. Até por quê seria algo improvável, não é mesmo?  Sendo sincera, eu nunca odiei o homem em questão, eu apenas não sabia lidar com o que eu estava sentindo. É tão estranho nos ver dentro do meu quarto a altas horas da madrugada, a porta fechada e a janela semi aberta com apenas a luz do poste refletindo pela cortina. Agora tudo parece agradável. 

Jongin se mexeu apertando ainda mais seu corpo no meu. Sorrir involuntariamente com sua atitude, passei as mãos pelos seus fios que ainda estavam umidos de suor, resultado do amor de mais cedo. 

ㅡ Pretende ficar com a cara enfiada em meus seios até quando? ㅡ Brinquei passando as mãos pelos fios loiros do moreno. 

Shh! eu prefiro que esse momento nunca acabe. ㅡ Vi um sorriso estapafúrdio em seus lábios. 

ㅡ Temos que tomar banho moço, a cama está toda molhada de suor. ㅡ Parecia exagero mais não era, a cama estava mergulhada em suor, fizemos amor durante três horas seguidas. E por mais que meu corpo estivesse dolorido durante essas três horas, eu apenas não conseguia parar. 

ㅡ É a marca do nosso amor. ㅡ Rir com seu comentário. 

ㅡ Que marca nojenta. ㅡ Fiz uma careta. Jongin ergueo sua cabeça e me fitou. 

ㅡ Você não estava achando nada nojento quando estávamos transando. 

ㅡ Você é tão antiquado. ㅡ Empurrei seus ombros pra trás. ㅡ Não tem como você ser romântico com as palavras?  ㅡ Eu sentia a vergonha tomar conta de mim. 

Miane, você sabe que eu não sou o típico cara romântico. ㅡ Ele acariciou meu rosto. ㅡ Na verdade eu amo essa sua mania de ficar vermelha quando eu falo qualquer besteira. 

ㅡ Idiota. ㅡ Virei o rosto ouvindo ele rir. 

ㅡ Eu sou um idiota apaixonado por você, hum? 

ㅡ Devemos tomar banho, hum? ㅡ Ignorei o que ele acabara de me dizer sentindo minhas bochechas ficarem ainda mais avermelhadas. 

 Fui até a beirada da cama me levantando de vez. No mesmo momento senti uma fraqueza no meu corpo inteiro, era como se ele estivesse em estado de choque, mas o que mais doia eram as minhas pernas. Não conseguindo ter forças pra me segurar desabei na cama. 

ㅡ O que diabos é isso? ㅡ Eu sentia minhas articulações doerem. 

ㅡ Isso? ㅡSenti seus braços me abraçarem por trás. ㅡ Se chama efeitos após uma transa comigo.  ㅡ Ouvi sua risada sacana em meu ouvido. 

Virei a minha cabeça em direção ao homem lhe olhando de forma incrédula. 

ㅡ O que foi? ㅡ Deu um beijinho no meu pescoço. 

ㅡ Você se acha. ㅡ Encostei minha cabeça em seu peito. 

ㅡ Você ainda acha que não está desmaiada. ㅡ Gargalhei. 

ㅡ Ok, você é bom nesse tipo de coisa, mas me fazer desmaiar é de mais Jongin. 

ㅡ Está mesmo a duvidar de mim? ㅡ O homem num piscar de olhos fez meu corpo se virar de encontro ao seu. ㅡ Devemos ter mais uma rodada? ㅡ E lá estava o desejo e a luxúria em seus olhos de novo. Ele é insaciável ou o quê?

ㅡ Nem vem, estou completamente destruída. 

ㅡ É isso o que dá me desafiar na cama mocinha. ㅡ Beijou minha testa. 

ㅡ Eu nem fiz nada. ㅡ Dei de ombros fingindo inocência. 

