1. Spirit Fanfics >
  2. Lost Boys - Byun Baekhyun >
  3. A aposta

História Lost Boys - Byun Baekhyun - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


olaaaa moranguinhos, como vocês estão?
eu espero que bem! o modo como eu faço essa pergunta em todos os começos de capítulos não eh atoa.
eu realmente me preocupo com vocês pq aqui nossa relação eh mais do que a de autora com leitores, nós aqui temos uma relação de amizade e eu me preocupo com os meus amigos, ok? então, eu sempre estarei aqui como uma amiga para todos vocês!

enfim, eu espero que vocês aproveitem a att, até as notas finais! 💗

Capítulo 19 - A aposta


Fanfic / Fanfiction Lost Boys - Byun Baekhyun - Capítulo 19 - A aposta

Depois de provar meu valor ao entregar algumas letras incríveis e dar sugestões de melodias e canções para a banda, passei a ser membro oficial dos Lost Boys.

Bem, na verdade eu era mais uma Lost Girl, mas, enfim, dá para entender o que eu quis dizer. Acertava os toques finais da minha primeira música oficial e trabalhava em mais três outras para Chanyeol, Jongin e Sehun. Porém era difícil escolher um tema para Baekhyun.

Ainda tinha muito trabalho pela frente.

No fim da semana, Taeyeon me surpreendeu de manhã bem cedo no corredor dos armários. Ela pulava de empolgação.

– E aí, Joey, ansiosa para hoje à noite? – Tae exclamou com aquela voz alta e esganiçada típica de quando ela estava animada demais.

– Não. O que vai acontecer hoje? – perguntei com a maior calma. Eu era mesmo a garota mais desligada do mundo.

Ela fechou a cara.

– Você está falando sério? Já faz uma semana que não se fala em outra coisa além da festa!

Ah, era isso. A festa de dia dos namorados. Já que a data cairia na segunda, a ideia era “celebrar” no fim de semana... De qualquer forma, para todos os efeitos, aquela era só uma boa desculpa para organizar uma festa. Entreouvi os garotos falarem algo a respeito, mas nem prestei muita atenção. A verdade é que eu não era muito boa nessa coisa de festas. Sempre arrumava uma maneira de passar vergonha e as pessoas costumavam me lançar olhares sem graça e me evitavam porque eu falava as coisas mais inapropriadas.

Acho que eu era muito direta e honesta demais e isso aparentemente acabava com a animação de qualquer festa...

– Ah, sim. Ouvi a respeito... mas acho que não vo... – comecei a falar, mas Taeyeon me interrompeu.

– Ótimo. Fantástico! Nem ouse dizer que não vai, porque vou arrastar você e ponto final. A gente precisa escolher a sua roupa! Você deu sorte de termos ido fazer compras no fim de semana, senão ia ter que ir para a festa com uma dessas roupas esportivas velhas suas! Ah! E você TEM que usar aquele top roxo que eu escolhi – ela tagarelou, toda empolgada.

– Sério, Tae, não sou boa nesse lance de festas...

– Não ligo a mínima se você é a pior festeira do mundo, Joe Gray. Você vai! E com o top roxo! – Ela bateu o pé. Meu Deus, como aquela menina era mandona!

– Tudo bem. Está certo. – Desisti de contrariá-la.

Ela sorriu, feliz por ter ganhado a batalha e então passou o resto do dia falando sobre a porcaria da festa. E eu passei o resto do dia temendo a noite que se aproximava.

Pelo menos consegui esquecer o assunto durante parte da tarde graças à minha aula de música com o professor Rubick. Eu estava aprendendo as coisas depressa e quando tocava piano não soava mais tão enferrujada.

Quando a aula terminou, fui para o meu quarto. Chen e Baekhyun estavam lá com os outros meninos. Baekhyun estava com os fones do meu iPod nas orelhas e balançava a cabeça ao som do que quer que estivesse ouvindo. Chen estava deitado na cama e dedilhava a guitarra. Eu me arrastei para dentro e desabei na minha cama, empurrando Chanyeol, que estava espalhado sobre o colchão. Chen parou por um segundo e Baekhyun tirou os fones quando me viu entrar.

– Oi – cumprimentei todo mundo, azeda. – Chanyeol, será que dá para me dar um pouco de espaço na cama?

