1. Spirit Fanfics >
  2. Lost in Time >
  3. Novas Informações, Novos Caminhos

História Lost in Time - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Novas Informações, Novos Caminhos


                    ~ | Yuki | ~

- Ísis! Graças aos céus, você está bem! - disse Howard-san, envolvendo a criança em um forte abraço. - Eu nunca me perdoaria se algo tivesse acontecido com você.

Eu trouxe Howard-san até minha casa porque imaginei que a tia e a Satsuki estavam preocupadas com a minha demora já que nunca costumei atrasar tanto para voltar do monte Hasemi, e penso que não poderia deixar Howard-San sozinha neste perigoso lugar que ela sequer sabe o nome. O que eu não podia imaginar era que, nesse tempo que estive no monte com uma pessoa desconhecida, uma criança desconhecida apareceria na minha casa também!

- I-chan, essa era a pessoa de quem falava antes? A princesa? - perguntou Satsuki

- Isso!! Minha maninha!

Wow, fiquei um pouco surpresa pela forma carinhosa que a garotinha tratou Howard-San. Me lembro que ela parece ter mesmo citado uma irmã antes. Apesar de não termos exatamente clima pra isso, Satsuki nunca disse nada assim pra mim e pelo que vi, ela e a garotinha parecem ter ficado amigas muito rápido. Eu acho que estou com um pouco de ciúmes da garotinha com Satsuki, mas não tem problema, é só um instinto natural do ser humano ao reagir a alguma coisa que lhe pareça ser ameaça.

- Ahem... Desculpe me intrometer neste momento comovente, mas eu gostaria de compreender o que aconteceu quando estive fora.

- Ah, crianças! Eu disse que era pra esperar no quart... - vindo da sala, tia Harumi interrompeu sua própria fala quando notou minha presença na porta - Yuki! Que bom que voltou! Aconteceram algumas coisas e bem... - fez uma breve pausa - De qualquer forma entrem. Podemos conversar enquanto lanchamos.

Fomos até a cozinha e nos sentamos. Costumamos ter pelo menos duas cadeiras de sobra caso alguma quebre, já que estão meio velhas, então conseguimos ficar todas juntas na mesa. Eu achei essa coincidência incrível. Nunca temos visitas, então a mesa normalmente só fica com três cadeiras. Dessa vez temos cinco. Como lugares com muitas pessoas não me agradam muito, essa situação me deixa um pouco sufocada.

- Então, o que aconteceu? Não gosto de ser a única sem saber das coisas.

- Mas eu também não sei de nada. - disse Howard-san logo após minha pergunta.

- Aff, você entendeu! Eu quero entender o que sua irmã tá fazendo aqui na minha casa.

- Desculpe pelos problemas que ando causando. Por favor, assim como expliquei a suas parentes, permita-me eu mesma exclarecer tudo.

A garotinha falava de uma maneira formal quanto aos outros, mas era totalmente normal quanto àqueles que conhecia. Não parecia ser uma questão somente de senso comum, afinal você nunca trataria alguém que não conhece como melhor amigo, mas de caráter e boa conduta. Acho que esse é o esperado de alguém importante, como uma princesa, só não consigo entender porque Howard-san não compartilha do mesmo comportamento. Já que é a mais velha, supostamente ela quem deveria se portar de tal maneira, como requisito para assumir o trono.

- Assumo que minha irmã já deve ter explicado o que ocorreu conosco antes de chegarmos a este lugar.

- Sim. Ainda acho um absurdo, mas estou curiosa, por isso continue.

- Hmm... Em Lowell este tipo de comportamento te levaria a forca, mas como parece que estamos em um mundo diferente, acho que não há problema.

Espera, que? Eu tenho agido dessa forma desde o início e Howard-san nunca falou nada sobre eu poder morrer por causa disso! Eu imaginei que a forma como ajo em relação as coisas poderia ter algum tipo de punição, mas a morte nunca me passou pela cabeça. O fato dela não ter me dito isso com certeza não foi pra proteger sua mais nova "protetora". Quando me virei para Howard-san, ela desviou o olhar.