ㅡ É isso o que você pensa mocinha. ㅡ Ele se arrastou até a beirada da cama e se levantou. ㅡ Venha cá, eu vou te carregar até o banheiro meu doce. 

Fiquei admirando a bela visão que eu tinha de seu corpo nu. Se antes eu tinha alguma dúvida que esse homem tinha sido escupido pelo próprio Deus agora já não tenho qualquer dúvida. Jongin era de fato o homem mais diferente que eu já tinha conhecido, sua pele bronzeada era tão perfeita, e se encaixava perfeitamente nele, além de seus lábios grossos e carnudos. O homem era uma obra de arte. Não preciso nem falar de seu corpo esbelto. 

ㅡ Vai ficar me admirando pra sempre? ㅡ Pôs as mãos na cintura. 

ㅡ Vou sim, por quê? Algum problema meu caro senhor? ㅡ Provoquei o mais alto. 

ㅡ Nenhum senhorita, mas é que você pode fazer muitas mais coisas com esse corpinho lindo além de somente admirar. ㅡ Sorriu sapeca. 

ㅡ Pelo amor de Deus você é insaciável homem? ㅡ O homem continuou a sorrir e logo me pegou no colo. Ficamos nos encarando durante um tempinho. Podia parecer besteira mas eu estava morrendo de vergonha de estar em seu colo nua. Deitei a minha cabeça em seu peito o abraçando. 

ㅡ Ainda com vergonha de mim meu doce? ㅡ Ele abriu a porta do quarto e  caminhou comigo no colo até o banheiro que era no corredor. 

Ligou a luz e se deparou com o banheiro que era bem pequeno e simples. As paredes não estavam rebocadas e muito menos havia um lindo box ali. O que separava a área de tomar banho era uma cortina de florzinha ridícula. 

ㅡ Belo banheiro. ㅡ Ele debochou. 

ㅡ Está desfazendo da minha humilde residência? ㅡ Dei um tapa em seu ombro. 

ㅡ Jamais. ㅡ Ele riu. Jongin caminhou até a área do chuveiro e logo fechou a cortina. 

Quase infartei de rir quando ele olhou o estado das paredes do lugar de tomar banho. 

ㅡ Consegue ficar em pé? 

ㅡ Acho que sim. 

Delicadamente o homem me pôs no chão segurando em minha cintura e soltando ela devagar. O homem ligou o chuveiro e deu três pulinhos pra trás. 

ㅡ Sério que vai ser de água gelada? ㅡ Olhei pra sua face e ele tinha uma carinha engraçada. 

ㅡ Bem vindo a minha vida meu caro. ㅡ Dei dois tapinhas em seu ombro. 

ㅡ Eu também já tomei muito banho frio, ok? 

ㅡ Mas é claro que já. ㅡ Eu não conseguia tirar o sorriso dos lábios. A sua presença fazia com que eu me sentisse melhor. Acompanhei o homem se afastar de mim e ir pra de baixo do chuveiro. 

Meus olhos passeavan pelo caminho em que suas mãos passavam, cada curva bem desenhada do homem.  Que bela visão. Seus olhos recaíram sobre mim. 

ㅡ Vem cá, vem. ㅡ Me puxou e grudou nossos corpos. Soltei um gruninho quando a água gelada entrou em contato com o meu corpo. Água gelada com madrugada não combina de forma alguma. 

Me abracei em seu corpo dando alguns beijos em seu pescoço. Jongin segurou em minha cintura com maestria e tomou meus lábios. Meu coração batia acelerado só de imaginar que essa seria a última vez que o viria, que eu o tocaria. Até por quê o amanhã estava mais que próximo. Meu corpo respondia de acordo com os batimentos de meu coração que estava desesperado. Sem ao menos perder mais tempo pulei no colo do homem, passando minhas pernas ao redor de sua cintura. Jongin caminhou comigo até a parede fazendo minhas costas baterem com força na parede. 