– Afe, senhora brilho do sol! Posso saber o motivo da cara amarrada? – Chanyeol se ajeitou na cama e apoiou a cabeça no meu ombro.

Ele era uma pessoa muito afetiva e carinhosa. Gostava de abraçar, ficar de mãos dadas e de proximidade. E não era só comigo. Ele agia assim com o resto da banda também.

Mas ele só agia dessa forma com quem de fato gostava e se sentia à vontade. Chanyeol era muito tímido e reservado com gente que não conhecia ou não confiava. Os abraços dele eram sempre a melhor coisa do mundo. Não sei por que, mas seus abraços sempre me causavam um calorzinho aconchegante no coração. Era quase viciante de tão bom.

– Não é nada – resmunguei e apoiei a cabeça sobre a do Chanyeol. – Só não estou nem um pouco a fim de ir para essa festa hoje à noite.

– Tae mandou você ir, não foi? – Chen soltou uma risadinha da cama dele.

– Foi – confessei.

– Não deixe ela mandar em você! Se não quer ir, não vá! – Chen voltou a tocar guitarra.

– Sem chance! Você tem que ir de qualquer jeito, Joe – Chanyeol exclamou. – É a sua primeira festa na escola! Vai ser tão divertido! Vamos todos juntos, não é, galera?

– Eu vou com certeza. – Sehun levantou e se alongou, os músculos dos braços e do peito sobressaindo sobre a camiseta preta. Sehun era mesmo um atleta. Tentei disfarçar minha admiração e desviei os olhos.

– Eu idem. – Jongin também se levantou. – Na verdade, já está na hora da gente ir para os nossos quartos se arrumar! Você leva duas horas para ficar pronto, Sehun! – Ele revirou os olhos.

– Então vamos, ué – Sehun concordou e foi em direção à porta.

Chanyeol se ergueu com o cabelo ruivo todo amarrotado e seguiu os dois.

– Vejo você lá na festa, Joey! – Ele disse me dando tchau com as mãos. – Venho buscá-la com a Taeyeon se você amarelar, viu?

Grunhi abafado. Ótimo, agora eram dois para me obrigar a ir!

– Você também vai, Chen? – perguntei.

– Não sei. Não sou muito do tipo de ir em festa. O que você acha, Baekhyun? Está a fim de ir?

– Claro, por que não? – ele deu de ombros.

Maravilha. Todo mundo vai para a festa. Agora eu não tinha mesmo como escapar dessa. E, para completar, naquele mesmo instante Taeyeon entrou no quarto.

– E aí, menina? Vamos lá, pegue sua roupa. A gente vai se arrrumar no meu quarto! – ela ordenou e fez um gesto para que eu me apressasse.

– Ahhhhhhhh, cara! Mas que porra! – Gemi e me levantei, relutante. Baekhyun olhou repreensivo para mim e Chen riu da minha birra infantil.

Ele então se levantou e disse que era melhor começar a se arrumar também. Tae, óbvio, teve que lançar um comentário malicioso a respeito de como Chen havia deixado de ser um “nerd bicho do mato”, ao que ele retrucou: “O que você quer dizer com isso?” e Tae rebateu: “Você nunca vai à festa nenhuma. Chen! Você sabe muito bem disso” e ele retrucou de volta: “Não é verdade. Não tem nada a ver”, o que me fez soltar uma risadinha abafada de escárnio porque ele havia acabado de dizer que não era muito de ir a festas. Chen me lançou adagas com os olhos, e eu me encolhi, com uma expressão de desculpas sinceras em meu rosto, enquanto Taeyeon fazia mais algumas piadinhas.

Depois disso, enfiei minhas roupas na mochila em silêncio completo. Não queria ficar no fogo cruzado de mais uma briga dos dois.

Taeyeon e Chen sempre discutiam a respeito das coisas mais sem importância, idiotas e aleatórias do mundo. Eles gostavam de zombar um do outro mais do qualquer outra coisa.

Eles implicavam, provocavam, cutucavam, e debochavam um do outro o tempo todo. E, quando digo “o tempo todo” quero dizer 24 horas por dia, sete dias por semana! Não havia nem uma única ocasião em que eles estivessem no mesmo lugar sem que uma discussão se iniciasse. No início, pensei que Chen ainda estivesse com raiva por causa do bullying que Tae fez comigo na minha primeira semana de aula, mas logo percebi que ele simplesmente gostava de implicar com ela. Era seu passatempo preferido.