- Eh... Sério isso hein? Aqui todo mundo é igual... Ou quase... Pelo menos por terem caído neste Latifúndio, faz de vocês igual a mim: apenas uma plebeia. - disse.

- Sobre isso, de acordo com o que sua tia me disse, receio não ter caído neste Latifúndio primeiro. Antes de chegar aqui, estive em lugar cheio de símbolos estranhos.

Símbolos... Faz sentido. Ela não conhece nosso idioma, então não saberia ler também... Hã? Mas se pra falar o mesmo idioma que eu Howard-san teve que me... me b-beijar, então quem a irmã dela beijou pra conseguir se comunicar com a tia e a Satsuki? Eu realmente espero que não seja o que estou pensando.

Me levanto da mesa sem dizer nada enquanto elas me olham um pouco perplexas. Pouco depois volto com algumas coisas na mão, que entrego a irmã de Howard-san.

- O que quer que eu faça com isso? - perguntou Ísis.

- Como assim "o que"? Eu quero que você desenhe os símbolos que viu.

- Com isso?

- Aaaaaaaahh, não vai me dizer que nunca viu um lápis e uma folha de papel na vida, pirralha!

- Yunee-chan, paciência.

Paciência é o que mais tenho tido ultimamente, mas parece não ser o suficiente. É como se as coisas estivessem testando os limites dos meus neurônios... Eu preciso me acalmar ou vou acabar explodindo nelas mesmo sem terem culpa de nada. Ponho a mão no rosto, massageando a testa a fim de aliviar a tensão, depois olho para as "princesas" e explico como se usa um lápis.

- Você pega a folha, pega o lápis, coloca a ponta dele assim e faz aí os desenhos do símbolos que você viu.

- Era algo mais ou menos assim. - disse Ísis pegando o material e desenhando.

O símbolo que ela desenhou era na verdade o número um.

- Surpreendente... Então você talvez deve ter caído no primeiro Latifúndio. Que sorte hein madame? Por que não ficou lá direto ao invés de ter vindo para essas profundezas da pobreza?

- Sobre isso... - fez uma breve pausa - Mamãe e Papai estavam comigo quando acordei. Pessoas estranhas começaram a aparecer e querer nos levar a algum lugar. Tentamos fugir, mas eles conseguiram nos pegar. Papai deu um jeito e eu consegui sair, mas as pessoas foram embora levando eles... E eu não pude fazer nada, mesmo com o que aprendi sobre a magia para proteção.

Isso não tá mais tão curioso como antes. Estou começando a realmente ficar preocupada agora. É como se peças de quebra-cabeças diferentes formassem uma outra imagem. O primeiro Latifúndio esconde muitos mistérios, mais do que eu sei... Mais do que gostaria de saber. Se a história dessas duas for realmente verdade, o que parece começar a fazer mais sentido agora, muitos desses mistérios poderiam ser resolvidos... E creio que somente eu posso resolver.

Ainda que um pouco hesitante, perguntei a irmã de Howard-san se havia visto mais símbolos.

- Você encontrou mais algum simbolo?

Eu queria que a resposta não fosse a que estava em minha mente. Eu queria que não houvesse resposta, mas acho que isso foi pedir demais.

- Sim. - respondeu Ísis, voltando a desenhar novos símbolos. - Eu não tenho certeza, pois só os vi duas vezes, mas acho que eram assim: E... X... O....

- E...xo? - li a palavra, incrédula.

Era incrível pensar que apenas três letras pudessem me fazer estremecer tanto. Ver estas três letras juntas novamente me causava pavor, mas me deixava ainda mais ansiosa.

- Depois que fugi, correndo pra qualquer lugar a fim de tentar encontrar minha irmã ou algum lugar pra me abrigar, acabei encontrando essas pessoas que me ajudaram, que coincidentemente são as parentes da pessoa que encontrou minha irmã.

A partir daí, comecei a entender o que deveria fazer... Qual caminho deveria seguir.

- Entendo. Se é assim, por favor, deixe-me apresentar novamente a vocês: Meu nome é Katsue Yuki, e a partir de agora serei a Guardiã da família real de Lowell. Levá-los de volta para seu mundo se torna agora uma de minhas prioridades! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...