História Lost In Wonderland - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, Jeongguk, Jhope, Jimin, Jungkook, Kookie, Loucura, Romance, Suga, Taehyung, Wonderland
Visualizações 104
Palavras 4.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Mentira e Maldade


Fanfic / Fanfiction Lost In Wonderland - Capítulo 25 - Mentira e Maldade

                                                   [ 25 ]

©…Capítulo 10...©

[ Mentira e Maldade ]


        [ Π NARRADORA Π ]

  A garoa cinzenta esparramou-se toda de modo seguro pelo corredor espiritual; ligações interestelares ligavam o céu e a terra cansada do mundo anormal e lufadas de um ar frio e sorrateiro de estado terminal ameaçavam a corrida contra o tempo para o feiticeiro tristonho. O solo era coberto por uma manta de ossos e folhas secas, a iluminação era feita por lustres pequenos que se encontravam no auto do céu, os feichos de luz eram vermelhados como sangue e roxos como jabuticaba podre.

       ㅡ Onde estou? ㅡ disse ele confuso e perdido. ㅡ E, para onde vou com você Yin? ㅡ olhou meio desengonçado para o peixe que pouco respirava, o Yin viva por que JungKook repousava e respirava todo o oxigênio que obtia, no quarto de hospital.

  Ligados estavam, é um fato!

  Imagine que Yoongi estava preso na caixa preta do mágico de Oze, aprisionado em um vídeo dos anos 40 e que caminhava sobre restos humanos. Ele estava preso no corredor da morte do mundo espiritual, ainda que seja o lado feio desse belo espaço clássico e famoso na galáxia Anime. 

 Aos poucos que equilibrava o peixe na boca, e caminhava de quatro ㅡ pois era o Gato de Chersire ㅡ avistou um homem que estava de costas para ele, sentando sobre um caixão preto, e teclado as teclas do piano de calda branca. Yoongi ousou perguntar:

ㅡ Oi, tudo bem? ㅡ disse timido. Sorrindo viu a cavera girá o pescoço para ele, momentânea e os ossos estralaram por baixo da capa ㅡ Minha nossa! ㅡ esbugalhou os olhos ao conhecer o espírito da maldade. 

 O garoto homem conhecia a maldade. Seus cabelos cinzas e platinados que antes eram pretos e azulados ㅡ assim como Naomi o conhecera e em   "Quem é você -Part 4-", na passagem de capítulos opitou por pintar os fios negros, herança de seu pai o Gato Risonho ㅡ arrepiaram e tentavam fugir do couro cabelo, sentia o medo se torna seu dono voratil.

  O platinado sentia medo de novo, no mesmo dia!

 Eis que a dona morte teclava no piano sua melancolia, contudo, soava a melodia da cavera em formato de facadas pontiagudas para a audição de Chersire. O esqueleto vestido por uma roupa negra tentadoramente chamava-o para lhe fazer companhia e para que Yoongi podesse aproveitar daquelas teclas mescladas.

ㅡ Venha me fazer companhia Gato de Chersire ㅡ disse o esqueleto sem pele, aterrorizante!

ㅡ Sai! Deixa para outra hora. ㅡ disse o gato risonho, mas que tropeceu em ossos que jaz no solo traissoeiro.

 O piano estava estacionado ao lado esquerdo do corredor/estrada, a cavera estava sentada sobre um caixão preto, o objeto era o desenho que marcara o pescoço de Jeon Jung Kook.

 A dona cavera era a silhueta sem cor que abraçada esteve as sombras escuras da noite glacial. Aquela senhora abraçada ao piano branco, também, era a tristeza que marcava os entorpecedores medos do homem que corria com um peixe quase morto em posse. Ela foi capaz de fazer-lhe lembrar as sinfonias de horas tristes e avassaladoras lembranças de suas noites solitarias. Ele cedeu ao silêncio do piano, olhou para o ser e fez a seguinte pergunta:

ㅡ Onde fica o lar do espirito Yin?  Disse o Gato de Chersire regulando o horário do seu luxuoso relógio de correntes de ouro ㅡ relógio de bolso ㅡ, e logo em seguida iniciara o processo se transformando em humano ㅡ de carne e pele ㅡ outra vez. A cavera teclou uma canção sem significado revelado e esperando por ele para responder a pergunta, a transformação do gato sedutor chegara ao fim e ele já auto o bastante pode observar que estava no mundo espiritual nebuloso.