Baekhyun e eu já havíamos nos acostumado com essas briguinhas, por isso tudo que fazíamos era revirar os olhos e deixar que eles discutissem até que se cansassem e algum deles resolvesse calar a boca.

Chen marchou de volta para sua cama, dizendo que não estava mais no clima para festa nenhuma e que ele estava muito bem sendo um “nerd bicho do mato, muito obrigado”.

Pegou um livro e encarou as páginas, fingindo não ligar para mais nada.

Taeyeon tentou pedir desculpas, mas ele fingia focar toda a sua atenção no livro, não lhe dando ouvido algum. Ela olhou para nós desalentada quando se deu conta do que havia provocado. Acho que ela até tinha ficado muito feliz quando Chen disse que iria à festa, mas então ela não se conteve com as cutucadas de sempre e acabou estragando tudo no final. Baekhyun sorriu para ela e garantiu que cuidaria de tudo, lançando-lhe uma piscadinha animada. Ele convenceria Chen a ir à festa mais tarde.

Segui Taeyeon pelo corredor, andando como alguém prestes a ir para a forca. Por incrível que pareça, eu ainda não havia conhecido o quarto de Tae. Quando entramos no dormitório no terceiro andar, fiquei de queixo caído! O quarto dela era duas vezes maior do que o nosso, com uma cama king-size bem no centro, uma cama de solteiro extra em um dos lados, vários armários, um grande espelho preso na parede, uma TV de tela plana em um canto e uma pequena área gourmet com um frigobar e um forno portátil sobre a bancada.

– Todos os dormitórios das meninas são assim? – perguntei, por um momento me arrependendo da minha decisão de ficar com os garotos.

Taeyeon deu de ombros como se não fizesse ideia e mais que depressa me empurrou para o banheiro, onde eu tive que soltar uma exclamação, de tão impressionada. O lugar era gigante, com uma bela banheira perolada e uma grande pia de mármore. Tudo parecia reluzente e sofisticado. Pulei de susto quando Tae bateu na porta e gritou que não estava ouvindo o chuveiro ligado.

Parei de admirar o banheiro como uma idiota e corri para me arrumar. Após uma ducha rápida, fui para o quarto me vestir e deixei que Tae me ajudasse com a maquiagem. Olhei para meu reflexo no grande espelho na parede do quarto quando estava finalmente pronta.

Uma menina assustada olhou de volta para mim, sentindo-se um tanto desajeitada com o novo visual.

Eu estava usando um top apertado e o jeans preto com sapatos de salto alto da mesma cor. Bati o pé para manter meu costumeiro rabo de cavalo. Tae queria que eu soltasse o cabelo, mas o batom roxo e o rímel escuro já significavam uma mudançadrástica demais que eu ainda precisava digerir. Além disso, o top lilás que ela havia escolhido para mim tinha um decote um pouco exagerado para o meu gosto. Então Tae desistiu de insistir no cabelo solto, pois sabia muito bem que nem todas as batalhas podiam ser ganhas.

Meu estômago revirava de tanto nervosismo quando chegamos à festa. O espaço ao ar livre onde o evento aconteceria já estava repleto de alunos, que conversavam e socializavam uns com os outros. Já podia ver Jongin, cercado por um grande grupo. Parecia contar uma história engraçada e todo mundo prestava a maior atenção em cada palavra que saía de sua boca.

Para nossa surpresa, Sehun estava do outro lado da festa, todo descolado e sexy com uma camiseta preta que caía bem sobre os jeans escuros. Ele conversava com três garotas que davam risadinhas e flertavam com ele. Sehun parecia ser do tipo que preferia se divertir sozinho nas festas e pelo visto sua prioridade era dar atenção a uma plateia unicamente feminina.

Não precisei procurar por Chanyeol, pois a risada alta dele chegou aos meus ouvidos antes que eu pudesse vê-lo. Segui a voz até o centro de um grupo de skatistas. Ele parecia estar se divertindo a beça e, quando nos percebeu, acenou todo empolgado na nossa direção, indo até onde estávamos.