Desci minhas mãos pro seu abdômen dando pequenos arranhões e beliscos, e logo continuei a minha trilha até mais em baixo. Agarrei seu membro com uma de minhas mãos, Jongin respirou pesadamente soltando seus lábios dos meus. O moreno me fitou com desejo em seus olhos. Comecei com os movimentos de vai e vem lentamente torturando tanto o homem, como a mim mesma. A velocidade aumentou quando o moreno pôs uma de suas mãos por cima da minha fazendo com que fosse mais rápido. 

Jongin apoiou sua cabeça em meu ombro e o mordiscava tentando abafar seus gemidos. 

Seus gemidos. Sim, aquilo era a coisa mais excitante de se ouvir. Por mais que o homem tentasse abafar, alguns conseguiam escapar. Ele parou seus movimentos e juntamente segurou a minha mão tirando de seu membro. 

Chega de tortura. ㅡ Posicionou seu membro com pré gozo em minha entrada segurando meu quadril e se forçando pra cima, enquanto me estocava fundo. Gemi alto sentindo Jongin apertar a minha bunda. 

Mordeu o lábio sorrindo sacana, ele segurava fortemente a minha cintura e começou com as estocadas intensas porém lentas. 

Jongin m...mais rápido. ㅡ  Eu pedia com os olhos fechados. 

ㅡ Ir mais rápido com o quê? ㅡ Ouvi sua risadinha sacana. ㅡ Com isso aqui? ㅡ Me penetrou mais rápido fazendo eu revirar os olhos, mas logo parou. 

Sim... ㅡ Eu não tinha nem voz pra responder o homem. 

ㅡ E se eu não quiser ir mais rápido? ㅡ Passou a língua por meus seios voltando a penetrar lentamente. ㅡ O que vai fazer?  ㅡ Nada consegui responder. Aquele homem deixava meu corpo em êxtase, tudo o que eu mais queria era ser tocada ainda mais por ele. ㅡ O que vai fazer se eu não for mais rápido, hum? ㅡ Deu um tapa forte em minha bunda. 

Aquelas estocadas lentas estavam acabando comigo, por mais que o homem me penetrasse lento era intenso, a cada penetrada ele atingia o meu ponto G. 

Amor eu vou... ㅡ E novamente estava eu a me derramar no homem gemendo ainda mais alto que mais cedo. 

ㅡ Baby... 

Jongin me penetrou mais algumas vezes e logo se derramou dentro de mim. Desci de seu colo tentando recuperar o fôlego. Eu olhava pro homem que finalmente parecia estar satisfeito, seus fios loiros desbotados caiam em sua testa, seus lábios estavam semi abertos e sua respiração descompassada. 

ㅡ Eu te amo. ㅡ Quando eu menos esperava tais palavras escaparam de minha boca. Eu não sabia se estava preparada pra dizer aquilo, e nem se era o momento certo.

ㅡ Eu também amo você. ㅡ Me deu um selinho. ㅡ Vamos tomar banho agora. 


(....)


O que vai fazer agora? Me olhei no espelho enquanto secava meus cabelos com a toalha. 

Da janela eu via o sol nascer, junto com ele nascia a minha insegurança. Eu olhava o homem vestir a suas roupas e colocar os seus sapatos. Um suspiro foi ouvido da parte dele. Jongin se levantou da cama e pôs as mãos em meus ombros e nos olhamos do espelho. 

ㅡ Vou te esperar na sala. ㅡ Jongin sorriu pra mim, e saiu do quarto. 


Eu me lembro muito bem do que eu me prometi quando decidi dormir com o Jongin. Eu prefiro me arrepender pelo o que fiz do quê pelo o que eu não fiz. Mas mesmo assim, ontem eu não estava pensando muito. Estava tudo bem se o amanhã chegasse, mas o amanhã chegou e agora? Eu não tenho qualquer arrependimento do que fiz. Não estou preparada pra dizer adeus, isso me deixa inquieta. 

