História Lost - Fillie - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


voltei



boa leitura

Capítulo 4 - Enquanto isso no terceiro 11 de janeiro em Novos Reis. pt 3


Fanfic / Fanfiction Lost - Fillie - Capítulo 4 - Enquanto isso no terceiro 11 de janeiro em Novos Reis. pt 3

Last Side. 11 de janeiro de 2005. Novos Reis.

O dia em que tudo terminava de mudar.

 

Por favor, não me empurre esta noite

 Porque eu não sei o que eu

 Porque eu não sei o que vou fazer

 E se você me empurrar hoje à noite

Se você me empurrar hoje à noite

Não pense que posso protegê-lo

Você vai se salvar quando eu descer?

 Porque quando eu estou prestes a desmaiar

 Eu quero ir outra rodada

Outro tiro seu é o suficiente para se afogar

Quando estou prestes a desmaiar

 Eu quero ir outra rodada

BLACKOUT – DANIELLE BRADBERRY

 

– Millie. Se você não me mandou pra cá... quem me mandou?

 

– eu não faço a mínima ideia – ela me diz – só o que sei é que quando chegamos aqui, o meu cuidador me levou pra ala maior da Fortaleza e disse que você ficaria seguro, mas eu é claro não acreditei, então fiz o possível pra terminar meu ritual anual e tentei te encontrar durante todo o dia. Quase subornei os espíritos, Finn, como foi que tudo isso aconteceu? Você ao menos se lembra?

Sinto Sadie resmungar ao meu lado mas ignoro. Tudo isso está muito estranho, num segundo eu estava com Millie e em outro estava nesta prisão estranha.

– aposto que fez isso de proposito, pra poder não ter que encarar seu namorado nesse dia – Sadie disse. Millie só pareceu notar sua presença agora.

– e você, quem é? – Millie perguntou com desdém.

– sou Sadie Sink, das Bright Ouch, que eu aposto que você nem faz a mínima ideia de quem sejam, só liga pro próprio nariz.

– tem razão, eu não sei. E nem me importo – Millie respondeu com a cara fechada.

Sadie estalou a língua e acenou acrescentando: – típico. Eu já esperava por isso mesmo.

Millie ficou vermelha e a ignorou. Sei que Millie nunca mente, portanto ela realmente não sabia. Mas se tem algo que aprendi durante esse longo tempo é que tudo que Millie aprendeu foi por interesse próprio e não porque a obrigaram. Ela sempre quis saber mais sobre sua natureza e mesmo assim, ainda não é o suficiente pra muitos rejeitados. Então ela se acostumou com os insultos ignorantes. Não a defendo de Sadie. Millie sabe muito bem se defender sozinha, e se ela precisasse de alguma defesa, teria rebatido aos comentários feitos agora a pouco.

– então, alguém tem ideia do que realmente aconteceu? – Millie questionou.

– você é a princesa aqui não nós, se tem alguém que deveria saber sobre o sumiço temporário do seu namorado é você mesma. Você o trouxe – Sadie rebate. Ela parece sempre querer achar um motivo pra discutir com Mille. Mesmo que Millie não esteja realmente discutindo.

Os olhos de Millie brilham em ameaça à garota ao meu lado. Lembro que faz um tempinho que Millie me mostrou os olhos brilhantes. Eles sempre ficam com um tom amarelo e oscilante. Como os olhos de um vampiro. O dourado realmente dá medo. Em mim. Sadie só ri debochadamente e em troca, os seus olhos azuis se clarejam ao ponto de parecerem brancos azulados. As duas estão em um troca de olhares silenciosa que me diz que não são apenas olhares. São uma conversa telepática. E estou totalmente excluído. Os cabelos acobreados de Sadie flutuam e uma camada de nevoa branca se condensa misturando-se aos tons laranjas. Enquanto os cabelos de Millie estão flutuando pra trás e sua nevoa de pensamentos é marrom e contrastam com seus cabelos.

Então tudo fica escuro.

A única coisa iluminando o ambiente é os olhos das duas garotas. Cada uma de um lado da grade.

Uma livre e uma presa.

Uma princesa e uma plebeia.

Então a grade explode.

E enquanto uso os braços pra me proteger dos resquícios de ferro e aço esmigalhados, Sadie e Millie flutuam no ar. Eu nunca tinha visto algo assim na vida.

