História Lost memories - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Visualizações 4
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção Adolescente, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Uma senha, uma declaração.


Fanfic / Fanfiction Lost memories - Capítulo 10 - Uma senha, uma declaração.

— O que? Não! — eu respondi veementemente, e tomei meu celular de volta.

— Hunff... Sei. — ele jogou meu celular na cama, e se virou para sair dalí.

Eu passei na sua frente e fechei a porta, antes que o moreno saísse — Sério! O Cast é um amigo, quase irmão, como você! — eu falei, e seus olhos azuis se arregalaram.

— Sou como um irmão para você? — ele me questionou, com uma seriedade no olhar.

— Bem, é! — respondi a ele com um sorriso acolhedor.

— Mas, nos conhecemos à 2 dias apenas... — ele arqueou uma sobrancelha.

— Mas eu sinto que posso confiar em você, Armin! — eu o abracei, calorosamente, ele não retribuio o abraço, mas também não me afastou, até que o abraço se desfez. — Você não me vê como uma... Irmã? — o questionei, me afastando do mesmo.

— Er... Não tenho certeza, eu ainda te conheço muito pouco... — ele se vira ramidamente e vai até a porta e coloca a mão na massaneta.

Eu pego o casaco que o mesmo tinha me emprestado — E mais uma coisa. — ele se vira para mim — Obrigada pelo casaco, eu não admiti na hora, mas eu estava com frio sim... Só não queria incomodar. — estiquei a mão com o casaco em sua direção.

Ele tirou sua mão da massaneta e veio até mim, pegando o casaco junto com a minha mão, me puxando para perto dele, em um abraço — De nada, platinada!

O empurrei — O que você está fazendo?! Acobou de dizer que não me conhece direito! Honre a palavra, idiota. — cruzei meus braços, vermelha pela sua atitude.

— Calma, baixinha... Eu só achei que merecia mais um abraço por ter sido legal... — ele piscou pra mim, com seus olhos azul oceano.

— Achou errado! Agora quem não te quer aqui sou eu, tchau! — abri a porta e o empurrei para fora, fechando a mesma novamente.

Fui até a minha cama e me joguei, cansada na mesma.

Suspirei — Como ele consegue ser tão bipolar? — suspirei novamente com as mãos no rosto.

Espera! Meu celular! Eu estava com ele nas minhas mãos... Aquele... Idiota pegou! Como eu não desconfiei? Ele provavelmente quer se vingar, e eu burra acreditei, ou melhor, pensei que era uma brincadeira, ou algo do tipo.

Bem na hora que me levantei, ouvi batidas suaves na porta. Fui até a mesma para abri-la.

O trouxa do Armin deve ter se arrependido, NOVIDADE!

Abri a porta, e me surpreendi.

— Alexy?! — falei surpresa.

— Oi! Porque se surpreendeu tanto? Estava esperando outra pessoa? — ele fez uma expressão maliciosa.

— Quem eu estaria esperando aqui dentro de casa, esperto? — sorri ironicamente.

— O Armin? Ele é tarado, poderia muito bem vir aqui te dar umas boas cantadas ou tentar alguma coisa... Afinal ele vive vendo Hentai, e ainda por cima bate-

— Informação de mais, Alexy! Além do mais, o que você quer? — o interrompi, meio constrangida, pois sabia o que o azulado ia falar.

— Pedir um conselho... Você é a única mulher em quem eu posso confiar... — ele ficou meio envergonhado.

— O quê? Como assim? E o Armin? Não pode confiar no seu próprio irmão? — o questionei um pouco surpresa.

— É diferente, gata! Se o Armin ouvisse o que eu tenho para falar, ele ia rir de mim... — ele abaixou a cabeça.

— Estou começando a ficar com medo do que você que confessar, parceiro. Entra! — ele passou para dentro do meu quarto e eu fechei a porta.

Armin on.

