História Lost Stars - Jikook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taeil, V
Tags Bts, Chanbaek, Jikook, Jimin, Jimin Bottom, Jimin Passivo, Jimin Uke, Jungkook, Jungkook Ativo, Jungkook Top, Namjin, Vhope
Visualizações 118
Palavras 1.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hiiii💙💙
O primeiro capítulo foi mais um resumo, uma base pra começar a história, mas a partir daqui os capítulos vão ser mais longos, então não se preocupem ;3
Bom, eu imagino que devem estar ansiosos pela continuação, então bora pra história! 💙💙💙

Capítulo 2 - 2 - Me And My "Dear" Father


Fanfic / Fanfiction Lost Stars - Jikook - Capítulo 2 - 2 - Me And My "Dear" Father

~ 2 - Me And My "Dear" Father - "Eu E Meu 'Querido' Pai" ~


Acabei de descobrir que o garoto do outro dia se chama Jeon Jungkook, tem dezesseis anos e é um aluno transferido de Busan, assim como eu fui no ensino fundamental. Ele estava se enturmando rápido, andava com alguns meninos do primeiro e do terceiro ano, principalmente o Yugyeom, que era colega de turma dele. Como eu descobri? Bom, não sei se ficaria estranho demais dizer que eu ando seguindo ele pela escola, então pode-se dizer que, por nossas salas ficarem do mesmo corredor, eu inintencionalmente observo ele de longe, só que sem tanta distância entre nós dois. Um pouco confuso? Talvez. Eu até cheguei a me perguntar por que eu estou fazendo isso, e a hipótese que mais fez sentido foi a da minha vida já estar uma bosta e stalkear aquele garoto me ajudar a esquecer meus problemas de certa forma. Ele parecia tão brincalhão, tão alegre... Ele parecia feliz. O que eu tinha deixado de ser no momento em que descobri que minha mãe tinha adormecido pra não acordar mais. Resumindo, eu estava perseguindo um garoto dois anos mais novo que eu pra esquecer as minhas mágoas.

[...]

03 de Agosto de 2016 - 12:54

Cheguei em casa depois da escola, então fui pra cozinha e preparei o meu almoço. Fiz o do meu pai, torcendo que a dose de socos fosse menor se eu fosse gentil com ele. Porém, ele provavelmente estaria estressado por causa do trabalho, como sempre era, então não adiantaria de nada, nem que eu me tornasse o melhor filho hétero do mundo. "Trabalho" era o termo que eu usava pra justificar o estresse dele, mas na verdade, eu sabia que era porque a vida dele estava tão fodida quanto a minha.

[...]

03 de Agosto de 2016 - 13:01

Ouvi o barulho da porta sendo batida com força, na hora já tendo certeza de quem era. Como estava no meu quarto, desci as escadas correndo para recebê-lo, o que sempre me dava um desconto no número de vezes que ele me bateria no dia.

- Abeoji... - disse fazendo uma breve reverência - Como foi seu trabalho hoje? Q-Quer dizer... Como foi seu trabalho hoje, Sr. Park? - disse, corrigindo apressadamente, engolindo em seco.

- Nada que seja da sua conta. - ele respondeu curto e grosso - Aigoo... Tão incompetente... Não se esqueça que eu estou te mantendo nessa casa mesmo com você sendo essa vergonha pra família! Fez o almoço?

- S-Sim, abeoji... - disse, abaixando a cabeça.

- O que está esperando?! Trate de se mexer! - ele me deu um soco no rosto, então eu fiz uma breve reverência, me desculpando baixinho e logo indo até a cozinha, trazendo a comida até a sala e puxando uma cadeira pra ele.

Ele lavou as mãos no banheiro, foi pra sala de jantar, se sentou à mesa e provou a comida.

- Está fria. Esquente no microondas.

- Por que eu preciso fazer tudo? - choraminguei baixinho, cansado.

- O QUE VOCÊ DISSE? - falou se levantando, já pronto pra me bater.

- N-Nada, abeoji... Vou esquentar imediatamente pro senhor... - abaixei a cabeça, recolhi o prato e levei até a cozinha, o colocando no microondas. Depois de esquentar, levei de volta pra mesa.

- Traga algo pra beber.

- S-Sim, abeoji... - fui até a cozinha, peguei um copo e uma garrafa de refrigerante, servi o copo e levei até a sala, colocando na mesa.

- Refrigerante?! Quer que eu tenha diabetes?!

- Mas abeoji, você sempre tomou refrigerante... - ele pegou o copo e jogou no chão, o quebrando em pedacinhos na minha frente, espalhando o refrigerante pelo piso de madeira.

- Junte isso e me traga água se não quiser que eu quebre um copo na sua cabeça!

- D-Desculpe, abeoji... - me abaixei pra juntar os cacos, mas meu pai me deu um chute muito forte nas costas, me fazendo cair de joelhos por cima dos cacos, formando vários cortes na minha perna.

- É nisso que dá ser uma bicha vadia na família Park! - algumas lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, mas eu apenas as ignorei e voltei a juntar os cacos, os levando até a cozinha e os jogando na lixeira. Peguei um pano, limpei o refrigerante no chão, depois lavei as mãos e levei um copo de água pro meu "pai". Fiquei ali na sala, de pé na frente da mesa, esperando ele acabar, rezando pra ele me deixar em paz depois disso.

