1. Spirit Fanfics >
  2. Lost - Temporada 2 >
  3. Julia Cupper

História Lost - Temporada 2 - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Julia Cupper


Fanfic / Fanfiction Lost - Temporada 2 - Capítulo 12 - Julia Cupper

~ Julia Cupper

Eu estou nua, toda gostosa, cavalgando nele. Mas ele parece estar com a cabeça em outro lugar. Ele não está aqui. Está completamente diferente de alguns minutos atrás. Nem parece o mesmo homem que me pegou na lavanderia, cheio de vontade.

- Não, não está dando. - Reclamo, saindo de cima dele.

- É, eu... - Ele tenta achar uma justificativa, mas ela não vem.

Ele se senta e parece se sentir um pouco frustado. Eu realmente não sei o que está acontecendo. Estávamos tão bem.

- Qual é o problema? Sou eu? Pode falar. O que houve?

- Não, claro que não. Você é perfeita, Julia, entenda.

- Então me come direito. - Digo, subindo nele novamente. Pois eu realmente quero isso.- Você sabe a forma que eu gosto.

- Julia, Julia... Não, espera um pouco. Eu... - Ele me para novamente. E isso me incomoda muito.

Eu perco a paciência.

- O que está acontecendo? Dá pra você ser direto? Temos uma noite inteira pela frente e eu não quero desperdiçar nem um segundo, Bruno. - Nua, eu ando de um lado para o outro.

- Eu quero conversar. - Diz, olhando sério no fundo dos meus olhos. Eu sinto a sinceridade dele, mas eu não sei se esse é o momento certo.

- Agora? Sério? E desde quando você gosta de atrapalhar uma foda para bater papinho? A gente pode conversar daqui uma hora, ou duas... Nós arrumamos tempo depois. Mas agora...

Ele me interrompe.

E enfim me dou conta de que pode ser realmente importante.

- Tem que ser agora. Se não a gente não vai continuar isso.

- Okay, vai falando enquanto eu te chupo todinho. - Eu realmente não consigo levar a sério que ele queria conversar agora. Porra, nós íamos foder. Não era isso?

- Não, Julia. Me ouve. - Ele me para mais uma vez.

Porra. Ele está recusando um oral meu? Ta de brincadeira.

- Bruno, eu quero transar. Dá pra gente brincar aqui um pouquinho e... Já já a gente conversa. Eu estou muito excitada. Deixa eu acordar o menino aí, eu não gosto dele caidinho assim, não. Eu quero sentir aquela pressão toda dentro de mim... Você me pegando e...

- Não, agora não, poxa. Depois eu te como em todas as posições que você quiser, deixo você fazer o que quiser comigo, a gente vai foder a noite toda, mas agora me ouve, por favor. - Ele coloca um travesseiro sobre a carrot, tirando-a do meu campo de visão.

- Droga! Okay, vai, vai falando, já vi que a conversa vai ser longa. Deve ser coisa séria. - Saio da cama bem chateada. Pego um cigarro dele e começo a fumar, olhando para fora pela janela. Muito chateada.

- Não é melhor você vestir alguma coisa? Vão acabar te vendo nua aí... E... Para de fumar, isso faz mal. - Diz ele, pegando suas roupas que estavam espalhadas pelo chão.

- Eu tenho certeza que não é isso que você quer falar. Vá direto ao ponto. Por favor. Nós estamos perdendo o nosso precioso tempo. - Contínuo fumando, simplesmente porque estou puta demais.- E sério... Por que está pegando suas roupas? Vai se vestir?, A gente vai continuar isso aqui em.

Ele corta o assunto de repente com uma frase devastadora.

- Julia, a gente se ama.

O silêncio toma conta do quarto, mas não da minha cabeça. Eu continuo olhando fixo para fora, o mais longe possível.