– Finalmente! Estava quase indo buscá-la! Pensei que tivesse amarelado! – ele disse rindo.

– Estou me sentindo bem amarela – brinquei.

– Vocês duas estão lindas se me permitem dizer – ele elogiou, soltando um assobio de apreciação. Tae fez uma mesura engraçada e eu fiquei vermelha como um pimentão.

– Você também está uma graça, gatinho. – Tae piscou para ele, admirando a combinação de camiseta salmão e bermudas largas que ele vestia. – Vamos lá, Joey. Vou apresentar você para todo mundo. – Taeyeon me deu um leve empurrão. – Nós nos vemos depois, Chany-Berry! – Chanyeol riu e se despediu com um aceno antes de voltar para o grupo onde estava.

Eu me sentia bastante insegura e pouco à vontade enquanto Tae me apresentava aos amigos dela. Eles foram todos muito educados comigo, mas mesmo assim eu podia ver em seus olhos que não paravam de se perguntar “Qual é o problema dessa garota?”. Em certo momento, me perdi dela e fiquei vagando pela multidão. Foi então que, de repente, senti um par de mãos agarrarem minha cintura por trás e dei um pulo de susto. Eu me virei e vi um Baekhyun bem-humorado que me envolvia em seus braços.

– Ei, botãozinho! Falei para o Chen que tinha certeza que era você, mas ele disse que eu estava enganado. Então vim conferir com os meus próprios olhos.

Nos últimos dias, Baekhyun havia pego a mania de me chamar de Botãozinho porque uma vez ele disse que eu era um “botãozinho de flor” e tive um acesso de riso. Aquele era um termo tão esquisito. Desde então, ele usava o apelido sempre que estávamos sozinhos, como um termo carinhoso que só a gente conhecia. Eu adorava quando ele me chamava assim.

– Você está tão diferente! – Baekhyun comentou, discretamente surpreso.

– É, essa sou eu depois de passar pela reconstrução total de Taeyeon – murmurei em tom de desculpa e sorri, sem graça, para ele. – Eu me sinto esquisita.

– Não, não... Você está... – Baekhyun fez uma pausa e os olhos dele foram do meu rosto para o decote – ...adorável. Diferente, mas adorável. – Seus olhos escureceram subitamente e sua voz se tornou mais rouca que o normal.

Não tive tempo de ficar vermelha ou nem mesmo de agradecer pelo elogio, pois vi de relance que Chen se aproximava. Empata-foda. Empurrei Baekhyun para longe, fazendo com que ele perdesse o equilíbrio. Ele olhou para mim, surpreso, mas logo se deu conta do porque eu havia feito o que fiz, quando cumprimentei Chen em um tom levemente atrapalhado:

– Ooooiiii, Cheeeen! Você está aqui! Você veio! – eu disse me afastanto um pouco de Baekhyun e indo abraçar Chen.

– Oi, Joey. É, estou aqui. Baekhyun não iria calar a boca enquanto eu não viesse, então acabei desistindo de ficar no quarto. E, uau, você está gata! – Ele me olhou de cima abaixo com um sorriso de quem aprovava o que via.

Baekhyun estava bem ao lado dele, fazendo exatamente a mesma coisa, mas, quando percebeu a expressão no rosto de Chen, deu um soco no braço do amigo.

– Ei, se liga! Pare de olhar minha irmã desse jeito! – ele avisou a Chen.

– Desculpa, cara. Só estava admirando, mas de um jeito respeitoso. – Chen levantou as mãos, demonstrando inocência, mas então viu alguém atrás dos meus ombros e seu queixo caiu. Ouvi a voz de Taeyeon.

– E aí, gente! Todos vocês vieram! – ela nos cumprimentou, animada.

– É. Posso perder a minha carteirinha do clube dos nerds por causa disso, mas aí pensei: que se dane! Vou correr o risco de manchar a minha reputação e ir nessa festa! – Chen brincou com ela.

Ela ficou um pouco vermelha, mas não perdeu a compostura.

– Ah, você sempre poderá substituir a sua carteirinha de nerd pela de “baladeiro-incrível” que eu tenho aqui na minha bolsa! É só para membros muito exclusivos, mas você merece totalmente entrar no clube essa noite! Você está fantástico, Chen, meu rapaz! – ela devolveu.