Fechei os olhos e tentei acalmar o meu coração que faltava explodir no meu peito. 

ㅡ O que for pra ser será. ㅡ Abri os olhos. Joguei a toalha em cima da cama e fui em direção a a sala. 

Assim que cheguei na sala vi o homem ao telefone, fiquei no canto pra não atrapalhar sua ligação. 

ㅡ Eu compreendo. Darei um jeito nisso assim que eu terminar aqui. ㅡ Jongin tinha um tom sério e preocupado. ㅡ Ok. ㅡ Ele desligou o celular e suspirou pesadamente. Ele se virou pondo o celular no bolso da calça. ㅡ Você já está aqui? ㅡ Tentou disfarçar. 

ㅡ Sim. 

ㅡ Ayumi eu preciso que você me escute com atenção tá bom?  ㅡ Havia insegurança em sua voz, aquilo estava me deixando ainda mais tensa. 

ㅡ O que está acontecendo Jongin? 

ㅡ Ayumi apenas se acalme. ㅡ Se aproximou de mim. 

ㅡ Você está tenso eu estou a reparar nisso desde que você chegou, e ainda essa ligação que você acabou de fazer, você está preocupado com algo e não quer me contar o que é. Como você quer que eu me acalme?

ㅡ São apenas problemas relacionado a máfia, nada que você precise saber, hum? ㅡ O homem beijou minha bochecha. ㅡ Me escute apenas. 

Ele pegou em minhas mãos e me sentou no sofá junto com ele. 

ㅡ Vamos apenas tentar seguir em frente. 

Eu já esperava aquilo até por quê desde quando ele me expulsou da casa dele ele foi bem óbvio quando disse que nós dois não podiamos ter nada. 

ㅡ Eu e você, a gente não pode continuar com isso. 

ㅡ Tudo bem Jongin, eu já entendi que eu e você não podemos. ㅡ Suspirei pesadamente. ㅡ Mas eu quero um motivo. 

ㅡ Motivo?

ㅡ Sim, por quê não podemos? 

ㅡ Por quê eu não quero te machucar. 

ㅡ Acho que que já é a vigésima vez que você fala que não quer me machucar. Eu quero a porra de um motivo Jongin. 

ㅡ Eu sou perigoso pra você. 

ㅡ Eu desisto. ㅡ Levantei do sofá irritada. Eu estava cansada do jeito que o homem me explicava as coisas. Eu queria tentar pelo menos entender os motivos do homem falar isso. Uma justificativa era pedir muito? ㅡ Se você não tem mais nada o que dizer é melhor ir embora. 

ㅡ  Ayumi por favor... ㅡ Se levantou do sofá. ㅡ Eu quero te proteger. ㅡ Pegou em meu rosto. ㅡ Me deixe fazer isso, pelo menos uma vez deixe que eu faça o certo. Eu não quero perder você também. Eu preciso te pedir algo. 

ㅡ O quê? 

Jongin se afastou de mim e pôs as mãos no bolso da calça. Ele me estendeu dois bilhetes? 

Revirei os olhos quando percebi que era duas passagens de avião. 

ㅡ É sério isso? 

ㅡ Eu preciso que volte pro Japão o mais rápido possível. 

Eu gargalhei com aquela situação, realmente eu tinha que rir, se não eu iria chorar. Ele quer mesmo se ver bem longe de mim? 

ㅡ Vai embora. ㅡ Murmurei mais pra mim do quê pra ele. ㅡ Se for pra voltar pro Japão eu voltarei por escolha própria, e não por quê você quer. 

ㅡ Você não está entendendo Ayumi. ㅡ Jongin esfregou as mãos no rosto desesperadamente. ㅡ A situação está tensa, preciso que você apenas faça o que eu digo. 

ㅡ Vai embora, e dessa vez pra sempre. ㅡ Fui em direção a porta e a abrir. 

