História Lost Canvas - A filha da Lua. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Albafica de Peixes, Atena (Sasha), Manigold de Câncer, Mu de Áries, Radamanthys de Wyvern, Saori Kido (Athena), Shion de Áries
Tags Afrodite, Albafica, Drama, Novela, Revelaçoes, Romance, Saint Seiya, Shion De Áries
Visualizações 45
Palavras 1.950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Semana linda para todos!
Hoje acordei inspirada pela Luna, os fãs pediram pra saber como foi o jantar de Luna e Dégel, então aqui está.
Espero que gostem deste capítulo e comentem pra deixar essa autora mais feliz e com mais vontade de escrever.
um beijo

Capítulo 7 - Reviravolta do Coração


1741 – Biblioteca de Aquário

-  Pronto Dégel todos os títulos em Russo estão empilhados, se você me ensinasse um pouquinho de Russo acho que eu poderia te ajudar mais, assim já poderia coloca-los na estante certa.

Luna levanta o rosto e recebe um selinho do aquariano.

- Linda... já está me ajudando muito. Vou ao meu quarto, tenho alguns almanaques que separei para guardar também, já volto!

Luna sorri em troca do carinho, Dégel se vira e se retira da biblioteca, enquanto isso, Luna olha fixamente para a porta se perdendo em seus devaneios

“ Por Atena, como fui parar aqui, o que eu estou fazendo? Eu estou gostando de dois ao mesmo tempo! ilumine meus pensamentos deusa da sabedoria.” Rezava segurando seu pingente de lua.

 

Flash back on................................................................

 

Dégel aguardava às 20hs na porta do 13º templo sua convidada para jantar em sua casa.

Luna abriu a porta e o aquariano arregalou os olhos admirado por sua beleza, ela estava com um vestido longo cor de petróleo e seus cabelos estavam num penteado alto com alguns fios caindo pela lateral, usava somente seu colar de lua e pequenos brincos na orelha, sua maquiagem era leve como usual.

- Senhorita Luna, você está linda esta noite!

Com a face ruborizada a garota apenas sorri retribuindo o elogio do aquariano.

- Bem, vamos à minha casa, pedi a minha cozinheira que preparasse nosso jantar e acredito que já esteja ficando pronto.

Já na casa de aquário, ela não sabia como se portar, sempre esteve ali como serva arrumadeira, percebeu que todos os candelabros estavam acesos e algumas velas nos móveis também, deixando o ambiente bem íntimista, Luna sente sua mão sendo segurada e olha para os olhos que estavam fixos nela, não conseguia parar de pensar em seu ariano, pois os olhos infelizmente eram da mesma cor, aquilo estava deixando-a aflita, não via a hora daquilo acabar.

- Venha o jantar já está na mesa...

- Ahm... claro, obrigada. Fala desconcertada ao toque do esverdeado.

Dégel andava na sua frente sem deixar de leva-la pela mão, ele estava muito bonito, com uma camisa branca bem passada e engomada, uma calça social azul marinho e seus longos cabelos estavam presos num meio rabo baixo com uma fita de cetim azul.

“-Nossa ele se arrumou desse jeito para mim? Ou será que ele é sempre engomadinho, que almofadinha!”

Dégel afasta a cadeira para Luna se sentar ao seu lado, ele senta, pega o prato dela e começa a servi-la, não era nenhuma comida requintada, para a felicidade da canceriana, pois era meio “nojentinha” pra comer, era um frango assado com batatas temperadas no alecrim e de guarnição uma salada simples.

- Gosta de vinho Luna?

- Gosto sim mestre.

Luna achou melhor colocar-se, pois não estava entendendo bem as intenções do misterioso aquariano, uma hora tratava ela mal, como submissa, agora esse jantar, não dava para entender.

 

- Oras Luna, acho que não deves me chamar de mestre mais, pode me chamar apenas de Dégel.

 

- Sim senhor..., mestre..., quer dizer Dégel.

 

- Assim é melhor, bom apetite! Falou sorrindo para ela.

 

Eles comeram em silêncio, só ouvindo o barulho dos talheres no prato, deixando-a um pouco constrangida, não sabia como conversar com ele, olha que deixa-la sem palavras era algo raro.

Dégel não deixava a taça de Luna esvaziar, ela adorava vinho mas não estava acostumada a beber tanto, no final do jantar Dégel já estava abrindo outra garrafa.

- Dégel por favor, não me sirva mais eu já estou bem “altinha”, daqui a pouco já não respondo por mim!