Chen riu e olhou para ela com timidez. Era a maneira dele de dizer que a desculpava pela discussão que tiveram mais cedo.

Ele vestia jeans cinza-escuros com uma camisa preta de mangas compridas que envolvia seu corpo como uma luva. Alguns botões da camisa estavam abertos, revelando o pescoço e um pouco do peito. Ele estava mesmo muito gato. Taeyeon parecia concordar, pois os olhos dela ardiam enquanto ela observava ele.

E então meu olhar recaiu mais uma vez sobre Baekhyun. Se eu já achava que Chen estava bonito, percebi que precisaria de todo um novo vocabulário para encontrar adjetivos suficientes para descrever a beleza de Baekhyun! Ele vestia uma camisa branca toda abotoada sobre um jeans azul-claro que ajustava com perfeição todo seu corpo, no entanto meus olhos não conseguiam deixar seu rosto. Sua boca se curvou em um sorriso sedutor, cheio de charme.

Eu estava estarrecida em perceber que ele não tirava os olhos de mim. Por que alguém olharia para mim quando havia uma Kim Taeyeon ao meu lado no vestido colante vermelho mais maravilhoso e apertado da história? Será que ele tinha problema na vista ou algo do tipo?

Ele ia dar um passo em minha direção quando ouvimos então um grito de Kai, que chamava por Baekhyun de algum lugar no meio da multidão. Aparentemente, precisava da contribuição do amigo para alguma de suas histórias.

– Tenho que ir, senão ele não vai parar de berrar tão cedo. Volto logo! – Baekhyun deu um leve sorriso e, um pouco envergonhado, deslizou pela multidão que nos cercava.

Aproveitei a oportunidade para dizer que ia procurar por Chanyeol e pedi licença para Chen e Taeyeon, que pareciam precisar de um tempo a sós.

Continuei caminhando pela festa, ainda me sentindo bastante deslocada e sem graça, quando duas Barbies da equipe de líderes de torcida de Taeyeon bloquearam o meu caminho.

– E aí, Gray? Tudo certo? – uma das garotas me cumprimentou. Eu não fazia a menor ideia de qual era o nome dela.

– Oi... você. Estou bem – respondi, cheia de suspeitas.

– Você está tão diferente essa noite! Tae lhe deu uma ajudinha, não foi? – a outra zombou, condescendente.

– É, Tae é demais – respondi com toda a sinceridade. Não me importava em dizer que Tae havia me ajudado a me arrumar, até mesmo porque era bem óbvio. – Nós nos vestimos no quarto dela e ela me deu uma força com toda essa arrumação.

– Vocês estavam no quarto dela?! – as duas guincharam ao mesmo tempo, obviamente impressionadas.

– Como assim? Taeyeon convidou você pra entrar no quarto dela mesmo? Tipo, lá dentro? – elas continuaram. – Tae nunca deixa ninguém entrar lá! Nunquinha! E como é lá dentro?

– É, vocês sabem, espaçoso – respondi vagamente. Se Tae não permitia que ninguém entrasse no quarto dela, era porque queria ter privacidade e não seria eu que iria expô-la para quem quer que fosse.

Elas reviraram os olhos diante da minha relutância em dar mais informações, entendendo que não conseguiriam arrancar nada de mim.

– Então, Gray. Qual é a do gostoso do seu irmão? – uma delas mudou de assunto.

Imaginei que aquela deveria ter sido a verdadeira razão pela qual me pararam, para me perguntar sobre Baekhyun. Ugh!

– O que tem ele? – eu disse com lábios apertados de raiva.

– Qual é o tipo de Baekhyun? Loiras? Ou morenas? – elas perguntaram, ansiosas.

Eu definitivamente não queria ter aquela conversa. Na verdade, eu estava tentada a dizer a elas que Baekhyun era gay ou algo do gênero. Mas isso não seria certo. Eu não podia fazer isso com ele. Ou será que poderia? Não! Definitivamente não poderia. Elas me encaravam, na maior expectativa.

– Bom... não sei. Acho que ele não tem um tipo específico – murmurei.

Elas pularam, empolgadas.

– Ah, então nós duas temos uma chance com ele! Vou total ganhar essa aposta, Lara! – uma delas disse com um gritinho fino de alegria.