Ele bebeu o copo de água, terminou de comer e se levantou, me mandando lavar a louça a guardar tudo, então foi para o quarto. Logo que eu ouvi o som da porta se fechando, lágrimas e mais lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. O que eu tinha feito de tão errado pra minha vida estar daquele jeito? Por que eu não podia ser feliz? Sempre acreditei que pessoas boas e honestas seriam recompensadas ao longo da vida, então o que tinha de errado comigo pra sofrer tanto? Eu só... Queria me sentir amado por alguém... Como eu me sentia quando a minha mãe estava aqui... Mas não um amor qualquer... É claro, meus amigos me amavam, mas não era isso que eu estava procurando... Eu queria alguém pra amar acima de tudo, alguém pra me amar como nunca amou ninguém... Uma pessoa pra chorar no ombro, pra me proteger e pra me fazer sorrir só por estar ali do meu lado. Seria pedir demais? Talvez. Mas eu faria qualquer coisa pra encontrar essa pessoa. 

Peguei as coisas da mesa, levei até a cozinha, lavei a louça e guardei tudo, assim como ele tinha mandado. Depois, fui pro meu quarto e me tranquei lá. Pensei em ir até o banheiro - já que era uma suíte - e pegar a Gillette, mas eu já tinha machucado demais no dia de hoje, então apenas me joguei na minha cama e fiquei chorando ali até adormecer.

[...]

03 de Agosto de 2016 - 20:51

- PARK JIMIN, ABRA ESSA PORTA IMEDIATAMENTE!!!!!!!

Fui acordado pelos gritos do meu pai, me levantando num pulo e indo atender a porta.

- M-Me desculpe, abeoji! Eu acabei pegando no sono, prometo que não vai se repetir! Por favor, não me bata... - implorei de joelhos.

- Lhe darei esse voto de piedade, mas apenas por hoje... Agora vá arranjar comida pro jantar!

- Vou comprar alguma coisa no mercado... Licença... - fiz uma reverência e saí pra comprar comida.

[...]

04 de Agosto de 2016 - 06:45

Acordei com o barulho do despertador, me levantei e fui me arrumar pra escola. Assim que fiquei pronto, desci para a cozinha, peguei uma maçã, comi e joguei o caroço fora. Meu pai já tinha saído pra trabalhar, então simplesmente peguei minha mochila e saí andando em direção à escola.

[...]

04 de Agosto de 2016 - 07:50

Hoje haveria uma atividade envolvendo os terceiros e primeiros anos do ensino médio, e, apesar dos meninos não estarem muito empolgados pra aquilo, eu vi como uma chance de me aproximar do garoto do primeiro ano, Jungkook.

Era uma atividade que tinha todos os anos no colégio, tipo um amigo secreto entre o primeiro e o terceiro ano. Um aluno do terceiro ano sorteava um aluno do primeiro, do qual seria tipo um "guardião" ao longo da sua jornada no ensino médio. É claro, alguns, depois que se formavam, simplesmente abandonavam seus "amiguinhos", mas outros seguiam fiéis até o fim da jornada de seus amigos secretos, o que era bem útil pra alguns trabalhos difíceis do ensino médio ou pra alguns alunos que tinham problemas na família. Não tinha certeza se ia me dar bem com o meu amigo secreto - ou a minha amiga secreta, claro -, mas iria tentar dar o meu melhor. 

No auditório do colégio, separaram as turmas por fileiras, lotando mais ou menos um terço do auditório. Começaram a sortear as duplas por ordem alfabética - por exemplo, os nomes de alunos do terceiro ano que começavam com a letra A tinham suas duplas sorteadas primeiro, depois os com a letra B, C, e assim ia... -, e o tempo passou tão rápido que eu quase não ouvi quando chamaram meu nome, de tão disperso que eu estava.

- Park Jimin?

- Eu! - disse levantando a mão, com um sorriso no rosto, tentando parecer simpático.

- Sua dupla será Jeon Jungkook. - eu quase não acreditei quando ouvi aquele nome. Estava feliz por ser amigo secreto do garoto que eu estava stalkeando há mais ou menos um mês, por mais estranha e assustadora que aquela missão parecesse. Ele olhou pra mim, sorriu pra mim e abanou, se levantando, vindo na minha direção e se sentando do meu lado. Aquele sorriso de coelhinho era tão fofo!

- Park Jimin? É um belo nome! - ele disse sorrindo de forma extremamente fofa.

- Jeon Jungkook também... - respondi, sorrindo fraco.

- Então... Jimin-hyung... O que você gosta de fazer?

- Ah... Eu gosto de ler mangás, assistir Netflix, ouvir música, jogar videogame, dançar, dormir, cantar...

- Você canta? - ele perguntou, empolgado.

- Bom, eu acho que ainda poderia melhorar muito... Mas a minha afinação é razoável. - falei rindo.

- Aigoo, eu vou querer te ouvir cantar um dia! - ele disse, sorrindo como sempre.

- Aigoo... - nós rimos - E você, Jungkookie? - imaginei que ele fosse ficar incomodado com a intimidade que eu usei pra falar, mas ele até pareceu ter gostado.

- Bom... Basicamente, a mesma coisa que você... - ele riu.

- Então parece que vamos nos dar bem... - disse e ambos sorrimos, numa troca de olhares que fez meu coração bater mais forte por alguns instantes.

Voltamos a olhar pra frente, evitando olhar um ao outro, ficando naquele clima tenso até sortearem as últimas duplas. Depois disso, os alunos foram liberados para voltarem às suas respectivas aulas, então nos levantamos e Jungkook me olhou de cima a baixo.

- Hyung... Você é baixinho. - ele disse rindo.

- Ya! - disse batendo nas costas dele - Você que é gigante! - falei, quase fazendo birra.

- Aigoo... Além de baixinho, é forte! - ambos rimos e fomos cada um pra sua sala. Me sentei na minha classe e por algum motivo desconhecido, fiquei pensando no sorriso do garoto.

É... Parece que teremos um longo caminho pela frente, Jeon Jungkook...


[...







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...