ㅡ No final desse corredor.

ㅡ E onde fica o fim?

ㅡ Quando você sentir o começo da vida, irá encontrar o fim ou o espírito do luar, o criador do peixe que carrega, meu amigo.

 Então ele correu com suas pernas, correu e deixou a cavera parada falando sozinha ou tocando sua melancolia eterna.

 Olhava uma ou duas vezes para o peixe que esbranquiçava-se, perdia o escuro intenso. A respiração irregular e a bocanha entreaberta.

ㅡ Você vai ficar bem, senhor! ㅡ exclamou com respeito.

 Vozes de mortos escutou, pedras eram atiradas em suas costas, porém, não havia ninguém naquele corredor. Ignorou por completo e continuou sua corrida para o nada.

ㅡ Você sentirá o começo da vida. Você sentirá o começo da vida. Aigoo, oque é a vida afinal?  

 As vezes a morte vinha para ele como um fantasma positivo. Talvez segui-la era sua melhor escolha, talvez ser amigo do fim era seu início.

 Repitia as palavras da cavera legal e tentando encontrar algum sinal de vida manifesto esquivou-se das pedras que lhe eram atacadas, de frente, de costas, do horizonte e do poente.

ㅡ Mas que porra, mano! ㅡ xingou.

 Mesmo, depois de longos minutos percorrendo em retas encontrou o começo de vida, o choro e risos de crianças saltitantes. No final daquele túnel viu o símbolo de uma lua minguante na porta de um palecete magestoso. Era um palecete feito de cristais escuros e portais de prata, janelas de alumínio e telhado de argila. Um lugar curioso e poderoso, nesse local os seres controlavam a noite. 

 Bateu a porta e foi recebido por um minotauro.

ㅡ Quem é você? ㅡ perguntou o ser com cabeça de cavalo e corpo de homem.

ㅡ Sou o Gato de Chersire. Estou com o Yin, senhor! 

 Curvou-se es estendeu os antebraços mostrando assim o peixe que pouco respirava.

ㅡ Entre e me siga. 

    Eles andaram por longos corredores e Yoongi conhecia o segredo da noite e da lua. 

 Quando encontrou-se com o todo escuro espirito do luar, um dragão de escamas azuladas escuras, o Chersire tentou se explicar de todas as formas e as palavras faliam no instante preciso. O dragão mesmo entendendo descontroulou-se e virou uma cobra venenosa cujo a raiva vinha em veneno e salivava nas pontas afiadas de suas presas. Foi difícil mas por fim o peixe Yin, quase difunto ajudou-o. 

Como? 

Ninguém soube!

 Por minutos conversara com o criador do espírito lunar, e o mesmo curioso por Min Yoongi ter tido a audácia de entregar seu filho quase morto em mãos perguntava-o por que não o matara, outra vez:

ㅡ Por que não matou de uma vez meu filho amado? Se não sabes, o sangue de Yin pode fazer surgir vida em corpos sem cor e mortos. ㅡ exclamou o dragão escuro, rodeando seu corpo ao redor do esguio esqueleto humano do Min, que tremia de medo.

ㅡ Nunca quis mata-lo. Sei as consequencias de meus atos, para Wonderland. Estava sobre ameaça, rei dragão!

ㅡ Então, me explica de novo para puder tomar uma opinião coerente.

 ㅡ Eu pedi ajuda aos espíritos e eles me deram o digno milagre de me transforma sem meu relógio de bolso naquele momento de ameaça. 

ㅡ Vejo que conseguiu sua forma humana. Continue…ㅡ falou o espirito/rei do luar com um interesse vital na voz.