– Nã, nã, ni, na, não! Eu vou vencer! Ele vai ser meu, você vai ver só! – Lara rebateu.

– Aposta? Que aposta? – Franzi a testa.

Elas olharam para mim com sorrisos de desdém idênticos.

– Acho que não tem problema se a gente lhe contar... Mas precisa prometer que não vai contar nada para mais ninguém – pediu. Ela era a mais bonita das duas, com o cabelo loiro todo ondulado e grandes olhos azuis e redondos. Era tão bonita que me deu ódio.

– Claro – menti. Como se eu fosse manter uma promessa para o esquadrão do pompom!

Mentalmente bufei diante da ideia.

– Tem uma aposta rolando sobre quem vai ficar com Baekhyun essa noite – Lara evelou.

– A gente sabe que ele não está com ninguém no momento, então a temporada de caça a Baekhyun está aberta! – a amiga dela exclamou toda esganiçada.

– Ele é um sonho! E um verdadeiro cavalheiro. Trata as meninas como princesas – Lara confessou. – Ele abre a porta para a gente passar, puxa a cadeira na cantina, beija nossas mãos. Baekhyun não é como esses caras malas com que eu costumo a sair.

– E, além disso, ele é megagostoso! Você viu como o traseiro dele fica o máximo naquela calça jeans, Lara? E aquela boca macia? Fico imaginando que gosto ela deve ter...

– Certo, já chega! – Ergui as mãos, enojada. – Olha só, preciso ir. Boa sorte na tentativa de pegar o Príncipe Encantado – rosnei, extremamente irritada.

Pelo amor de Deus! Estava aberta a temporada de caça a Baekhyun?! Que nojo!

Espero que aquelas meninas tropeçem naqueles saltos altos e quebrem o pescoço! A festa foi água abaixo para mim depois daquilo. Para onde quer que eu olhasse, via Baekhyun cercado de garotas lindas e com o maior jeito de vagabundas que não paravam de tocar em seu braço, lutando por atenção e flertando na maior cara de pau como se todas estivessem desesperadas. Algumas pegavam bem pesado, batendo os cílios sedutoras, sussurrando em seu ouvido e se jogando indecentemente pra cima dele o tempo todo. Meu sangue fervia só de olhar! Por isso, me afastei o máximo que pude. Aquela estava se tornando a pior festa da história! Eu estava decidida a voltar para o meu quarto quando Taeyeon me puxou pelo braço e voltou a me apresentar aos amigos dela. Foi uma tortura, vou lhe contar! Juro por Deus que estava prestes a perder a cabeça a qualquer minuto.

E as pessoas ficavam me olhando de um jeito estranho, e eu não entendia o porquê!

Será que era a minha maquiagem? Eu estava assim tão diferente? Os garotos vinham falar comigo do jeito mais esquisito, não paravam de olhar ao redor e davam o fora mais que depressa. Qual era o problema? Na quinta vez que isso aconteceu, Taeyeon também percebeu e fez uma careta na minha direção, tentando entender o que estava acontecendo.

Não fazíamos a menor ideia.

Ela então me disse que ia tentar falar com as pessoas para descobrir o que estava rolando e que depois me contaria tudo. Na verdade, eu não dava mais a mínima para aquilo. Tudo que eu queria era voltar para o meu quarto! Estava prestes a tentar dar o fora novamente quando Chanyeol apareceu do nada e me puxou para longe da multidão.

– Vem, cá, Joey! Preciso lhe mostrar uma coisa! – Ele tinha um brilho travesso nos olhos cor de esmeralda. 


Notas Finais


iiihh... o que será que o Chanyeol quer mostrar pra Joey? 😳
queria informar pra todos vocês desfrutarem bastante do período em que Lost Boys estiver por aqui, tenho a intenção de apagá-la ao final do ano! :(( mas não quero deixar um clima pesado ao falar isso, apenas que vocês aproveitem com mais intensidade o que essa história tem a passar e a forma como vocês estão a acompanhando e precisamente, fazendo ela acontecer! 💗💕💞💖
sou grata todo dia por ter leitores como vocês.

e ah, rs... será que finalmente os refrescos chegarão no próximo capítulo? 😼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...