1. Spirit Fanfics >
  2. Lost Alone - Perdido e sozinho. >
  3. S3. 20 - Medo do desconhecido.

História Lost Alone - Perdido e sozinho. - Capítulo 70


Escrita por:


Notas do Autor


falta poucos capítulos pra acabar a temporada 3. Sim, terá uma quarta, ela será o desfecho :) ansioso, espero que gostem ❤

Capítulo 70 - S3. 20 - Medo do desconhecido.


Fanfic / Fanfiction Lost Alone - Perdido e sozinho. - Capítulo 70 - S3. 20 - Medo do desconhecido.

Carl

É normal ficar vulnerável com algo que você não conhece, não é normal é ter coragem sempre. Sair da nossa área de conforto pode ser assustador, o medo do desconhecido.

Eu e ele não dormimos na mesma cama. Não é porque estamos brigados, apenas porque ele foi deitar primeiro e acabou dormindo e se espatifando todo. Eu poderia me encaixar lá mas preferi não incomoda-lo. 

[...]

Amanheceu, acordamos todos mais cedo, não entendi o porque, achei que seria o oposto depois do dia cansativo de ontem. Rob havia tomado um banho cedinho, quando levantei ele estava dobrando umas roupas no quarto. Fiquei sentado na cama por um tempinho, nos olhamos mas não conversávamos.

- Bom dia... - tentei quebrar o gelo. Ta bravo?

- Sabe que não. - me encarou. 

- Decepcionado?

- Não...

- Só triste...?

- É, talvez. 

Me levantei. 

... - Não quero ser o motivo de você não correr atrás do que quer, no Terminus. Mas vivemos tanta coisa, não quero te perder, nem escolher nada, sabe?

Fiquei em sua frente escorado na cama.

- Entendo, eu não estou deixando de lado nossa história, nunca, mas é que... - suspirei. Se você tivesse ficado no meu grupo desde o início entenderia, toda nossa luta, tudo que vivemos.

- Seu pai também está lá... mas você ta certo, não pode troca-lo por mim, um namorado.

- Quem disse que estou de trocando? - respirei fundo. 

- K-Mart, você, tudo parece estar indo embora... 

- Eu nunca vou te abandonar, você sabe. 

Acariciei seu ombro. O abracei e ele retribuiu.

...- Não quero guardar segredo do grupo, vou conta-los, hoje e agora... 

Rob acenou com a cabeça concordando. 

Queria beija-lo mas preferi dar um espaço a ele.

- Vou nessa... - saí do quarto.

Fui ao banheiro e lavei meu rosto, raciocinando tudo, pensando no que diria... Tudo me deixava nervoso, mas precisava contar.

...

Fui até o andar de baixo, chamei a atenção da galera que conversavam entre si. Eles olharam pra mim.

- Ando guardando uma coisa e quero conta-la... sem segredos... 

Rob descia a escada.

- O que? - Chrissy se aproximou.

- Vocês sabem que eu tinha meu grupo, meu pai está neste grupo, eu separei deles depois daqueles conflitos. Eu amo, amo aquele pessoal, e sei onde eles estão, vi uma mensagem entre eles numa cabine do caminho pra cá. 

- Como assim? - Teddy me olhou.

- Eles estão no Terminus. Quanto mais eu fico longe deles sabendo onde estão, eu fico muito aflito... Eu quero vê-los, quero meu pai, meus amigos... também devo isso a todos lá. 

Ficaram sem reação, apenas se olhando.

- Você vai embora? - Bishop jogou a pergunta.

- Não, quer dizer... Eu... não sei, ainda.

Eles olharam pro rosto de Rob, ainda triste, ele não dizia nada.

- Ele vai com você? - perguntaram sobre ele.

- É... Não. - olhei pro chão.

- Não estamos entendendo nada... - Chrissy se sentou.

- Então você vai ou não?

- Eu não sei, pessoal! - suspirei. Eu quero ficar e ajudar, meus amigos estão aqui... - olhei pra Teddy. Vocês, estão aqui... Mas lá estão eles.

Acho que perceberam que eu e Rob não estávamos bem.

- Você quer os dois, certo? - Wes me perguntou.

Era engraçado como todos reagiam quando ele falava alguma coisa porque geralmente Wes é quieto e reservado.

... - Você pode ir até lá, vê-los, conversar... ainda estaremos aqui, pode vir direto. 

- Isso é uma boa ideia. - Bishop comentou.

- Até lá deve ser um dia de viagem... - pensava.

- Podemos ir te levar, você vê se eles realmente estão bem, se estão lá mesmo, e na hora decide o que quer. - Teddy me deu a ideia.

Assenti, ficando positivo com as ideias. Olhei pra Rob que também pareceu aceitar a ideia.

- Podemos marcar um dia?

- Uau, já? Quer dizer, você vai mesmo... - Teddy se chocou.

Fui até ele te dando um abraço e rindo.

- Eu preciso...

Rob e K-Mart eram os mais calados ali.

- Depois de amanhã? - Wes sugeriu.

- Claro, claro, você está louco pra me vê longe, né? 

Todos riram, inclusive ele.

- Não seria ruim. - brincou.

- Por mim está bom...

Rob virou o rosto, negando com a cabeça pra ele mesmo. 

Vieram até mim me dando um abraço.

- Agora não vai ser mais um órfão, droga. - Finn riu.

- Aproveitando o momento, eu também queria me desculpar com K-Mart... Quando chegamos estavamos num momento ruim, tive que falar aquilo pra nao arriscar a vida dele, entende? - perguntei e ela apenas me olhou sem resposta. 

Do nada ouvimos um barulho, uma voz, a pessoa gritou. gritou pessoal correu pra fora, tinha alguém lá. 

O garoto caiu no chão, e desmaiou. 

- Peguem! - Chrissy gritou.

Wes o carregou, o garoto estava com sangue na camisa, sua testa também estava machucada. O deitaram na cama do Rob.

- Ele precisa de soro? - Rob perguntou.

- Não... ainda está respirando bem. - Chrissy o checou.

O menino abriu os olhos, assustado. Parecia estar recuperando ar, parecia estar em choque. 

- Tudo bem, tudo bem, está bem agora. Meu nome é Chrissy, não vamos te ferir.

Ele foi se acalmando.

- Onde estou? 

- Somos um grupo de oito pessoas, qual é seu nome? - perguntei.

- Nome? Não sei... - tentava lembrar.

- Sem memória... - Teddy disse.

Outro morador, vai ver...

Acariciei as costas de Rob, ele saiu de perto incomodado. Comigo?

É normal ter medo, principalmente do que não conhecemos.

Medo do desconhecido...



Notas Finais


mais um personagem? eu não canso mesmo, né? kkkkkkk
comentem plis


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...