ㅡ Quando dei por mim estava correndo numa estrada e tentei seguir o coselho da cavera...ㅡ Yoongi abaixara o olhar e murmurara ㅡ Ao menos tentei salvar seu filho amado das mãos do príncipe de Wonderland, Kim Hyung Tae! ㅡ, por fim se sentia em famila e em casa com o dragão ao seu rodio. ㅡ O senhor escutou minha presce?

ㅡ Não. Mas meu irmão sim. O pai de Yang (peixe brilhante), você foi corajoso meu rapaz.

ㅡ Fui? ㅡ Yoongi olhou no fundo dos olhos do pai de Yin, pondera um brilho alegre.

ㅡ Sim. Poderia ter matado meu filho, mas ousou em nos pedir ajuda antes. Oque eu posso fazer, digo, me pediu ajuda, certo? ㅡ ergeu uma sobrancelha o dragão.

    ㅡ Oh, sim. Hyung-Tae provavelmente capturou o Yang e segundo meus estudos, senhor, passará a ser só dia em Wonderland? 

 O dragão pensou por uns instantes, mandou que cuidassem de seu filho e ordenou aos homens que regulavam as horas da noite em Wonderland: ㅡ Deixem que a noite continue em Wonderland, e chamem o rei sol.Teremos uma solene reunião, meu rapaz. ㅡ afirmou o dragão sorrindo.

ㅡ Oque quer dizer? Me desculpe mas não entendo-o.

ㅡ Nós vamos ajudar você, na sua vingança. Afinal Kim Hyung Tae quis o sangue do meu sangue, que morra esse verme!

 O dragão já estava voltando para seu aposento quando Yoongi tentou lhe pedir proteção, não para ele mas para seus amigos e Camila.

ㅡ Oh, claro. Você salvou a vida do meu filho, nada mais justo que eu usar da mesma moeda ㅡ e aquela frase soara benefica e bonita para uma audição gasta ㅡ Salvarei seus amigos Gato de Chersire.

 Aquele dragão era um sábio velho e muito simpático para a sorte de Chersire naquele dia que nunca terminava na sua vida rotineira. É, Min Yoongi sorriu satisfeito com o rumo que suas atitudes estavam tomando.


      [ Π CAMILA SAXON Π ]

ㅡ Eu vou repetir de novo Srta. Saxon ㅡ falou o polícial no outro lado da linha telefônica. ㅡ Você não tem provas concretas sobre isso e além do mais seu namorado poderia estar lhe traindo com uma vadia e estar lhe enganando!

 Exclamou sádico.

 Fiquei boquiaberta e indignada. Suga? Me traindo? Era uma epifania louca! Deu uma vontade louca de ver esse homem e falar bem assim: Olha aqui seu policial, quem pensa que é para falar isso de Min Suga?

 Rodopiei toda a sala do refeitório nervosa e com a probabilidade do meu namorado estar correndo perigo eminente de vida.

ㅡ Mas senhor, Min Suga está correndo risco de vida. ㅡ falei de novo e tentando lembrar o nome dele, o verdadeiro.

 Um barulho puxado de ligeiro entrou na sala que cheirava cafeína, virei-me e vi meu amigo doutor falar comigo, antes pegara uma xícara bem cheia de café chocolate. Me olhou de esguia e vendo meu estado no auge da euforia disse:

ㅡ Oque ele falou, Camila? ㅡ expliquei a situação monotana, cabaliando nas palavras, porém, ele entendera ㅡ Me empreste o celular, Camila. ㅡ disse bebericando rapidamente um último gole do liquido escuro, colocara a xícara de cor palha sobre a mesinha onde minha bolsa jaz e estendeu sua mão de dedos magros e longos.

 Entreguei-lhe o aparelho celular e então pensava em como meu amigo doutor foi inigmatico ao se tornar meu parceiro de trabalho e amigo de horas difíceis e traissoeiras. Chen foi um dos poucos deste hospital que me olhava com bons olhos no início, pois sou espadilhiana e wondirlianos duvidam do meu caráter, e de tanto que eu lhe falei sobre o meu inicio de namoro com Suga, Chen um dia pediu para que eu mostrasse uma fotografia dele. Ficou rindo por minutos de mim e logo disse nostálgico: "Está namorando o Gato de Chersire? Não acredito!"