Nós combinamos de não falar disso. Ele quebrou a porra da única regra. Eu sei, mais cedo, eu estava super afim de dizer a mesma coisa, mas eu mudei de ideia. Sei o quão isso nos atrapalha, sei todas as sombras que esse assunto trás de volta. Eu não vou deixar que isso estrague essa noite. Eu não posso deixar.

- Eu não quero falar sobre isso. Pode ir parando por aí. - Digo, apagando a metade do cigarro que resta em minha mão. Sem condições de encsrá-lo, passo por ele, indo direto para o banheiro.

- Julia. Espera! Eu quero falar sobre isso.

Ele vem atrás de mim, já de cueca.

- MAS EU NÃO QUERO. - Grito, impaciente, colocando a banheira para encher. Busco mil maneiras de fugir desse assunto e trazer de volta a harmonia que estava agora pouco.

Eu não pensava que esse assunto ainda me machucaria tanto. Sinceramente.

- Porra, você não está querendo transar comigo porque eu sou qualquer cara, você não é esse tipo de pessoa. Você está louca para foder comigo porque eu sou... Eu era, sei lá, o seu homem. Aquele homem que você dizia o tempo todo que amava. - Ele descarrega sobre mim de uma só vez.

Ele está pegando pesado.

Ele está indo fundo na ferida. Ele fala com tanto carinho do que a gente tinha que os meus olhos quase se enchem de lágrimas. Mas eu consigo ser forte, mesmo sentindo o meu coração acelerar, mesmo sentindo essa pressão toda sobre mim. O que ele quer que eu diga?

- Você lembra bem do que nós tínhamos, não é?

Eu não passei um dia se quer sem pesar no que nós tínhamos. - A minha voz interior grita dentro de mim, com um choro engasgado.

- Eu vou tomar um banho. Se quiser se vestir e ir embora, por mim tudo bem. Eu perdi completamente a vontade. - Digo, séria, ainda evitando olhar nos olhos ele.

- Quer mesmo que eu vá? - Ele pergunta, mas eu não digo nada. Ficamos em um curto e infinito silêncio.- Então era só sexo mesmo? Cara, eu sou muito idiota. - Ele se lamenta, passando as mãos no rosto.- O que eu estou fazendo aqui? - Parece arrependido.

Ele vira as costas para mim no meio daquele silêncio. Mas eu resolvo falar uma parte do que está engasgado.

- Era só sexo. Eu nunca voltaria com você. Você deveria saber. Eu te pedi desculpas de todas as formas quando você descobriu no que eu errei com você. Eu me expliquei, fui extremamente sincera, assumi meu erro e isso não foi suficiente para você. È, e eu vou continuar sendo sincera com você, Bruno. Se é isso que você quer ouvir, então ouça, porquê eu só vou dizer uma vez... Eu te amo. - Uma longa pausa. Tento prosseguir, mas o nó na garganta me cala por um tempo.- Mas sim, isso aqui é só sexo. Eu mudei. Crescí muito como mulher. Hoje, eu penso completamente diferente. Aprendí a viver para mim. Tanto que eu não precisei e não procurei ninguém depois que tudo acabou entre a gente. É isso, eu só quero transar com você, ter uma noite maravilhosa... Hoje é com você, amanhã provavelmente é com o meu companheiro de trabalho e depois com quem mais eu quiser e se eu não quiser, tudo bem também. Eu só estou livre para fazer o que eu quiser, sem me preocupar se estou fazendo algo errado ou não, se estou machucando alguém ou não, se vou levar um pé na bunda, como você fez comigo, ou não. Eu não quero passar pelo que eu passei de novo, pois doeu muito. Eu errei e nunca neguei isso. Mas só faltou eu me ajoelhar para te pedir desculpas, e você cagou para mim. Você ignorou tudo o que nós tivemos. Não tentou nem aceitar o meu lado da história. Se eu voltei para o Canadá foi porque você quis que eu voltasse. Então não tem muito o que fazer, é só aceitar que as coisas mudaram. Você não pensou que iria encontrar aquela menina ingênua que você viu pela última vez em Los Angeles, não é? Eu arrumei minhas malas chorando por você, me sentindo extremamente culpada, sem valor algum... Essa Julia de hoje, nunca passaria por isso. Ela jamais se permitiria passar por uma coisa dessa. E por mais que eu te ame e ainda tenha uma gratidão enorme por tudo que passamos juntos, nunca mais seriamos o que já fomos um dia. Aquilo se quebrou, entende? Por minha culpa, sua...