O Aquariano a olha com um olhar felino como se ela fosse uma presa a receber um bote.

“- Ai que [email protected], que eu tô falando?!? [email protected] Q [email protected]&, já tô falando palavrão, se Shion estivesse aqui já me daria um beliscão, aiiiii..... Shion, cadê você?

- Humm está bem, então eu me sirvo, mas se quiser mais é só pedir, venha quero te mostrar a biblioteca, já está bem mais arrumada, percebi que se interessou bastante por ela.

 Ele pega novamente na sua mão lhe dando um beijo mais molhado no dorso, Luna se arrepia inteirinha, sentindo um calor, que ela já não sabia se era por causa da bebida ou se era em resposta a investida do rapaz.

“-Que Atena me proteja.”

Eles entram na famosa biblioteca de Aquário, realmente ela estava quase toda arrumada, ainda haviam muitos livros não chão e na escrivaninha, mas pra ela aquilo era um sonho, a canceriana olhava cada estante maravilhada, andava passando a mão nas capas, tentando ler os títulos.

- Dégel, isso é maravilhoso!

Ela não conseguia conter o largo sorriso, para o aquariano.

- Você fica linda sorrindo assim, alguém já lhe disse isso?

"-Shion, Shion já me disse isso, várias vezes...."

Luna pára de andar, sentindo seu coração palpitar mais que o normal, sem saber porquê, fecha seus olhos ao sentir sua cintura sendo abraçada por trás, ela sente o hálito quente do aquariano em seu pescoço, os arrepios ficam mais intensos, sua respiração mais pesada e profunda.

Dègel gira Luna devagar e ela que já estava tonta devido ao vinho e as sensações, não protesta, apenas levanta o rosto para sentir aqueles novos lábios de encontro aos seus, seus cabelos foram soltos e agarrados por ele, ela não conteve um gemido, Dégel a fez se aproximar mais para que seus corpos se colassem, ela conseguia sentir ele todinho.

- Dégel eu... pare por favor.

Dégel estava com a respiração pesada devido a excitação, suas pupilas estavam dilatadas, pareciam que seus olhos eram negros e não mais ametistas.

- Eu te machuquei Luna, fiz alguma coisa errada?

- Não, é que... eu... eu não estou me sentindo bem, acho que foi o vinho, me desculpe.

Dégel passa a mãos nos cabelos castanhos e termina dando um carinho suave na face de Luna, ele se abaixa e dá mais um beijo muito carinhoso sendo correspondido.

- O que você gosta de ler Luna? Acho que tenho um pouquinho de tudo aqui pra você?

 

Flash back off.............................................................................................

 

Dégel volta com alguns almanaques e se senta ao lado da morena lhe entregando para que ela empilhasse ao seu lado. Ela estava muito entretida no que estava fazendo, ela se recosta nos pés da escrivaninha de pernas de índio, claro que sua saia longa não permitia que nada fosse visto, estava lendo sobre algumas mitologias antigas, Dégel não pára de encara-la, mas isso não a incomodou, ele às vezes era estranho mesmo, de repente, ela sente ele passar os dedos na sola de seus pés descalços provocando cócegas intensas, ali com certeza era seu ponto fraco e ele percebe, segura seu calcanhar com força e continua a brincadeira.

- Por Atena Dégel, eu MORRO de cócegas, HAHAHAHAH, pára! PÁÁÁÁRA!!!

- haHAHAHAH não paro não!

Luna esperneia e desaba no chão gargalhando e o aquáriano continua a tortuna, arrancando mais risadas de sua serva, por baixo da saia ele vai subindo para a panturrilha e depois para a coxa,ela segura o pulso dele, tentando sem êxito impedi-lo, ele era bem mais forte que ela, sua feminilidade pulsava se encharcando com a tentativa da investida do aquariano.

- Se me disser que não quer ... eu paro!

 Dégel falou rouco de tesão sem deixar de toca-la, Luna não deixou de segurar o pulso dele, mas nada fez, deixando ele continuar com a investida, ele com os dedos afastou sua calcinha começou a massagear sua intimidade, tirando palavras desconexas da canceriana, ela gemia baixinho, pois ninguém havia tocado nela ali, nem mesmo Shion, nunca ela tinha chegado tão longe, ela sente algo surgindo em seu ventre, como se fosse explodir.

Dégel se deliciava vendo a canceriana mordendo ao lábios,a corada,Luna não se aguenta e se despeja no dedos do aquariano, que tira suas mãos e lambe todo seu mel.