 Fiquei calada ao prestar atenção no diálogo curto e reto dele com o policial. O moreno deixou o celular no viva-voz para que eu também podesse escutar das palavras duvidosas do policial. Roía eu os dedos de mãos gordinhas e com covinhas profundas, roía minhas unhas de nervosismo, andava em círculos.

ㅡ Eu preciso lhe pagar quanto para ajudar minha amiga, senhor autoridade? ㅡ disse Chen sério.

 A voz irritante do policial chiou rasteira.

ㅡ Não quero próprina. Havia explicado para a moça que ainda não se passaram 24 horas de sumiço do namorado dela. Ao menos o procuraram pela cidade?

 Chen me olhou, apenas lhe disse que na loja e no apartamento Min Suga não estava. 

         Ainda tinha esperança de encontra-lo. Fui tremendo toda por não escutar o mal-humor dele, nem na loja localizada no centro onde trabalha, ou no apartamento. Pensei em ir no bar, entretanto, na saída do prédio CenterSky avistei o dono do local da bebedeira e ele disse curioso:

 "Não, Yoongi não esteve lá, hoje! Faz uns bons dias que não aparece no meu bar. Ele está bem?"

 Chorei com aquela resposta. Oras, aquele conjunto de letras era a prova concreta de que amado estava cumprindo a promessa que me fizera: "Prometa que irá parar de beber e irá fazer tratamento para insônia." falei jogando com o bom senso dele e consegui uma promessa duradoura, então disse calmo e fraterno "Eu prometo! Acredite em mim Camila. Eu prometo!"

 Oh, como aquela noite foi boa e luxuosa ao mesmo tempo. Acreditava e amava aquele homem com todo meu corpo e alma, orgulhosa dele proporcionava-lhe prazer.

 ㅡ Procuramos e não encontramos ele. O senhor sabe quem é ele? ㅡ Chen brincava com a sorte e a fama que Suga consiguira em Wonderland.

ㅡ Não.

ㅡ Irá deixar que o fantasma do Gato Risonho te assombre meu senhor? Afinal o homem que sumirá é o filho dele, o Gato de Chersire.

ㅡ COMO? ㅡ gritou o policial e Chen afirmou a pergunta dele ㅡ Minha nossa, me desculpe. Irei covocar policiais agora para fazer uma patrulha. Me desculpem..me desculpem!

ㅡ Esperamos uma noticia! ㅡ falei e a chamada foi desligada e me lembrei de horas mais cedo, aquela hora de sufoco e agonia. 

 Chen me olhou duvidoso e pensativo, íriá falar algo profundo, admas, respirou fundo e falara:

ㅡ Agora só tenha paciência com a policia, minha amiga. Vamos trabalhar, hum? ㅡ mostrou um sorriso de lado leve.

 Não poderia negligenciar a ordem de um superior. Concordei e falante continuei trabalhando, esperando uma resposta simpatizante e acolhedora. 


 [Π "JUNG HOSEOK" (Kim TaeHyung) Π]

     Ainda me lembro das palavras do Kim ao sairmos do hospital às 19:38pm soarem do outro lado da rua de maneira insistente "Querem que eu os levem para minha casa? Precisam se alimentar, não confio na comida da padaria!"; negamos sua ajuda, ou melhor dizendo, a ajuda dos pneus de seu sandero e decidimos que iriamos andando com nossos proprios passos para sua residência não tão distante. Nunca havia conhecido o amigo de JungKook, Kim SeokJin agora vejo o homem bom que ele é conosco pelo simples fato de dividir seu alimento e casa. E, nessa minha mentira estou enganando não só Naomi, mas os próprios SeokJin e JungKook. Brenda, sua namorada falara que tinha roupas da irmã mais nova para emprestar à Naomi enquanto JungKook não enbolsa dinheiro para ela, ㅡ afinal de alguma forma Wonderland é responsável pelo bem estar da garota de cabelos normais. Ele a trouxe pra cá! ㅡ, e a mesma agora está ao orelhão conversando com a mais velha:

ㅡ Então é só acharmos o cinema que fica na esquina e chegamos ai? ㅡdisse Naomi colocando uma madeicha de cabelo castanhado por detrás da orelha, vejo um brinco balançar. ㅡE como é a sua casa? …Hum..à direita?…Ok! Tchau.

 Ela então desligou e colocara o telefone fixo no gancho do orelhão. Pediu-me mais moedas, lhe entreguei a quantidade adequada e Naomi tenta agora conversar com sua mãe. Ela ainda está aqui por mim, porque acha que sou seu irmão!

 Caramba, como irei chegar nela e falar: Oi, eu sou o Capopeiro Crazy e estou usurpando o corpo do seu irmão mais novo. Agora que sabe se quiser ir embora, pode.

  Como?

               Está ficando escuro. Vejo os carros correrem na rua, pessoas e animais andando lado a lado com suas vidas normais, sorrindo ou brigando, discutindo e logo em seguida se beijando. Uma geração nova e ingênua pularem em pula-pulas e cantarolarem músicas infantis. O comercio fechar as portas de ferro e o barulho adentrar no sorriso das ruas; e também, os postes acenderem suas lâmpadas. É noite de céu vermelhado!

  Obervo uma garota de cabelos negrescos e vermelhos, a luz do poste brilha em seu sorriso. Está vestida como Dyana, e então me alembro da falecida! 

 Memórias da minha adolescência retornam como flashes, choro observando a garota. 

 Quando eu tinha quinze anos tinha tudo e não tinha nada. Era rico e pobre de amor.

 O mundo era muito grande e eu era muito pequeno para as responsabilidades que teria de assumir, subir ao trono no lugar de Kim Aurélio era o sonho de outros seres, não o meu sonho. Agora eu não posso imaginar quem está no comando da província de 7Copas. Um louco ou um ganancioso? 

 Estou sem cheiro e carater, odioso de mim mesmo e vazio de tudo. Eu amo minha irmã, eu tinha uma irmã que me traiu me expulsando por ser diferente e em seguida me clonou, criou Hyung-Tae dando para ele um título, o meu título de príncipe!

 Avisto um banco de praça próximo, caminho e assento nele, ainda olhando para a garota que se parece com Dyana. Ela sorri e abraça um urso rosa choque, mastiga algodão doce e me olha com seus olhos profundos e doces. Meu choro se afunda nas minhas palmas e linhas, aquele passado era um erro! Por causa do meu amor infantil perdi minha maneira de sonhar. Afiei minha faca vevenosa de ambição e um dia de loucura matei meu pai. Mas, para as ganâncias insustentáveis a faca ganhou ainda mais corte.

 "Morra seu desgraçado. Você nunca me amou!" foi o que falei antes de vê-lo morrer com sua armagura. Eu sei de tudo que você possa imaginar, eu conheci a maldade de mim mesmo e acho que disso criaram Hyung-Tae. Um irmão postiço que ganhei.  

 Amava minha mãe, meu pai, minha irmã, amava meu castelo e amigos. Mas esse amor ganhou outro nome para o mal. Lá no fundo do meu coração, mesmo que eu grite algo ainda continua sofocado. Trai minha consciência e ninguém nunca soube quem matou meu pai. 

 Enquanto os dias passa estou sentindo a realidade da mentira e maldade se acumular nas minhas costas, e pesado isso! Derramei sangue vermelho e o céu de Wonderland ganhara essa coloração durante as noites.

 Respirar e faltar ar toda manhã. Estive essa semana vivendo algo novo, não sendo eu e fechando os olhos para uma realidade distorcida a cada noite de março. 

