História Losing Time - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Brock, Dawn Hikari, Gary Carvalho, Grace (mãe de Serena), Paul, Professor Carvalho, Professora Juniper, Red, Serena
Tags Amourshipping
Visualizações 22
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mas olha só eu aqui de novo ;--;


Boa leitura!

Capítulo 3 - Tempestades


Ash aguardou o intervalo da manhã, estava de cabeça baixa em sua carteira, apenas desejando que seu dia terminasse o mais rápido possível. 

Pov's Ash 

- Ei Ash, a professora já foi embora. - Gary parecia ansioso para ir pra casa.

- Eu não estou preocupado. - Gary ficou com o rosto fechado e passou a olhar para algo aleatório na sala.

- Você é horrível cara. Vou aproveitar e ir com a galera de ônibus até um show de uma banda local, parece boa, quer vir com a gente? - Como se um show de uma banda local fosse aumentar meus ânimos, estou sem disposição para nada, nem mesmo para estudar.

- Dessa vez eu recuso. - Apesar de ter recusado todas as outras vezes.

- Você sempre recusa. - Disse sorrindo, ele me conhecia bem.

Após essa descontraída conversa para tirar o meu sono já havia dado o horário de liberação, alguns alunos corriam loucamente como se não houvesse amanhã, às vezes eu queria ter essa vontade de querer que as horas passem rápido apenas pelo simples fato de chegar em casa e fazer absolutamente nada, deve ser entediante, não sei como eles conseguem. Peguei minha mochila e sem muita coragem fui andado lentamente pelos corredores da escola, alguns alunos estavam nos armários guardando livros, outros apenas não queriam ir para casa e ficavam perambulando pela escola, apenas segui meu caminho até a saída. 

Caminhando pela calçada em pleno meio dia, e para piorar um enorme fluxo de pessoas, acho que vou para algum lugar mais tranquilo, e eu sei exatamente o local perfeito. Andei mais um pouco e finalmente cheguei, o meu ponto de paz, o meu lugar sagrado, a Padaria Grace's, uma padaria considerada de classe alta com um estilo bem refinado, e diferente de qualquer outro lugar onde se vende comida, é bastante silenciosa e calma. Adentrei e o ambiente estava agradável, o ar um pouco gélido que me fez ter alguns calafrios de início, fui em direção a uma mesa vazia, deixei minha mochila sobre um caidera e me sentei em outra, peguei o cardápio e começei a analisá-lo, não demorou muito para que alguém viesse me atender.

- Boa tarde, o que desejas? - Pela voz suave reconheci ser uma mulher.

- Eu vou querer... - Levanto minha cabeça e me deparo com uma pessoa realmente inusitada, Serena, admito que fiquei em choque. - Irei querer, um café expresso meio amargo e uma porção média de macarons.

- Certo. - Manteve a postura mesmo dos acontecidos de hoje, algo bem profissional.

O que me deixa intrigado é o simples fato dela trabalhar em um local no qual eu frequento quase todo dia e nunca ter visto ela, e pelo o que eu saiba não estão contratando ninguém, seria uma boa oportunidade para conversar com ela, porém iria atrapalhar seu suposto trabalho, vou apenas observar o movimento. Peguei meu celular e havia mensagens de Gary, incluindo um vídeo, baixei o volume do áudio do meu celular e apertei no vídeo, era Gary e alguns de seus amigos dentro do ônibus com outros supostos fãs da banda que eles iriam ver, simplesmente não entendo, concordo que música é algo muito bom de se apreciar, mas ao ponto de ser fanático desse jeito para mim é um absurdo, se fosse uma banda interessante eu até fazeria questão de entender. Enfim após alguns minutos, Serena apareceu com uma bandeja justo com meus pedidos, delicadamente ela foi colocando um por um sobre a mesa, antes disso observei rapidamente ao redor para confirmar se não havia mais ninguém.

- Se não fosse um incômodo, aceitaria uma conversa? - Ela terminou de colocar meu pedido sobre a mesa, olhou para trás e depois me encarou.

- Claro. - Ela sorriu e sentou-se em uma cadeira a minha frente. 

- Como você está? - Apesar de estar com uma aparência ótima queria confirmar.

- Eu estou bem melhor agora, apenas tive uma das minhas crises, e novamente eu agradeço por hoje mais cedo, se você não tivesse aparecido eu provavelmente ainda estaria lá. - Ela deu um sorriso tímido e corou um pouco.

- Eu te entendo, mas enfim, me tire essa curiosidade, você trabalha aqui há quanto tempo? - Ela riu e ficou olhando para o lado de fora da padaria através de uma grande vidraça que dava acesso a visão do outro lado.

- Na verdade estou ajudando minha mãe, a famosa Grace, dona desta padaria. - Se minha vida fosse uma novela aqui se encerraria o capítulo, e parando para pensar, realmente faz sentido.

- Então Serena Grace, é filha da dona da Padaria Grace's, isso sim é surpreendente. - Nós dois ficamos rindo por alguns segundos.

- E o que leva ao Sr. Ash até a minha nobre presença? - Perguntou com um tom irônico.

- Frequento este local há quase dois anos, fiquei intrigado por nunca ter te visto por aqui. - Eu nem sequer nunca tinha visto ela em lugar nenhum.

- Temos um cliente fiel, bom saber. - Novamente riu com um tom debochado. - No começo deste ano eu me mudei para Lumiose, minha mãe sempre desejou que eu viesse trabalhar aqui, tanto que até me fez mudar de casa, hábitos e escola. 

- Deve ter sido bem chato. - Eu me sinto cada vez mais em uma novela, onde estão as câmeras?

- Admito que foi bem entediante, mas hoje eles compensam bastante em algumas ocasiões. - Deu para notar que não estava totalmente satisfeita.

- Entendi. Mas por que desejou entrar no clube de leitura? - Ela parecia ter talento para coisas bem melhores do que uma secretaria de biblioteca.

- Digamos que seja meu ponto de paz, quando eu entro em uma biblioteca, ao redor de vários tipos de livros que eu poderia passar dias lendo sem parar, é como se preenchesse o vazio dentro de mim. - Realmente fascinante, é exatamente como me sinto ao entrar aqui.

- Eu sei como é essa sensação, não é a toa que eu frequento esse local por bastante tempo. - Ela sorriu, mas desta vez de uma forma diferente que eu não consegui identificar.

O movimento permaneceu fraco por algumas horas, até lá, fiquei conversando com Serena, descobri que temos algumas coisas em comum, e que ela é muito mais do que aparenta ser, eu vou gostar da amizade dela.







Notas Finais


Semana de prova ;--;
Exausto

É isso aí


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...