ㅡ Ayumi por favor me escuta. 

ㅡ VAI EMBORA KAI! ㅡ Esbravejei irritada. ㅡ Se apresse, você parece ter muitas coisas a fazer hoje. 

ㅡ Eu não quero que as coisas terminem assim entre nós dois, a noite que tivemos foi perfeita. ㅡ Se aproximou de mim. 

ㅡ E daí? ㅡ Segurei as lágrimas que queriam sair. ㅡ Como você mesmo disse, nós não podemos. Vai embora. 

ㅡ POR QUÊ VOCÊ NÃO ENTENDE? Estou fazendo isso por te amar, as coisas estão críticas você não está me escutando? 

ㅡ O que diabos está crítico? Por quê me pede pra voltar pro Japão assim? O motivo? Eu não posso saber? Então por quê eu tenho que te obedecer? 

Luhan. ㅡ Murmurrou colocando as mãos no bolso. 

ㅡ O quê? ㅡ Meus olhos quase saltaram. Fechei a porta na mesma hora. 

ㅡ Ele parece ter voltado do túnel do inferno. ㅡ Passou as mãos no cabelo jogando a cabeça pra trás. ㅡ Aquele bastardo filho da puta. 

ㅡ O que está acontecendo Jongin? Ele vai te matar? ㅡ Meu coração se apertou com a ideia de ter o homem a minha frente num caixão. 

ㅡ Não vou morrer. ㅡ Me abraçou. ㅡ E não quero que você se machuque. ㅡ Me olhou no fundo dos olhos. ㅡ Eu preciso resolver isso com ele, de homem pra homem. Por isso estou pedindo pra que você vá pra sua casa no Japão os homens do Luhan já estão pela Coreia e eu não que você corra qualquer risco, pode me entender? 

ㅡ Então o certo não seria eu ficar na sua casa? 

Pelo o meu ponto de vista a casa de Jongin era o lugar mais seguro que se podia ter. 

ㅡ Você está errada. O lugar mais perigoso pra você ficar é o casarão. E além do mais o Luhan não sabe da sua existência, eu coloquei homens para seguirem você esse último mês, e não teve nada de estranho. 

ㅡ Então por quê está mandando eu ir? 

ㅡ Por garantia, além de que o exo tem grande linha de explanação no Japão, ou seja lá você estará segura. 

ㅡ O que está te atormentando é isso? 

ㅡ Ayumi eu não tenho medo de nada, seja pessoas até animais, eu não tenho medo. A única coisa que temo é perder as pessoas que amo, você e a Nayeon. Ela tem o Kyungsoo pra protegê-la, e também tem a si mesma até por quê ela é perita em armas. Mas eu não posso te proteger na linha de frente, não posso manter meus olhos totalmente presos aos seus, eu tenho pessoas que dependem de mim, e essa guerra vai começar. 

ㅡ Guerra? 

ㅡ Lembra que o Tao morreu? ㅡ Assenti com a cabeça. ㅡ Os homens do Luhan deixaram um tipo de código nas costas do Tao, e lá tinha escrito o que eles queriam. 

ㅡ O que eles querem? 

ㅡ Tomar parte das expansões do exo nos territórios da China e da Coréia, ou também seja, eles querem nos derrubar. Eu não posso e nem vou deixar isso acontecer.

ㅡ Você corre o risco de morrer Jongin, isso é sério. ㅡ Comecei a me desesperar.

Yah, não é a primeira vez que isso acontece, eu já tomei um tiro no peito e estou vivo, tudo terminará bem, hum? ㅡ Ele me deu um selar. Ele tinha uma cara tão tranquila e confiante, e isso me deixava ainda mais nervosa.  

ㅡ Mas e depois? 

Minha pergunta parece ter o pegado de surpresa. 

ㅡ Depois? 

ㅡ Que tudo acabar. . . 