 Chorando orgulhoso da tragédia que cometi naquele castelo e tentando me salvar do julgamento do pecado que terrivelmente irei enfrentar no mundo espiritual, no famoso corredor da morte. Ainda sim, quero destruir mim mesmo ao ajudar as pessoas e viver humildemente.

 Quando acordei naquela última manhã no castelo havia armadilhas me esperando e que estáva por todas as partes. Os olhos intocáveis e frios eram de Dyana e quando dei por mim estava fugindo do castelo 7Copas, era preso por dar aos animais a magnífica transmutação de celulas. Quebrei as regras da Rainha de Copas. 

 Quando ela assumiu o trono? Advinhe. Mamãe deu para ela esse direito, antes disso eu mesmo havia abdicado o poder do trono e riquezas que eram minhas por herança de papai que matei, e naquele dia colori meu cabelo de laranja e saia, fugia, corria do meu antigo eu e da minha sentença.

  Para todos os novos habitantes de Wonderland eu sou perfeito, louco e bondoso, admas, ninguém nunca soube dos meus podres. 

 Eu nasci da mentira, cresci na mentira e me apeguei em uma mentira bonita. Eu cai na mentira. Pego em uma mentira. Mentira. Lie. Mentira. Lie. Eu sou uma mentira. I'm mistake. Eu sou um erro. Eu sou uma serpente. Fique longe de mim. Eu sou louco. I'm crazy. Eu sou laranja. Eu sou tudo menos eu.

ㅡ Moço não chora! ㅡ sentia as pontas macias de dedinhos de 8 anos de idade acariciar minhas mãos malvadas, falou a garotinha com sua inocência ㅡ Moço não chora se não eu choro também. ㅡ disse a pequena.

 Retirei minhas mãos de dedos sanguinários e lembrando do meu passado abracei aquela criatura pura, sua boca cheirava algodão doce e seu perfume era de tulipas. Ela não se conteve e chorou seu choro comigo, e a vida nunca me acolheu como aquela menina que eu queria quê fosse minha filha me acolhia.

ㅡ Pequena, eu choro por milagres nessa realidade ㅡ murmurei para que ela escutasse e logo após ela disse serena, como se não entendesse meu pedido lutador nessa droga de vida.

ㅡ Moço você tem um cabelo vermelho bonito e você é bonito. Por que tá chorando desse jeito? Eu fiquei muito triste. ㅡ seus olhos brilhavam para mim como o cristal.

ㅡ Apenas cometi muitos erros…ㅡ iriá continuar meu desabafo mas vi Naomi a minha frente me encarando, também chorando, ela sim era a irmã que eu queria ter tido e amado. Então, lembro que sou o Hoseok para todos e volto encenando meu teatro. ㅡ Meu anjo, onde está sua mamãe?

ㅡ Está alí. ㅡ ela aponta para uma mulher loura de vestido rendado, na lanchonete ㅡ Acho que vou embora. ㅡ ela me abraçou novamente, sentia um amparo limpo. E, logo após, saiu correndo para sua mãe que comprava um hambúrguer na lanchonete, do outro lado da pracinha. A mãe nem dera conta de que a filha haviado sumido naquele minuto.

[…]

ㅡAh, Hoseok por que está chorando até agora? ㅡ disse Naomi cruzando os braços, estávamos quase chegando perto do cinema.

  Ela me parou no meio da rua solitária e o vento carregava seus cabelos normais para todos os lados de um centro. O silêncio dos prédios praguejava em nossos ouvidos.

ㅡ Naomi, não estou chorando. Foi um cisco! ㅡ seco as lágrimas com a manga da minha jaqueta jeans.

 Ela aproximou-se o bastante para ver minhas orbes e sobrancelhas, virei repentinamente o rosto e ela ordenou para que eu visse sua face. 

ㅡ Eu sou mais velha que você. Ande deixe eu ver seus olhos, maninho!

 Ela era uma simpatica bondade viva e eu era o rosto de uma antiga maldade. Seus traços tão verdadeiros ofuscavam minha mentira. Vendo meu estado me abraça, e derramo minha sujeira em seu ombro durante uma caminhada na noite vermelhada.