Eu continuava a encarar o celular da Lylia, sentado na minha cadeira, que agora em vez de estar virada para o computador, estava virada para a cama. Apesar de querer fazer a minha mini vingança, molhando a bateria do celular dela, eu estou curioso para saber... Quem é Castiel? Um Ex-namorado que ela mantém contato? Um amigo? Enfim, só vou saber se eu olhar.

O celular vibra, dando a entender que chegou uma nova mensagem. Eu pego o mesmo nas minhas mãos em questão de segundos. Droga! Essa merda tem senha! Espera, o que eu estou reclamando? Ela é previsível, com certeza é o nome do irmão dela. Cheque mate!

"Lysandre"

Escrevi o nome do irmão da Lyli, e a tela ficou vermelha, errado, mas meu raciocínio está indo por um bom caminho. "Castiel" penso. Fico meio irritado por alguns instantes. Não sei porque pensei no nome desse cara, mas não custa nada tentar.

"Castiel"

Escrevi o nome do suposto amigo misterioso da minha "irmã". A tela ficou vermelha. Dei um suspiro de alívio. Pera, quê? Me lembrei que tinha errado a senha e fiquei irritado de novo.

Me levantei da cadeira e me joguei na cama, irritado. Me lembrei de como a lua estava linda ontem... Espera, LUA! A senha da Lylia é lua! Ela sempre gostou da lua, ela me falou ontem.

"Lua"

Digitei, dessa vez a tela ficou verde, e o celular desbloqueou. Levantei da cama e pulei de alegria. Vi que tinha uma mensagem não lida, era do famoso Castiel. Cliquei para abri-la. Comecei a lê-la silenciosamente.

"Lylia, me responde. Olha, eu fiquei muito triste quando você saiu sem se despedir de mim... Você é... Muito importante pra mim, a gente se conhece á um bom tempo, e eu queria saber se, você quer... Namorar comigo? Desculpa fazer o pedido dessa maneira, mas... A sua nova cidade é meio longe daqui... E eu queria ver a resposta!"

Ok, ele não é o namorado dela, mas quer ser! Eu não sei se devo, mas eu vou continuar a minha vingança, mas enfim, antes eu vou tirar uma foto dessa mensagem para mostra para a Lylia, não quero ser um babaca que vai empacar o namoro dela com esse tal de Castiel.

— ARMIN, VEM CÁ! — o Alexy gritou lá em baixo, enquanto eu tirava a foto.

Depois de tirar a foto com meu antigo celular que eu ainda guardava, removi a bateria do celular, e peguei uma garrafa d'água que tinha no meu quarto, molhando totalmente a mesma, logo em seguida a jogando da janela do meu quarto. Tirei o chip, e guardei a carcaça do celular.

— ARMIN! PELO AMOR DE DEUS, CARA! VE CÁ! — agora era Lylia quem gritava.

— JÁ ESTOU INDO, CARALHO! — gritei irritado saindo do meu quarto.

Desci rapidamente as escadas, fui para a cozinha e dei de cara com o Alexy e a Lylia cozinhando. Alexy mechendo em uma panela, e Lylia, cortando uns legumes.

— Estão fazendo uma poção, bruxas? — perguntei rindo.

— "HA HA HA" você é muito engraçado. Vai trabalhar em um standapio, gênio! — Lylia respondeu com seu famoso sorriso irônico.

— Semana que vem já estou indo, falei pingando para ela, que apenas revirou os olhos — Mas porque as bruxas estão cozinhando, mesmo? — os questionei.

— A mamãe foi visitar a mãe do Kentin, a Manon, que está meio doente. — Alexy respondeu.

— Sim, mas ao meio dia? — falei confuso.

— Se resolve com ela, quando a mãe voltar. E o-

— Eu já sei. — interrompi Alexy, revirando os olhos.

— ... — Lylia me lançou um olhar confuso, é verdade que eu contei pra ela...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...