- Você não pode afirmar isso assim. Mas tudo bem, acho que ficou tudo bem claro pra mim. - Ele cruza os braços, chateado, tão desgastado quanto eu com esse assunto.

- Ótimo. - Digo, simplesmente.

- Acho que você deveria ter chamado um garoto de programa já que é só sexo. Eu não sirvo pra isso. Não com você... Com você nunca será só sexo. - Diz, fraco.

- Estava tudo bem claro sobre o que seria essa noite, foi você quem resolveu falar de amor e essas paranóias todas. Estava tudo tão bem. - Visto um roupão já que deu ruim.

Ele veste a calça, mas continua sem camisa quando resolve prosseguir com o assunto.

- Uma psicóloga disse que eu poderia ter situações mal resolvidas do passado. Mas pelo que eu estou vendo não tem nada mal resolvido. Outra coisa, eu não disse que te amo porque quero voltar com você. Eu só pensei que a gente pudesse resolver as coisas e ficar tudo bem... pra sempre. Talvez você não imagine o quão especial é para mim.

- Já está tudo bem, Bruno. Acho que só de nós estarmos aqui, nesse quarto, já foi um passo gigantesco. Se for para nós nos reaproximamos, isso vai acontecer com o tampo, seja para ficarmos juntos ou não. O primeiro passo a gente já deu, estamos aqui. Não adianta ter pressa.

- É, você está certa. - Silêncio.- Eu.... Eu

- Você vai embora?

- É, eu vou. - Ele olha o celular, como se estivesse apenas conferindo as horas.

- Mas está tudo bem, né?

- Tá de boa, Julia. - Ele até força um sorriso.

- Bruno, eu nunca vou negar o que nós tivemos. Eu nunca vou negar a gratidão e o carinho que eu sinto por você até hoje, nunca vou negar o quão bom tudo aquilo foi... Nunca. Eu nunca vou negar o nosso amor. Só nós sabemos o que vivemos. Foi algo curto, mas para mim foi a coisa mais preciosa do mundo. - Os meus olhos se enchem, porque é isso que eles fazem quando se trata do nosso amor.- E por mais que essa história não tenha continuado da forma que sonhamos um dia, aquele amor continua aqui... E vai continuar para sempre. Nós dois nos ferimos. Eu te machuquei e acabei me machucando também.

- Tudo bem... Eu já vou.

- Não. Fica. - Peço, sem pensar muito.- Quer dizer... Se você quiser, pode ficar.


Notas Finais


VOLTEEEEI... Aquelas que volta como se não tivesse sumido por meses kkkkk Não, mas não vai ser dessa vez que eu vou abandonar ocês não. Será que ainda tem alguém que lê essa fic? Mds, eu voltei mesmo em. Vocês podem voltar tudo pq eu tô falando sério. Vocês que me aguentem agora. Enfim... Se tiver alguém aqui pra ler ainda, seja uma pessoa ou dez, eu vou ficar muitooooo feliz mesmo. Tava com saudades desse cantinho. Eu estava longe, não estava escrevendo, mas eu estava sempre me cobrando, querendo voltar. Não voltei por falta de vergonha na cara mesmo. Esse cap tá vagabundinho e já tá pronto faz alguns dias aqui, mas é bem provável que amanhã eu já poste outro... Paciência, que eu estou relendo tudo para não me perder nas paranóias desses dois.
Se alguém leu esse cap, obrigada por ainda estar aqui.
.
https://chat.whatsapp.com/D9qK7CfOgiOJSdCLWzl704


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...