ㅡ Te amo meu irmão! ㅡ apertou minhas costas e sentia seu amor sobre o corpo que pensa ser uma realidade, e não um feitiço perfeito. ㅡ Te amo. Se for chorar assim e não quiser me contar o que é, o deixarei em paz. ㅡ afirmou com uma voz tremula.

 Me desfiz do amparo e ela também chorava, assim como a menina que comia vidro e a garotinha que parece com Dyana. Nesse dia chorei três vezes, e nessas três vezes abracei alguém. Incrível! Sentia que era a prova plena de que nunca chorarei sozinho.

ㅡ Eu não aguento mais isso Naomi! ㅡ ela esperara eu continuar com meu relato de vida ㅡ Naomi eu tenho algo para lhe dizer…

ㅡ Oh, Hoseok, pode dizer maninho. 

ㅡ Eu não…ㅡ então avisto alguém prestes à atirar nela ㅡ Naomi afaste! ㅡ me coloquei na frente dela e via um homem encapuzado por um moletom preto apontar uma arma para o rumo dela, estava sob a luz do poste e seu pudor queria ameaçar a vida da minha amiga.

ㅡ Hoseok está brincando. ㅡ afirmou e neguei, ela agora estando protegida por meu corpo diz ㅡ Vamos fugir meu irmão, vamos fugir.

 E assim fizemos, corremos o ritmo que vinhamos, voltavamos pelo caminho que íamos. Ela corria e tropeçava as vezes, mas que, meu instinto dizia algo para mim.

ㅡ Naomi corre. Corre Naomi-shi. 

   Ele atirava ferozmente, desviavamos e por um milagre encontramos um beco, seguimos por ele e adentramos pelos fundos do cinema. Os tiros não mais ecoavam pela rua e eu tinha a certeza que estavamos a salvo no cinema abandonado. Escondemos entre os cabos e vassouras, resolvemos adentrar ainda mais o local, atravessamos portas no silêncio e viamos a sala do diretor do lugar que cheira mofo.

 Estavamos ofegantes, ela chorava e eu não mais. Parei para adimiira-la por uns instantes.

ㅡ Aqui é um bom lugar para chorar ㅡ disse sorridente, contudo, eu via gotículas de água escorrer do fundo dos seus olhos pequeninos e nchados.

ㅡ Não chore, eu acho que ele se foi. Fique tranquila. ㅡ abracei ela e fechando os olhos sentia o perfume embriagante que usa. E, nesse susto que levamos sabia o porquê JungKook gostava daquela garota. 

 Sortudo!

 Seu coração não estava diferente do meu, acelerado nos calamos no silêncio do cinema. Escutamos passos e a porta se abrir de ligeiro, trememos com aquele barulho.

ㅡ Hoseok é agora? ㅡ sussurrou próximo ao meu ouvido, não desgrudei dela por um instante. 

 Estava sobre minha responsabilidade e iriá protege-la a todo custo da minha vida podre!

ㅡ Shii! ㅡ pós o dedo indicador próximo aos seus lábios, nos calamos e os passos se aproximavam. Curiosa ela levantou o olhar sobre meu rosto e respondeu fundo, aliviada.

ㅡ É uma criança!

ㅡ Uma criança? ㅡ falei e virei meu rosto para pode ver. Aquele dia nunca me surpreendeu tanto.


Notas Finais


Músicas associadas ao capítulo e frases que apareceram:
Boy Meets Evil, de Jhope, Album Wings: https://youtu.be/iJJSh-eEdRk

Stigma, de V, Album Wings: https://youtu.be/PQ817EYZEO4

----------------------------------
Esse capítulo foi um bônus, do Overdose Espiritual, pois aqui acaba o dia de domingo. Vai ter JungKook no próximo capítulo, me aguardem porque o negócio promete, viu! (͡° ͜ʖ ͡°)x🌚
Autos babados do Jhope que na verdade é o TaeHyung...

----------------------------------


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...