ㅡ Ah, depois? ㅡ Ele abriu um sorriso. ㅡ Não sei, verei. 

ㅡ Verá? 

ㅡ Quem sabe irei encontrar uma certa mulher no Japão, quem sabe. 

ㅡ Você promete que irá me encontrar no Japão, certo? ㅡ Eu tentava sorrir mas eu estava nervosa. 

ㅡ Prometo. 

ㅡ De dedinho? ㅡ Estendi o Midinho pra ele. 

ㅡ Você é uma criança por acaso? ㅡ O homem sorriu. 

ㅡ Jura logo idiota! 

ㅡ Tá bom. ㅡ Juntamos nossos mindinhos selando a promessa. ㅡ Você é tão infantil. 

Dei um tapa em seu peito. 

ㅡ Quando você quer que vá? 

ㅡ O mais breve possível.

ㅡ Me dê duas semanas pra eu ajeitar as coisas aqui na Coréia, eu preciso ajeitar algumas coisas antes de ir. 

ㅡ Ok, preste bastante atenção. ㅡ Olhei pro homem. ㅡ Nada de andar sozinha pela rua a noite, evite ruas desertas, e pelo amor de Deus tranque a merda dessas portas. Eu vou deixar alguns homens pela redondeza apenas por segurança. 

Eu não gosto da ideia de ter gente me seguindo pra onde quer que eu vá, mas parecia bem necessário. Confesso que estou com medo desse Luhan, ele odeia o Jongin não sei se consigo imaginar o que ele faria se pussesse as mãos em mim. 

ㅡ E o mais importante. Não confie em ninguém. Está me ouvindo? 

ㅡ Sim. 

ㅡ Pode parecer exagerado pra apenas duas semanas, mas qualquer cuidado faz toda a diferença. Vou agendar a sua passagem pra daqui a duas semanas. 

ㅡ Eu vou ficar sem notícias suas? 

ㅡ Pode me mandar mensagem. Eu salvei o meu número no seu celular. Agora preciso ir. 

Não demorei a puxar o homem pelos botões de sua camisa e beija-lo. Levamos um grande tempo naquele beijo. Eu não sabia o por quê mais mesmo o homem me dizendo que tudo ficaria bem, eu me sentia mal. Quando encerramos o beijo eu o abracei, estava ficando com medo. 

ㅡ Acalme-se. Parece até uma despedida ㅡ nos desvencilhamos do abraço. 

ㅡ Eu não gosto de despedida Jongin. 

ㅡ Devemos apenas dizer até breve. 

ㅡ Você deve voltar pra mim entendeu? ㅡ Meus olhos marejaram. ㅡ Você tem que ir me encontrar. 

Yumi. Eu irei meu amor, agora por favor não chore. ㅡ O moreno enxugava as minhas lágrimas que já caiam instantâneamente.  ㅡ Eu prometi não prometi? Eu irei te encontrar no Japão, quando nossos olhares se encontrarem saiba que será minha pra sempre, hum?

ㅡ Eu te amo. ㅡ O abracei novamente. 

ㅡ Olhe só pra essa garota, agora que aprendeu a dizer eu te amo, não quer parar mais.  Deixe eu gravar o seu rostinho lindo minha memória, hum? 

Suas grandes mãos rodearam minhas bochechas, Jongin agachou-se um pouco pra ficar do meu tamanho e me fitou. Seus olhos passeavam por cada cantinho do meu rosto, e lá estava aquele sorriso , aquele maldito sorriso. O sorriso que me fazia bobinha por ele, era o sorriso do Jongin. 

Do meu precioso Kim Jongin. . . 


Estava tudo bem certo? 

Jongin não estava a me esconder nada, não é mesmo?

Tudo ficaria bem no final? . . . 



Continua....[••••]



Notas Finais


Shiiiiiiiiii lá vem treta, ou não?




Eu tô sofrendo com a reta final dessa fic poxa😫❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...