A sala gira formando um redemoinho enquanto estou dento de uma bolha de ar que fica visível graças aos destroços espalhados e poeira cinzenta. Essa bolha de ar me protege automaticamente dos poderes de qualquer um aqui. E não sei como exatamente ela surge ou quando desaparece. É sempre assim.

A garotas continuam em suas batalhas internas.

– chega! – alguém grita.

Uma voz feminina interpassa os corredores destruídos pela força desigual das garotas à minha frente. Elas têm os poderes totalmente neutralizados.

– meninas... que vergonha saber que duas moças tão poderosas estão desperdiçando os poderes em uma briga boba – a voz novamente diz.

– quem é você? – Millie pergunta. Sua voz não é amedrontada. É uma ordem clara. Uma voz de princesa.

– sou Íris, sua sacerdotisa Controladora majestade – a voz responde. No mesmo momento uma figura loira aparece na entrada – ou no que era antes uma entrada – da prisão e nos encara. Os olhos são de um tom de verde esmeralda e brilham fracamente. Controladora. Ela tem poder de neutralizar poderes Bright.

Ela está neutralizando os dois poderes de Sadie e Millie. De uma vez.

– na verdade, Finn, isso é um bom argumento. Eu sou A Controladora. Sou uma Controladora Bright. – ela diz. Faço cara de confusão. Como ela consegue ler minha mente? Ninguém mais conseguiu.

– na verdade eu sou a primeira a ler sua mente porquê estou neutralizando os poderes de Millie. Você s tem essa ligação pesada que posso sentir, e acaba que ela se entende você. Deixando usas defesas baixas, me fazendo entrar em sua mente. Se Millie fica vulnerável... você também fica.

Como prova de que ela falou a verdade começo a tossir violentamente. Minha cabeça entra em combustão e minha têmporas latejam. Caio de joelhos no chão e sinto algo querendo me engolir.

Alguém quer gritar algo pra mim.

Você não irá se lembrar disso.

Se concentre na minha voz.

Eu sou a conexão. Eu sou a conexão. Eu sou você.

Millie irá morrer. Você não irá morrer.

Eu sou a conexão. Estamos juntos.

Acabe com a outra garota. Você tem poder pra isso.

 

A voz era leve e me acalentava. Acabar com a outra.

Que outra?

 

Sadie. A garota descendente das Águas Bright. Ela terá de morrer.

Temos planos e ela irá interferir.

Millie precisará morrer também.

Ela é a principal pedra no nosso sapato.

Sou como você. Sou como você.

A voz...

Era como uma brisa. Eu não sabia o que estava acontecendo. Mais sabia que tinha que fazer o que quer que essa voz estivesse mandando.

Meus olhos...

Doíam.

Abri.

Tudo que vi foi uma confusão de imagens. O rosto de sadie estava iluminada e ela parecia feliz... não. Ela estava morrendo. Tinha sangue. Muito... sangue.

Tudo se confundiu novamente. Então vi Millie. Sendo estrangulada. Que bom. Íris estava... estrangulando Millie.

 Elas brigavam internamente. Eu sentia. Íris era como eu. Ela era eu.

Millie.

Nossa conexão era roubada.

Roubada...

Íris.

MILLIE!

 

FINN!

 

Millie?

Finn!

Você me ouve?

Ouço!

Onde você está?

Estou aqui, Finn! Me ajude! Ela me roubou você!

O que? Como assim Millie? O que houve?

Ela.... Me... roubou... você!

Millie!

Fi-inn….

 

Eu não entedia mais nada. Tudo que havia sobrado era um vazio. Que eu nem sabia que tinha sido preenchido algum dia. Eu só sabia de algo. Millie havia sumido. Não sei de onde. Eu só não a sentia mais. A conexão se quebrou.

 

                                                                  ********

 

Meu grito se reverberou na escuridão. Onde eu estava?

Olhei em volta. O lugar era pintado de azul claro com listras pretas. Meu quarto.

O que faço aqui?

Millie...

MILLIE!

O que aconteceu?

Ela.... Me... roubou... você!

Millie!


Notas Finais


se houve erro, me digam.

comentem pra eu saber se gostaram.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...