- Dégel.... eu nunca tinha,,,

O aquariano sorri com a conquista, arrancando-lhe um beijo lânguido cheio de tesão.

 

Torre de Jamiel – Tibet

“Que estranho, fazia tempo que não sentia o cosmo de Luna, eu posso jurar que a senti agora...”

Shion estava imerso em sua meditação que foi bruscamente interrompida por esse sentimento que lhe apertou o coração.

“- Luna será que você está bem, meu amor?”

Shion se levantou e olhou o horizonte, sua vontade era de se teletransportar ao Santuário, mas havia feito uma promessa a Hakurei e Sage, que só voltaria quando seu treinamento estivesse completo. Ele respira e pede aos deuses que protejam sua amada enquanto ele estivesse fora.

Depois de 3 meses...

 

- Mas que [email protected]# QUE p#@RIOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!

- [email protected]@@ como tu fala palavrão, nem parece uma donzela.

-  ahhhhhhh MANI!! Você voltooooooou!

Era tudo que Luna queria na vida, seu amigo irmão de volta, ela estava tão perdida no seu triângulo amoroso, Albáfica com certeza estava de volta também, sentia o cosmo do seu peixinho de longe!

- Mas porque está tão nervosa maninha?  Manigold falava enquanto dava um cascudo na cabeça dela.

- AH vai ser ferrar Mani Hahahahah!

Eu estou tentando mandar esse besouro para o mundo dos mortos e depois fazer ele voltar a vida, mas não dá, é impossível!

- Aham, tá bom.., já tomou remedinho hoje? ENLOUQUECEU É? Não se dá vida a nada, você tá passando dos limites bruxa!

- Você deveria tentar também caranguejo.

-AHHHHHHHH FOGARÉL , QUE [email protected] SUSTO!

-AHAHAHAH nunca me cansarei de fazer isso!

Se Luna não estivesse tão esgotada poderia jurar que tinha visto um sorriso no meio do fogo fátuo.

- Tá bom foguinho, aham, eu já me vou, que acabei de chegar e tô casado pra [email protected], até menos gente do mau!

Luna só apresenta o dedo do meio pro amigo.

- Vá em paz Caranguejo.

O fogo se aconchega na palma da mão de Luna.

- Luna como está o treinamento?

-Foguinho, eu estou me esforçando mas só consigo mandar os insetos pro além mas faze-los retornar, é impossível.

- hummm continue treinando, vai conseguir, só você pode fazer isso minha querida.

 

Ano 2000 – Santuário de Atena – Casa de Aquário.

 

Camus sentado junto a estátua de Ganímedes lê e relê o manuscrito antigo, com os dedos coçando a barba mal feita, ele estava imerso tentando entender o que aquilo queria dizer.

- Por Atena, isso é impossível, ninguém pode reviver sem a ajuda dos deuses, ou melhor, do próprio Zeus.... se isso for verdade é uma descoberta e tanto para a humanidade, mas quem teria tal poder, não posso pensar em nenhum cavaleiro com tamanho cosmo para isso...

- Já tá ficando gagá velho amigo, falando sozinho, ahahahaha

- Ahm? Milo... boa noite.

- Dá pra ver a fumaça saindo da sua cabeça, tá fedendo a casa de Aquário, mas me diga o que tanto te aflige picolé?

Camus enrola o papel e o coloca no bolso de traz de sua calça, mesmo que Milo fosse seu melhor amigo, não podia trair a confiança do mestre e de Atena, por mais que eles não tivessem dito que não poderia falar nada pra ninguém, para todo bom entendedor meia palavra basta,  e Milo sempre dava com a língua entre os dentes.

- Não é nada! Assunto meu e de Atena.

- Sei... bom, eu vim aqui, pois senti algo muito forte e maligno, os cometas caem em sentido as constelações de mau agouro, queria saber se você sentiu também?

- Senti,,, a alguns minutos atrás, devemos ficar alertas, sabemos que alguns espectros fugiram na Guerra Santa, temos que ficar de olho.

- Camus, você acha que, nossa nem gosto de pensar nisso, mas você acha que Hades pode voltar?

- Não sei te dizer Milo, só rezo que não.


Notas Finais


Nossaaaa que reviravolta pra nossa carangueja, como será que ela vai sair dessa hein?
Pobre carneirinho, está fazendo juz aos chifrinhos.... hehehehe (que má!)

Gente vou tentar escrever mais até sexta! prometo!
Quem tiver um tempinho, comente que eu fico super hiper feliz!

Um beijo e ótima semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...